Quinta-feira, 31 de Maio de 2012
Sexo tântrico  prazer sem limites


Se você gosta de ter uma boa, prazerosa e demorada relação sexual, mas nem sempre é possível devido à ejaculação precoce do seu parceiro que ocorre antes mesmo que você "chegue ao céu", as técnicas do sexo tântrico podem solucionar o seu problema. E a relação do casal pode passar de meros minutinhos para intensas horas de puro divertimento e prazer extremo.

 

A principal diferença entre o sexo comum e osexo tântrico está no foco de cada um deles, como explica o Mestre Victor Lino, professor de tantra e yoga da Prakriti Yoga: "O sexo comum, na grande maioria das vezes, está focado no prazer momentâneo. Já o tântrico está focado no autoconhecimento."

 

O mestre afirma que no sexo comum não existe um interesse em conhecer o parceiro, existe apenas o foco no prazer. "Na relação tântrica você tem prazer, mais ele ocorre com uma maior consciência. Eu consigo aproveitar e usufruir muito mais o parceiro", diz ele. "Outra diferença é que no sexo comum a intenção é satisfazer o homem, já no tântrico o principal foco é a mulher", completa.

 

Victor diz que na relação tântrica é considerada ejaculação precoce quando o homem não proporcionou, pelo menos, um orgasmo a mulher. "O tempo mínimo deve ser quando o homem tenha proporcionado o prazer para a mulher, mas também não é uma obrigatoriedade. Esse tempo varia de acordo com o desejo do casal", afirma.

 

Ele também comenta que o homem aprende a segurar a ejaculação devido a algumas técnicas que a pessoa vai conhecendo no curso de tantra. "No caso da mulher, ela aprende a manter o canal vaginal lubrificado e, com isso, aumenta o tempo da relação. Os homens aprendem a controlar a energia enviada ao pênis para não chegar ao ponto de ‘explodir’", garante Lino.

 

Sendo assim, o homem aprende a transformar a energia que era emitida para o seu órgão em uma energia meditativa, por exemplo. "O que não deve ocorrer é a energia ficar parada em apenas um lugar. Por isso, é necessário transformá-la em outro tipo de energia para não chegar ao ponto ejaculatório", destaca o professor.

 

A mulher também auxilia no controle da ejaculação do homem, pois à medida que a energia vai crescendo, atinge as duas partes da relação. "A relação sexual tântrica é formada por dois pólos e cada pessoa é um pólo. Faz-se essa troca de energia com o parceiro para que a mesma se equilibre", conta Victor.

 

Portanto, se durante a relação sexual o homem for ficando muito excitado e a mulher percebe, ela precisa reduzir a velocidade para que o homem consiga equilibrar a energia junto com a dela. "Como na relação tântrica a mulher fica por cima do homem, ela tem o total controle da situação", relata o professor.

 

E ele ainda revela: "Por conta da posição, a mulher consegue encontrar pontos que a estimulam muito mais", diz Victor. E complementa: "Por cima tem um aspecto psicológico muito importante. O homem está embaixo olhando para cima como se adorasse e tornasse a mulher uma deusa. Além de ter mais liberdade com as mãos no corpo da parceira para estimulá-la."

 

Para tornar a relação muito mais deliciosa e divertida, o mestre esclarece que é necessário usufruir dos cinco sentidos: "Aguçando o olfato vai trazer uma sensação agradável naquele momento. Uma boa música para embalar o casal ou palavras ao pé do ouvido para aguçar a audição. O toque e o sabor da pele para estimular as sensações", ensina o professor.

 

Embora todos esses detalhes sejam muito importantes, o mestre também ressalta que a preparação do ambiente é fundamental para o clima entre o casal: "Isso porque eu transformo a energia do lugar deixando-a mais gostosa. Se temos a possibilidade de fazer coisas diferentes com a minha parceira, eu devo fazer."

 

Se você deseja incrementar a relação sexual com algumas técnicas tântricas, a primeira delas é apostar nas preliminares. Como a mulher leva mais tempo para se lubrificar, as preliminares ajudam a deixá-la bem preparada para relação. Invista também na massagem tântrica que vai causar estímulos proporcionados pelo toque. "Tire o foco do sexo em busca do prazer e pense que o sexo é um momento do amor e de expansão da consciência, assim a relação durará o tempo que desejar", finaliza Victor Lino.

 

Retirado de Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:46 | link do post | comentar

Mais de 50 portugueses conquistaram troféus no futebol europeu


Dois treinadores e 52 futebolistas portugueses conquistaram títulos nacionais e taças em países europeus (excluindo Portugal) na época que está prestes a terminar


Não é fácil escolher qual é a mais importante conquista dos emigrantes desta indústria, sobretudo quando se fala em competições como o campeonato espanhol ou a Liga dos Campeões.

Num caso ou noutro, há portugueses “chave”: o treinador José Mourinho e os jogadores Cristiano Ronaldo, Pepe, Fábio Coentrão e Ricardo Carvalho pelo Real Madrid, e Raul Meireles, Bosingwa, Paulo Ferreira e Hilário pelo Chelsea, clube que também conquistou a Taça da Inglaterra.

Claro que, institucionalmente, a Liga dos Campeões europeia é considerada, à escala mundial, a mais relevante competição entre clubes e para clubes. Porém, é também um facto que o Real versão 2011-2012 foi aquele que “ceifou” o mito de um FC Barcelona invencível.

No que diz respeito a competições internacionais, há ainda que contar com os três portugueses do Atlético de Madrid, vencedor da Liga Europa (a segunda competição continental): Sílvio, Tiago e Pizzi.

Ainda em Espanha, de realçar o papel de três jogadores lusos na promoção à I Divisão do Deportivo da Corunha: Diogo Salomão, Zé Castro e Bruno Gama.

Se José Mourinho arrancou “olés” na capital espanhola, também Paulo Sérgio (antigo treinador do Sporting) honrou a qualidade que vem sendo reconhecida aos treinadores portugueses, com a conquista da Taça da Escócia, apesar do quinto lugar no campeonato.

No capítulo de conquistas em competições internas, houve 10 emblemas com portugueses no plantel: além do Real Madrid, contam-se o Zenit (Rússia), Dínamo de Zagreb (Croácia), Cluj (Roménia), Limassol (Chipre), Ludogorets (Bulgária), Dudelange (Luxemburgo), Zilina (Eslováquia), Sheriff (Moldávia) e Lusitanos (Andorra).

Com nome indubitável no emblema, o Lusitanos é o “campeão” dos campeões emigrantes, com 17 jogadores de nacionalidade portuguesa no plantel, que conquistaram o primeiro título no pequeno principado encravado nos Pirenéus, entre a Espanha e a França.

Para a História, destacar-se-á também a disputa das pré-eliminatórias para a Liga dos Campeões deste clube com apenas 13 anos de existência e com um português como presidente: António Cerqueira.

Mediaticamente, porém, é o Cluj, do campeonato da Roménia, aquele que mais vezes aparece referenciado como o clube onde mais portugueses são titulares habituais (oito), mesmo contando com a Liga portuguesa.

Beto, guarda-redes da selecção portuguesa, e Rui Pedro, internacional sub-21, serão os mais conhecidos, numa equipa na qual também jogam Nuno Claro, Cadú, Nuno Diogo e Camora.

Também à meia-dúzia aparecem, no Chipre, campeões emigrantes: Dossa Júnior, Hugo Sousa, Monteiro, Henrique, Silas e Carlitos, todos no Limassol.

Mas se é de internacionais portugueses que falamos, então há que destacar o título nacional russo conquistado por Bruno Alves e Danny, jogadores do Zenit de S. Petersburgo.

No Leste europeu estão ainda outros campeões: Tonel (Dínamo de Zagreb, Croácia) Vitinha (Ludogorets, Bulgária), João Pereira e José Coelho (Sheriff, Moldávia), Ricardo Nunes (Zilina, Eslováquia).

Jogadores e treinadores portugueses que conquistaram títulos nacionais e internacionais de futebol em 2011-12:

Inglaterra

Liga dos Campeões e Taça: Hilário, Paulo Ferreira, Bosingwa, Raúl Meireles (Chelsea).

Espanha

Campeonato: José Mourinho (treinador), Ricardo Carvalho, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão e Pepe (Real Madrid).

Liga Europa: Sílvio, Tiago, Pizzi (Atlético Madrid).

II Divisão: Diogo Salomão, Bruno Gama e Zé Castro (Deportivo da Corunha).

Rússia

Campeonato: Bruno Alves e Danny (Zenit S. Petersburgo).

Escócia

Taça: Paulo Sérgio (treinador) (Hearts).

Roménia

Campeonato: Beto, Nuno Claro, Ricardo Cadú, Nuno Diogo, Camora e Rui Pedro (Cluj).

Bulgária

Campeonato e taça: Vitinha (Ludogorets).

Andorra

Campeonato: Bruno da Silva, João Cunha, Leonel Antunes, Samuel Martins, Fernando Pereira, Victor Manuel Pereira, Jorge Rebelo, Hugo Veloso, Bruno Alberto, Felipe Barros, Manuel Lazaro, Luís Filipe Pinto, Lazaro Silveira, Franklin Soares, Teixeira Ribeiro, Luís Miguel dos Reis e Pedro Miguel Reis (Lusitanos).

Taça: Renato Mota (Santa Coloma).

Chipre

Campeonato: Dossa Júnior, Hugo Sousa, Monteiro, Henrique, Silas, Carlitos (Limassol).

Taça: Bruno Aguiar, Margaça (Omónia Nicósia).

Croácia

Campeonato e taça: Tonel (Dínamo de Zagreb).

Eslováquia

Campeonato e taça: Ricardo Nunes (Zilina).

Luxemburgo

Campeonato e taça: Bruno Matias (Dudelange).

Moldávia

Campeonato: João Pereira e José Coelho (Sheriff).

Taça: Bruno Simão (Milsami).

 

Noticia do Público

 



publicado por olhar para o mundo às 18:55 | link do post | comentar

 

Letra

 

 don't wanna go another day
So i'm telling you exactly what is on my mind
Seems like everybody is breaking up
Throwing their love away
But i know i got a good thing right here
That's why i say (hey)

Nobody gonna love me better
I must stickwitu forever
Nobody gonna take me higher
I must stickwitu
You know how to appreciate me
I must stickwitu my baby
Nobody ever made me feel this way
I must stick with you

I don't wanna go another day
So i'm telling you exactly what is on my mind
See the way we ride
In our privated lives
Ain't nobody getting in between
I want you to know that you're the only one for me (one for me)
When i say

Nobody gonna love me better
I must stickwitu forever
Nobody gonna take me higher
I must stickwitu (oh baby)
You know how to appreciate me
I must stickwitu my baby
Nobody ever made me feel this way
I must stick with you

And now
Ain't nothing else i can need (nothing else i can need)
And now
I'm singing 'cause you're so, so into me
I got you
We'll be making love endlessly
I'm with you (baby i'm with you)
Baby, you're with me (baby you're with me higher)

So don't you worry about
People hanging around
They ain't bringing us down
I know you and you know me
And that's all that counts (hey)
So don't you worry about
People hanging around
They ain't bringing us down
I know you and you know me
And that's, that's why i say (hey)

Nobody gonna love me better
I must stickwitu forever
Nobody gonna take me higher
I must stickwitu (come on)
You know how to appreciate me
I must stickwitu my baby
Nobody ever made me feel this way
I must stick with you

Nobody gonna love me better
I must stickwitu forever
Nobody gonna take me higher
I must stickwitu
You know how to appreciate me
I must stickwitu my baby
Nobody ever made me feel this way
I must stick with you



publicado por olhar para o mundo às 12:50 | link do post | comentar

«As famílias precisam de ajuda já! Todos os dias há famílias a perderem as suas casas». O apelo é de Natália Nunes, da DECO, feito à AF. Em resposta, todos os partidos vão discutir a 8 de junho no Parlamento alterações temporárias às regras do crédito habitação no caso de sobreendividamento das famílias.


