Sábado, 31 de Dezembro de 2011

 

O fim do sinal analógico e a transição para a Televisão Digital Terrestre, que começa a 12 de Janeiro e acaba a 26 de Abril, não podia calhar em pior altura. Muitos dos portugueses que não têm televisão por cabo e compraram o seu aparelho antes de 2009 - geralmente os que têm menor folga financeira, onde se incluem muitos idosos - terão de pagar um aparelho descodificador. São 77 euros mais IVA, com reembolso de 22 euros pela PT para os pensionistas com menores rendimentos e algumas pessoas mais desfavorecidas. Uma coisa chocante para os senhores da ANACOM: 55 euros é muito dinheiro para quem tenha reformas abaixo dos 300 euros ou para quem esteja desempregado. Pior: quem tenha um televisor sem tomada de interface SCART ou HDMI terá mesmo de comprar uma televisão nova ou um modulador de sinal RF, não comparticipado. E não podemos esquecer todos os que vivem nas zonas não cobertas pela TDT (cerca de 13% da população) que terão de de usar o satélite.

 

Não ponho em causa as vantagens da TDT para a modernização do sector. Mas elas não se farão sentir, de forma evidente, para a maioria dos consumidores. O sinal poderá ser melhor mas continuarão, apesar da despesa, a ter direito aos mesmíssimos quatro canais do costume.

 

Se a transição tecnológica não traz serviços novos e relevantes porque têm de ser os cidadãos a pagá-la? Parece, a quem tenha alguma noção das situações dramáticas que se vivem, no meio desta crise, por este país fora, que esta é uma despesa prioritária para as famílias? Se obrigam as pessoas a isto não seria normal darem-lhes qualquer coisa em troca? Um exemplo: se já pagamos a RTP nos nossos impostos não seria uma boa solução aproveitar as potencialidades da TDT e oferecer no pacote gratuito os restantes canais da televisão pública? Porque temos de pagar duas vezes (nos impostos e na subscrição por cabo) a mesma coisa?

Via Expresso


publicado por olhar para o mundo às 17:00 | link do post | comentar

O divórcio marcará um novo recorde para o divorciado mais velho do mundo
O divórcio marcará um novo recorde para o divorciado mais velho do mundo (Daniel Rocha (arquivo))
Nem 70 anos apagaram uma traição que levou um italiano de 99 anos a querer terminar o seu casamento e estar prestes a tornar-se o mais velho divorciado do mundo, noticia hoje o jornal britânicoTelegraph.

Antonio C. descobriu num móvel velho as provas de uma relação que a sua mulher, Rosa, teve em segredo com outro homem na década de 1940.

Com as cartas de amor na mão, confrontou a mulher, com quem está casado há 77 anos, e pediu o divórcio. Arrependida, Rosa terá confessado tudo mas não conseguiu demovê-lo. 

Segundo o jornal, o casamento já tinha tido problemas antes: há dez anos, Antonio C. saiu de casa e foi viver com um dos filhos do casal, regressando ao fim de algumas semanas. 

Agora foi a gota de água para uma relação de que resultaram cinco filhos, doze netos e um bisneto. 

A imprensa italiana explica o fim amargo de um casamento que parecia tão estável com o temperamento inflamado do Sul de Itália, indicando que Antonio é natural da Sardenha e Rosa de Nápoles.

Os dois conheceram-se nos anos 30 do século XX, quando António foi colocado em Nápoles como oficial da polícia. 

O divórcio em curso marcará um novo recorde para o divorciado mais velho do mundo – o recorde anterior pertencia aos britânicos Bertie e Jessie Wood, que se divorciaram aos 98 anos depois de 36 anos de união.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:57 | link do post | comentar

Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011
Guia completo sobre os maiores segredos masculinos!

 

Na primeira pessoa, eles confessam que são inseguros, que nos comparam com as antigas namoradas, que choram a ver filmes e, sim, fingem orgasmos. Surpreendida? Pois é, no mundo masculino nem tudo é o que parece...

Em tempo de igualdade entre os sexos, divisão de tarefas e valorização da comunicação dentro do casal, que segredos podem os homens ainda querer guardar? Foi o que perguntámos a vários representantes do dito sexo forte, fazendo um pequeno inquérito informal. É generalizar? Claro que sim, mas não deixa de ser elucidativo. Confira as respostas.


"As mulheres não podem nunca saber que são constantemente comparadas às antigas namoradas ou mulheres e que o desejo secreto de cada homem é poder ser mórmon..."

 

"Que nunca esquecemos o primeiro amor. Que chumbámos três vezes ao tirar a carta e continuamos a ‘mandar vir' com a condução. Que temos medo delas. É verdade, temos medo das mulheres, principalmente das que não conhecemos e das que achamos minimamente atraentes. Temos medo da rejeição e do que vocês dizem. Temos medo que contem às amigas que não conseguimos ‘actuar'. Temos medo do nosso lado feminino".

 

"Não queremos que saibam quão frágeis somos, que conheçam o nosso lado ‘medricas', que saibam que também temos "dias feios" e que precisamos tanto de ser verdadeiramente amados como vocês. Tentamos esconder tudo o que contrarie o arquétipo ‘machão'."Os homens não gostam que as mulheres saibam das suas contas e investimentos, nem quando dinheiro têm, porque se sentem controlados."

 

"Que também somos invejosos e fazemos intrigas. Que queremos dominar e fazemos tudo para que pareça que dominamos, embora muitas vezes sejamos completamente dominados por vocês. Sim, temos atracções pelas vossas amigas, sim, somos infantis".

 

"Tememos sempre que fiquem desapontadas com a nossa performance sexual e que achem que somos piores amantes do que os anteriores namorados.""Às vezes choramos em determinado tipo de filmes, mas não fica bem admiti-lo"

 

"Que vemos pornografia; que dizemos sempre que temos muito trabalho, mesmo quando não temos; que às vezes nos masturbamos a pensar noutras mulheres e que arranjamos títulos pomposos para a nossa profissão porque queremos parecer mais importantes. Resumindo, que somos imaturos!"

 

"Que às vezes, de manhã, não é desejo que sentimos, apenas uma erecção matinal, e não nos apetece fazer amor, mas não temos ‘lata' de dizê-lo. Que encontrámos a antiga namorada na rua e acabámos por ir beber um café com ela; que a noite ia ser muito mais divertida se a namorada não estivesse presente e que achamos os seus seios muito pequenos".

 

"Que fingimos orgasmos (é verdade, ao que nos obriga a emancipação sexual da mulher...), o que é um bocado vergonhoso. Claro que não se pode fingir a reacção fisiológica, mas podemos fingir a intensidade do orgasmo. É possível, desde que se estimule o suficiente, ter ejaculações sem orgasmo."

 

"Não queremos que as mulheres saibam das vezes em que não conseguimos ‘actuar', quer porque ‘o pano não chegou a subir', quer porque a longa-metragem, afinal, era uma ‘curta'. Não queremos que saibam que os nossos amigos têm um pénis maior e que olhamos para todas as miúdas de uma forma sexual (mesmo as mais feias têm direito a uma avaliação visual).""Que vocês saibam com quem saímos à hora do almoço".

 

"Que nunca vamos casar com ela. Um tipo pode não ser totalmente verdadeiro para não desgostar a rapariga casadoira..."

 

"Que ganhamos menos do que elas (principalmente num primeiro encontro, a não ser que a coisa seja mesmo visível)."

 

"Que a ‘tal' afinal é a nossa mãe. As mães normalmente educam os filhos para serem os homens da vida delas. Por isso, é difícil resistir. Dão-nos todos os mimos e mais alguns, toleram os nossos defeitos de personalidade, essas coisas...""Que somos egocêntricos."

 

"Não gostamos que vocês saibam mais do que nós, seja em que assunto for, e não gostamos que vocês percebam que estamos com medo, por exemplo, em situações de ‘pancadaria' ou acidentes, porque é suposto sermos nós a defender-vos".

 

"Não gostamos que saibam sempre por onde andamos, não gostamos que conheçam todos os nossos amigos (ou amigas, principalmente, porque evita as cenas de ciúmes)."

 

"Não queremos que vocês saibam que precisamos muito mais de vocês do que vocês de nós".

 

"Um homem para ser um tipo como deve ser tem de superar muita tolice que a cultura masculina impõe. Não há ninguém que ensine mais coisas a um homem sobre quem realmente ele é do que uma mulher. Os homens pouco evoluíram desde a puberdade e, então, quando se juntam são uns animais, grosseiros e porcos."

 

"Que temos inveja de vocês e detestamos admitir que vocês são seres pensantes. Não queremos que conheçam os nossos medos; detestamos que não saibam cozinhar e que queiram ser iguais a nós".

 

"A maior parte dos homens têm a mania que é melhor do que as mulheres. Só pensarem que uma mulher pode ser mais inteligente do que eles é o fim!".

 

"Os homens não querem que as respectivas saibam que a melhor amiga dela é mais bonita do que ela; que as piadas que conta não têm piada nenhuma; que cinco ou seis SMS por dia são irritantes (devia enviar apenas um); que aquele dia em que ele disse que estava cansado afinal foi para a borga com os amigos, que odiamos aquele bar que ela adora e que morremos de ciúmes daquele amigo de infância que está sempre com ela".


Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:50 | link do post | comentar

Inauguração estava prevista para antes do Natal mas só ocorreu ontem numa floresta daBaviera, próximo da fronteira com a República Checa

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 17:00 | link do post | comentar

A oferta de festas gratuitas de passagem de ano está a aumentar, até porque a crise e a austeridade limitam as opções de escolha dos portugueses, cortando nas despesas mas sem cortar na diversão. 

Um pouco por todo o país, autarquias, promotores e operadores turísticos promovem eventos e espetáculos gratuitos, num cenário que terá como ponto alto a meia-noite exata da noite do dia 31. 

Em Lisboa, o espetáculo pirotécnico “Fusão” marca a entrada no novo ano com dez minutos de fogo de artifício que, segundo a organização abraçará o Parque das Nações num momento de “emoção, cor e magia”. 

Na Margem Sul, em Almada, as comemorações no Largo de Cacilhas (junto à Fragata D. Fernando II e Glória) iniciam-se às com os DJs da Antena 3, Mónica Mendes e Rui Estêvão. 

Um pouco mais a sul, os Homem na Lua, projeto acústico de Sandro Maduro, que faz uma viagem a temas de diversos autores portugueses, entra em cena na Doca dos Pescadores, em Setúbal, às 22:30. 

Em Sesimbra, a animação musical está a cargo dos DJ Marco Soul e Black, incluindo um espetáculo piromusical inspirado no sol e no mar de Sesimbra. O fogo-de-artifício é lançado da Fortaleza de Santiago, ao som de Händel e John Miles. 

A cidade do Porto assinala a passagem do ano a olhar o rio e o tradicional fogo-de-artifício oriundo de Gaia que une as duas margens num dos mais imponentes espetáculos de cor. 

