Terça-feira, 28.02.12

Veja os "trapinhos" que vestiram as estrelas na noite dos Óscares

 

Depois dos prémios o destaque vai para a roupa das estrelas. Veja o que vestiram os protagonistas da noite dos Óscares e escolha os melhores e os piores.




Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 10:19 | link do post | comentar

Segunda-feira, 27.02.12

Óscares: O Artista ganha nas principais categorias

O francês Michel Hazanavicius a sair do palco com o Óscar para melhor realizador na mão ()


O Artista ganhou cinco Óscares, incluindo os de melhor filme, realizador e filme. Meryl Streep voltou a ganhar uma estatueta dourada, a terceira, quase 30 anos depois. Woody Allen, distinguido pelo argumento original de Meia-noite em Paris, também regressou à lista dos galardoados (e voltou a não comparecer na cerimónia).

 

Os dois filmes que mais estatuetas arrecadaram na 84.ª edição dos Óscares, neste domingo, em Los Angeles, foram O Artista e A Invenção de Hugo. A película de Martin Scorsese saiu da cerimónia com cinco estatuetas douradas, tantas quanto O Artista. Porém, o filme francês venceu nas principais categorias.

O Artista fez história, vencendo na principal categoria, de melhor filme. Foi a primeira vez que uma produção sem a bandeira norte-americana o conseguiu. O produtor Thomas Langmann foi receber a estatueta ao palco com Michel Hazanavicius, que agradeceu três vezes a Billy Wilder (realizador, 1906-2002). Hazanavicius já lá tinha estado, minutos antes, para receber o Óscar relativo ao prémio de melhor realizador.

Jean Dujardin, que interpretou a personagem do famoso “artista” que se transforma num inadaptado na mudança do cinema mudo para os talkies, foi distinguido com o Óscar para melhor actor. Quando o nome do francês foi anunciado como o vencedor, já O Artistacoleccionava três estatuetas: além da de melhor realizador, a de melhor guarda-roupa e a de melhor banda sonora original.

A Invenção de Hugo venceu sobretudo nas chamadas categorias técnicas. A primeira incursão de Martin Scorsese no 3D amealhou cinco Óscares: melhor fotografia, melhor direcção artística, melhores efeitos visuais, melhor montagem de som e melhor mistura de som. Apesar de, nas contas finais, aparecer empatado com O ArtistaA Invenção de Hugo, o filme mais nomeado deste ano (11 indicações), foi assim relegado para segundo plano nesta cerimónia como um digno vencido.

A dama de Hollywood

A consagração de Meryl Streep, com o terceiro Óscar da carreira, foi um dos pontos altos desta edição dos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. A interpretação conseguida em A Dama de Ferro, no qual deu corpo à ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, valeu-lhe o Óscar para melhor actriz, já depois de um Globo de Ouro e de um Bafta. 

Meryl Streep, de 62 anos, foi aplaudida por uma plateia de pé. “Quando chamaram pelo meu nome, tive a sensação de estar a ouvir meia América dizer ‘oh, vá lá! Ela outra vez?’”, brincou, já com a estatueta na mão. Em pouco mais de três décadas, a actriz foi nomeada 17 vezes e já tinha ganho duas estatuetas, pelos desempenhos em A Escolha de Sofia (1983) e Kramer Contra Kramer (1980). A principal concorrente era Viola Davis (As Serviçais).

“Olho para aí [para a plateia] e vejo diante dos olhos os meus velhos amigos, os meus novos amigos”, disse, antes de agradecer a todos a “carreira inexplicável e maravilhosa” que tem tido, acrescentando que “tem sido uma grande honra” dedicar a sua vida ao cinema. Meryl Streep partilhou o prémio com Mark Coulier, que a acompanha desde A Escolha de Sofia e que nesta noite ganhou também um Óscar, pelo trabalho de caracterização em A Dama de Ferro. A actriz, que disse acreditar que esta era a última vez que era galardoada nos Óscares, prestou ainda uma sentida homenagem ao marido, o escultor Don Gummer.

Quem fez questão de não partilhar o seu prémio com os colegas foi Christopher Plummer, que saiu do antigo Kodak Theatre (o patrocínio foi cancelado) com o Óscar para melhor actor secundário, pelo desempenho em Assim É o Amor. “Partilharia este prémio com ele [Ewan McGregor, que com ele contracenou e cujo talento tinha acabado de elogiar], se tivesse alguma decência. Mas não tenho”, afirmou o canadiano, depois de agradecer à equipa que fez o filme de Mike Mills.

