Quinta-feira, 03.05.12

Sexo na gravidez

Vários casais têm dúvidas quando o assunto é sexo na gravidez, principalmente os marinheiros de primeira viagem. Por isso, o Mundo Ela conversou com a doutora Denise Coimbra para esclarecer algumas das dúvidas mais freqüentes.

Algumas mulheres têm medo de fazer sexo durante a gravidez. Existe algum risco para o bebê?
Em algumas situações o sexo é contra-indicado, como na transferência de embriões na técnica de reprodução assistida até confirmação da gravidez, mas na gravidez natural não há contra-indicação. Durante o período gestacional, se houver sangramento ou outra queixa, será orientado pelo obstetra se deve parar de ter relações.
 
E para a mulher? Pode ser desconfortável, causar alguma dor?
Relação sexual não provoca dor e nem causa desconforto, mas  a  medida que cresce o útero a mulher tem que escolher a melhor posição, ou seja, a mais confortável - por exemplo, de lado.-  que impeça uma penetração tão profunda.
 
Durante a gravidez o corpo da mulher sofre várias transformações, físicas e hormonais. Essas modificações podem alterar o apetite sexual feminino?
Sim. No início existe até certa rejeição ao sexo, que se normaliza com o esclarecimento médico de que não vai prejudicar o bebê. Tudo volta  ao normal, a não ser que o médico impeça ou  a mulher  não  se sinta mais confortável para ter relações, mas o sexo durante a gestação reforça o ponto de vista psicológico a mulher  segura e amada pelo companheiro. É bom e importante.
Existe alguma situação em que o sexo deve ser evitado ou mesmo proibido? 
Sim, o sexo na gravidez deve ser evitado sempre que o médico achar necessário, como em casos de ameaça de abortamento no inicio da gravidez, nas situações infecciosas de pelve (corrimentos, cistites...), placenta previa centro total, ameaça de parto prematuro e rotura de bolsa amniótica.
Retirado de  Mundo Ela


publicado por olhar para o mundo às 21:54 | link do post | comentar

Segunda-feira, 30.04.12

 

Vida sexual e deficiência

 

A estética, a beleza, a autoestima, a segurança, e tantas outras preocupações permeiam ouniverso sexual de muita gente, e mais especificamente, o das mulheres que cobram de si mesmas um padrão, quase sempre, muito alto. O que dá tesão, o que faz a gente pirar é algo tão pessoal e a única máxima é que entre quatro paredes vale tudo.

 

E quando se possui uma deficiência física, como se encara o sexo e suas artimanhas, e os atributos de beleza? Somos todos iguais. Queremos ter prazer, e nos sentirmos bem. Nesse universo vasto e delicioso, não há limites, basta manter a mente e o corpo relaxados e abertos a novidades.

 

Ao refletir e pesquisar sobre a vida sexual dos cadeirantes, no caso de deficiência, ou lesão medular por acidente, percebemos o quanto a criatividade e a imaginação contam.

 

Para os homens a disfunção erétil é o que tira o sono e para as mulheres a libido simplesmente some, e só ficam as dúvidas e as incertezas. Logicamente, que quando há tesão, amor, e muita vontade, dá para contornar, e dar um jeitinho nos obstáculos.

 

A feminilidade, ou masculinidade de ninguém, pode ser apagada por alguma condição física, a atração e o interesse por alguém não se limita a isso, fazem parte delas olhares, conversas, amor, carinho, atitudes, uma frase certa, no momento certo. O que vale é levantar a autoestima, usar o bom humor e a criatividade, sempre.

 

Muitas vezes, essas pessoas que se veem numa situação nova acabam descobrindo novos prazeres, áreas do corpo que nem se explorava, é um desafio que se trilha junto com um(a) companheiro(a) que realmente esteja do lado para o que der e vier. Se jogar a novas experiências pode abrir portas, inclusive a dos sentidos.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:07 | link do post | comentar

Quinta-feira, 29.03.12

Entenda o que eles gostam

 

Homens e mulheres são seres completamente diferentes e, consequentemente, seus pensamentos e vontades são proporcionalmente distintos. Na maioria dos casos, a mulher fala uma língua e os homens entendem em outra. Por isso, o SRZD selecionou alguma dicas para facilitar a comunicação entre você e seu parceiro na hora do sexo.

 

Mantenha as luzes acesas


Muitas mulheres acreditam que para um clima mais romântico, as luzes devem estar apagadas. Outras, por insegurança, preferem ficar no escuro. Porém, o homem gosta de ver o que está acontecendo, pois é uma forma de estimulo visual.