No distrito de Braga, a câmara de Cabeceiras de Basto, opta por um encontro dirigido aos “menos protegidos e mais sós”, oferecendo, a partir de das 22:30, no Mercado Municipal, animação, dança e gastronomia. 

Mais a norte, no distrito de Viana do Castelo a festa faz-se em Caminha com Dj Lights e espetáculo de fogo-de-artifício, às 24:00, no Terreiro. Em Paredes de Coura, o centro cultural oferece um espéculo do Dj Nuno Calado, banda de baile “São e Salvos” e Dj Humberto Felício (22:30). 

Um dos pontos altos das festas na região centro é na Figueira da Foz, para onde são separados milhares de pessoas. A festa tem início às 22:30 com a Banda VIRUS Music, numa tenda no Forte de Santa Catarina. Às 00:00 lugar ao espetáculo de fogo de artifício e piro musical, numa tentativa de bater o recorde da maior concentração de mini foguetes para o Guinness World Record. 

Em Aveiro, a cidade oferece, às 23:00, no Rossio, espetáculo com o grupo "Gandas Malucos", fogo de artifício e animação com vários DJ’s. 

A banda Hi-Fi e fogo-de-artifício são as propostas da cidade de Viseu (às 23:00 no Campo Viriato), mas no distrito os festejos acontecem também em S. Pedro do Sul e Vila Nova de Paiva. 

Mais a sul, o Jardim da Liberdade e o Jardim da República de Santarém são os palcos da entrada no novo ano em Santarém. A passagem do ano é também presenteada com um espetáculo de fogo-de-artifício na antiga Escola Prática de Cavalaria. 

No Algarve, Áurea anima, a partir das 23:00 a festa na praia dos pescadores, em Albufeira, onde a meia-noite é assinalada com fogo de artifício, naquele que será um dos mais importantes ‘reveillóns’ do sul do país. Os festejos estendem-se também a Lagoa, onde será feita a festa na Avenida dos Descobrimentos. 

Em pleno Alentejo, Marvão divide a passagem do ano entre o Grupo Desportivo Arenense, onde decorrerá um baile popular (22:00), e a Discoteca A Cave, em Santo António das Areias. E em Beja, a proposta inclui, às 22:30, o espetáculo com Orquestra Chave D’Ouro e Sonido Andaluz, na Praça da República. 

Um dos locais mais tradicionais das Passagens de Ano em Portugal é a cidade do Funchal. Depois da polémica quanto aos custos das iluminações, a Câmara apresenta um grande espetáculo pirotécnico, na Praça do mar, na Avenida Sá Carneiro, antecedido um espetáculo da Orquestra Ligeira da Madeira (entre as 21:00 e as 04:00). 

Já em Ponta Delgada a festa popular, nas Portas da Cidade, está a cargo dos “Omnis Abba Project”, “Banda Royal & Big Band” e Açor Talentos. 



publicado por olhar para o mundo às 09:28 | link do post | comentar


Uns são fraudes, outros são estudos que não deviam ter acontecido, pelo menos daquela forma. Quando a ciência não dá boa imagem de si.
A fraude do "senhor dos dados" holandês


Os temas de Diederik Stapel pareciam escolhidos a dedo para chamarem a atenção: a influência do poder no pensamento moral, como os ambientes desordenados promovem a discriminação... Mas os dez anos de investigação em Psicologia Social do holandês, traduzidos em mais de 150 artigos em revistas científicas, desmoronaram-se em Setembro, quando foram divulgados os primeiros resultados de uma investigação promovida pela Universidade de Tilburg, onde trabalhava. Stapel, afinal, não fazia inquéritos, nem experiências para observar situações sociais. Inventava pura e simplesmente os dados e dava-os aos seus estudantes ou colaboradores, que não sabiam que trabalhavam com falsidades.

"As pessoas estão chocadas", disse ao site Science Insider Gerben van Kleef, psicólogo social da Universidade de Amesterdão. O relatório ainda provisório das universidades holandesas onde Stapel trabalhou chamou-lhe "Senhor dos Dados" (Lord of the Data), porque não mostrava o material original a ninguém. Isso ter-lhe-á permitido ter uma carreira fraudulenta, publicando em revistas prestigiadas, como a Science.

Esta fraude de proporções épicas pôde acontecer porque é prática corrente na investigação em Psicologia não divulgar os dados originais, com a desculpa de defender a privacidade dos participantes. Mas "a cultura de segredo da Psicologia produz ciência de baixa qualidade", escreveu na Nature o psicólogo Jelte Wicherts, da Universidade de Amesterdão. "Quando se voltam a analisar artigos publicados, encontram-se frequentemente erros, e quanto mais relutantes se mostram os autores em divulgar os seus dados, mais provável é que o seu trabalho tenha erros."

Arsénio, bactérias e a ciência em águas de bacalhau

A descoberta divulgada no final de 2010 foi uma declaração e tanto. Havia na Terra bactérias tão diferentes que passava a ser possível procurar vida em locais no Universo que até então julgaríamos mortos. Felisa Wolfe-Simon, do Instituto de Astrobiologia da NASA, tinha encontrado uma espécie que se alimentava de arsénio. O estudo foi publicado na Science.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:56 | link do post | comentar

Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

Popular revista anunciou os vencedores do concurso de fotos. Divididas por três temas (NaturezaPessoas e Lugares), foram também destacadas imagens com menções honrosas e as escolhas do público.

Via Expresso


publicado por olhar para o mundo às 22:02 | link do post | comentar


Conselhos de uma atriz , Stoya

Stoya - atriz pornô com cara de Branca de Neve. Foto reprodução site da atriz

 

Escutar os conselhos de uma atriz pornô pode ser bem interessante, afinal ela faz isso profissionalmente e já viu de tudo. A atriz pornô Stoya, uma americana que já ganhou o Oscar do cinema pornô duas vezes, vai nos dar dicas bem interessantes.

 

E um dos grandes segredos é ter autoestima em dia e falar para o seu homem do que você gosta.

 

Ela tem carinha de menina, e se parece com a Branca de Neve, mas gosta de aventuras bem mais picantes. Segundo ela, toda mulher pode ser uma furacão na cama, desde que pense em si mesma, primeiro, para ela os homens são muito fáceis de excitar, é só tocar na área de diversão suprema, o pênis. O resto é só variar.

 

Os homens precisam saber o que você quer na cama, segundo Stoya, a mulher deve falar tudo o que quer, deve falar, deve emitir sons, deve curtir. Isso vai guiar o homem, e vai deixar ele super excitado, em ver a liberdade da mulher que está com ele.

Uma outra dica que adoramos, sobre sexo oral, mas que vale para qualquer brincadeira ou posição sexual. A mulher que gosta de sexo oral é a que faz melhor, e consequentemente vai curtir o ato em si. Gostar de sexo é o que conta. E para impressionar num primeiro encontro ou turbinar sua noitada com seu marido ou namorado, é supreender.

 

Enquanto ele espera que seja mais uma noite de jantar e cinema, você sugere pularem a sobremesa e irem direto para casa, hein? O importante é você fazer o que tiver vontade. Na verdade Vilamigas, use seu poder e se solte, você vai arrasar, se divertir e principal ter muito prazer.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:52 | link do post | comentar

Natal: Tenente-coronel da GNR explica que cidadãos mortos 'não cooperaram' (vídeo)
Lourenço da Silva, tenente-coronel da GNR, declarou, no Programa Bom dia Portugal da RTP, que a Guarda Nacional Republicana está de «consciência tranquila» e que os cidadãos que morreram na estrada durante a época do Natal «não quiseram manter-se vivos».

A Operação Natal 2011 durou quatro dias e terminou na meia-noite de terça-feira (dia 28). Registaram-se 604 acidentes rodoviários, dos quais resultaram 35 feridos graves e 11 mortos que, de acordo Lourenço Silva, «não cooperaram, não quiseram manter-se vivos».

 

Segundo o comunicado divulgado pela GNR, embora o número de feridos tenha aumentado, mais 18 que em 2010, o número de acidentes diminuiu (menos 302 acidentes), bem como o número de mortes (menos um morto).

 

 

Via SOL




publicado por olhar para o mundo às 17:27 | link do post | comentar

Placa já foi retirada

Placa já foi retirada (Foto: Paulo Pimenta)

 

Tinha pouco tempo de existência, mas já se tinha transformado em objecto fotográfico para muitos passantes. No Largo Mompilher, no Porto, surgiu uma nova “placa toponímica” que rivalizava com a oficial, verde, como tantas outras na cidade. A nova placa foi colocada no edifício do café Candelabro – ao que tudo indica anteontem –, e era constituída por seis azulejos de fundo branco e adornos nas extremidades, em azul e amarelo, que remetiam para a clássica azulejaria portuguesa.

 

A placa anunciava o “Largo eng. José Sócrates”, mas um traço na referência abreviada à habilitação académica do visado como que prenunciava o que se lia a seguir: “(Mentiroso, Corrupto, Incompetente, Primeiro-Ministro de Portugal 2005-2011)”. 

Por coincidência, a nova “placa toponímica” surgiu numa altura em que a Câmara do Porto realiza obras de remodelação no Largo de Mompilher que retiraram algum estacionamento e estão a alargar a área pedonal daquele espaço. 

Contactado pelo PÚBLICO, o Gabinete de Comunicação e Promoção da Câmara do Porto informou que a placa toponímica clandestina foi removida ontem, cerca das 18h, pelos serviços municipais.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:04 | link do post | comentar

Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2011

 

Sakineh pode ser apredejada até à morte a qualquer momento (vídeo)  Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/sakineh-pode-ser-apredejada-ate-a-morte-a-qualquer-momento-video=f696664#ixzz1hs1fMluu

Está presa há cinco anos. Sob a bárbara tortura das chibatadas confessou o crime: adultério e cumplicidade no assassinato do marido. Qualquer pessoa teria confessado fosse o que fosse desta forma. Mas Sakineh Ashtiani acabou, mesmo assim, por ser condenada pelas autoridades iranianas. Pena de morte, por apedrejamento. Quando se pensava que tal veredito estava suspenso, graças à pressão internacional, o caso volta à estaca zero e Sakineh pode morrer a qualquer momento.

 

O caso arrasta-se desde 2006. Cinco anos de vida de uma mulher, que todos os dias acorda sem saber se vai ser o último. Se vai ou não ser enrolada num lençol branco, enterrada na areia até aos ombros e golpeada com pedras até fechar os olhos para sempre, como manda a tradição desta prática desumana. Por si só, esta tortura da dúvida é uma morte lenta demasiado dolorosa.

 

A história de Sakineh, de 43 anos, correu mundo pela mão dos ativistas dos direitos humanos. Pelo meio, o seu filho, o seu advogado e dois jornalista alemães foram detidos. Mas o caso nunca foi totalmente silenciado.  Em julho deste ano, mais 300 mil pessoas de todo o mundo - entre elas inúmeras figuras públicas -  assinaram uma petição que serviu, em boa parte, de volte face à decisão da sharia. Os líderes iranianos quiseram abafar mais um escândalo e afastar as atenções, sob risco de consequências políticas. Por outro lado, não querem demonstrar que estão a ceder às pressões do Ocidente. Pelo meio fica em jogo a vida de uma mulher. De forma atroz. Absurdamente injusta.