Christopher Plummer, de 82 anos – e 60 de carreira –, tornou-se assim no mais velho actor a ser galardoado com um Óscar. Tinha sido nomeado apenas uma vez, em 2010, por A Última Estação. Pelo papel desempenhado em Assim É o Amor tinha já sido distinguido com um Globo de Ouro e um Bafta.Woody Allen, que como é seu apanágio não esteve presente na cerimónia, também voltou a ser premiado pelo Academia norte-americana, com o Óscar para melhor argumento original por Meia-Noite em Paris. É a quarta estatueta da carreira do nova-iorquino, que estava também indicado este ano na categoria de melhor realizador.

Lista completa dos vencedores da 84.ª edição dos Óscares:

Melhor filme: O Artista, Thomas Langmann (produtor)
Melhor realizador: Michel Hazanavicius, O Artista
Melhor actor: Jean Dujardin, O Artista
Melhor actriz: Meryl Streep, A Dama de Ferro
Melhor actor secundário: Christopher Plummer, Assim É o Amor
Melhor actriz secundária: Octavia Spencer, As Serviçais
Melhor argumento original: Woody Allen, Meia-Noite em Paris
Melhor argumento adaptado: Alexander Payne, Os Descendentes
Melhor fotografia: Robert Richardson, A Invenção de Hugo
Melhor documentário: Undefeated, de Daniel Lindsay e T.J. Martin
Melhor curta-metragem documental: Saving Face, de Daniel Junge
Melhor animação: Rango, de Gore Verbinski
Melhor filme estrangeiro: Uma Separação, de Asghar Farhadi
Melhor montagem: Kirk Baxter e Angus Wall, Millennium 1 – Os Homens que Odeiam as Mulheres
Melhores efeitos visuais: Rob Legato, Joss Williams, Ben Grossman e Alex Henning, A Invenção de Hugo
Melhor direcção artística: Dante Ferretti e Francesca Lo Schiavo, A Invenção de Hugo
Melhor caracterização: Mark Coulier e J. Roy Helland, A Dama de Ferro
Melhor guarda-roupa: Mark Bridges, O Artista
Melhor curta-metragem: The Shore, de Terry George e Oorlagh George
Melhor curta-metragem de animação: The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore, de William Joyce e Brandon Oldenburg
Melhor banda sonora original: Ludovic Bource, O Artista
Melhor canção original: Bret McKenzie, Os Marretas
Melhor montagem de som: Philip Stockton e Eugene Gearty, A Invenção de Hugo
Melhor mistura de som: Tom Fleischman e John Midgley, A Invenção de Hugo

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:37 | link do post | comentar

Terça-feira, 24.01.12

Jennifer Lawrence e Tom Sherak no momento em que anunciaram as nomeadas para melhor actrizJennifer Lawrence e Tom Sherak no momento em que anunciaram as nomeadas para melhor actriz (Robyn Beck/AFP)

 

"A Invenção de Hugo", de Martin Scorsese, e "O Artista", de Michel Hazanavicius, lideram as nomeações aos Óscares, com 11 e dez nomeações, respectivamente. Os nomeados foram anunciados esta terça-feira em Los Angeles por Tom Sherak, presidente Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, e pela actriz e membro da Academia Jennifer Lawrence.

Sem surpresas, “O Artista” é o favorito da corrida aos Óscares em 2012. O filme mudo francês de Michel Hazanavicius, que chega às salas portuguesas já na próxima semana, recebeu dez nomeações para os prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, a serem entregues em Los Angeles no próximo dia 26 de Fevereiro. 

É o único filme que está presente em três das quatro categorias principais – melhor filme, melhor realizador e melhor actor (Jean Dujardin) – para lá de conseguir o “milagre” de ser uma produção estrangeira (mesmo que rodada em parte nos EUA com uma equipa parcialmente americana) que assume a liderança das nomeações 2012.

No entanto, pela contabilidade, é “A Invenção de Hugo”, de Martin Scorsese, com estreia prevista para 16 de Fevereiro, que recebeu o maior número de nomeações: onze ao total, entre as quais Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado. As restantes oito, contudo, foram-no apenas em categorias técnicas. 

Na corrida para melhor filme, para a qual concorrem este ano nove filmes – devido a novas regras, que alarga o número de candidatos até dez –, estão ainda “Moneyball – Jogada de Risco”, de Bennett Miller, e “Cavalo de Guerra”, de Steven Spielberg, ambos com seis nomeações; “Os Descendentes”, de Alexander Payne (cinco nomeações ao todo); “Meia-Noite em Paris”, de Woody Allen, e “As Serviçais”, de Tate Taylor (quatro nomeações); “A Árvore da Vida”, de Terrence Malick (três nomeações), e “Extremamente Alto, Incrivelmente Perto”, de Stephen Daldry (duas nomeações).