 

Tenha iniciativa


Homens se sentem atraídos por mulheres que demonstram ser poderosas. Deixar o costume de lado e tomar a iniciativa pode ser surpreendente, além de passar segurança e atitude para o seu parceiro.

 

Busque coisas novas


Inove sempre. Seja na posição, em brinquedinhos sexuais, géis estimuladores ou na lingerie. O importante é sair do comum e apimentar a relação.

 

Não fique calada durante o sexo


Nenhum homem gosta de fazer sexo com uma mulher não fala, não geme. Esta atitude indica falta de interesse e de prazer pelo momento. Falar besteiras na "hora H" e gemer mostra que está tendo uma troca de sensações.


Quebre tabus


Se aproxime mais dele, faça carinhos, toque nos órgãos sexuais do seu parceiro e deixe a frescura de lado. Homem, assim como a mulher, gosta do toque.

 

Via SRZD



publicado por olhar para o mundo às 21:47 | link do post | comentar

Segunda-feira, 20.02.12

Conheça os tipos de sexo que ele adora e abomina

 

Se o casamento anda morno é hora de variar e reacender a chama da paixão. Sexólogos apontam seis modalidades que encabeçam a lista de preferências masculinas. Veja quais são e varie o feijão-com-arroz sexual. 

1. No reino do sexo selvagem 

Sabe aquela transa que faz tremer as estruturas da cama? Há grandes chances de seu amado sonhar acordado com esse rala-e-rola animal. Uma vez liberado, ele anseia por externar sua natureza de Tarzan. A posição ideal para começar uma sessão de sexo animal é a cachorrinho. Faça com que as mãos dele enlacem sua cintura — é a pista de que você o quer no comando da penetração. E acompanhe o ritmo do lindo pra valer. Manter seu pescoço pendido para baixo a ajudará a relaxar a coluna e a se mover com gosto. O orgasmo está próximo? Aperte seu PC (músculo pubococcígeo) ao redor do pênis dele para intensificar o estímulo. Na hora H, vire-se de frente e puxe-o ainda mais fundo dentro de você. 

2. Império dos sentidos 

"Quando a mulher estimula os cinco sentidos de um homem, excita-o de fora para dentro, duplicando o prazer", afirma Donald Etkes, sexólogo e autor do livro Loving with Passion (Amando com paixão). Quem testou concorda. Fazer amor perto da natureza também pode aumentar o apetite por uma transa sensorial. A dica é: caricie os pontos quentes do gato lentamente. Em pé, pressione os seios nas costas dele e corra os dedos com óleo de massagem pelo tórax, mamilos, barriga e coxas. Ainda grudada nele, sussurre palavras picantes no ouvido e toque testículos e virilha para estimular as terminações nervosas. Já com o moço a mil, deitem-se na posição da colher. Guie o pênis para dentro da sua vagina com as mãos, circulando a base com os dedos indicador e polegar e escorregando-os para cima e para baixo no ritmo do vai-e-vem. Antes do orgasmo, sente-se sobre ele, jogue a cabeça para trás e movimente a pélvis como quem escreve o número oito, devagar. 

3. Rendição total 

Homens são eternos conquistadores. E ficam excitadíssimos quando você se rende ao poder masculino, permitindo que assumam a direção. E lembre-se do poder do estímulo visual para a libido dos rapazes. Nas preliminares, deixe seu corpo exposto. Ponha os braços abertos para trás (ou segure na cabeceira), convide-o a penetrá-la e levante a pélvis para encontrar os movimentos dele no meio do caminho. Dê ao seu namorado espaço para se mexer ao bel-prazer e alternar penetração rasa com profunda. Depois, passe as pernas sobre os ombros dele para que ele consiga agarrar seus tornozelos e posicioná-los como quiser. 

4. Novo cenário 

No último mês, quantas vezes vocês fizeram amor fora da cama? Saiba: eles deliram ao fazer sexo em lugares diferentes por causa da emoção de sair da zona de conforto. Para curtir uma transa de "risco" no banheiro (ou em outro cenário), fique de costas e ponha as mãos na parede, como se fosse ser revistada. Arqueie o corpo para trás a fim de facilitar a penetração. Quando ele estiver em ponto de bala, sugue o dedo indicador do rapaz e leve-o até o clitóris. Ah! Pouco antes do clímax, faça um movimento repentino, como o de se segurar na toalha. 