Irão: 385 enforcamentos em apenas um ano

Relembro que dados da Amnistia Internacional revelam que, apenas no ano passado, foram executadas 388 pessoas no Irão, quase todas enforcadas. Em espera para morrer por lapidação há dez homens e quatro mulheres. Agora, novamente Sakineh.

 

Em pleno dia de Natal a confusão voltou a ser lançada: a iraniana recebeu nova ordem de execução na prisão. Em dúvida fica apenas se será por apedrejamento ou enforcamento. De imediato sugiram novos apelos da Amnistia Internacional e dos governos alemão, francês e espanhol.

Agora, chegou também a vez de todos nós darmos o nosso pequeno contributo. Dar voz a Sakineh é dar voz a todas as mulheres que sofrem tais barbáries. Assinar a petição não custa nada e pode ajudar a salvar uma vida. Demora apenas 10 segundos e pode fazê-lo aqui . Eu já o fiz e você?

 

 



Via A vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 22:16 | link do post | comentar

Ganhar na loteria está na lista dos itens. Foto: Getty Images

Ganhar na loteria está na lista dos itens

Para algumas pessoas o sexo pode estar em um pedestal, mas o site Your Tango encontrou nove coisas que são melhores do ter uma relação sexual. Cookies de chocolate, fazer xixi quando se está apertado e ganhar na loteria estão entre os itens; confira a seguir.

1- Cookies de chocolate

 

2 - Ficar de mãos dadas

 

3 - Ganhar na loteria

 

4 - Um bom Martini

 

5 - Ser linda, perfeita e famosa; ainda estar grávida de um bem sucedido e famoso marido.

 

6 - Comprar algo desejado em promoção

 

7 - Noite das meninas

 

8 - Se entregar a um livro que tem tudo a ver com o momento vivido.

 

9 - O amor

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:27 | link do post | comentar

No dia da greve geral, manifestantes em frente ao Parlamento usam uma máscara associada ao grupo de hackers AnonymousNo dia da greve geral, manifestantes em frente ao Parlamento usam uma máscara associada ao grupo de hackers Anonymous (Miguel Manso)
Este foi um ano agitado no mundo da tecnologia: várias marcas trouxeram novos aparelhos para o mercado dos tablets, os telemóveis deram passos largos para um mundo de smartphones e a cibersegurança foi tema quente. E foi também um ano de alguns grandes falhanços. Dos problemas de segurança do Estado português, até produtos dados como mortos logo após serem postos à venda, passando por empresas que se deixaram afundar – eis o lado negativo de 2011.

Cibersegurança do Estado


Na sequência da greve geral, a 24 de Novembro, vários sites (de partidos políticos a estruturas do Estado) sofreram uma série de ataques informáticos. Em quase todos, os ataques deixavam apenas os sites inacessíveis por um período curto de tempo. Mas houve um caso em que os atacantes conseguiram retirar de computadores do Estado um ficheiro com dados pessoais de 107 polícias.

Os ataques (feitos por grupos que até marcavam aulas online para aspirantes a hackers) foram muito pouco sofisticados – mas chegaram para mostrar que as infra-estruturas informáticas portuguesas são muito vulneráveis e que ataques mais sérios podem comprometer a segurança do Estado.

Hackers divulgam dados pessoais de 107 polícias de Lisboa e ameaçam toda a PSP
Hackers: atrás do ecrã para "elevar a voz do povo"

O tablet da HP
Tal como muitas outras empresas, a gigante HP entrou em 2011 na guerra dos tablets. Mas, contrariamente ao que muitos fizeram, não adoptou o sistema operativo Android (o principal rival do sistema do iPad) e preferiu avançar com uma plataforma própria, chamada WebOS.

Se os tablet com Android continuaram este ano a ter dificuldades em combater a Apple, o HP Touchpad (praticamente sem aplicações e com um sistema de que a maioria dos consumidores nunca ouvira falar) mal teve tempo de tentar. Começou a ser vendido a 1 de Julho e foi descontinuado a 18 de Agosto, depois de vendas fracas e com a HP a escoar o stock a preço de saldo. A empresa anunciou mesmo ter desistido do segmento e, este mês, transformou o Web OS num sistema de código aberto, colocando-o à disposição de qualquer pessoa.

HP quer separar divisão de PC e abandona tablets

Tablet Motorola Xoom
O aparelho, uma parceria entre a Motorola e o Google, foi o primeiro tablet equipado com a versão 3.0 do sistema operativo Android, a primeira versão concebida especificamente para tablets. A Motorola gerou expectativa e lançou um anúncio inspirado no famoso “1984”, da Apple. As vendas, porém, foram uma desilusão, num ano em que os tablets com Android ganharam terreno, mas continuaram longe do iPad.

Motorola ataca Apple com anúncio inspirado em George Orwell
Guardian: From Xoom to bust: how Motorola's tablet failed to conquer Honeycomb

Research In Motion
Em tempos um ícone dos smartphones, a canadiana Research In Motion (RIM), que fabrica os telemóveis BlackBerry, teve um ano catastrófico: perdeu quota de mercado nos EUA (o mais importante para a empresa), está longe dos líderes no mercado europeu, as acções caíram a pique, os dois CEO têm sido fortemente criticados, uma série de executivos decidiram sair e a estreia no mercado dos tablet (com um aparelho chamado PlayBook) teve fracos resultados.

Conhecida pelos telemóveis com teclado físico (embora também comercialize modelos apenas com ecrã sensível ao toque), a RIM parece ter dificuldades em acompanhar o mercado, que está voltado para o iPhone e para os múltiplos Android.

Para além disto, os servidores da empresa – responsáveis pelo sistema de mensagens que é um dos trunfos da marca – tiveram em Outubro uma falha que afectou, durante dias, milhares de utilizadores em todo o mundo. E (aqui sem responsabilidade da RIM) o uso destes telemóveis acabou associado à organização dos motins em Londres. 

Fabricante dos BlackBerry já foi uma estrela, mas hoje luta pela sobrevivência

YDreams
A tecnológica portuguesa é frequentemente dada como um exemplo de inovação e um caso de sucesso que ultrapassa as fronteiras portuguesas. Mas este ano acabou nas notícias por más razões: em Setembro, soube-se que a empresa tinha salários e subsídios de férias em atraso.Também este ano, a YDreams lançou uma spin-off – a YNvisible – na bolsa de Frankfurt. No segundo dia no mercado, as acções chegaram aos 3,10 euros. Desde então, têm vindo sempre a cair e esta semana fecharam nos 24 cêntimos.

Funcionários da YDreams queixam-se de salários e subsídios de férias em atraso
Ynvisible entra em bolsa com o objectivo de criar interactividade de baixo custo

Sony
Este foi o ano em que atacar sites e sistemas informáticos foi moda. E a Sony foi talvez a maior vítima. Em Abril, ataques à PlayStation Network (um sistema de jogos online) e ainda a plataformas de venda de conteúdos online expuseram informação pessoal de mais de 100 milhões de clientes da Sony, o que, em muitos casos, incluía dados de cartões bancários. 

A falha levou a que autoridades de alguns países (entre os quais EUA e Reino Unido) pedissem explicações à Sony e foi um enorme golpe na imagem da multinacional nipónica. Não ajudou que a Sony tenha esperado uma semana entre o momento em que detectou o ataque e o dia em que avisou as autoridades e os utilizadores de que os dados podiam ter sido roubados.

Sony reabre o serviço de jogos que foi atacado por “hackers” 

Eleições presidenciais
Nas eleições presidenciais de 23 de Janeiro, os sistemas disponibilizados pelo Estado para que os cidadãos pudessem receber o seu número de eleitor (necessário para votar) deixaram de funcionar devido ao elevado número de acessos.

Nem o Portal do Eleitor, nem o serviço de SMS, nem a informação telefónica conseguiam dar resposta. O problema afectou eleitores já com Cartão do Cidadão, cujo número de eleitor tinha mudado e resultou em longas filas de espera nas juntas de freguesia e em eleitores que não conseguiram votar. 

Mais de 42 mil pessoas tiveram problemas para votar no dia 23

TIM w.e.
Teve mais a ver com a instabilidade dos mercados do que com o desempenho da empresa, mas a tecnológica TIM w.e., que vende conteúdos e serviços para telemóveis e que seria a primeira empresa portuguesa a entrar no Nasdaq, o índice tecnológico dos EUA, viu os planos gorados e decidiu adiar a oferta pública de venda. A empresa contava encaixar entre 93,8 milhões de euros e 125,8 milhões de euros. 

TIMWE faz estreia de empresa portuguesa no Nasdaq 

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 17:09 | link do post | comentar

Morreu Cheeta, a chimpanzé do Tarzan

 

Chimpanzé do Tarzan morreu aos 80 anos na Florida

O chimpanzé que, segundo o santuário de vida selvagem onde vivia na Florida, contracenou com Johnny Weissmuller e Maureen O’Sullivan no filme "Tarzan", de 1932 a 1934, morreu na semana passada, aos 80 anos.

“É com muita tristeza que comunicamos que perdemos um amigo querido e um membro da família, a 24 de Dezembro”, anuncia o santuário para primatas Suncoast, em Palm Harbor, Florida, em comunicado. Cheetah não resistiu a uma insuficiência renal, detectada este mês.

Segundo o santuário, o animal vivia nas suas instalações desde os anos 1960 e gostava de pintar com as mãos, de futebol e de ouvir música, contou a porta-voz da instituição, Debbie Cobb, ao jornalTampa Tribune. O mais famoso dos 15 chimpanzés do santuário gostava de ver as pessoas a rir, acrescentou Cobb.

Um chimpanzé chamado Cheeta, que vive na Califórnia, foi considerado durante muito tempo o animal que entrou nos filmes do Tarzan. Mas depois de uma investigação histórica, essa pretensão foi retirada, conta esta quarta-feira a BBC. Também é possível que vários animais tenham sido usados nos filmes.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 13:59 | link do post | comentar


A pastelaria é em Braga
A pastelaria é em Braga (Hugo Delgado (arquivo))
O dono de uma pastelaria de Braga queixou-se hoje de “perseguição”, depois de ter sido detido 16 vezes em três meses pela GNR por alegadamente se encontrar dentro do estabelecimento uns minutos para além do horário de funcionamento.

“Basta ultrapassar o horário em dois minutos e já tenho a GNR à porta, é uma coisa verdadeiramente incrível”, disse Sérgio Lima.

Acrescentou que sempre que isso acontece é detido e levado no carro da GNR até ao posto da GNR no Sameiro, onde passa “à volta de uma hora” no preenchimento do auto de notícia.

Aquela pastelaria, situada na cidade de Braga, foi alvo de uma providência cautelar, interposta por um morador no prédio, magistrado do Ministério Público, que se queixou de excesso de ruído. 