Em cima da mesa estarão medidas mais ou menos consensuais e que passam por dar, a quem ficou no desemprego ou sofreu uma quebra acentuada do seu rendimento, alternativas à devolução da casa ao banco. 

No rol de medidas, todos os partidos querem limitar o aumento dospread (margem de lucro do banco) em caso de divórcio, viuvez ou desemprego, ao mesmo tempo que defendem a moratória. Os sociais-democratas propõem que famílias onde, pelo menos, um dos elementos esteja no desemprego, que se deparem com uma taxa de esforço no crédito acima dos 45% e um rendimento anual bruto do agregado, no momento do incumprimento, inferior a 25 mil euros, possam ficar entre 6 a 18 meses sem pagar prestações ou ficar até 4 anos só a pagar juros com um spread de 0,25%. Nestas circunstâncias, o prazo do empréstimo pode ser alargado até o devedor ter 75 anos e o banco não poderá cobrar comissões adicionais.

Desempregados e famílias em crise vão ter alternativas para pagar o crédito habitaçãoO Bloco, por exemplo, defende uma moratória, total ou parcial, mais alargada: por um período até 24 meses, sem que as condições do crédito sejam revistas.

entrega da casa ao banco será então uma medida-limite. O PSD quer que esta pague a dívida quando o imóvel em causa seja a única habitação da família, que o valor da casa não seja superior a 250 mil euros e que o valor da avaliação da casa e das prestações pagas não seja igual ou superior ao valor do empréstimo inicial. O devedor pode ainda retomar a casa se pagar as prestações vencidas, juros de mora e as despesas do processo, querem sociais-democratas e socialistas.

O PS defende, no entanto, que, para os desempregados, o valor fiscal do imóvel não pode exceder os 200 mil euros e, em situações de quebra acentuada no rendimento, o valor da habitação não pode superar os 300 mil. 

Já o BE considera que o valor da casa não conta para esta equação. A devolução da habitação deve acontecer quando a moratória não é já uma «solução viável» ou numa «situação avançada de execução da hipoteca». Uma situação a considerar para quem está desempregado e tem uma taxa de esforço acima de 50%. Depois da moratória, se o devedor não conseguir pagar as prestações, o Bloco quer obrigar os bancos a aceitar o imóvel, se este for a única habitação permanente. 

O devedor poderá ainda optar por arrendar a casa ou pela permuta de outra mais barata. Neste último caso, o PSD quer limitar condições na lei: o novo imóvel terá de ficar, no máximo, a 15 km de distância em linha reta, dimensão e em estado de conservação equivalentes. Esta via não será uma opção para o banco, mas antes uma obrigação. 

Uma medida consensual, ao contrário do fundo de garantia, no valor de 150 milhões de euros, proposto pelo PS. Um mecanismo que seria idêntico a um seguro de crédito habitação, sendo pago pelo banco e pelo devedor.

O PS defende, ainda, a resolução do contrato se três prestações vencidas não forem pagas e que o reembolso do Plano Poupança Reforma ou Plano Poupança Educação possa pagar prestações sem penalizações fiscais.

PS e PSD defendem ainda a necessidade de dar prioridade ao crédito habitação quando há outras dívidas.

Já o CDS, que entregará a sua proposta a 1 de junho, está mais preocupado na prevenção de casos críticos. Os democratas-cristãos defendem a obrigatoriedade de uma reunião para reanálise do crédito, antecipando «riscos de incumprimento», e quando se justifique, que o banco apresente soluções para evitar a entrada do contrato de crédito em mora». O CDS defende ainda a definição de um manual de boas práticas e alteração à lei das penhoras.

 

Noticia do Push



publicado por olhar para o mundo às 08:57 | link do post | comentar

Besiktas excluído por um ano das provas europeias


A UEFA excluiu por um ano o Besiktas das competições europeias por incumprimento dos requisitos financeiros do organismo, anunciou nesta quarta-feira o clube turco, que tem seis futebolistas portugueses no plantel.


O presidente do Besiktas, Fikret Orman, indicou que o clube, que também foi multado em 200.000 euros pela UEFA, vai recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), a última instância de recurso possível na esfera desportiva.

O advogado do Besiktas, citado pela agência Anadolu, observou que a pena agora imposta pela UEFA representa uma redução importante da sanção inicial, que implica a suspensão por dois anos e multa de 500.000 euros.

O Besiktas, que terminou no quarto lugar na última edição do campeonato turco, foi treinado até Abril pelo português Carlos Carvalhal e integra seis jogadores lusos: Manuel Fernandes, Simão, Júlio Alves, Bébé, Quaresma e Hugo Almeida (estes dois últimos entre os 23 convocados de Portugal para o Euro 2012).


Noticia do Público

 



publicado por olhar para o mundo às 08:40 | link do post | comentar

Quarta-feira, 30 de Maio de 2012

Prisão efectiva por corrupção para o presidente da Académica de CoimbraJosé Eduardo Simões festeja conquista da Taça de Portugal, a 20 de Maio (Nuno Ferreira Santos)


O Tribunal da Relação de Coimbra condenou nesta quarta-feira o presidente da Académica, José Eduardo Simões, à pena efectiva de seis anos e meio de prisão, confirmou ao PÚBLICO o seu advogado, Rodrigo Santiago.

 

A decisão – de que o arguido ainda não foi oficialmente notificado – resulta no agravamento da pena que fora aplicada na primeira instância – quatro anos e sete meses de prisão, com pena suspensa, por um crime continuado de corrupção passiva para acto ilícito e outro de abuso de poder.

O tribunal de primeira instância – cujo acórdão foi conhecido em Março de 2011 – considerara provado que, aproveitando-se da dupla qualidade de director de urbanismo da câmara municipal e de dirigente desportivo, José Eduardo Simões favoreceu promotores imobiliários a troco de donativos para a Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol (AAC/OAF), que, por isso, teria de pagar 200 mil euros ao Estado.

No cálculo da medida da pena, na altura, o colectivo de juízes teve em consideração que o dirigente não procurou “auferir vantagem para si próprio”, mas para a Académica. E para fixar o montante a pagar pelo clube – menos 164 mil do que terá recebido em donativos obtidos de forma ilícita – levou em conta o facto de a AAC/OAF ser uma instituição de utilidade pública.

Contactado pelo PÚBLICO, nesta quarta-feira, Rodrigo Santiago confirmou que o Tribunal da Relação deu provimento ao recurso apresentado pelo Ministério Público, mas escusou-se a tecer mais comentários antes de conhecer o teor do acórdão, o que deverá acontecer na sexta ou na segunda-feira, prevê. Só nessa altura revelará se irá apresentar recurso.

À saída do tribunal, no ano passado, José Eduardo Simões declarou-se inocente. “Sou presidente da Académica, com muita honra e com o apoio de todos os órgãos sociais do clube e de muitos adeptos e associados”, reagiu, quando questionado sobre se tencionava demitir-se.

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 22:12 | link do post | comentar

Sexo, O que fazer com aquelas fotografias mais intimas?

 

 

Sempre que um caso de exposição ilegal de fotos íntimas na internet como as de Carolina Dieckmann acontece, a polêmica volta ao noticiário e reportagens e dicas de pessoas especializadas em informática surgem aos montes. Medidas aparentemente fáceis não impedem as pessoas de continuarem postando sem parar as suas fotos.

 

A exposição é algo desejado por muitos, mas somente até certo ponto. É diferente de alguém escolher se expor e fotografar para um book sensual que será impresso e mostrado somente a quem você quiser, o profissional que faz as fotos assume a responsabilidade e um contrato é assinado.

 

Já na internet a coisa é bem diferente, uma vez que as fotos forem postadas na rede, não tem volta, milhares de pessoas terão acesso ilimitado a isso. Esse problema pode acontecer de várias maneiras. E pode ser usado contra a reputação de quem posou para as fotos.

 

Ex-namorados vingativos, hackers, einimigos teriam prazer em ter algo seu com esse poder nas mãos. Claro que, se você não for uma celebridade ou alguém público (a), o risco pode ser menor, mas sempre existe.

 

Dicas bem simples, praticamente te livram desse mal. Conversamos com o fotógrafo Edu Cesar e ele nos passou dicas simples sobre armazenamento seguro de fotos, "Existem programas que guardam as fotos e permitem ver o conteúdo somente usando uma senha, eles funcionam fazendo a criptografia dos arquivos".

 

A criptografia faz com que os códigos e informações sejam embaralhados de propósito para impedir cópias. Porém para ter total domínio da segurança basta tomar uma precaução, "O ideal mesmo seria não ter as fotos no computador e sim em um DVD ou HD externa, pois dessa forma você tem o controle físico de guardar as imagens (guardando o DVD ou HD em um local seguro)", completou Edu Cesar.

 

E você? Como guarda suas fotos íntimas?

 

Retirado de Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 22:08 | link do post | comentar

Salvador e o mito de Sísifo

O presidente do Sp. Braga vai para a 11.ª época à frente do clube. A saída de Jardim obriga-o a ter de começar outra vez do zero. O incrível é que a equipa parece (quase) sempre superar-se.


A iminente saída de Leonardo Jardim do banco do Sporting de Braga deixa o presidente do clube minhoto numa situação difícil, mas não inédita. O abandono do treinador madeirense parece ser mais uma repetição do que tem sido a história recente dos bracarenses desde que Mesquita Machado deixou a cadeira da presidência em 2002. 

Tal como Sísifo, personagem da mitologia grega condenada a repetir sempre a mesma tarefa de empurrar a pedra até ao topo da montanha só para a ver rolar colina abaixo novamente, António Salvador passa pelo ritual de mudar de treinador quase todos os anos e tentar levar o Sp. Braga lá acima. 

O líder bracarense, de 41 anos, parte para a sua 11.ª temporada no clube e deverá iniciar a época com um técnico diferente pela oitava vez. Salvador parece ter cometido o mesmo erro que o mais sábio e prudente dos mortais, que foi Sísifo. Este, ao revelar o seu segredo aos deuses gregos, ficou condenado eternamente. 

O presidente do Sp. Braga não gostou de uma entrevista de Jardim [ver outro texto nestas páginas] e a bomba estalou, levando a um impensável divórcio face à temporada que os bracarenses realizaram (terminaram em terceiro lugar). 

A ligação entre treinador e clube, que tinha ainda mais dois anos de duração, foi dinamitada, levando o presidente do Sp. Braga a recomeçar tudo de novo. É esta a condenação do presidente "arsenalista".

Foi assim na sua época de estreia, com Fernando Castro Santos, e seguiu-se com Jesualdo, Carvalhal, Jorge Costa, Jesus, Domingos e agora Jardim. Todos iniciaram um projecto que não terminaram e saíram de costas voltadas. Até Rogério Gonçalves (substituiu Carvalhal) e Manuel Machado (para o lugar de Jorge Costa), que não terminaram as épocas em que entraram a meio (ver quadro).