5. Prêmio instantâneo 

Depois de um dia estressante no escritório, é provável que seu homem deseje uma rapidinha. O motivo, segundo sexólogos: relaxa, ele não precisa gastar aquela energia nem ficar tão preocupado em dar prazer. A melhor posição para uma rapidinha é deixá-lo por cima. Durante os movimentos, escorregue uma das mãos para acariciar gentilmente os testículos do gato. E não se preocupe se ele (ou você) se esquecer de tirar a roupa, porque seu amado vai romper num piscar de olhos qualquer barreira que o impeça de chegar ao paraíso. Pode dispensar qualquer preparativo, menos o lubrificante — seu aliado quando abrevia o aquecimento, quer dizer, as preliminares. 

6. Comando feminino 

Se, ultimamente, é ele quem tem dado as cartas, inverter a ordem das coisas o fará crer que tem o que aprender com você. Alimenta o ego masculino. Não é para agir como se estivesse incorporando um personagem: seja natural. Assuma as rédeas quando estiver realmente predisposta. Tome posse do pênis, esfregue-o ao redor de seu clitóris e introduza-o na vagina como se fosse seu brinquedinho pessoal. Uma vez lá, prenda as mãos dele na cabeceira da cama e movimente a pélvis criando círculos para torturá-lo de prazer. 

3 tipos de sexo que ele abomina 

Megafônico 

Quando os gemidos da mulher quase estouram os tímpanos do rapaz. Ou, então, ela dá ordens sem nenhum tato. 

Estupidamente gelado 

Nem é preciso dizer quanto a ala masculina sofre quando a mulher deita e fica pensando no trabalho enquanto o coitado se esforça para dar prazer. 

Super-higiênico 

Eles não gostam de transar se a mulher é excessivamente preocupada com o próprio cheiro e tem restrições a tocar aqui e ali. 

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:46 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.01.12

Como lidar com a primeira menstruação?

A primeira menstruação marca o início de uma nova fase na vida de uma adolescente, veja como encarar as mudanças

 

Bem estar e saúde plena são desejos de todas as pessoas, principalmente das mulheres. De acordo com os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) os homens vivem, em média, 69 anos enquanto as mulheres até os 76. Por isso, a importância da primeira consulta ao ginecologista. Com isso, a menina vai garantir um crescimento saudável e com qualidade de vida. 

Segundo a médica ginecologista, Bruna V. Gonzalez de Carvalho, colaboradorada do Instituto Med Prev, a primeira consulta com o ginecologista garante que a menina crie o vínculo com o médico e receba orientações de como funciona o organismo feminino. 

"Nessa consulta, o médico irá principalmente orientar e discutir sobre o ciclo menstrual da paciente, verificar se ela tem cólica ou sintomas de TPM, por isso a importância desse primeiro contato, pois a partir daí o médico acompanhará toda a vida reprodutiva da menina, da mulher", elucida a especialista. 

Após a primeira relação sexual, alguns exames se tornam fundamentais para um acompanhamento mais aprofundado e um diagnóstico correto do organismo da mulher, como é o caso do exame papanicolau (mais conhecido como exame de colo de útero), o qual pode detectar doenças e infecções no útero da mulher, servindo para prevenir o câncer de colo de útero."O exame de colo de útero é imprescindível na vida mulher, é um exame que não devemos deixar de fazer", completa. 

"Exames de sangue também são muito importantes e podem detectar, por exemplo, porque a mulher está engordando sem motivos ", explica a doutora. Para ter uma qualidade de vida basta cuidar da saúde desde cedo. A primeira menstruação acontece

entre 9 e 15 anos, mas a idade pode variar. Alguns sintomas podem indicar que a primeira menstrução está próxima como por exemplo, o crescimento e dores nas mamas e o crescimento de pelos pubianos e axilares. As mães têm um importante papel nesse processo, por isso devem ajudar as filhas levando-as ao ginecologista de sua confiança desde a infância, conclui a médica.

 

 

 

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 22:59 | link do post | comentar

Segunda-feira, 16.01.12

1.Os homens atingem o pico sexual aos 18, as mulheres aos 28


Verdadeiro

 

Mas o pico hormonal não é equivalente ao pico da performance. Primeira conclusão: não se fie nas hormonas e faça o trabalho de casa, que é muito mais importante. Segunda conclusão: a ideia de homens mais novos com mulheres mais velhas talvez faça mais sentido do que se pensava. Hormonalmente falando, pelo menos.

 

2.O pénis pode partir-se


Verdadeiro

O pénis não tem ossos, tecnicamente, mas pode de facto quebrar se houver sexo muito violento ou uma mudança de posição abrupta. Por isso vá com calma...

 

3.As ostras são afrodisíacas


Falso

Enfim, uma boa notícia para quem não gosta de ostras. Não há nenhum alimento que nos faça mais sexy cientificamente, mas aqui, como em tudo, funciona o poder da sugestão: se depois de um manjar de marisco, chocolate e trufas se sentir capaz de conquistar o mundo, força! Se o sexo não for fantástico, sempre jantou decentemente.