O tribunal aceitou a providência e decidiu encurtar o horário de funcionamento da pastelaria, que era das 7h00 às 24h00 e passou para das 9h00 às 21h00.

A partir daí, como assegura Sérgio Lima, a GNR “não larga a porta”, seja de manhã seja à noite, para controlar a hora de abertura e de fecho. 

“Não é preciso estar a funcionar, basta alguém estar lá dentro para a GNR dar imediatamente ordem de detenção. O que eu pergunto é se a GNR é sempre assim tão escrupulosa ou se tudo isto se fica a dever ao facto de estar em causa um magistrado do Ministério Público”, insurge-se o empresário. 

A pastelaria funciona naquele local há três anos, tendo o proprietário, na sequência da providência cautelar, investido 10 mil euros, na colocação de uma tela de insonorização no chão e de uma cobertura na esplanada, neste último caso para evitar que os fumos subam até ao primeiro andar, onde mora o magistrado. 

Entretanto, já foi feito um teste acústico, que também já foi enviado para o tribunal, e que, segundo o advogado do empresário, poderá ser decisivo para o processo. 

“Independentemente de tudo isso, é de estranhar, estranhar muito, o zelo da GNR neste caso. Ainda há dias, um cliente meu foi assaltado, em Famalicão, e estivemos uma hora à espera da chegada da GNR”, criticou. 

Contactada pela Lusa, fonte da GNR disse que aquela força se limita a fazer cumprir a lei. 

“Há uma providência cautelar que é preciso fazer cumprir e é nesse sentido que a GNR actua”, acrescentou, escusando-se a fazer quaisquer outros comentários, por ser um assunto que “está sob a alçada da justiça”.

Antes da providência cautelar, a pastelaria chegou a ter 14 funcionários, mas agora apenas tem cinco.

“E se isto não se resolver rapidamente, não sei, não”, atirou Sérgio Lima. 

Lembrou ainda que o estabelecimento foi licenciado “de raiz” para indústria de panificação, o que, a acontecer, lhe permitiria funcionar 24 horas por dia.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:26 | link do post | comentar

Terça-feira, 27 de Dezembro de 2011
Estudos estranhos sobre sexo

 

Sexo e relacionamento são temas sempre comentados e noticiados na mídia. Pesquisas são feitas com o intuito de descobrir como acontece a relação humana e, por vezes, ajudar a melhorar a situação. Alguns estudos, porém, são um tanto quanto excêntricos e são estes que fazem parte da lista feita pelo Your Tango.

 

Veja a seguir dez pesquisas estranhas sobre sexo feitas em 2011.

 

Mulheres pensam mais em comida do que em sexo: uma pesquisa com 5 mil pessoas mostrou que as mulheres são mais preocupadas com o que estão comento do que com a vida sexual. O estudo descobriu que 25% delas pensam sobre comida a cada 30 minutos, contra apenas 10% que pensam sobre sexo. Quatro em cada 10 mulheres dizem que estão sempre em busca de dietas e/ou preocupadas com o peso.

 

25% das pessoas atendem o telefone durante o sexo: uma pesquisa feita pela empresa My Phone Deals questionou diversos itens aos voluntários, entre as perguntas estava se alguma vez a pessoa havia atendido o telefone durante o sexo. O resultado foi de que 25% dos entrevistados faziam a interrupção para atender chamadas.

 

Universitários preferem ouvir elogios do que fazer sexo: as pessoas podem ligar a vida na faculdade à promiscuidade, mas de acordo com um artigo publicado no Journal of Personality, os alunos preferem receber elogios e boas notas do que ter relações sexuais.

 

Orgasmo da mulher depende de forma vaginal: o professor de psicologia Stuart Brody, da Universidade do Oeste da Escócia, disse que pode discernir a capacidade da mulher para atingir o orgasmo só de olhar para os lábios das partes íntimas dela. Segundo ele, o orgasmo é mais prevalente entre as mulheres com um tubérculo proeminente no lábio superior, ao contrário das que têm os lábios finos.

 

Universitários prefere livros do que sexo: os estudantes podem fazer festas e bagunça quando estão na universidade, no entanto, todos têm o objetivo de estudar. Uma pesquisa divulgada pela empresa de software Kno, Inc., informou que um em cada quatro estudantes universitários desistiria do sexo por um ano de concessão de livros. Apenas 506 alunos participaram do estudo.

 

Uma em cada cinco mulheres gostam mais do Facebook do que de sexo: de acordo com um levantamento entre 2 mil mulheres, feito pela revista Cosmopolitan, uma em cada cinco mulheres preferem atualizar o status, postar vídeos engraçados, perseguir ex-parceiros na rede social à começar uma relação sexual.

 

Mulheres ficam mais bissexuais conforme envelhecem: um estudo mostrou que as preferências sexuais femininas rendem a sofrer um período confuso. Pesquisadores da Boise State University descobriram que em um grupo de mulheres heterossexuais, 60% eram fisicamente interessadas em outras mulheres; 45% já havia se relacionado com o mesmo sexo no passo; e 50% tinham fantasias de relacionamentos homossexuais.

 

Laptops podem prejudicar esperma: uma pesquisa da revista Fertility and Sterility descobriu que homens que colocam os laptops no colo têm a qualidade dos espermatozoides afetadas. Os pesquisadores chegaram ao resultado testando amostras de sêmen de 29 homens saudáveis. Colocaram gotas de esperma sob um laptop que foi conectado à Internet via Wi-Fi. Em seguida, eles baixaram alguma coisa. Dentro de quatro horas, um quarto das amostras já não estavam nadando ao redor.

 

Mulheres "nerds" fazem mais sexo: as mulheres que passam horas jogando videogames, no computador ou smartphones têm relações sexuais mais frequentes do que as demais mulheres, de acordo com uma pesquisa feita pela Harris Interactive. Este perfil de mulheres também é mais feliz em um relacionamento sério. 

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:54 | link do post | comentar

Desde o dia dos namorados que José deixa uma flor e uma mensagem no metro de Lisboa

Desde o dia dos namorados que José deixa uma flor e uma mensagem no metro de Lisboa (Rita Chantre)

 

Há mais de dez meses que, todos os dias, uma flor viaja clandestinamente no metro de Lisboa. José propôs-se a espalhar o amor pela capital durante um ano, com flores e poesia para quem as quiser apanhar. Não falhou um único dia. E já obteve resposta.

 

É dia dos namorados, 14 de Fevereiro, em Lisboa. Um jovem entra num restaurante, para um “jantar de encalhados”. Gente sem namoro reunida para uma refeição cercada por casais e flores e velas e beijinhos. Sairá comprometido com o peculiar projecto de espalhar o amor pelos subterrâneos da capital, plantando diariamente flores na última carruagem do metro, linha azul, a partir de Santa Apolónia. Mas ainda não sabe.

Há uma rosa na mesa e a brincadeira dita que fique para quem estiver “encalhado” há mais tempo. José, 28 anos, denuncia-se e fica com ela. No regresso a casa, olha a alavanca que serve para accionar o sinal de alarme do metro e engendra uma brincadeira romântica para acabar o dia. Escreve uma mensagem: “Só me volto a encontrar contigo quando apanhares a flor que vai no metro da linha azul”. Envia e fica à espera.

A rosa não chega ao destinatário. Nem a segunda flor, enviada no dia seguinte, nem a terceira. Enquanto falha, mais uma vez, pensa: “Isto teria piada se fosse para toda a gente”. E é com esta reflexão que nasce a ideia de, durante um ano, plantar uma flor no sinal de alarme do metro. Uma por dia, sem falhar, endereçada a quem a encontrar. Cada flor leva um aforismo e pede resposta, por carta, “para obrigar as pessoas a parar”. 

“A paixão é tremoço, o amor é azeitona”

“Perdeu-se uma coisa, ganhou-se outra”, lembra José ao PÚBLICO, relativizando a insucesso da primeira empreitada, com destinatário certo. “Estava com vontade de escrever à mão cartas de amor, bilhetes. E [esta ideia] foi um estímulo para escrever todos os dias, para fazer um exercício de escrita criativa: escrever frases de amor, definições ou não, que me surgem no dia-a-dia. Coisas patéticas como ‘A paixão é tremoço, o amor é azeitona’. E qualquer pretexto serve. As frases são inesgotáveis.”

Esta é a parte prática da história de José, que não revela o resto do nome porque considera que o seu anonimato coloca a ênfase no projecto, que designou Sinal de Alarme. O título tem uma origem absolutamente prosaica, como acontece com os aforismos: é na alavanca do sinal de alarme do metro que as flores são postas a circular por Lisboa. O conceito é construído em cima dessa mundanidade.

O mesmo acontece, por exemplo, com o destino das flores, o fim da linha azul: à vista desarmada é apenas Amadora; numa perspectiva romântica, é o “feminino de quem ama”. É isso que o Sinal de Alarme faz: transforma o quotidiano em romance e assume posições. Incluindo em momentos importantes da vida nacional, em dia de eleições, de manifestações ou greves, na declaração do fado como Património da Humanidade. “A paixão faz greves, o amor faz revoluções”, lia-se a 24 de Novembro, dia de greve geral.

É a política a imiscuir-se nos afectos. José não tem qualquer pejo em assumir o seu carácter interventivo: “O amor também é política. Claro que é. E é importantíssimo que assim seja. O amor tem de se comprometer com alguma coisa”. Mas não se fica por aí: há a questão das flores, de onde as vai apanhar. “O Banco de Portugal, na Almirante Reis, tem um canteiro fantástico. E, por uma questão de justiça social, vou deixar de as comprar e passar a levar as do Banco de Portugal. Quando estiver sem flores, eu assumo as culpas. Só tenho de ter cuidado com aquilo, que pica.”

O crime e a resposta

Santa Apolónia é uma estação terminal e os maquinistas têm de sair da cabine da carruagem que, com a mudança de direcção, se transforma na última, percorrer todo o veículo e entrar na cabine lá na outra ponta. No minuto que essa operação dura, José planta a flor no sinal de alarme e tira uma fotografia. Não pode fazer uma coisa nem outra – e sabe que está a ser vigiado, através das câmaras –, mas nunca foi incomodado.

Nem pelos responsáveis do metro, nem pelas pessoas que, sobretudo em hora de ponta, enchem a estação. “Às vezes encostam-se ao sinal e é mais complicado [pôr a flor]. De resto, não dizem nada. São poucos os curiosos que vão ver o que aquilo é”, observa. As reacções chegam-lhe sobretudo via Facebook, onde mantém uma página dedicada ao Sinal de Alarme, com fotografias de cada “crime” e com as respostas que recebe.Foi através daquela rede social que um maquinista partilhou a fotografia de uma flor que colheu no metro. É naquela rede social que os “fãs” do Sinal de Alarme gostam, comentam e partilham as melhores frases, que ficam abismados com os desvarios proporcionados pelas bodas do projecto – a cada 50 ou 100 dias que passam, José faz acompanhar as flores de objectos estranhos, como um vaso de alface, uma camisa ou um abacaxi; na última boda, já neste mês, um bacalhau seguiu em direcção à Amadora. “A ideia é fazer sorrir as pessoas que vão para o trabalho, muitas vezes sob stress”, diz.