Só falta o primeiro lugar

Apesar deste início sinuoso a cada temporada nova, a equipa do Sp. Braga parece conseguir superar-se. Foi assim na primeira época de Jesualdo, quando sucedeu a Fernando Castro Santos, alcançando um inédito quinto lugar; Carvalhal conseguiu ainda melhor e chegou ao quarto posto. 

Jorge Jesus, em 2009, foi quinto e superou Jesualdo. Mas melhor fez Domingos, alcançando um histórico segundo posto na Liga portuguesa. Tudo isto nas épocas de estreia de cada um.

Agora, foi Jardim. No seu primeiro ano no clube, meteu-se entre os três "grandes" e ocupou o último lugar do pódio, batendo o Sporting. Salvador conseguiu nos últimos quatro anos ocupar todos os lugares de topo, excepto o primeiro. 

Quem será o senhor que se segue? Desta vez, Salvador que nem sequer quis entrar na foto de arranque da temporada com o plantel e a equipa técnica, deixou ontem no ar a hipótese de ter de escolher outro técnico. "Neste momento, [Jardim] é treinador do Sp. Braga. Se pode estar de saída? Todos os cenários são possíveis."

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 18:54 | link do post | comentar

 

O Facebook é o recordista de perdas entre as empresas norte-americanas. Desde que a empresa da rede social mais famosa do mundo entrou em bolsa, há 10 dias, ninguém desvalorizou tanto. É a confirmação do reverso da moeda que se seguiu a todo o entusiasmo em torno da entrada da companhia de Mark Zuckerberg no mercado bolsista.


As contas são do Bespoke Investment Group, citadas pela Forbes, e compreendem o período entre 18 de Maio, o dia 1 do Facebook, e 29 de Maio. Nesse intervalo de tempo, as ações desceram de 38 para 28.83 dólares, quase um quarto do valor. 

O Facebook perdeu perto de 22 mil milhões de dólares de valor de mercado, de 90,4 para 69.17. Incomparavelmente mais do que a segunda empresa nesta lista negra, a Dell, que perdeu 3,62 mil milhões. A terceira empresa na lista é a Pfizer, com menos 2.92 de valor de mercado.

Do entusiasmo da estreia à queda abrupta, ações já valem menos um quarto do que no dia de estreiaÉ de admitir que depois da turbulência do arranque do Facebook chegue alguma estabilidade, mas o facto é que as dúvidas em torno da empresa são muitas. Vários dos investidores iniciais na Operação Pública de Venda (OPV) avançaram para tribunal logo a seguir à entrada em Bolsa, contestando o processo. 

Zuckerberg e a Morgan Stanley, principal consultora da empresa no processo, foram acusados de ter dado acesso a informação privilegiada a um número restrito de investidores, nomeadamente sobre as dificuldades do Facebook em angariar receitas a partir do uso da rede social em dispositivos móveis, uma tendência crescente. A Nasdaq também foi processada por má gestão do processo. 

As contas da companhia apenas deverão ser conhecidas em Julho, e até lá não é de esperar que as dúvidas dos investidores acalmem.

 

Retirado de Push

 



publicado por olhar para o mundo às 18:51 | link do post | comentar

O Festival de humor de Lisboa está de volta

 

A 2ª Edição do The Famous Humour Fest (Festival de humor de Lisboa) chega nos dias 6,7 e 8 de Julho e agrega os melhores humoristas do país no cinema São Jorge.


O maior festival do género nacional promete uma vez mais ser a "referência de o humor em Portugal" que justifica o envolvimento da marca com a "irreverência e criatividade que espelham o festival" conforme declarou André Marques gerente da marca, The Famous Grouse, na apresentação.


A boa adesão da primeira edição, de cerca de 8000 visitantes, fez com que a organização mantivesse os nomes sonantes como Bruno Nogueira, Nuno Markl, Aldo Lima, Herman José. E continua com a comédia aliada ao cinema, que estará em grande com a antestreia nacional de 'Bernie- Morre e deixa-me em paz' a protagonizar com Jack Black ou mesmo um cheirinho de 'Balas e Bolinhos 3', para além disto estarão presentes ainda nos festival workshops com destaque para a escrita criativa de Frederico Pombares e o humor físico de Cesár Mourão.


No entanto a organização a cargo da H2N por Hugo Nóbrega, traz novidades ao São Jorge, com a noite do open mic que visa transportar ao palco pessoas desconhecidas da plateia, uma exposição 'Amor com humor se paga II' onde será exposto personalidades fotografadas de forma humorística, The Famous Ladies, será a Ladies Night que contará com a apresentação de Joana Cruz.


Em conversa, Joana Cruz revelou estar "aterrorizada",  dizendo que o convite não se trata somente de "contar uma história para 600 pessoas", mas sim envolve também interagir com as convidadas,  Tânia Barbosa que não conheçe, Inês Lopes Gonçalves e Ana Markl que nunca fizeram stand up e Marta Gautier a qual afirma importar  intensidade às suas actuações.


Um dos humoristas nacionais já consagrados e que vai pisar o palco do São Jorge na noite de 6 de Julho é Luís Franco Bastos, o conhecido imitador tem preparado material renovado e afirma "as pessoas que me conhecem e querem ver, têm uma noção do que eu faço e esperam determinadas coisas e para além disso há sempre material novo com personagens já conhecidas e outras novas, vai ser uma mistura de 'hits' e alguns novos". Em exclusivo ao Hardmusica confidenciou que uma das personagens novas será Francisco Louçã, mas promete fazer o possível para que seja atirado ao Rio Tejo pelos seguranças do Cristiano Ronaldo, pois como diz o próprio "Neste momento quem não é atirado ao Tejo, é sinal de que não está a trabalhar bem".


Os bilhete do  The Famous Humour Fest já estão à venda nos locais habituais, para mais informações sobre o cartaz visite thefamoushumourfest.pt ou veja na página do facebook.com/thefamousgrouseportugal.

 

Retirado de HardMúsica



publicado por olhar para o mundo às 17:40 | link do post | comentar

 

Letra

 

t’s a cold and crazy world that’s ragin’ outside
Well baby me and all my girls are bringin’ on the fire
Show a little leg, gotta shimmy your chest
It’s a life, it’s a style, it’s a need, it’s burlesque
E-X-P-R-E-S-S.
Love, sex, ladies no regrets
E-X-P-R-E-S-S.
Love, sex, ladies no regrets
Been holding down for quite some time
And finally the moment’s right
I love to make the people stare
They know I got that certain savoir faire
Fasten up, could you imagine what would happen if I let you close enough to
touch?
Step into the fantasy, you’ll never want to leave, baby let’s give it to
you

http://www.hotnewsonglyrics.com/christina-aguilera-express-burlesque-lyrics.html

[WHY?]
It’s a passion, and emotion, it’s a fashion, burlesque
It’ll move, goin’ through you, so do what I do, burlesque
All ladies come put your grown up, boys throw it up if you want it
Can you feel me, can you feel it? It’s burlesque.
I tease ‘em ’til they’re on the edge
They screamin’ for more and for more they beg
I know it’s me they come to see
My pleasure brings them to their knees
Fasten up, could you imagine what would happen if I let you close enough to
touch?
Step into the fantasy, you’ll never want to leave, baby let’s give it to
you

[WHY?]
It’s a passion, and emotion, it’s a fashion, burlesque
It’ll move, goin’ through you, so do what I do, burlesque
All ladies come put your grown up, boys throw it up if you want it
Can you feel me, can you feel it? It’s burlesque.

[DANCE BREAK!]
It’s a passion, and emotion, it’s a fashion, burlesque
It’ll move, goin’ through you, so do what I do, burlesque
All ladies come put your grown up, boys throw it up if you want it
Can you feel me, can you feel it? It’s burlesque.

Christina Aguilera – Express (Burlesque) Lyrics



publicado por olhar para o mundo às 12:48 | link do post | comentar

O vírus Flame é uma das ameaças mais complexas alguma vez detectadas (Rui Gaudêncio)

Foi detectada a existência de um vírus informático que dá pelo nome de Flame e que já foi descrito como uma das ameaças mais complexas alguma vez detectadas.

 

Pensa-se que este vírus, que desencadeou um complexo ciberataque à escala mundial, tem recolhido dados privados de uma série de países, incluindo Israel e Irão, afirmaram especialistas citados pela BBC.

A empresa de segurança informática russa Kaspersky Labs indicou à estação britânica que omalware estará operacional desde pelo menos Agosto de 2010. A mesma empresa indicou que os ataques terão origem num programa estatal, mas não quiseram indicar qual a eventual origem geográfica da ameaça.

As investigações às origens e objectivos deste ataque foram levadas a cabo em parceria com a International Telecommunication Union, da ONU.

No passado foi já noticiada a existência de complexo malware internacional com um alvo específico, como o Stuxnet, o vírus que infectou centrais nucleares iranianas. Porém, o novo vírus Flame não terá como objectivo causar danos físicos, mas antes recolher dados sensíveis dos seus alvos, indicou Vitaly Kamluk, perito da empresa Kaspersky Labs.

O professor Alan Woodward, do Departamento de Computação da Universidade do Surrey, disse à BBC que este é um ataque muito significativo. “Isto é basicamente um aspirador industrial de informações sensíveis”, disse, explicando que ao contrário do Stuxnet, que tinha um objectivo específico, este malware pode apanhar tudo aquilo que lhe chegar e considerar potencialmente interessante.

Kamluk explicou à BBC como o vírus actua: “Uma vez infectado um sistema, o Flame dá início a um complexo sistema de operações, incluindo a monitorização do tráfego, a recolha de capturas de ecrã, a gravação de conversas áudio, o registo de acções no teclado e por aí fora”.

Relata a BBC que este vírus consegue detectar conversas telefónicas, gravá-las e enviá-las para os “espiões” e consegue igualmente fazer capturas de ecrã detectando automaticamente quando estão abertos programas “interessantes”, como e-mail ou mensagens instantâneas.

Mais de 600 alvos específicos foram atingidos, desde indivíduos e empresas até governos e instituições académicas. 

Uma unidade informática governamental iraniana alertou recentemente para o facto de este vírus Flame ser responsável por “recentes perdas massivas de dados” nacionais.

Os investigadores dizem que poderá demorar vários anos a ser analisado, por causa do seu tamanho e da sua complexidade, o que sugere que a sua origem poderá ser governamental (ou criada com apoios estatais) e não fruto do trabalho de cibercriminosos independentes.

“Actualmente há três categorias de indivíduos/organizações que desenvolvem malware espywarehacktivistas, cibercriminosos e Estados”, disse Kamluk.

“O Flame não tem a intenção de roubar dinheiro de contas bancárias. E também é diferente do simples malware usado pelos hacktivistas. Por isso, ao excluirmos os cibercriminosos e os hacktivistas, chegamos à conclusão que o mais provável é que a ameaça venha do terceiro grupo”, indicou o mesmo responsável.

Entre os países afectados pelo ataque contam-se o Irão, Israel, Sudão, Síria, Líbano, Arábia Saudita e Egipto.

“A geografia dos alvos e também a complexidade da ameaça não deixa qualquer dúvida sobre a hipótese de ter sido um Estado-nação a patrocinar a investigação que deu origem a isto”, disse Kamluk.