As nomeações para os prémios de melhor actor e melhor actriz confirmaram igualmente as expectativas. Meryl Streep parte à cabeça do pelotão da categoria feminina pelo seu retrato de Margaret Thatcher em “A Dama de Ferro”, concorrendo com Glenn Close (“Albert Nobbs”), Michelle Williams (“A Minha Semana com Marilyn”), Viola Davis (“As Serviçais”) e, na única surpresa da categoria, Rooney Mara (“Millennium 1 – Os Homens que Odeiam as Mulheres”).

George Clooney é por seu lado um dos favoritos por “Os Descendentes”, embora tenha aqui que se bater com Jean Dujardin em “O Artista”. A categoria completa-se com três candidatos-surpresa: Brad Pitt por “Moneyball – Jogada de Risco”, Gary Oldman por “A Toupeira” e Demian Bichir por “A Better Life”.

Há também surpresas nas categorias secundárias. “As Serviçais” recebe duas nomeações na categoria de actriz secundária – para Jessica Chastain e Octavia Spencer – e Melissa McCarthy é nomeada pela comédia “A Melhor Despedida de Solteira”. As duas outras nomeadas são-no por papéis tecnicamente principais: Bérénice Béjo, por “O Artista”, e Janet McTeer, em “Albert Nobbs”. Na categoria de actor secundário, alinham Kenneth Branagh (“A Minha Semana com Marilyn”), Jonah Hill (“Moneyball – Jogada de Risco”), Nick Nolte (“Warrior – Combate entre Irmãos”), Christopher Plummer (“Assim É o Amor”) e Max von Sydow (“Extremamente Alto, Incrivelmente Perto”).

As outras categorias

O último trabalho de Martin Scorsese, o filme 3D de aventura e fantasia de Martin Scorsese, sobre um rapaz que vive sozinho numa estação de comboios de Paris e a de um enigmático proprietário de uma loja de brinquedos, foi ainda nomeado nas categorias de melhor direcção de arte, guarda-roupa, fotografia, melhor edição, banda sonora original, mistura de som, edição de som, efeitos especiais e argumento adaptado.

Nomeações quase todas elas partilhadas por "O Artista", que está também na corrida para as estatuetas de melhor direcção de arte, fotografia, guarda-roupa, edição, banda sonora original e argumento original.

“Moneyball – Jogada de Risco” e "Cavalo de Guerra", são os dois filmes mais nomeados, depois de "A Invenção de Hugo" e "O Artista", com seis nomeações cada. O filme protagonizado pot Brad Pitt está ainda nomeado para melhor argumento adaptado, edição e mistura de som. Já "Cavalo de Guerra" está nomeado nas categorias de melhor direcção de arte, fotografia, banda sonora original, mistura de som e edição de som.

Na corrida ao Óscar de melhor filme estrangeiro destaca-se "Uma Separação", de Asghar Farhadi, que já tinha vencido também o Globo de Ouro e Urso de Ouro na última edição do Festival de Berlim. O filme iraniano está nomeado ao lado do belga "Bullhead", de Michael R. Roskam, do canadiano "Monsieur Lazhar", de Phillipe Falardeau, do israelita "Footnote", de Asghar Farhadi, e do polaco "In Darkness", de Agnieszka Holland.

A produção da Paramount, “Rango”, "O Gato Das Botas", "Chico e Rita", "O Panda do Kung Fu 2" e "A Cat In Paris" são os nomeados na categoria de melhor filme de animação. 

Na corrida à estatueta de melhor documentário está o filme de Wim Wenders sobre a bailarina e coreógrafa Pina Bausch, "Pina", nomeado ao lado de "Hell and Back Again", "If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front", "Paradise Lost 3: Purgatory" e "Undefeated".

Para a edição deste ano, a Academia anunciou algumas alterações nas regras da selecção aos Óscares, cuja maior mudança afectava justamente o número de indicados a melhor filme, que deixou de ter um número certo de nomeados, podendo variar entre os cinco e os dez. Este ano, ao contrários dos dez nomeados do ano passado, foram anunciados nove filmes.

De acordo com o novo processo de nomeações estabelecido, os membros da Academia devem elaborar uma lista dos dez filmes do ano, tendo em conta que o primeiro é o favorito. Assim, a partir de agora, para um filme ser nomeado ao Óscar deverá ter um mínimo de cinco por cento dos votos em primeiro lugar nas listas. A Academia anunciou ainda alterações nas regras das categorias de melhor filme de animação, efeitos visuais e documentários. 