“O Sinal de Alarme provoca sorrisos deliciosos nas pessoas mais sisudas e sérias”, conta, revelando que nunca acompanhou uma flor durante todo o percurso. A escolta, às vezes, dura apenas duas paragens. “Não fico muito tempo. O meu papel é pôr a flor. Depois, o metro que a leve e as pessoas que façam o que quiserem.” Algumas apanham-na e nada dizem; outras enviam perguntas por e-mail; outras ainda aceitam o desafio de responder por carta. Não muitas: sete, uma das quais a partir do Canadá.

As cartas são anónimas. Faz parte das regras – afinal, são respostas a um “crime”. “As pessoas escrevem de forma mais livre, mais pura, sem se comprometerem com nada. É uma forma de desabafarem, de se conhecerem um pouco melhor. É mais para elas que para mim”, sublinha. “O acto de parar, sentar, pensar, pegar na caneta e começar a desenhar as letras é importante. O Sinal de Alarme é mesmo uma paragem. Como no Caos Calmo [filme de Antonello Grimaldi], quando o Moretti perde a mulher e passa todo aquele tempo parado, sentado no banco. É isso que faz falta. Se accionares o sinal de alarme no metro, ele pára. As cartas são isso: parar para avançar.”

“O que ando aqui a fazer?” Esta é a pergunta que José quer que as pessoas façam a elas próprias. “Só se pensa nisto quando ficamos doentes ou morre alguém. Hoje, as pessoas estão a ficar completamente soterradas”, lamenta, antes de construir uma ponte entre o quotidiano cinzento das grandes cidades e as possibilidades do amor, que “também assusta muito”.

“O que vou fazer com as cartas, não sei. Tenho de arranjar uma forma de as plantar. Não sei o que vou fazer com isto. Passado um ano gostava de ter vida”, desabafa. Entretanto, gostaria de ver o projecto contaminar outras paragens. “As pessoas seriam mais sãs. Já desafiei pessoas de outras cidades, mas não aceitaram. Porque isto tem de ser todos os dias: o amor é todos os dias. Acordas todos os dias, comes todos os dias... o amor é todos os dias. Pode estar alguém à espera e se a flor não chega...”

Sem férias

O Sinal de Alarme não falhou um único dia. E a ideia é que assim continue até 14 de Fevereiro de 2012, quando completar um ano. É o comprometimento sem mácula de que fala José e pelo qual abdicou de tudo que, ao longo deste ano, pudesse comprometer o projecto: férias e viagens, festas, funerais e aniversários, sono. “Houve um dia em que não pude mesmo, mas a flor foi lá posta por outro louco apaixonado pela poesia e o amor.”

“Tive medo de não conseguir fazer isto todos os dias. No início, era um impedimento: tinha de ir ao metro todos os dias e colocar lá a flor, estar sempre no mesmo local. Mas isto já se tornou tão rotineiro que tenho medo do que vai acontecer a 14 de Fevereiro, da desabituação. Já faz parte de mim.”

José é de Vila Nova de Famalicão. Na Páscoa, obrigou a família a descer até Lisboa, onde vive, para a refeição festiva. É assim tão sério. Mais tarde, a avó, de 88 anos, teve de viajar sozinha até à capital para matar saudades do neto, que há muito não ia à terra natal. “A minha família sabe da flor, mas não sabe que é por isso que não vou lá acima. Se souberem, internam-me. Digo que é por causa do trabalho, tenho vergonha de dizer que é pela flor. Se digo à minha avó, ela pensa que estou choné”, brinca.“Não fui de férias, não viajei, fiquei várias vezes sem hora de almoço, gastei dinheiro em táxis, em flores. Fui a velórios, mas não a funerais”, recorda. No aniversário da mãe, fez uma “visita de médico”, de surpresa. Vai e volta todas as sextas-feiras a Braga, por causa do doutoramento na Universidade do Minho. Nunca fica no norte.

Nas últimas legislativas, a 5 de Junho, fez parte de uma mesa de voto em V.N. Famalicão, como é seu hábito. Foi e voltou no mesmo dia: chegou às 5h a casa, foi para as mesas de voto às 7h, ficou até às 19h e uma hora depois estava em Campanhã, no Porto, a apanhar o comboio para Lisboa.

É um destes ralis de transportes públicos que José está a fazer neste Natal, que foi passar a casa, com a família. A consoada é um interlúdio no frenesi do amor, antes de novo regresso a Lisboa, para não falhar. Porque “é importante fazer uma coisa todos os dias, sem falhar. Como uma mãe que vai acordar o filho todos os dias, dar-lhe um beijo, carinho. O resultado, depois, é exponencial. Se todas as pessoas escrevessem todos os dias, por exemplo, seria óptimo para os Correios. Talvez não precisassem de ser privatizados.”

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 16:58 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2011

Cabelos brilhantes, pele sedosa, humor contagiante, alto astral. Para conseguir tudo isso, existe uma receita mágica: FAZER AMOR!!! Um encontro de amor caliente pode ser capaz de realizar pequenos ou grandes milagres em sua auto-estima, no trabalho, na saúde e até no relacionamento com o parceiro.

 

Viver o prazer da intimidade sexual intensamente é um dos caminhos para o bem estar físico e emocional, afirmam com unanimidade sexólogos, psicólogos, e médicos de diversas especialidades.

 

Veja alguns de seus benefícios:

 

Pele e cabelos ficam mais bonitos. Os hormônios sexuais possuem receptores cutâneos que, quando estimulados fazem com que a pessoa tenha um melhor aproveitamento das substâncias que chegam à pele. A excitação física também eleva o nível do estrógeno, que ajuda a deixar o cabelo mais cheio e a dar a pele uma aparência sedosa.

 

As rugas passam longe de você.

 

- O beijo na boca, daqueles de cinema, faz parte das preliminares sexuais, funciona como verdadeira ginástica facial. Beijar também movimenta os músculos do pescoço e fortalece a língua.

 

- Organismo jovem por mais tempo. O sexo regular é capaz de retardar em alguns anos o envelhecimento, já que a prática estimula a circulação e os batimentos cardíacos, levando mais sangue e substâncias nutritivas aos órgãos vitais, até mesmo para o cérebro. Segundo estudos realizados por cardiologistas norte-americanos, o sexo também reduz o risco de infarto e hipertensão, ou seja, prolonga a vida.

 

Calorias muito bem gastas. Fazer sexo com freqüência também ajuda a emagrecer. Isto porque, a cada relação feita com capricho, ou seja, muito bem feita, dá para gastar cerca de 400 calorias, o mesmo que você gastaria pedalando durante uma hora.

 

Menstruação sob controle. Os pesquisadores descobriram que a prática sexual ajuda a regularizar o ciclo menstrual feminino. Segundo os estudos, mulheres que fazem sexo toda a semana possuem ciclos mais previsíveis do que aquelas que transam com menor regularidade. Por causa disso, a fertilidade também aumenta, tornando mais fácil planejar o nascimento de um bebê ou controlar a ocorrência de uma gravidez indesejada.

 

Auto-Estima elevada. Uma boa experiência sexual costuma melhorar muito a auto-estima. De acordo com os psicólogos, pessoas bem resolvidas na cama costumam se dar bem também fora dela, ou seja, sentem-se mais seguras e confiantes para ir a luta em vários setores.

Fátima Mourah é “Personal Sexy Trainer”, professora de artes sensuais e autora dos livros “Sexo pra mulheres casadas” e “Sexo, amor e sedução”. Dá palestras e cursos de striptease, pompoarismo, pole dancing, como atingir o orgasmo e massagem erótica

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:55 | link do post | comentar

Domingo, 25 de Dezembro de 2011

"Engana-me que Eu Gosto", "Happy Feet 2" ou "Sexo Sem Compromisso" são alguns dos filmes que, segundo o jornal "The Telegraph", bateram no fundo. Veja os trailers dos piores filmes de 2011.

Os nomeados para os Globos de Ouro já foram revelados. Veja em baixo os piores filmes de 2011 para o jornal The Telegraph.

 

"Engana-me que Eu Gosto"

Danny é um cirurgião plástico bastante mulherengo. Um dia, apaixonou-se por uma rapariga mais nova que ele. No entanto, Danny mente e diz que é casado e que se está a divorciar. O filme é uma bola de neve de mentiras, até que um fim de semana no Havai muda a vida das personagens para sempre.

 

 

 

"Sexo Sem Compromisso"

Esta comédia romântica conta a história de dois amigos de infância que quase destroem a amizade depois de uma manhã de sexo. Com o pbjetivo de não arruinarem a amizade, decidem fazer um pacto que implica não haver ciúmes, expectativas, discussões, flores... A regra principal é simples: não se podem apaixonar um pelo outro.

 

 

 

"Rédea Solta"

Dois amigos, Rick e Fred, encontram-se em casamentos de longa data. As mulheres decidem dinamizar e revitalizar o casamento dando-lhes uma semana de liberdade para fazerem o que quiserem, sem consequências... Os dois melhores amigos descobrem que a vida de solteiro não é como eles pensavam.

 

 

 

"Lanterna Verde"

A história dos defensores da paz e da justiça. A irmandade dos guerreiros Corpo dos Lanternas Verdes jurou manter a ordem intergalática recorrendo aos seus super poderes. Quando surge um novo inimigo - Parallax - que ameaça destruir o equilíbrio do Universo, aparece o primeiro humano recrutado pelo Corpo para mudar o destino e salvar o dia.

 

 

 

"Larry Crowne"

Larry é despedido e decide começar uma nova vida: inscreve-se na faculdade pela primeira vez na vida. Torna-se membro de uma comunidade diferente, onde as pessoas vivem um pouco à margem procurando um futuro melhor. Com o desenrolar da história, Larry sente um fraquinho por uma professora que perdera a paixão pelo ensino e pelo marido.

 

 

 

"O Guarda do Zoo"

Quando a sua namorada rejeitou o seu pedido de casamento, Griffin, o guarda do zoo, pondera deixar o seu emprego. Para manter Griffin no zoo, os animais começam a comunicar com ele e a ensinar-lhe as regras de acasalamento - animal style...

 

 

 

"Sex & Zen: Extreme Ecstasy"

É o primeiro filme erótico (ou pornográfico, dependendo das diferentes classificações) 3D do mundo. Estreou em Hong Kong e foi um sucesso de vendas. O filme é baseado no texto erótico "The Carnal Prayer Mat".

 

 

 

"Cuidado Com o que Desejas"

Mitch e Dave, dois amigos inseparáveis desde a infância, com o passar do tempo optaram por caminhos diferentes. Dave, advogado, é casado e pai de três filhos. Mitch continua solteiro e semiempregado. Ambos consideram a vida do outro perfeita. Depois de uma noite de copos, e de desejarem algo que não deviam em frente a uma fonte, acordam com a vida virada do avesso. Mitch é Dave, Dave é Mitch...