O primeiro registo da actuação do vírus Flame foi detectado pela empresa Kaspersky em Agosto de 2010, apesar de ser provável que o malware estivesse a operar desde antes.

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 09:07 | link do post | comentar

Membros das claques Juve Leo e No Name boys acusados pelo DIAP


O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa deduziu nesta terça-feira acusação contra 18 elementos das claques Juve Leo e No Name Boys envolvidos nos incidentes antes e durante o Sporting-Benfica, da I Liga de 2010-11.


A 6.ª Secção do DIAP acusou 16 elementos da Juve Leo, do Sporting, e dois dos No Name Boys, claque ilegal que acompanha o Benfica, pelos crimes de resistência e coacção, de ofensas à integridade física, de participação em rixa, de detenção de arma proibida e de arremesso de objectos ou de produtos líquidos em recinto desportivo.

Os factos reportam-se a 21 de Fevereiro de 2011, no Estádio José Alvalade, onde se realizou o encontro da 20.ª jornada da I Liga, que terminou com o triunfo do Benfica, por 2-0.

Nos incidentes, a Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve cinco indivíduos, dois afectos ao Benfica, no exterior do estádio, e os restantes ao Sporting, no interior.

Fora do recinto do jogo, as forças de segurança fizeram sete disparos de “shotgun” com balas de borracha, em resposta a petardos enviados pelos adeptos, em grupos de 30 a 40 elementos.

No topo sul do estádio José Alvalade, onde se concentram habitualmente adeptos do Sporting, a PSP foi forçada a intervir para impedir o arremesso de tochas.

Registaram-se confrontos e os adeptos arremessaram objectos contra os agentes, nomeadamente cadeiras e paus de bandeiras.

Os incidentes, dentro e fora do recinto, provocaram ferimentos em seis elementos da PSP.

No âmbito da investigação foram realizadas buscas domiciliárias e nas instalações da Juve Leo, tendo sido apreendidos estupefacientes e potes de fumo.

A Polícia de Segurança Pública fez várias detenções e o Tribunal Criminal de Lisboa determinou a quatro detidos a proibição de frequentarem estádios de futebol.

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 09:04 | link do post | comentar

Milton NascimentoMilton Nascimento (Enric Vives-Rubio)

Milton Nascimento, a cantora de jazz Dianne Reeves ou o grupo californiano de roots reggae Groundation são algumas das estrelas do programa Verão na Casa, que a Casa da Música inaugura a 22 de Junho com uma sessão de clubbing, na qual actuarão vários DJ da editora Cómeme.

 

Até ao final de Julho, os vários espaços do edifício projectado por Rem Koolhaas, incluindo a sua praça exterior, receberão mais de meia centena de concertos, a maioria deles de entrada gratuita. Sem o apoio do Turismo de Portugal, que em 2011 tinha contribuído com 175 mil euros para esta programação estival, a Casa da Música teve de recorrer a uma dezena de fundadores, que aceitaram reforçar a sua contribuição anual, e ainda a um patrocínio especial da marca Super Bock, da cervejeira Unicer.

Contribuições que permitiram manter a diversidade de géneros musicais que costuma marcar esta programação, ainda que a contenção de custos tenha obrigado a reduzir a presença de grandes nomes da música pop ou do jazz.

A antecipar as festas sanjoaninas, o programa abre no dia 22, com uma noite de clubbing, que decorrerá em vários espaços do edifício, e prossegue no dia seguinte com o tradicional concerto de S. João, interpretado pela Orquestra Sinfónica do Porto. 

Ainda em Junho, no dia 27, Vitorino apresenta o espectáculo Ergue-te ó Sol de Verão, uma homenagem a José Afonso e Adriano Correia de Oliveira, e o clubbing regressa na noite de 30, com actuações de vários DJ, entre os quais se destacam o músico Nicolas Jaar, um génio precoce da música electrónica, autor do projecto Darkside, e Matthew Herbert, a estrela de cartaz, cujo mais recente projecto, One Pig, conta, em sons, a história de um porco desde que nasce até chegar ao prato onde irá ser comido. 

Na programação de Julho, os primeiros momentos fortes vêm do Brasil, com Milton Nascimento (dia 2), que está a celebrar o 40.º aniversário de um dos álbuns míticos da música popular brasileira: Clube de Esquina, e o grupo de world reggae Ponto de Equilíbrio, que actuará no dia seguinte. 

No dia 11, a Casa da Música recebe o projecto internacional Playing for Chance, criado pelo produtor Mark Johnson, que se dedica a descobrir talentos entre os músicos de rua. 

A cantora norte-americana Dianne Reeves, vencedora de quatro Grammys e considerada uma das grandes herdeiras dessa linhagem de divas do jazz que remonta a Sarah Vaughn ou Ella Fitzgerald, actua no dia 11, na sala Suggia, integrada no The Mosaic Project, da compositora e baterista Terri Lyne Carrington. 

Como é habitual, também o fado estará presente neste programa de Verão: António Zanbujo, que recentemente lançou o seu quinto álbum - laconicamente intitulado Quinto , dará a ouvir no dia 21 o seu fado atravessado por correntes várias, do cantar alentejano à morna. E no dia 26 será a vez de o grupo Fado Violado, um trio formado pela vocalista Ana Pinhal, pelo guitarrista Francisco Almeida e pelo contrabaixista David Baltazar, mostrar o que acontece quando se mistura a melancolia do fado com a exuberância do flamenco. 

Dois dias antes, a 24, a Casa da Música recebe os californianos Groundation, uma banda de roots reggae fundada em 1998 e que inclui nove músicos. 

O Verão na Casa, que este ano se chama Verão na Casa é Super Bock, fecha no dia 28 com um concerto do grupo de pop-rock Lissabon, formado por Pedro Lourenço, Inês Vicente, Soraia Simão e Garcês.

 

Retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 08:35 | link do post | comentar

Terça-feira, 29 de Maio de 2012

Os vilões que atrapalham o seu orgasmo

Às vezes, chegar lá pode ser mais difícil do que a gente imagina. NOVA investiga o distúrbio que é o maior desmancha-prazer feminino.

 

NOVA lança o desafio: pule esta reportagem agora quem nunca perdeu um orgasmo na vida. Continua lendo? Não está sozinha. Muitas de nós sofrem com a anorgasmia, disfunção que dificulta ou, em casos extremos, nos impede de atingir o clímax, o topo da excitação, o céu. Existem quatro tipos. O mais comum, chamado situacional, faz com que só consigamos com determinadas carícias (masturbação, por exemplo). Além dele, também tem o primário, caso de quem nunca nem sequer experimentou; o secundário, quando a gente de repente para de ir aos finalmentes; e o total, quando nenhum estímulo é suficiente para nos fazer chegar láhhh. A disfunção é mesmo uma das maiores vilãs do êxtase feminino. Por sorte, NOVA sabe como combatê-la.

 

Conhecendo o inimigo

 

A anorgasmia tem várias causas — e nem todas são psicológicas. Por isso, os terapeutas aconselham nunca achar que as dificuldades só existem na sua cabeça nem guardar suas angústias e dúvidas (conte tudo a quem pode ajudar, começando por uma conversa franca com o médico). Elas podem ter sido desencadeadas por cicatrizes ou danos aos nervos provocados por cirurgias ginecológicas. Fora o uso de drogas, álcool ou certos medicamentos, como os que controlam a pressão arterial, os antiestamínicos e os antidepressivos. Que o diga a empresária paulistana Mariana, 26 anos: “Estava trabalhando e fazendo pós-graduação, o que é barra pesada. Para complicar ainda mais, meu namorado foi transferido para o Rio. Não conseguia dormir e me sentia tão destruída que fui ao médico. Ele receitou antidepressivos e pílula contra ansiedade.” A insônia sumiu, mas, quando foi passar um feriadão com o lindo, descobriu os efeitos colaterais. “Nem sentia vontade de transar. Na cama, parecia uma morta-viva e me peguei pensando: ‘Será que ele não vai se satisfazer de uma vez para acabar logo com isso?” Percebendo que Mariana não era mais a mesma, o namorado até sugeriu procurarem estímulos extras em uma sex shop. Diz ela que saíram da loja com a sacola cheia de brinquedinhos, vibradores e livros. Deu certo. Não chegou a ser uma glória na primeira vez, mas o tesão aumentou e facilitou o orgasmo — embora tenha demorado mais que de costume. De volta a São Paulo, a moça conversou com o terapeuta, que a ajudou a conciliar os remédios com o desejo. Mariana acabou dispensando os antidepressivos antes do que imaginava.

 

No caminho do prazer

 

Excluída uma causa física, vale checar o fator emocional. São desmancha-prazeres de marca maior a própria ansiedade de ter um orgasmo, a culpa provocada por uma educação sexual rígida, alguma crença religiosa ou cultural que interfere no prazer, além do medo de engravidar ou de pegar uma doença sexualmente transmissível. O tratamento varia, óbvio, dependendo do tipo de anorgasmia. Para quem nunca experimentou essa explosão de sensações (cerca de 5 a 10% das mulheres), os terapeutas tentam ajudá-la a relaxar e se sentir segura, aumentando a sua capacidade de reagir positivamente aos estímulos sexuais. É o caso da mulher que está ansiosa achando que não vai conseguir ou assustada com a possibilidade de se descontrolar ou ainda fisicamente incomodada sem saber o que esperar. “Já as que sofrem da secundária só precisam aprender novos truques para chegar lá — afinal, já conhecem o caminho e sabem que são capazes de trilhá-lo”, explica Elna McIntosh, terapeuta sexual e uma das maiores autoridades no assunto. No caso da anorgasmia em situações específicas, a mulher precisa de ajuda para identificar as circunstâncias favoráveis e, em seguida, melhorar sua comunicação.

 

Aconteceu com a dentista Juliane, de 24 anos, que teve a primeira experiência sexual quando tinha 17 anos. “Demorei para me decidir, mas fiz porque queria, e não por pressão do namorado. Apesar disso, na hora H, entrei em pânico. Tanto que contrai demais os músculos da vagina e a penetração foi superdolorosa. Minha vontade era pular da cama e correr para casa”, diz. A experiência ruim se repetiu com outros parceiros. Apesar de sentir vontade de transar, ficava tão tensa que tornava o ato quase impossível. Não é surpresa que não soubesse o que era um grand finale. Nem mesmo com a masturbação. Durante anos, fez vários tratamentos e visitou uma lista de médicos. “Um deles chegou a dizer que eu precisava operar para aumentar a abertura da vagina e cortar alguns músculos. Só não encarei a mesa de cirurgia porque morri de medo”, lembra. Um namorado apaixonado e sensível sugeriu recorrerem à terapia juntos. O primeiro alívio foi descobrir que seu problema era comum — estima-se que 70% das mulheres ficam ou já ficaram a ver navios. Depois de alguns meses de sessões, com direito a exercícios e orientações de como tocar o outro, o casal finalmente espantou o grande vilão da cama. “Não aconteceu de uma hora para outra. Vivemos um processo lento, mas surpreendente. O primeiro orgasmo foi totalmente inesperado. Caí no choro de felicidade.”

 

Retirado de Nova



publicado por olhar para o mundo às 21:29 | link do post | comentar

Christine Lagarde disse aos cidadãos gregos para pagarem os seus impostos e revelou que estava muito mais preocupada com as crianças em África do que com os contribuintes helénicos. Com isto, atraiu sobre si as atenções. E não é que, afinal, a directora-geral do FMI nem paga impostos?