A lista completa pode ser consultada aqui.

O grande vencedor da edição dos Óscares do ano passado foi o filme histórico “O Discurso do Rei”. 

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 21:31 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16.12.11

São considerados um bom indicador para os Óscares.  Inesperadamente, é "O Artista", uma produção francesa a preto e branco de homenagem ao cinema mudo de Hollywood, o filme que se destaca com cinco nomeações para os Globos de Ouro. 

O filme francês "O Artista", de Michel Hazanavicius,lidera com seis nomeações a 69ª edição dos Globos de Ouro, os prémios atribuídos pela Associação de Jornalistas Estrangeiros de Hollywood.

 

Os nomeados foram hoje revelados em Los Angeles, Califórnia, e a liderar está uma produção francesa a preto e branco, de homenagem ao cinema mudo de Hollywood, cuja personagem principal é estrela de cinema que se depara com o advento dos filmes sonoros.

 

"O Artista", que ainda não se estreou em Portugal, está nomeado, por exemplo, para melhor filme de comédia ou musical, melhor realização e melhor ator e atriz, com os franceses Jean Dujardin e Berenice Bejo.

 

Com cinco nomeações cada seguem "As serviçais", de Tate Taylor, e "Os descendentes", de Alexander Payne.

Destaque para Clooney

Destaque para George Clooney, nomeado para melhor realizador por "Nos idos de março" e para melhor ator de drama em "Os Descendentes", e para Steven Spielberg, nomeado pela realização de "War Horse" e na categoria de melhor filme de animação com "As Aventuras de Tintin: O Segredo do Licorne".

 

Além de Clooney, Michel Hazanavicius e Spielberg, para melhor realizador estão indicados Woody Allen, Alexander Payne e Martin Scorsese.

Na categoria de melhor drama estão indicados os filmes "Hugo" (Martin Scorsese), "Os Sescendentes", "As Serviçais", "Nos Idos de Março" (George Clooney), "Moneyball" (Bennett Miller) e "War Horse" (Steven Spielberg).

 

Para a melhor comédia ou musical foram selecionados "O Artista", "Carnage" (Roman Polanski), "Meia-Noite em Paris" (Woody Allen), "50/50" (Jonathan Levine), "A melhor despedida de solteira" (Paul Feig) e "My Week With Marilyn" (Simon Curtis).

 

Na representação, George Clooney ("Os descendentes"), Brad Pitt ("Moneyball"), Leonardo DiCaprio ("J. Edgar"), Ryan Gosling ("Nos idos de março") e Michael Fassbender ("Shame") estão nomeados para melhor ator em drama.

Ryan Gosling duplamente nomeado

O ator norte-americano Ryan Gosling aparece duplamente nomeado, uma vez que também foi indicado para melhor ator de comédia ou musical pelo filme "Amor estúpido e louco", ao lado de Jean Dujardin, Brendan Gleeson ("The Guard"), Joseph Gordon-Levitt ("50/50?) e Owen Wilson (Meia-Noite em Paris").

 

No lado das mulheres, na categoria de drama estão nomeadas as atrizes Glenn Close ("Albert Nobbs"), Meryl Streep ("The iron lady"), Rooney Mara ("Millennium: Os homens que odeiam as mulheres"), Viola Davis ("As serviçais") e Tilda Swinton ("We nedd to talk about Kevin").

 

Em comédia ou musical estão nomeadas Jodie Foster e Kate Winslet (ambas em "Carnage"), Charlize Theron ("Young Adult") Kristen Wiig ("A melhor despedida de solteira") e Michelle Williams ("My Week with Marilyn").

 

Para o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro competem "A pele onde eu vivo" (Pedro Almodóvar, Espanha), "The Flowers of war" (Yimou Zhang, China), "In the land of blood and honey" (Angelina Jolie, Estados Unidos), "Uma separação" (Asghar Farhadi, Irão) e "O miúdo da bicicleta" (Jean-Pierre e Luc Dardenne, Bélgica).

 

"As aventuras de Tintin: O segredo do licorne", "Arthur Christmas", "Carros 2", "O gato das botas" e "Rango" competem para melhor filme de animação.

 

A cerimónia de entrega dos Globos de Ouro, prémios atribuídos pela Associação de Jornalistas Estrangeiros de Hollywood, decorrerá no dia 15 de janeiro em Los Angeles, Califórnia, e será conduzida pelo ator Rick Gervais.

 

 



Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 19:26 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Fotogaleria, os vestidos ...

Óscares, O Artista ganha ...

As nomeações para os Ósca...

Conheça os candidatos aos...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags



comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
links


blogs SAPO
subscrever feeds