 

 

 

"Happy Feet 2"

Mumble, um pinguim recém-nascido, não sabe cantar mas rapidamente descobre que tem outro talento: dança sapateado. Rejeitado pela sua comunidade, Mumble inicia uma viagem na qual descobre um grupo meio louco de pequenos pinguins Adelies. Nessa viagem, Mumble descobre também a razão da escassez de peixe no oceano que ameaça a vida na Antártida.

 

 

 

"Ano Novo, Vida Nova!"

Comédia romântica em torno da passagem de ano. Amor, perdão, esperança e segundas oportunidades estão no centro do enlace. Uma história de novas oportunidades e recomeços, histórias misturadas de casais e solteiros no centro da cidade de Nova Iorque.

 

 



Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 22:16 | link do post | comentar

Terapia sexual

 

 

A sexualidade faz parte de uma boa qualidade vida, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS). Entretanto, problemas de saúde e muitas vezes fatores ligados às emoções fazem com que muitas mulheres se queixem das disfunções sexuais.

 

Uma pesquisa realizada pelo ProSex (Projeto Sexualidade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo) já confirmou a relação entre depressão e o comprometimento da libido feminina. Metade das mulheres que procuram o instituto sofre de baixo desejo sexual.

 

Além da falta do desejo, o contrário, ou mesmo dores durante as relações, são consideradas disfunções.

Publicidade

A perda da excitação, representada pela ereção no homem e pela lubrificação na mulher, ou mesmo do orgasmo, isto é, ejaculação precoce ou retardada no homem, e anorgasmia na mulher, também fazem parte desta lista.

 

De acordo com Sylvia Faria Marzano, diretora do ISEXP (Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática), as queixas mais freqüentes em ambos os sexos nos consultórios envolvem a diminuição do desejo sexual e, em seguida, a falta deorgasmo.

 

Outra questão observada é a discordância entre os casais em relação a freqüência de relações. Na maioria dos casos, os homens querem praticar sexo mais vezes que a mulher. “Mas existem fases da vida dessa parceria, que pode fazer com que essa procura seja invertida”. Neste caso, o melhor método é o aprendizado da assertividade. “É poder contar ao outro seus desejos, anseios e dificuldades, sem medo de magoar ou não ser entendido. Dialogar é o melhor remédio, mas para isso precisamos desfazer crenças errôneas e mudar comportamentos”, esclarece.

 

Este é apenas um dos passos utilizados durante a terapia sexual, que começou em no início da década de 60 com a contribuição dos estudiosos Masters e Johnson. “Eles descreveram a resposta sexual humana”. Depois, nos anos de 1970, houve grande contribuição de Helen Kaplan, no sentido de propor métodos melhores.

 

O tratamento envolve não apenas os conselhos da terapeuta, mas sim um estudo sobre a história de vida de cada um - suas crenças, mitos e o que aprenderam com a família ao longo da vida. “Também levantamos as dificuldades de relacionamento com a parceria, a procura de conflitos intra-psiquicos. Depois disso, o paciente é orientado a fazer tarefas sexuais em sua residência, algumas sozinho e outras com a sua parceria, digo isso pois essa terapia se aplica a hetero ou homossexuais”, explica.

 

A terapia sexual segue linha psicoterapia focal breve que, em geral baseia-se na Terapia Comportamental Cognitiva “ou seja, desfazer crenças e mudança dos comportamentos não apropriados entre os casais”. Segundo Marzano, é comum os profissionais também usarem outras ferramentas como, técnicas psicodramáticas, que muito contribuem na abordagem dos pacientes com queixa sexual.


Ao contrário do que se imagina, a terapia pode ser realizada por solteiros. “Quando houver a participação da parceria, isto é, os dois querem uma melhora do relacionamento conjugal e sexual, mesmo que não sejam casados, pode haver uma maior chance de mudanças. Mas é muito comum o homem com queixa de ejaculação precoce, ou a mulher, com vaginismo, procurarem uma terapia sexual separadamente e beneficiarem-se muito desse tratamento”, completa a terapeuta.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:58 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011
Transtorno do desejo sexual

 

Para muitas mulheres, o prazer e o desejo sexual caminham juntos, de mãos bem dadas, protagonizando uma vida debaixo dos lençóis sadia, ativa e bem agitada. Mas para cerca de 35% delas, um vilão assola as quatro paredes: o transtorno hipoativo.

 

Esse mal, de nome esquisito, já foi chamado de frigidez. Hoje se sabe que essa diminuição do desejo e das fantasias sexuais pode chegar até uma ausência completa, gerando sofrimento intenso para o casal.

 

"Além da pouca inspiração para criar ocasiões onde os encontros íntimos ocorram (diminuição da sensualidade), há uma iniciativa sexual pobre (baixa erotização). Enquanto a primeira pode até influenciar no comportamento, a segunda leva a uma diminuição nos pensamentos e fantasias, além de pouco prazer nos jogos sexuais", explica o ginecologista e obstetra Eliezer Berenstein.

O médico Henrique Oti Shinomata, também ginecologista e obstetra, explica que o diagnóstico desse transtorno é eminentemente clínico, devendo-se considerar a partir de um mínimo de seis meses dos sintomas. "Existe uma perda do desejo sexual que frequentemente associa-se com problemas de excitação sexual ou com dificuldades para atingir o orgasmo. É importante investigar o parceiro, pois se o mesmo possuir alguma disfunção erétil poderá desencadear o transtorno de desejo sexual hipoativo (TDSH) na mulher", detalha.

 

Segundo ele, essa alteração da sexualidade é uma das disfunções mais difíceis de serem tratadas e, por isso, a mulher deve buscar ajuda com profissionais especializados. "Na maioria das vezes, são causadas devido a problemas psicossociais, muito mais que patologias orgânicas".

 

Eliezer completa dizendo que é necessário investigar, em primeiro lugar, o que representa para o casal a falta de interesse ou desejo sexual da mulher. "Se este casal estiver vivenciando uma crise de hostilidades ou de outros tipos (econômica, familiar), o transtorno pode ser passageiro".

Os dois médicos lembram que exame físico feito é importante, bem como a avaliação laboratorial, a qual deve ser feita de acordo com a história e os achados do exame físico, podendo então ser descartada uma causa orgânica.

 

Fatores como alterações hormonais (hipotireoidismo, aumento da prolactina, diminuição da testosterona), doenças genitais, diabetes, doenças cerebrais, estresse, ansiedade, medicações e drogas, como cigarro e bebidas alcoólicas, podem desencadear o problema. O pós-parto também pode levar ao transtorno. "Aqui vários fatores contribuem para a diminuição do desejo sexual, desde as condições da genitália, amamentação, cuidados ininterruptos com o recém-nascido, depressão pós-parto e características hormonais da própria amamentação", explica Eliezer. 

O melhor tratamento para esse tipo de transtorno visa à redução da ansiedade e ao aumento do prazer sexual. "Deve-se, como ponto de partida, informar precisamente ao casal quanto aos diversos fatores que influenciam o desejo sexual e quais os aspectos causais observados na avaliação clinica deles", diz Eliezer. Segundo ele, é preciso disposição do casal para a compreensão dos problemas identificados e disposição daquele que não apresenta o problema. "É essencial também melhorar o processo de comunicação entre o casal", afirma.

 

Henrique diz ainda que alguns medicamentos, como o sildenafil e o flibanserin estão em testes para atenuação do problema. Esse tipo de medicamento age como ativador da resposta sexual.

 

É ele quem afirma que é na idade adulta onde se encontra a maior frequência desse tipo de problema, principalmente perto da menopausa, no período do climatério. "É o momento onde aparecem várias situações que acentuam as alterações psicossociais, a Síndrome do Ninho Vazio, onde os filhos já não dependem mais do cuidado materno, alterações da imagem corporal (flacidez e rugas), por exemplo".

 

O mesmo médico lembra ainda da importância da atitude proativa do parceiro, que precisa ser mais sedutor e romântico para que a mulher consiga se completar na relação conjugal. "Como há certa diminuição da lubrificação e da libido, característica dessa fase, o companheiro precisa ser muito mais carinhoso na pré-relação e muito mais potente para que a mulher consiga chegar a satisfação plena. Com o parceiro assim, o transtorno de desejo sexual hipoativo dificilmente se manifesta".

 

Para não confundir com uma simples baixa na libido, vale a dica de Eliezer. "Nas disfunções temporárias a queixa está direcionada para o foco sexual e não a sua progressão". 

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:47 | link do post | comentar

As 10 mais bem vestidas de 2011
Rosie Huntington-Whiteley em Antonio Berardi (esquerda) e Gucci (direita). Reuters

 

De entre modelos, actrizes ou cantoras, escolhemos as dez mulheres mais bem vestidas deste ano. Figuras que marcaram quer pelo seu estilo único quer pelas boas escolhas que fizeram. Acima de tudo, premiámos o bom gosto.

 

Rosie Huntington-Whiteley já foi um dos anjos da Victoria's Secret, marca conhecida por trazer para as passerelles as mulheres mais bonitas do mundo, e dá agora a cara pela marca Burberry. Não só Rosie é incrivelmente bonita e tem um corpo de fazer inveja, como tem um gosto irrepreensível. De Gucci a Antonio Berardi, a modelo e agora actriz - estreou-se este ano no filmeTransformers 3-, usa vestidos justos e não passa despercebida nas passadeiras vermelhas.

 

Catherine, duquesa de Cambridge, não podia deixar de estar presente no nosso top 10. Como futura rainha de Inglaterra, Catherine é uma firme embaixadora da moda britânica. Desde a casa de moda de Alexander McQueen - que escolheu para criar o seu vestido de noiva - a Jenny Packham ou Temperley London, a duquesa veste sempre inglês e tem um estilo invejável. Não lhe conseguimos apontar um único erro no guarda-roupa este ano, apenas elogios.

 

Hailee Steinfeld, de apenas 15 anos, estreou-se no grande ecrã no ano passado, em True Grit, que lhe valeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Actriz Secundária. Não o ganhou, mas ficou debaixo do olho do mundo da moda. Este ano foi ainda escolhida como cara da marca Miu Miu e, apesar da sua juventude, nunca deixou de nos surpreender nos eventos que frequentou.

 

Mila Kunis, de 28 anos, participou em filmes de grande sucesso como Black Swan - que lhe valeu um Óscar - ou Friends With Benefits, já este ano. A actriz ucraniana tem estado nas bocas do mundo devido à forma como se apresenta em público. E não só. Consideramos que está a meio caminho para se tornar o próximo sex symbol, seguindo actrizes como Angelina Jolie ou Blake Lively.

 

Elle Fannig tem apenas 13 anos e já nos deixa de queixo caído quando aparece nas passadeiras vermelhas. A jovem actriz, irmã de Dakota Fanning, tem conseguido manter a sua jovialidade, mesmo que a tendência no círculo do cinema seja de parecer mais velha. Chamou a atenção de várias casas de moda e já foi a imagem de uma campanha para a Marc by Marc Jacobs.