Não é uma revelação, mas a constatação de um facto, que circulou pela internet em reacção à declaração de Lagarde, feita em entrevista ao jornal «Guardian», e é registado nesta terça-feira pela imprensa francesa. Lagarde beneficia de um estatuto fiscal específico, na qualidade de funcionária internacional.

Todas as verbas que ganha provenientes do Fundo Monetário Internacional são livres de impostos. São 380 939 euros por ano, um salário base de 323 257 euros, a que se juntam 57 829 euros de despesas de representação.

Directora do FMI beneficia de estatuto especialA informação não é nova. Já tinha sido noticia, por exemplo, no site francês Tout sur les impots, há quase um ano. Mas ganhou actualidade depois das críticas de Lagarde ao incumprimento grego.

Lagarde beneficia da Convenção de Viena sobre as relações diplomáticas, de 1961. Diz o artigo 34 da convenção que «o agente diplomático está isento de todos os impostos e taxas, pessoais ou reais, nacionais, regionais e comunais». Salvaguarda no entanto que é responsável «pelos impostos sobre bens imóveis situados no território do Estado credor».

O jornal «Le Figaro» cita o Ministério dos Negócios Estrangeiros francês a recordar que aquele estatuto fiscal se aplica a vários outros dirigentes de instituições internacionais, como a Agência Internacional de Energia Atómica, a Organização Mundial de Saúde ou a Unesco. E os funcionários europeus também beneficiam em parte daquele estatuto.

 

Retirado de Push



publicado por olhar para o mundo às 21:26 | link do post | comentar

Leonardo Jardim de saída do Braga


Leonardo Jardim tem o futuro muito incerto no Sporting de Braga. A decisão só deverá acontecer nas próximas horas e o mais provável é a saída, mas nada está ainda no papel.


O técnico esteve hoje reunido com o presidente António Salvador, numa das habituais reuniões matinais, mas nada foi decidido.

O treinador, que tinha mais dois anos de contrato, está fragilizado em resultado das entrevistas que deu e que o responsável máximo bracarense terá encarado como sendo uma quebra de confiança.

Salvador, de resto, ao que o PÚBLICO apurou, ainda não terá nenhuma alternativa nas mãos, ao contrário das notícias que foram avançadas na comunicação social, segundo as quais estaria em conversações com Paulo Alves (Gil Vicente) ou Sérgio Conceição (Olhanense).

 

retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 17:50 | link do post | comentar

As crianças tinham, no início do estudo, entre oito e dez anos de idade

 

As crianças tinham, no início do estudo, entre oito e dez anos de idade (Nelson Garrido)

Durante oito anos, 500 crianças da Casa Pia foram submetidas, sem saberem, a experiências que “nunca tinham sido feitas sequer em animais”. A RTP noticia que essas crianças serviram de cobaias num estudo de 10 milhões de euros levado a cabo por investigadores portugueses nos Estados Unidos, para descobrir o efeito do mercúrio no chumbo dos dentes.

 

A Faculdade de Medicina Dentária de Lisboa e a Universidade de Washington “comandaram” a investigação “com conhecimento das autoridades”, avança ainda a estação pública de televisão. As experiências tiveram início em 1996, com crianças entre os oito e os dez anos de idade. Algumas delas chegaram ao final do estudo com 16 dentes chumbados.

O objectivo era perceber se o chumbo nos dentes provoca alterações motoras, de memória, na atenção e na concentração, ou no sistema nervoso das crianças. Um dos especialistas ouvidos pela RTP disse mesmo que estas experiências “nunca tinham sido feitos sequer em animais”. “O mercúrio é muito tóxico”, afirmou outro especialista.

No programa Especial Informação, assinado pela jornalista Rita Marrafa de Carvalho e emitido nesta segunda-feira à noite, adianta-se também que a justificação dada pela utilização de crianças como cobaias nesta experiência é que, precisamente, os efeitos de uma substância na saúde são aferidos mais facilmente em crianças.

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 08:47 | link do post | comentar

Seis clubes da I Liga inscreveram Equipas B

As Equipas B de FC Porto, Benfica, Sporting de Braga, Sporting, Marítimo e Vitória de Guimarães estão já inscritas na Liga de Honra, confirmou nesta segunda-feira a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPF), em comunicado.


O prazo para de inscrição terminou hoje e, segundo nota do organismo, a mesma foi feita, pelos seis clubes, em conformidade com o regulamento, pelo que terão entrada directa na Liga de Honra a partir da próxima época, que foi alargada para 22 emblemas.

Entre os vários pressupostos de competição, as equipas B verão o seu raio de acção limitado ao campeonato secundário, sendo-lhes vedada a participação na Taça de Portugal e na Taça da Liga.

As equipas B devem fazer constar, na ficha técnica de jogo, um número mínimo de dez jogadores formados localmente, entre os 15 e 21 anos de idade, e que tenham sido inscritos na FPF há, pelo menos, três épocas desportivas.

Por outro lado, um jogador não poderá alinhar pela B se, em representação da equipa principal, tiver sido sancionado com cartões amarelos (em série ou por duplo amarelo) ou com cartão vermelho.

Tal deverá também ser cumprido no jogo seguinte da competição em que a equipa principal esteja envolvida, de modo a evitar que as equipas B sirvam para “limpar cadastros” do campeonato principal.

A proposta define ainda que as equipas B não podem estar na mesma divisão das formações principais e estão sujeitas à descida aos escalões inferiores.

A despromoção pode acontecer pela via competitiva ou no caso de a equipa principal descer à Liga de Honra, o que motivará a descida automática da respectiva equipa B à II divisão.

Face às alterações introduzidas na competição, a partir da época 2013/2014, sobem à Liga de Honra os três clubes qualificados no Campeonato Nacional da II Divisão, enquanto descem os clubes classificados nos três últimos lugares da tabela da Liga de Honra.

Os clubes que inscreveram equipas “B” na Liga de Honra são obrigados a pagar 50.000 euros por época, conforme foi aprovado na Assembleia-Geral (AG) Extraordinária da Liga no passado de 21 de Maio.

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 08:44 | link do post | comentar

Segunda-feira, 28 de Maio de 2012

Test – Drive. Conheça a experiência de mulheres que ficaram com tipos diferentes de homens

 

Test – Drive. Conheça a experiência de mulheres que ficaram com tipos diferentes de homens

 

Sabe aquele ditado "Enquanto não acho o certo, me divirto com os errados"? As leitoras abaixo adotaram e viveram experiências com caras para quem você deveria dizer "Sim, Sim, Sim" antes de subir ao altar.

 

Um cara nada a ver com você

 

Morei durante um ano no sul da Bahia, em uma vilinha de pescadores de mil habitantes com aldeia indígena pataxó. Lá conheci um nativo com quem tive um casinho sexual. Ele tinha um corpo fenomenal e era realmente um selvagem. Sexo era a principal atividade daquele homem. Qualquer hora era hora: no mangue, no rio, debaixo da primeira árvore que visse, no meio da estrada... No stress! Ele achava tudo normal e até queria fazer sexo anal na maior naturalidade, sendo que nem tinha tanta intimidade assim comigo. Ele era bom de cama: pegava, beijava, fazia sexo oral. Uma vez fomos a uma prainha, mas, como tinha gente lá, eu quis ir embora. Então cortamos o caminho por uma trilha e fomos parar em outra praia — no caminho já rolaram vááááários amassos. O sexo era incrível, ele era um fofo, mas eu sabia que não ia durar. Era puramente diversão, porque não tínhamos nada a ver! O cara chegou a me mandar um e-mail uma vez dizendo que estava com "soldades". Não dá, né? Regina*, 34 anos, psicóloga


Um famoso

 

Fui convidada por uma amiga para um show de uma banda de Pernambuco. Foi só o vocalista começar a cantar e me encantei! Ele era lindo e não tirava os olhos de mim. A partir desse dia, eu não perdia mais nenhuma festa em que ele tocava e ficava na frente para ser bem vista. Um dia ele perguntou se eu aceitaria sua carona. É óbvio que aceitei! Transamos loucamente no carro. Passamos um ano ficando. O bom de transar com um famoso é a adrenalina. Ficava a noite toda comendo o cara com os olhos no palco — eu e as outras. Mas eu sabia que no final da noite ele seria meu! Foi bom enquanto durou. Maria Albuquerque, 30 anos, vendedora


Um bom de cama

 

Uma amiga fez algumas tatuagens e vivia comentando que o tatuador era tudo de bom, que toda mulherada dizia que a pegada dele era incrível. Eu tinha 18 anos e havia acabado de me separar de um namoradinho, e essa amiga me convidou para uma festa de aniversário. Cheguei lá e avistei duas maravilhas: o tatuador e o Ricardo. Fiquei louca pelo tatuador, fiz com que ele me notasse e começamos a trocar olhares. Mas acabei nos braços do Ricardo. Uma semana se passou e eu não conseguia esquecer o tatuador. Tinha que experimentar aquela fruta. Decidi fazer uma tatuagem — era a única forma de me aproximar dele. Liguei, expliquei quem eu era, marquei o horário e... Surpresa! O Ricardo estava lá quando cheguei. Que ódio! Voltei para casa emburrada e com uma tatuagem nova que eu nem queria. Estava inconformada e inquieta. Fui obrigada a ligar para o tatuador e dizer que gostei tanto do trabalho que havia decidido fazer mais duas tatuagens (sim, duas! Uma no bumbum e a outra na lateral do seio, abaixo da axila — era a única forma de tentar excitálo...). Fui perfumada, linda e gostosa fazer a tatuagem, e comecei a provocá-lo. E assim o grandalhão me "atacou" deliciosamente. Jamais me esquecerei: eu agarrada no pescoço dele, com as pernas travadas em seu quadril. Ele me levantou, me prensou contra a parede e fez tudo maravilhosamente bem. Com força, vontade e muito desejo. Transamos muito, a noite toda. Uma hora acordei com ele me fazendo carinhos, me pegou no colo, me colocou na mesa de tatuagem e acabou comigo. Foi com esse cara que descobri o que era um orgasmo. Fama comprovada! Claudia Costa, 27 anos, bancária


Um homem mais velho

 

Aprendi em todos os meus relacionamentos sexuais que os homens mais velhos sabem o que querem na cama e se dedicam mais às mulheres. O cara de quem vou falar conheci no trabalho. Na época, eu tinha 24 anos e ele 54. Eu trabalhava aqui em Porto Alegre e ele veio do Rio de Janeiro para organizar uma área da empresa. No começo não tive nenhum interesse por esse homem. Ao contrário, eu o achava um chefe chato, velho e que adorava pegar no meu pé. O tempo foi passando, fui descobrindo nele um amigo. Para tudo ele tinha uma resposta, tudo ele sabia e conhecia. Foi aí que eu me vi de quatro. Quando começamos a nos relacionar, fiquei surpresa. Não esperava tanto pique em um cara tão mais velho: não tinha limites entre quadro paredes e era beeem safado. Ele criava o clima durante o dia inteiro, mandava rosas pela manhã no trabalho, ligava pra falar uma sacanagem e à noite me esperava com vinho e uma lingerie nova. Tudo sem pressa! Seu diferencial era o prazer sem rotina, não tinha hora nem lugar. A gente reinventava o sexo a cada dia. Fernanda Rodrigues, 31 anos, publicitária.