 

Emma Watson, que fez de Hermione em Harry Potter, anunciou este ano que vai voltar a estudar. Foi ainda escolhida como a cara da Lancôme para o perfume Trésor e seleccionada por nós como uma das mais bem vestidas do ano. Com o bom gosto francês a correr-lhe nas veias, Watson está sempre irrepreensível seja qual for o evento.

 

Emma Stone é um nome relativamente novo no cinema. Mas só este ano estrearam três filmes nos quais participa: Friends with BenefitsCrazy, Stupid, Love e The Help. Stone faz parte do grupo de mulheres que destacámos pelo seu estilo particular. Talvez seja a sua graciosidade que convence, mas a actriz consegue sempre dar um toque mágico ao seu guarda-roupa.

 

Se a personagem que interpreta na série Gossip Girl, Serena Van der Woodsen, é da alta sociedade e só veste roupa de marcas de luxo, podemos então dizer que Blake Lively tem muitas parecenças com a sua personagem. Este ano foi a imagem de marca da colecção de carteiras ChanelMademoiselle e vestiu várias vezes peças da casa francesa. No entanto, não foi apenas Chanel, Lively vestiu ainda casas de moda como Marchesa ou Gucci, e fê-lo como ninguém.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 17:34 | link do post | comentar

Ideias de presentes para todas as bolsas para uma quadra festiva em grande.




Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 13:16 | link do post | comentar

 

Sobreiro já é árvore nacional

A partir desta quinta-feira, o sobreiro é a Árvore Nacional de Portugal, depois de um projecto de resolução aprovado, por unanimidade, na Assembleia da República e de uma petição pública com 2291 assinaturas.

 

A petição para consagrar o sobreiro (Quercus suber) como um dos símbolos do país foi lançada em Outubro de 2010 pelas associações Árvores de Portugal e Transumância e Natureza. Hoje, passado pouco mais de um ano, o sobreiro conquistou o hemiciclo. 

“A partir de agora, abater um sobreiro não será apenas abater uma árvore protegida, mas sim, um símbolo nacional”, disse ao PÚBLICO o deputado socialista Miguel Freitas, relator do projecto. “O consenso total na Assembleia da República foi muito importante”, acrescentou. 

O sobreiro é espécie protegida pela legislação portuguesa desde 2001. Mas essa protecção não foi suficiente para travar a regressão da árvore em território português, motivada por “práticas erradas, nomeadamente de mobilização de solo que danificam as raízes, e doenças ou a combinação das duas situações”, salientou Miguel Rodrigues, da associação Árvores de Portugal. Além disso, “a lei que protege o sobreiro está constantemente a criar situações de excepção para empreendimentos que permitem o abate de árvores”.

Miguel Rodrigues adianta que, depois da criação de um logótipo simbólico, será estudada a criação de uma “plataforma de trabalho que abranja tudo o que tem a ver com o sobreiro, desde associações a câmaras, universidades, indústrias e Estado. Actualmente não há integração de conhecimentos para suprir as necessidades”. 

O sobreiro, árvore mediterrânica com mais de 60 milhões de anos, ocupa uma área de cerca de 737.000 hectares dos mais de 3,45 milhões de hectares de floresta em Portugal, segundo o último Inventário Florestal Nacional, de 2006. Hoje é responsável por 10% das exportações nacionais. “De momento, a cortiça é um dos produtos mais importantes da economia nacional”, salientou o deputado Miguel Freitas.

Mas a sua importância não se esgota na cortiça. “Esta árvore representa o montado, um dos ecossistemas mais importantes da Europa e as espécies ameaçadas que dele dependem”, acrescentou

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:27 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011

 

Se você quer ter a transa mais quente da sua vida ou se tornar presença vip nos pensamentos do gato (sim, aqueles...), abuse do vocabulário erótico. Pode ser ao vivo, pela internet ou por SMS. Nelma Penteado, que há 16 anos ministra o curso Papo Quente, divide a conversa caliente em três níveis:

1) Sensual
Quando você elogia o rapaz: "Adoro a sua boca".

2) Erótico
Diga: "Quero te dar um beijo de língua bem gostoso".

3) Safada
Fale claramente o que deseja que ele coloque na sua boca.

No primeiro encontro, mesmo que seja apenas virtual, é melhor evitar o terceiro nível. Antes de soltar o verbo, teste seu parceiro. "Veja como ele responde até ter certeza de que pode bancar a safada", diz Nelma.

Receita quente
Seja qual for o nível de sacanagem que você escolher, o segredo para virar uma expert em comunicação sexual é fazer o cara se sentir inesquecível na cama (vale mentir). Anote uma receita infalível para se tornar boa de lábia:

· Elogiá-lo bastante: diga e escreva frases como "Adoro seu sorriso" e "Que boca deliciosa você tem".

· Contar o que vai fazer com ele quando se encontrarem: aqui, entram frases como "Não vejo a hora de te beijar todinho" e "Só de pensar na gente juntos, fico toda excitada".

· Mostre o que quer que ele faça com você: "Adoro quando você beija meu pescoço", "Estou contando os minutos para a gente transar".

Dica: ao vivo ou ao telefone, preste atenção no tom de voz. "Fale de maneira sensual, sussurrando e prolongando as vogais", diz Nelma.

O segredo da safada
Chegará a hora de se referir aos órgãos sexuais. Se vocês são íntimos, é provável que ambos já tenham algum apelido carinhoso. Mas, se o relacionamento ainda não engrenou, escolha nomes com os quais se sinta à vontade. Evite os termos clínicos. Ouvir as palavras "pênis" e "vagina" irá fazê-lo se sentir no consultório do urologista. Ah, sim, nunca, jamais use o diminutivo para se referir a outra parte do corpo dele que não seja a barriga.

 

 

Via Paraiba



publicado por olhar para o mundo às 21:24 | link do post | comentar


As antigas instalações do Hot Clube de Portugal
As antigas instalações do Hot Clube de Portugal (Foto: Enric Vives-Rubio)
Dois anos depois de ter sido destruído num incêndio, o novo Hot Clube de Portugal, que se orgulha de ser um dos mais antigos clubes de jazz do mundo, é esta quarta-feira inaugurado. De volta à Praça da Alegria, em Lisboa, mas algumas portas abaixo da sua localização original, o Hot Clube de Portugal está de regresso com três dias de espectáculos gratuitos.

Apesar de as obras ainda não estarem totalmente terminadas e faltar também uma parte da mobília, o antigo clube de jazz da Praça da Alegria, que em 2008 comemorou 60 anos de existência, está pronto para voltar à sua rotina habitual, com uma actuação, às 22h, do grupo original do Hot Clube, composto por Justiniano Canelhas, Bernardo Moreira e Manuel Jorge Veloso, e que vai contar com a presença de alguns convidados.

Logo depois sobe ao palco o septeto Hot Clube de Portugal, do qual fazem parte os músicos Bruno Santos, João Moreira, Pedro Moreira, Luís Cunha, Rodrigo Gonçalves, Bernardo Moreira e André Sousa Machado.

Na quinta-feira, a celebração continua com um concerto a cargo da Big Band, dirigida pelo trombonista Luís Cunha, que apresentará na primeira parte um reportório de Duke Ellington, enquanto a segunda parte é dedicada aos compositores portugueses.

Os três dias de festa encerram na sexta-feira com um concerto dos alunos do Hot Clube de Portugal – desde os anos 1980 que este clube tem também a funcionar uma escola de música de jazz, actualmente situada em Alcântara.

O Hot Clube de Portugal, que foi considerado pela revista norte-americana Downbeat como um dos cem melhores clubes de jazz do mundo, tem agora morada fixa nos números 47 a 49 da Praça da Alegria, num espaço cedido pela Câmara Municipal de Lisboa. Para os que conheceram a cave do antigo clube, que ficou destruída no incêndio de Dezembro de 2009, as comparações serão escusadas, uma vez que o novo clube, que é ligeiramente maior, não foi remodelado à imagem do anterior. O clube de jazz tem agora uma sede maior, com camarins, sistema de som renovado e um novo piano. “Desta vez, é um espaço feito para isto, enquanto o que tínhamos não era”, disse recentemente ao PÚBLICO Inês Cunha, presidente do conselho directivo do Hot Clube de Portugal. As instalações incluem ainda um jardim arborizado, para o qual já começam a ser pensados alguns espectáculos ao ar livre.

O edifício, onde outrora funcionava a casa do jazz, foi demolido no ano passado, restando apenas a sua fachada.

“O que é importante é que as pessoas voltem a sentir que o espaço é delas e que o Hot Clube está vivo”, disse Inês Cunha à Lusa, explicando que, apesar de diferente, “o que faz o espaço são as pessoas”.

Depois desta festa de reabertura, o clube irá iniciar, a partir de Janeiro, uma programação regular, que ainda está a ser definida. 

Fundado em 1948, o Hot Clube de Portugal acolheu grandes nomes do jazz, como Count Basie, Dexter Gordon, Trummy Young, os músicos da orquestra de Quincy Jones, Herb Heller, Pat Metheny ou Sarah Vaughn. E foi o palco privilegiado para muitos nomes do panorama português, de Mário Laginha a Carlos Barreto, de Zé Eduardo a Barros Veloso, de Maria João a Maria Viana.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 17:48 | link do post | comentar

O Natal não é só prendas

 

Neste Natal, há menos dinheiro, mas pode haver mais tradição e proximidade familiar. O Life&Style quis saber como gerir as expectativas das crianças perante um Natal mais pobre e recebeu uma lição de humanidade da psicóloga Isabel Piscalho.  As crianças agradecem, mesmo que ainda não o saibam.

 

Quando falamos de Natal, o que fica do que passa? Será que as memórias de infância se centram numa imensidão de presentes por abrir e a que se dedicam apenas alguns segundos depois de os desvendar? Ou as recordações mais carinhosas ficam ligadas ao encontro com a família e ao espírito de partilha?

 

O Life&Style quis saber como gerir as expectativas das crianças perante um Natal mais pobre e recebeu uma lição de humanidade da psicóloga Isabel Piscalho. "Não há drama em haver pouco dinheiro. Podemos fazer um Natal muito mais humano e mais próximo. Não é um presente caro que vai fazer com que a criança goste mais de nós. O estar ali na brincadeira com ela é o que fica no seu imaginário e na sua memória. Mais tarde irá recordar o Natal como uma noite em que estava realmente em família."

 

Segundo a especialista, “em situações de crise, apercebemo-nos de novo que as pessoas são de facto o mais importante”. E lembra que no passado não havia tanta diversidade de brinquedos, mas o Natal acontecia. Acredita na repetição de ciclos e por isso pensa que se irá assistir a um “retomar de tradições mais antigas, como a de valorizar o Natal”. Porque, diz, “esta quadra deve ser trabalhada no seio da família sobretudo com o intuito de valorizar a partilha, o respeito e de fazermos um balanço sobre nós próprios”.