Um mais novo

 

Namorei um rapaz de 19 anos. Novinho, mas sabia muito bem o que estava fazendo na cama. E eu, como boa leitora de NOVA, sempre levava novidades — muito bem-aceitas! Ele topava tudo, queria aprender. E, além de uma boa pegada, fazia um sexo oral divino. Às vezes, quando eu dormia na casa dele, colocava o celular para despertar meia hora antes e fazia nosso dia começar muito bem. Mas o namoro terminou seis meses depois. Eu não suportava a mãe dele, que colocava horário para ele voltar para casa. Andréia de Castro, 29 anos, vendedora.


Um gringo

 

Durante uma viagem à Europa, fiquei hospedada em um hostel em Madri, na Espanha. Ali, conheci o Kevin, um irlandês loiro e de olhos azuis. Era noite de Halloween e ele me convidou para acompanhá-lo nas festas da cidade. No meio da madrugada, os beijos esquentaram e voltamos para o hostel. Transar em inglês fez com que me sentisse dentro de um filme pornô. Me soltei na cama, já que a probabilidade de revê-lo era pequena. Kevin não parava de elogiar meus olhos castanhos, exóticos para ele. Transamos duas vezes, quase sem intervalo. Ana*, 31 anos, fisioterapeuta


Um bem-dotado

 

Fiquei com o Marco em uma balada em São Paulo. Estava adorando o clima romântico, mas a surpresa veio quando o vi sem roupa: fiquei de frente para um pênis muito grande, mesmo! Fiquei tensa. Senti um pouco de dor, mas logo o desconforto passou e deu lugar a muito prazer. Era como se ele alcançasse lugares nunca antes tocados. Fui ao êxtase absoluto! Letícia*, 26 anos, psicóloga

 

Retirado de Nova



publicado por olhar para o mundo às 22:29 | link do post | comentar

Cynthia Nixon and Girlfriend Tie the Knot!

Cynthia Nixon, que interpreta Miranda Hobbes na popular série televisiva, casou ontem em Nova Iorque, três anos depois de ter anunciado o noivado. Nixon e Christine Marinoni, casaram finalmente.

Em 2009, as duas participaram numa manifestação de apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e revelaram estar noivas. Segundo o representante de Nixon, as duas casaram legalmente no estado de Nova Iorque, isto porque, aquando do anúncio do noivado o casamento homossexual ainda não era permitido naquele estado.

 

Em 2010, Cynthia afirmou que estava «a adorar estar noiva. Não me importo de ficar assim durante muito tempo, o que vai acontecer». Só no verão passado é que o casamento homossexual se tornou legal em Nova Iorque. O casal, que está junto desde 2004, já teve um filho. Max Ellington Nixon-Marinoni nasceu em Fevereiro do ano passado.

 

Retirado de Destak



publicado por olhar para o mundo às 22:25 | link do post | comentar

“In vivo”: cinco alertas sem alarme sobre cinco cancros   

(Foto: Carlos Lopes/Arquivo)

 

O PÚBLICO associa-se à Semana Europeia do Cancro com a divulgação de uma série de cinco documentários elaborados pelo Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, um dos principais centros de investigação na área do cancro.

 

A colecção “In vivo” focada na prevenção dos cancros mais frequentes em Portugal – Mama, Pele, Colo do útero, Colo-rectal e Estômago – tem sido apresentada em várias escolas do país e foi adaptada para o PÚBLICO. 

“O que se procura aqui é uma tomada de consciência entrando pela porta do alerta e não do alarme”, resume o coordenador desta iniciativa do Ipatimup e Professor Afiliado da Faculdade de Medicina da UP, Luís Filipe Silva.

Mais do que os excepcionais avanços feitos na área das terapias que atacam os mais diversos cancros, Sobrinho Simões, director do Ipatimup, remata que “o problema do cancro, de todos os cancros, só será atenuado com prevenção e diagnóstico precoce”. 

Assim, a escolha dos cinco cancros desta série foi feita a pensar na importância que têm em Portugal mas também na possibilidade que todos temos de os prevenir com medidas simples. São doenças que têm factores de risco evitáveis.

A colecção [In Vivo] foi concebida e produzida por investigadores da Unidade de Divulgação do IPATIMUP, com a colaboração de especialistas clínicos e investigadores externos e um conjunto de entidades públicas e privadas que se empenharam activamente na concretização deste projecto, com especial relevo para as escolas que o acolheram e o fortaleceram.


Cancro da Mama mata uma mulher a cada minuto. Veja como prevenir

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 21:20 | link do post | comentar

Cristian Rodríguez quatro épocas no Atlético de Madrid

O uruguaio Cristian Rodriguez vai ser jogador do Atlético de Madrid para as próximas quatro temporadas, anunciou nesta segunda-feira o clube espanhol, depois de ter representado o FC Porto nos últimos quatro anos.


Rodríguez estava em fim de contrato com a formação portista e sai a custo zero para os "colchoneros". O internacional uruguaio começou a sua carreira no futebol português ao serviço do Benfica em 2007, por empréstimo do PSG, mudando-se na época seguinte para o FC Porto, que adquiriu o seu passe ao clube francês.

Ao serviço dos portistas, o "Cebola" conquistou três campeonatos, três Taças, três Supertaças e uma Liga Europa. Rodríguez, de 26 anos, é ainda internacional A pelo Uruguai, com 47 internacionalizações e a conquista de uma Copa América.

 

Notícia do Público

 



publicado por olhar para o mundo às 21:17 | link do post | comentar

Lourinhã vai construir maior parque de dinossauros do mundo
O Dino Park, em Muchehagen, na Alemanha.
Mais de 200 modelos de dinossauros em tamanho real espalhados por 2,5 quilómetros de percursos pedestres. Tudo ao ar livre, num pinhal com 36 hectares. O que durante mais de 10 anos não passou de uma miragem está prestes a nascer na Lourinhã: «O maior parque de dinossauros ao ar livre do mundo» será construído naquela cidade – famosa pelos fósseis e pela maior colecção de ovos de dinossauros do mundo.

 Quem o garante é uma empresa alemã, a Dinosaurieir-Park, que está disponível a investir num projecto que deverá custar cerca de 10 milhões. «Já fizeram estudos de viabilidade económica que lhes dão a certeza que o negócio será rentável a partir dos 135 mil visitantes por ano, com 12 euros de preço de entrada. Mas é preciso garantir cerca de 50% de financiamento a fundo perdido (sem obrigação de reembolso) para avançar» – disse ao SOL Vital Rosário, vereador do Turismo da Câmara da Lourinhã.

 

Um ‘dinoparque’


A velha ambição dos lourinhanenses ganhou um novo fôlego quando, há cerca de um ano, Vital Rosário fez uma visita de trabalho à Alemanha e descobriu, por acaso, o DinoPark, situado em Munchehagen, a 40 quilómetros de Hannover. «Senti logo que aquele espaço, simples na organização e na arquitectura, era perfeitamente replicável num pinhal que pertence à Câmara», conta o vereador.

Os primeiros passos já foram dados. O grupo alemão constituiu uma sociedade privada (a Dinossauro Futuro) e, há um mês, esta mesma empresa, que fará a exploração do parque, candidatou-se a um fundo do Turismo de Portugal que poderá render 65% do investimento. Por conta dos alemães ficarão 15% do financiamento (cerca de 1,5 milhões). O resto, prevê Vital Rosário, poderá vir de empréstimos bancários.

 

Mas estas contas são provisórias. A autarquia já disponibilizou o terreno do pinhal dos Camarnais àquele promotor, através de um contrato de cedência do direito de superfície (decisão aprovada por unanimidade), mas ainda não foi estabelecido o valor da renda.

 

Inauguração prevista para 2013


«Ainda está tudo em aberto. Se esta candidatura correr bem, podemos iniciar a obra já em Setembro e teremos o parque inaugurado já em 2013», prevê Vital Rosário.

 

O que já está definido é o projecto de arquitectura. O vereador levanta um pouco o véu: «A ideia não é criar uma Disneylândia, com escorregas e baloiços. O que se pretende é uma experiência que retrate, de forma científica, os cenários do Jurássico e de outras épocas pré-históricas».

 

Nos 22 hectares que se prevê que o parque venha a ocupar, será erguido um edifício central, que acolherá o acervo do museu da Lourinhã, a bilheteira, uma loja, um restaurante e um auditório. À volta, será plantado um jardim que será «uma espécie de museu a céu aberto», com cinco percursos pedonais, ao longo dos quais serão colocados mais de 250 modelos de dinossauros, alguns mecanizados, à escala real. Os mais pequenos não serão esquecidos: será criado também um parque infantil com actividades pedagógicas.

 

Mas numa altura de crise, haverá clientes que justifiquem este investimento? «Nunca ninguém viu dinossauros, mas toda a gente adora dinossauros, sobretudo as crianças» – diz o vereador, optimista quanto à viabilidade do projecto. «Óbidos recebe dois milhões de pessoas por ano, o jardim oriental de Joe Berardo, no Bombarral, chega a atingir 40 mil visitantes por mês, o Carnaval de Torres Vedras mobiliza 300 mil pessoas. Perante isto, só posso estar esperançado», acrescenta.

 

Empresas chinesas querem participar


O vereador vai mais longe: «Isto será uma alavanca importantíssima para o município e para a região Oeste. Vai dinamizar o comércio e atrair turistas. Aliás, já há três unidades hoteleiras a nascer desde que se fala nisto. Até já apareceram empresas chinesas dispostas a fornecer as réplicas».

 

O próprio modelo de funcionamento, assegura, foi pensado para ser sustentável. «Um parque que tem a ambição de ser o maior do mundo nesta modalidade estará aberto todos os dias e terá apenas 15 funcionários a trabalhar a tempo inteiro, mais 18 para assegurar os fins-de-semana e picos de afluência».



publicado por olhar para o mundo às 17:09 | link do post | comentar

 

Letra

 

Yellow diamonds in the light
And we're standing side by side
As your shadow crosses mine
What it takes to come alive

It's the way I'm feeling I just can't deny
But I've gotta let it go

We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place

Shine a light through an open door
Love and life I will divide
Turn away cause I need you more
Feel the heartbeat in my mind

It's the way I'm feeling I just can't deny
But I've gotta let it go

We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place

Yellow diamonds in the light
And we're standing side by side
As your shadow crosses mine

We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place

We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place
We found love in a hopeless place 


publicado por olhar para o mundo às 13:50 | link do post | comentar

<p>A equipa da Claan, com o cão Vincent van Dog</p>

A equipa da Claan, com o cão Vincent van Dog (Nelson Garrido)

 

A CulturePrint oferece serviços de ghostwriting para quem ache que a sua vida dava um livro. A RentingPoint criou o primeiro site de aluguer em Portugal e aluga desde bonecos insufláveis a cadeiras de rodas e vestidos de noiva. Também há uma empresa que criou o Loveblip, que põe pessoas com interesses comuns, que queiram ir ao mesmo concerto, por exemplo, a falar umas com as outras.

 

E outra que se pôs a editar discos. E ainda aquela que encontra, negoceia e reabilita casas à medida de cada cliente. Quem acredita que o empreendedorismo e a inovação se traduzem obrigatoriamente em gigabytes e equações inacessíveis escusa de ir bater ao Pólo das Indústrias Criativas da Universidade do Porto (Pinc). Nestes gabinetes de um edifício cor-de-rosa fervilham perto de 30 empresas. Num país vergastado pela crise, os que aqui trabalham atreveram-se a dar sequência prática a um qualquer momento eureka, do género "Mas como é que alguém não pensou nisto antes?". Eles pensaram. E, mais do que isso, fizeram. 

O resto é suor e persistência. Nas carteiras de clientes de algumas destas empresas - veja-se a Claan, que funciona numa sala onde vários iMacs disputam espaço com uma bicicleta e um cão que se chama Vincent van Dog - pontuam gigantes como a Siemens. 

Observa-se o entra-e-sai dos gabinetes e vêem-se rapazes e raparigas com T-shirt e sapatilhas. À maioria ninguém colaria o rótulo CEO. Mas é isso que eles são. "As ideias que nos chegam são todas potencialmente disparatadas. E, por vezes, acontece que as mais disparatadas são as que têm mais sucesso", introduz Fátima São Simão, responsável pelo Pinc. Criado em 2010, é um dos quatro pólos do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), o qual soma 112 empresas. 

No processo de selecção das empresas, a universidade privilegia as propostas por ex-alunos "ou que ambicionem ligar-se à universidade". Antes de terem direito a gabinete, os potenciais empresários passam por um período de incubação. Têm telefones, Internet, uma sala de co-work, outra de reuniões e um auditório. A maioria das que falham é nesta fase. Ultrapassada essa etapa, as empresas ganham direito a gabinete próprio. "Não somos uma agência imobiliária, o que cobramos é um valor simbólico de oito euros por metro quadrado mais dois euros para condomínio - limpeza, água, luz, serviço de vigilância 24 horas por dia." 

Têm telefone à disposição, mas pagam as chamadas. Além disso, o Pinc tem "um programa de apoio ao empreendedorismo com a Escola de Gestão do Porto que garante formação em sala sobre princípios básicos de gestão". Os que precisarem podem candidatar-se a um serviço de consultoria que os ajude a vencer questões burocráticas e a focar-se no negócio. Ao fim do primeiro ano, a valor da renda sofre um aumento de 15%. Ao fim do segundo, passa para 20%. "A ideia é que as empresas se emancipem." 

Não é bem o caso da CulturePrint, mas anda lá perto. É uma cooperativa sem fins lucrativos, nasceu em Maio de 2011 pela mão de três mulheres, a Catarina, a Isabel e a Minês. Uma era livreira, outra vinha das Belas-Artes e a terceira, a Minês, tinha-se licenciado em comunicação. Juntaram-se para "comunicar cultura". Hoje, fazem assessoria de comunicação, editam, produzem eventos e escrevem. Muito. "O serviço de ghostwriting tem muita procura, para livros mas também para discursos e até para blogues de pessoas que têm coisas para dizer mas não sabem como", conta Minês Castanheira. 

Aposta de futuro

Nenhuma delas vive da cooperativa. "Tirar daqui um salário ainda não é possível, até porque somos três, o que não quer dizer que o futuro não passe por aí", diz Minês, para elencar mais vantagens na ligação à universidade: "É uma marca forte, temos acesso a formação e fica muito mais fácil trabalhar em parceria com outras empresas." Um exemplo? A próxima iniciativa d"O Bairro dos Livros, um projecto "geográfico-sentimental" de livreiros do Porto a que a CulturePrint ajuda a dar forma nos segundos sábados de cada mês, vai fazer-se em parceria com o Cineclube do Porto e com a SW.ark, outra empresa "incubada" deste pólo criativo. 

Expliquemo-nos. O que a SW.ark faz, nalguns gabinetes ao lado, é househunting, entre outras coisas. "Procuramos casas na Baixa para reabilitar à medida de cada cliente, projectamos e reabilitamos o espaço", explica Sara Natária, da SW.ark. "Encontramos a casa, avaliamo-la, negociamo-la com o proprietário, tratamos das burocracias todas, fazemos o projecto, reabilitamo-la, e, se o cliente quiser, até lhe enchemos o frigorífico", precisa Paulo Santos Cunha. 

Ela, 32 anos, é arquitecta e, depois de ter lidado com as complicações subjacentes à compra de uma casa na Baixa, regressou da Noruega decidida a lançar-se na criação da sua própria empresa. Paulo, com mais vinte anos em cima, trabalhou a maior parte da sua vida entre a gestão de redes comerciais e a banca de investimento. Estava a lançar-se na criação da sua própria imobiliária quando se conheceram por acaso na rua. Poucos meses depois, em Abril de 2010, começava a pré-incubação da SW.ark. A empresa foi formalizada em Setembro seguinte. "No final do primeiro ano", recua Paulo Cunha, "tivemos o retorno de todo o capital investido". 

Ao fim deste corredor em que se encontram, deixando para trás a porta envidraçada da SW.ark onde se cita Pessoa - "... de que a vida é a maior empresa do mundo" -, chega-se à Claan. A melhor maneira de perceber o que aqui se faz será ir ao site da Siemens e folhear a revista hi!tech. A sensação anda muito perto da que se tem quando se segura a revista nas mãos. Viram-se as páginas e o que se ouve é o tradicional restolhar do papel. 

A revista está lá, disponível em 11 línguas, graças ao Leafer, uma plataforma que permite converter o tradicional PDF em algo muito mais interactivo, com som e imagem, totalmente made in Claan. Totalmente made by Clara Vieira e Andreas Eberharter. Ela é portuguesa, tem 31 anos; ele, austríaco, 32. Conheceram-se em 2004 em Roterdão, quando ambos frequentavam o Erasmus, e dali migraram para Viena e dali para o Porto, onde decidiram criar a Claan. 

O Leafer, explica Andreas, permite à Siemens "um feedback imediato sobre quanto tempo as pessoas ficam em determinada página, quais os assuntos mais lidos e a que horas...". Mas a Claan não é uma empresa de software informático. "É um estúdio criativo que trabalha a imagem digital das empresas", resume Clara. Na prática, criam conceitos e identidades visuais, principalmente digitais, dos clientes. Os catálogos digitais da farmacêutica Merck são deles. 

A Claan nasceu num escritório da Rua de Ceuta. A mudança para o pólo criativo da UPTEC foi importante porquê? "A certa altura demos conta de que já não estávamos a fazer aquilo de que gostávamos. A mudança para o pólo permitiu-nos receber formação e pôs-nos em contacto com outras empresas às quais prestamos serviços." O ambiente de trabalho é informal, permite levar o cão para o trabalho, e a liberdade de estabelecer o próprio horário. Em teoria. "Na prática, trabalhamos durante o dia, à noite e ao fim-de-semana", diz Clara. "Quando se tem um emprego normal, sai-se e desliga-se. Aqui é do nosso filho que estamos a falar."

 

Retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 13:04 | link do post | comentar

Rui Patrício só quer pensar no Euro 2012 e deixa o futuro para mais tarde 

Rui Patrício não quer pensar agora sobre a sua continuidade em Alvalade ou uma experiência no estrangeiro

Felix Ordonez/Reuters (Arquivo)

O guarda-redes do Sporting e da selecção nacional Rui Patrício afirmou este domingo que a prioridade, neste momento, passa pelo Euro 2012 e que questões relacionadas com o seu futuro estão em segundo plano.


Numa acção de marketing promovida por uma empresa de tecnologia, que decorreu num centro comercial em Lisboa, o guardião deixou claro que está apenas focado no Europeu e o sonho de vencer a competição está bem patente.

“Neste momento só estou concentrado na selecção. O importante é estar bem, concentrado e focalizado. Não penso em mais nada. O meu futuro é a selecção. Só estou concentrado nela. Vou para o Euro de cabeça limpa e tranquila. Sei o que quero e estou completamente concentrado para fazer um bom Europeu”, garantiu.

Aos 24 anos, e após seis temporadas na equipa principal do Sporting, Rui Patrício afiança que, tal como qualquer futebolista, o “mais importante é vencer” e que o empate com a Macedónia (0-0) em jogo de preparação para o Campeonato Europeu vai servir para corrigir erros.

“Foi apenas um jogo de treino. Estamos agora a começar a nossa preparação e não podemos tirar apenas as coisas boas que fazemos. Temos também de analisar as coisas menos boas. É pena que o nosso próprio público nos assobie. Mas o futebol é assim, só temos é de estar concentrados em fazer o nosso trabalho e o melhor para Portugal”, atirou.

A “equipa das quinas” defronta sábado a Turquia, no Estádio da Luz, naquele que será o último jogo particular antes de viajar (segunda-feira) para a Polónia, onde irá participar na fase final do Campeonato da Europa.

 

Noticia do Público



publicado por olhar para o mundo às 08:38 | link do post | comentar

Michael Haneke segura a Palma de Ouro com a actriz Emmanuelle Riva (à esquerda) e Jean-Louis Trintignan (à direita)Michael Haneke segura a Palma de Ouro com a actriz Emmanuelle Riva (à esquerda) e Jean-Louis Trintignan (à direita) (Valery Hache/AFP)
Amour, do austríaco Michael Haneke, é o vencedor da Palma de Ouro do Festival de cinema mais importante do mundo. É a segunda Palma de Ouro para o realizador de A Pianista, depois de O Laço Branco em 2009.

Depois de em 2011 o prémio máximo do Festival de Cannes ter sido entregue a A Árvore da Vida, de Terrence Malick, o júri 2012, sob a batuta do realizador italiano Nanni Moretti, premiou um filme que acompanha os últimos meses de um casal idoso interpretado por Emmanuelle Riva e Jean-Louis Trintignant.

Amour, de Michael Haneke, era o filme favorito da maior parte da imprensa presente no Festival de Cannes 2012, edição que muitos dizem ter sido a melhor em muitos anos. Nanni Moretti, presidente do júri, podia perfeitamente assestar os holofotes noutro filme.

Na volta, Amour foi o vencedor da cerimónia de encerramento que teve lugar ao fim da tarde de domingo sob chuva torrencial em Cannes, valendo ao realizador austríaco a sua segunda Palma de Ouro após O Laço Branco em 2009. 

O júri fez questão de assinalar, ao entregar o prémio, o trabalho fundamental dos seus actores, Emmanuelle Riva e Jean-Louis Trintignant, dois veteranos do cinema francês convocados para interpretar um casal idoso confrontado com a doença terminal da esposa. (Trintignant aceitou interromper o seu “auto-exílio” dos écrãs para entrar no filme, e Haneke disse que se ele tivesse recusado o filme não se faria.) 

Mesmo que Amour fosse um vencedor “anunciado”, o restante palmarés trouxe confirmações e surpresas. Confirmou o dinamarquês Mads Mikkelsen, que já foi vilão de James Bond (em Casino Royale), favorito para melhor actor em The Hunt de Thomas Vinterberg. 

O novo filme do romeno Cristian Mungiu (Palma de Ouro por 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias), no geral bem recebido, foi o único filme a “repetir” no palmarés, com os prémios de melhor argumento e melhor actriz, este entregue ex-aequo a Cosmina Stratan e Cristina Flutur. 

E The Angel's Share, comédia do veterano inglês Ken Loach (Palma de Ouro por Brisa de Mudança) sobre desempregados de Edimburgo e uma golpada com whiskies, gerou bastante entusiasmo na Croisette. O júri de Moretti deu-lhe o Prémio do Júri com Loach a enviar nos agradecimentos os seus votos de solidariedade para com os resistentes europeus à austeridade económica. 