 

Considera que se passou do exagero de prendas para os miúdos para um exagero inverso: “Falamos imenso da crise e dizemos às crianças que não podemos comprar presentes. Temos tantas explicações para a austeridade e acabamos por não dar o devido valor à quadra e à filosofia que lhe está subjacente. E essa é que deve ser ensinada às crianças.”

 

Para Isabel Piscalho, “um presente bem pensado, com que a criança se identifique e que possa ser aproveitado para ser vivido em família fará com que ela fique muito mais contente”. E conclui: “Isso é que é essencial.” Dá exemplos como “jogos de tabuleiro, Pictionary ou outros idênticos, puzzles, etc”. As crianças ficam felizes se virem os pais envolvidos com elas naquelas actividades. “Oferecer um livro, por exemplo, deve ser acompanhado pelo contar da história, haver o ritual da leitura em casa. Porque, por vezes, oferece-se o livro, ele vai para a prateleira e não se olha mais para ele. Não há um interesse genuíno da parte de quem oferece em contar ou sequer em conhecer a história.”

Explicar o que é o Natal

Invoca a informação divulgada no início do mês sobre um estudo de uma empresa de brinquedos que concluiu que os pais portugueses são os que passam mais tempo a brincar com os filhos, para dizer que esta é “uma boa altura para o mostrarem”. Segundo a investigação, 34% dos pais portugueses despendem mais de uma hora por dia na brincadeira com as suas crianças (num universo de 1800 famílias de seis países).

 

 

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:42 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011
O cancro do ovário não tem de ser uma “doença horrível”
Este tipo de tumor afecta maioritariamente mulheres com idade superior a 50 anos. Mas manifesta-se também em jovens. Sara e Lígia são exemplos de pacientes que venceram a doença com menos de 35 anos

Presente: está quase a terminar o curso de Medicina, tem 23 anos e uma vida pela frente. Passado: aos 17, foi-lhe diagnosticado um cancro do ovário. Sara Sarmento soube muito nova o que era ter um tumor. Mas é com um sorriso que nos conta a sua história. Até porque, para Sara, os jovens têm todas as condições para enfrentar esta realidade, uma vez que reagem melhor aos tratamentos.

 

“Descobri quando fui à minha primeira consulta de ginecologia. A médica detectou uma massa no ovário esquerdo e disse-me que tinha rapidamente de fazer alguns exames. Fiquei assustada e nunca pensei que fosse nada tão sério”, explica a estudante que está ser acompanhada pela médica Deolinda Pereira, uma das pessoas envolvidas no estudo sobre o cancro do ovário que ganhou recentemente o prémio Sanofi Oncologia 2011.

 

Alguns dias após a consulta, Sara soube que teria de ser submetida a uma cirurgia, inicialmente para extrair o ovário e saber o tamanho da lesão. O médico que a operou colocou todas as “cartas em cima da mesa” e explicou os cenários possíveis. O pior que poderia acontecer seria a remoção de todos os órgãos reprodutores, caso o tumor fosse maligno e houvesse outras lesões. E foi o que aconteceu.

 

“Ouvir uma anedota” na altura do tratamento

“Aquela era a situação melhor para a minha saúde e era uma decisão a tomar na altura”, conta, quanto à sua reacção assim que percebeu o que lhe poderia acontecer.

 

Depois da cirurgia, seguiram-se seis ciclos de quimioterapia no IPO do Porto. A ajuda dos pais e dos amigos foi muito importante para Sara nessa fase. No entanto, o difícil foi “lidar com a angústia da família. Nós só queremos ouvir uma anedota e custa lidar com a pessoa que acha que temos que estar muito mal porque é uma doença horrível”, desabafa. “Temos de encarar isso de outra forma”, acrescenta.

 

“E cá estou”, termina. Trata-se de um exemplo positivo de quem teve cancro do ovário e o conseguiu ultrapassar.

 

“Um susto misturado com surpresa”

Tal como Sara, também Lígia Pereira, de 32 anos, teve de remover todos os órgãos reprodutores devido a esta doença.

 

“Tinha muitas dores de barriga e fui às urgências. Os médicos mandaram-me para casa. Continuava com dores e fui à minha ginecologia e foi aí que soube”, conta. No período de uma semana foi operada e retiraram-lhe um tumor de nove centímetros, que se acreditava ser benigno. “Não é normal na minha idade ter tumores malignos”, explica, dizendo que os médicos que consultou achavam que não era necessário fazer a cirurgia tão rápido.

 

“Na altura, é um susto misturado com surpresa. É normal doer a barriga”, afirmou.

 

Tanto Lígia como Sara, nunca tiveram filhos, mas pretendem adoptar.

 

Via P3



publicado por olhar para o mundo às 22:51 | link do post | comentar

 

Homens não vêm com manual de instruções. Mas você pode descobrir muito sobre seu alvo nos primeiros minutos de transa. Quem diria que, atrás de um sedutor, se esconde um inseguro? E sabe aquele lindo que adora transar em lugares inusitados? Teimoso de marca maior! Ficou curiosa? Confira quatro diferentes estilos sexuais masculinos - e descubra com quem você divide a cama.

 

1. Dedicação plena


O tipo dedicado cobre seu corpo de beijos, faz massagem... Para ele, sexo e afeto andam juntos, de preferência trocando carinhos. Tantos que podem até ser confundidos com grude, embora, segundo o psicólogo Christopher Blazina, autor de The Secret Lives of Men (A vida secreta dos homens)., só provem quanto o gato está envolvido. Seu amor é tão doce que nem sobra espaço para surpresas. Novidades entre os lençóis? Ideia sua, claro. Mas não se engane. Apesar de previsível, ele adora testar manobras.

 

2. Sexy sem limite


Frases picantes no ouvido, olhares que queimam a pele, mãos por todo o seu corpo, sorriso de matar. Para o gato, sexo é a maneira mais rápida e excitante de se conectar com você. E o melhor: o tipo sedutor é ótimo nessa arte. "O problema é quando não se acha bom o suficiente fora do quarto", diz Blazina. Se você estiver cansada e sem vontade de transar, a autoestima dele despenca. Antes de dar um beijo de boa-noite, avise seu deus do orgasmo que pretende ser agraciada com os poderes divinos dele no dia seguinte.

 

3. Aventuras mil


Ele invade o chuveiro durante o seu banho e não perde a chance de agarrá-la na escada. "Esse tipo se sente confortável para experimentar tudo ao seu lado", decifra Blazina. Está sempre cheio de ideias e disponível para uma sexcapada. Para ele, transar de conchinha só no dia em que o time perder. O bonitão pode ser o parceiro perfeito de cama, desde que você tope todas as ousadias. Caso contrário, vai ser difícil convencê-lo de que transar no quarto dos seus pais não é divertido. Mas se ele encontrar você na garagem...

 

4. Gene dominante


Muita ação e pouco romance. Sexo com esse gato mais parece filme do Vin Diesel! Seu amor é cheio de vigor sexual. Porém, como usa a transa como válvula de escape, pode ser um pouco egoísta e achar difícil se conectar emocionalmente com você. "Como faz o tipo machão, não dá espaço para a parceira assumir o controle, pois só se sente confortável no comando", diz Blazina. Para ajudar esse bonitão pilhado a relaxar, melhor aliviar as tensões antes do quarto. Mais calmo, ele tenderá a focar menos no próprio orgasmo e caprichar no seu.

 

Via Paraíba



publicado por olhar para o mundo às 22:05 | link do post | comentar

Mesa de consoada criada por Álvaro Roquette, antiquário e designer de interiores

 

Mesa de consoada criada por Álvaro Roquette, antiquário e designer de interiores Enric Vives-Rubio

 Por Pedro Moreira, nutricionista*

O Natal é festa, e muitas vezes é inevitável algum excesso alimentar nesta época. Pode até dizer-se que comer bastante, acima das necessidades, é muitas vezes um comportamento institucionalizado. Precisaremos mesmo de muitos alimentos diferentes como pão de nozes, pinhões, avelãs, frutos secos, bacalhau cozido, ovos, peru assado e recheado, roupa velha de bacalhau ou peru, bolo-rei, broas, rabanadas, filhós, sonhos, mexidos, aletria, bolo podre, tronco de natal, mimos de amêndoa, azevias, borrachões, fios-de-ovos ou outros manjares, num tão curto espaço de tempo? Ou deveríamos preferir estar preocupados com o peso nestes dias?

 

À preparação de grandes refeições no Natal associam-se, muitas vezes, imagens de intenso convívio em que na ceia se juntava família, amigos e até vizinhos, reunindo na cozinha grandes quantidades de alimentos para satisfazer o apetite voraz de número elevado de pessoas. Presentemente, a estrutura das famílias e das refeições não é a mesma do tempo dos nossos avós e cozinhar pode também obrigar a adaptar a tradição alimentar a um contexto de ingestão onde o número de pessoas na refeição é muitas vezes menor do que o de gerações passadas. Além disso, as modificações sociais recentes obrigaram a que o modo como comemos sofresse grandes alterações.

 

Na alimentação actual, é frequente ter disponível ao longo do ano, alimentos saborosos e ricos em açúcar e gordura, como os bolos, que perderam o estatuto da festa, do episódico, e passaram a ser consumidos frequentemente nas refeições quotidianas.

 

A falta de códigos sobre estas práticas alimentares recentes e a escassez de conhecimentos nutricionais, impedem que estes alimentos sejam devidamente integrados no estilo de vida moderno. Um consumidor pode ingerir um café e um queque, sem saber que só o bolo pode ter tantas calorias quantas as que existem no somatório de uma sopa de hortaliças e legumes, um pão, uma maçã e um iogurte magro sem açúcar! Ou, se preferirmos, tantas calorias quantas as que poderíamos gastar a andar cerca de 9 km a pé!

 

O festivo, que deveria representar um momento excepcional, de ingestão eventualmente acima do desejável é, para muitos, a continuação, mais exagerada, de um longo período de acumulação de erros alimentares, traduzido em desequilíbrios nutricionais agravadores do risco de doenças metabólicas e degenerativas (se existir doença que obrigue a cuidados nutricionais, como a diabetes, por exemplo, será importante regular a alimentação neste período).

 

Mais importante do que “sacrificar” o Natal é salientar a necessidade de apelar ao bom senso e equilíbrio alimentar durante o ano e usufruir do ambiente natalício para aproveitar as ofertas alimentares que lhe são tão características. Aliás, bacalhau e peru, por exemplo, apresentam-se como alternativas alimentares mais saudáveis do que carne de mamíferos, no que diz respeito à qualidade das gorduras ingeridas. Se lhe juntarmos outros alimentos tradicionalmente ingeridos como couves, azeite e alho ou frutos gordos promovemos alimentos que deveriam ter espaço privilegiado na nossa alimentação habitual.

 

Aproveite estes alimentos para usufruir do afecto e prazer que nos dão sem medo de comer, respeitando a subtil sabedoria reguladora do corpo, acumulada desde há milénios, e sem forçar uma ingestão excessiva, se já se sentir convenientemente saciado.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 17:26 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags



comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links


blogs SAPO
subscrever feeds