O júri surpreendeu, contudo, ao dar o Grande Prémio – o segundo mais importante do certame – a Reality, onde o italiano Matteo Garrone, realizador de Gomorra, lança um olhar sobre a cultura dos reality-shows televisivos. Reality foi um dos filmes menos unânimes da competição, tal como Post Tenebras Lux do mexicano Carlos Reygadas, que recebeu o prémio de realização. 

Reygadas, ao receber o prémio, não resistiu ironicamente a agradecer à imprensa que “tanto o tinha apoiado”, e Nanni Moretti, na conferência de imprensa após a cerimónia de encerramento, confessou que esse fora um de três filmes que dividiram abertamente o júri. Dos três, foi o único a entrar no palmarés: os outros dois, Paradise: Love, do austríaco Ulrich Seidl, e Holy Motors, o regresso do enfant terrible francês Léos Carax, ficaram de fora. Este último foi o evidente “caso” do festival, “o” filme de que toda a gente falava entre duas projecções, o que justificou alguma indignação junto dos seus muitos apoiantes pela sua ausência do palmarés. 

O palmarés da 65ª edição do festival completa-se com a Câmara de Ouro, prémio atribuído ao melhor primeiro filme no conjunto das secções competitivas, ao americano Beasts of the Southern Wild de Benh Zeitlin, já vencedor de Sundance 2012. A Palma de Ouro da Curta-Metragem coube a Sessiz-be Deng, do turco Rezan Yesilbas. 

Nas secções paralelas, foi a América Latina que saiu vitoriosa: a Quinzena dos Realizadores entregou o seu prémio principal a No, do chileno Pablo Larraín, e Un Certain Regard premiou Después de Lucía, do mexicano Michel Franco.

Palma de Ouro: Amour, de Michael Haneke

Grande Prémio do Júri: Reality, de Matteo Garrone

Prémio do Júri: The Angel's Share, de Ken Loach

Prémio de Realização: Carlos Reygadas, Post Tenebras Lux

Prémio de Interpretação Masculina: Mads Mikkelsen, The HuntPrémio de Interpretação Feminina: Cristina Flutur e Cosmina Stratan, Beyond the Hills

Prémio de Argumento: Beyond the Hills, de Cristian Mungiu

Câmara de Ouro (Melhor Primeiro Filme): Beasts of the Southern Wild, de Benh Zeitlin

Quinzena dos Realizadores: No, de Pablo Larraín

Un Certain Regard: Después de Lucía, de Michel Franco

 

Retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 08:07 | link do post | comentar



Diz o ditado que “homem que trai o pipi cai” (e até é verdade, dá uma olhada aqui). Mas o problema pode ser mais sério ainda. Ter uma amante pode custar a vida dos homens que traem.


O aviso vem de uma pesquisa da Universidade de Florença, na Itália. Os pesquisadores revisaram estudos anteriores sobre as causas e efeitos da infidelidade e perceberam uma tendência mortal: homens que traem correm mais risco de sofrer infarto fatal.


Um dos estudos revisados veio de uma universidade da Alemanha. Os pesquisadores de lá avaliaram casos de infarto durante o sexo. E a maioria dos homens que morreram nessas situações estava traindo suas mulheres.


Em janeiro deste ano, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos, fez estudo semelhante. Após analisarem as autópsias de mais de 5 mil homens, eles descobriram que, entre aqueles que morreram durante o sexo, 75% estavam com as amantes.


Os pesquisadores não sabem exatamente por que, mas desconfiam de vários motivos. Primeiro, os homens casados costumam se envolver com menininhas mais novas. E eles trabalham duro para dar conta do sexo com elas. Sem contar a alimentação nada saudável: pizzas, hambúrgueres e aquela porcariada toda, que só vão gerar preocupação nelas anos mais tarde.


Dentro dessa conta de problemas, o homem ainda soma um sentimento de culpa (poxa). Quando eles ainda gostam da mulher, a chance de trair e ter um infarto é maior ainda. “Ele pode punir a si mesmo por trair esta parceira”, diz a pesquisadora Alessandra Fisher (aspas do Daily Mail). E eles ainda tendem a ficar mais estressados.


Se for republicar, informe autores, tradutores, editora, links de retorno e fontes. Não é autorizado o uso comercial deste conteúdo. Não edite nem modifique o conteúdo. 


Retirado de Folha


publicado por olhar para o mundo às 00:08 | link do post | comentar

Domingo, 27 de Maio de 2012

Paolo Gabriele era a primeira e a última pessoa a ver o Papa todos os dias, escreve o <i>Corriere della Sera</i>Paolo Gabriele era a primeira e a última pessoa a ver o Papa todos os dias, escreve o Corriere della Sera (Foto: Alessandro Bianchi/Reuters)

O presidente do banco do Vaticano demitido, o mordomo do Papa preso, cartas e documentos sigilosos de Bento XVI e seus colaboradores publicados em livro. A Santa Sé está em ebulição.

O mordomo da casa pontifícia foi ontem formalmente acusado de posse de documentos ilegais, depois de ter sido detido na quarta-feira. A detenção, anunciada apenas na sexta, aconteceu no mesmo dia em que o presidente do Instituto das Obras da Religião (IOR), o banco do Vaticano, foi forçado pelo conselho de supervisão a demitir-se. E na mesma semana em que um livro publicado em Itália divulga cartas e documentos sigilosos enviados ao Papa, ao seu secretário e a responsáveis do Vaticano (ver texto na página ao lado), com o objectivo de "expulsar os vendilhões do templo".

A detenção do mordomo foi confirmada pelo porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi: "A pessoa detida por posse ilegal de documentos confidenciais, encontrados no seu domicílio situado no território do Vaticano, é o senhor Paolo Gabriele, que permanece preso", diz o comunicado. Gabriele será dos poucos leigos a viver, com a sua família, no interior do minúsculo Estado, tendo em conta as suas funções. 

Sexta-feira, quando foi anunciada a detenção, o Vaticano não dissera quem era o suspeito, mas quer o jornal Il Foglio quer a agência italiana Ansa coincidiam em identificá-lo desde o início com o mordomo papal, de 46 anos. Definido como homem de confiança da pequena estrutura próxima de Ratzinger, de 85 anos, e uma das raras pessoas em contacto directo com Bento XVI, Gabriele está no lugar desde 2006. 

A detenção surge após as fugas de documentos que começaram no final de Janeiro e se estenderam por quase todo o mês de Fevereiro. Há um mês, o Papa Bento XVI nomeou uma comissão de cardeais para averiguar de onde partiram. Pelos vistos, o primeiro resultado já apareceu e Gabriele, esclareceu o porta-voz, ficou "à disposição da magistratura vaticana para aprofundamentos ulteriores". 

De acordo com o comunicado oficial ontem divulgado, o acusado nomeou dois advogados, com quem já falou, e tem "todas as garantias jurídicas previstas pelo código penal e pelo procedimento em vigor no Estado da Cidade do Vaticano". 

Uma fonte não identificada, citada pela AFP, disse que o Papa ficou "triste e chocado" com este "caso doloroso". "É tudo muito triste" é como outro responsável não identificado, citado pela Reuters, traduz o ambiente que reina no Vaticano. Mas fontes do Vaticano contactadas pelo PÚBLICO não acreditam que Gabriele seja o principal responsável pelas fugas de informação. Provavelmente, ele é apenas o elo mais fraco de um grupo de pessoas que pode mesmo envolver algum cardeal. 

Em causa estará um ambiente de luta pelo poder, numa altura em que se começa a perceber que Bento XVI estará mais fragilizado. Sente-se no Vaticano, como o PÚBLICO noticiava em Abril, um clima de final de pontificado e adensam-se jogos - reais ou imaginários - para a sucessão do actual Papa. O cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano e número dois da hierarquia, tem sido um alvo privilegiado de críticas. 

Inabilidade e ausência

O facto de Bertone não ser oriundo da carreira diplomática foi bem visto por muitos sectores, quando foi nomeado por Bento XVI - o actual Papa tinha chamado o cardeal para número dois da Congregação para a Doutrina da Fé. Mas, entretanto, a sua alegada falta de habilidade na gestão da máquina eclesiástica e o facto de se ausentar com frequência do Vaticano têm sido objecto de muitas críticas. Tal como a alegada incompetência dos mais directos colaboradores. 

Em paralelo, emerge entretanto também o poder do secretário do Papa, o padre Georg Gänswein. Já com João Paulo II, à medida que a doença progredia e o Papa polaco ia ficando mais frágil, o papel do seu secretário ia sendo cada vez mais acentuado. Afinal, é o secretário quem controla a agenda do Papa. 

Desde há quatro anos, quando saiu um segundo secretário, Gänswein ficou sozinho no cargo. Uma das conclusões que se retira do livro Sua Santidade - Os Dossiers Secretos de Bento XVI, publicado esta semana, é que emerge cada vez mais o poder do secretário. Os conflitos de poder são uma leitura possível para o outro caso que explodiu quarta-feira, quando o presidente do IOR (o banco do Vaticano) foi forçado a sair, depois de um voto de desconfiança do conselho de supervisão. O comunicado oficial dizia que, na reunião ordinária de dia 24, quinta-feira, o conselho analisara a questão do governo do IOR, que já despertara "uma progressiva preocupação" mas que, apesar das repetidas comunicações, "a situação deteriorou-se". Por causa disso, o conselho "adoptou por unanimidade uma moção de censura ao presidente, por não ter desempenhado várias funções de importância primária para o seu cargo". 

Respeitado pelo Papa

O mais estranho é que Ettore Gotti Tedeschi, que tinha sido escolhido há dois anos e meio para o cargo, era muito respeitado pelo Papa (ver texto nestas páginas). A demissão surge num momento crucial: em Julho, um grupo de peritos europeus irá decidir se o Vaticano pode integrar a lista de estados transparentes na luta contra a lavagem de dinheiro.

O IOR teve uma vida polémica nas últimas décadas, com escândalos a envolver dirigentes e que misturavam a máfia, a maçonaria e os serviços secretos italianos. Há dois anos, Bento XVI dotou o IOR de nova legislação e regras mais rigorosas. Mas, recorda a AFP, essas regras foram retocadas, aparentemente para limitar a possibilidade de inquéritos retroactivos, o que teria desagradado a Gotti Tedeschi. 

No final de 2010, o Papa criou ainda uma Autoridade de Informação Financeira (AIF), cujos poderes terão gerado debates acesos no Vaticano - e que podem ter sido mais um caso a levar à demissão do banqueiro, um profissional muito conceituado. 

Pode haver outra razão: Gotti Tedeschi opôs-se a que o Vaticano salvasse financeiramente um hospital católico de Milão, o San Raffaele. O cardeal Tarcisio Bertone tinha a opinião contrária. Fontes consultadas pelo PÚBLICO não acreditam que este caso tenha sido decisivo para a saída, mas pode ter contribuído também para que tal acontecesse.

Uma das fontes contactadas diz que talvez Gotti Tedeschi se tenha deixado enlear pela teia de interesses contraditórios e dos grupos que se batem no interior do Vaticano. Verdade ou não, o Papa não tem sossego. 

 

Retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags



comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links


blogs SAPO
subscrever feeds