 

4. Os homens pensam em sexo de 7 em 7 segundos


Falso

Só 23% dizem que têm fantasias sexuais constantes com a Irina Shayk. Os outros estão demasiado ocupados a trabalhar, a pôr ‘likes’ no Facebook, ou a pensar na vida. Infelizmente, ninguém perguntou quantos homens pensavam no Benfica de 7 em 7 segundos.

 

5.O orgasmo faz sono


Verdadeiro

Se ele cair a ressonar depois de uma sessão particularmente animada, não o culpe e não lhe chame preguiçoso: a culpa não é do umbigo dele nem da mãezinha que o educou a pensar só no dito, é mesmo das hormonas. Um orgasmo transtorna de facto o equilíbrio químico dos homens. Isto e o esforço põem qualquer um nocaute. Por isso, meninas, não o culpem se ele de repente ficar uma Bela Adormecida nos vossos braços. Convém talvez é não terem sexo num avião, principalmente se for ele aos comandos.

 

6.As mulheres são atraídas por homens inteligentes


Verdadeiro

Claro que tudo depende daquilo que se entende por inteligente, mas sim, de uma maneira geral, as mulheres preferem um homem inteligente para qualquer tipo de relação, duradoura ou ocasional. Claro que, se além de inteligentes, tiverem músculo e tomarem banho, melhor...

 

7.Uma mulher pode ser alérgica ao esperma do companheiro


Verdadeiro

Há quem seja alérgico ao esperma, sim, mas não tem de olhar para isso como um sinal do destino e escolher outro ‘dador’. O remédio mais eficaz é usar preservativo. Se quiser engravidar, pode fazê-lo por inseminação artificial, onde é possível separar o esperma das proteínas que causam a alergia.

 

8.Sexo antes de um evento importante pode prejudicar a performance

Falso

 

Bem, a verdade é que tudo depende do que se entende por antes e do que se entende por evento: se for 2 horas antes, é normal que ainda não se esteja suficientemente restabelecido para jogar contra o Manchester. Mas 10 horas depois, já se está pronto para outra.  Ou outro. Jogo.

 

9.Se ele não consegue manter uma erecção, é porque não está assim muito interessado em si


Falso

Pode, pelo contrário, estar demasiado interessado em si...  A ansiedade do desempenho é uma das mais frequentes causas da... ausência de desempenho. Ele está tão preocupado em fazer boa figura que não consegue fazer nada. Outras causas muitíssimo frequentes para falta de erecção: cansaço, depressão ou medicamentos.

 

10.Os orgasmos mais poderosos acontecem na masturbação

Verdadeiro

Parece ser verdade tanto para homens como para mulheres, mas enfim, continua a faltar qualquer coisa...


Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:21 | link do post | comentar

Terça-feira, 13.12.11
O corpo dele te conta mais do que o que ele diz. Foto: Getty Images

O corpo dele te conta mais do que o que ele diz

As pessoas comunicam 90% de suas intenções por meio da postura, movimentos e tom da voz. A realidade é que o que a pessoa diz é importante, mas pode ser completamente diferente do que aquilo que ela realmente pensa, segundo divulgou a revista norte-americana

Marie Claire.

 

Confira seis dicas para reconhecer a diferença entre o que é dito e o que o corpo fala, em especial em relação aos homens. Preste atenção nos sinais corporais e surpreenda-se com o que pode descobrir.

 

Primeiro encontro: a primeira coisa a entender quando se está analisando a linguagem corporal masculina é que, antes de mais nada, homens são óbvios. Assim, se ele olha pra você pela primeira vez, levanta a sobrancelha, ajeita a postura e sorri, advinha? Você ou alguém atrás de você ganhou a atenção do moço.

 

Estamos flertando? em um encontro, o cara não ouve, toca ou olha nos olhos da mulher se não estiver interessado. Se ele puxa assunto, sorri, toca seu braço ou suas costas e se mostra relaxado enquanto faz isso, é sinal de que ele está flertando com você, mesmo que ele diga que não.

 

É namoro ou amizade? homens costumam tratar as amigas como irmãs. Se tem dúvidas sobre seu relacionamento, se pergunte se ele te trata como a amiga da terceira série, afinal ele pode te abraçar, ser educado e ainda assim olhar para outras mulheres e virar o corpo na direção delas enquanto fala, demonstrando que com você é só amizade.

 

Sexo: durante e depois do sexo você pode discernir se o cara está interessado em você pela atenção que ele te dá. Homens não mantêm contato visual com mulheres que não estão interessados. Mas se ele evita ser tocado depois da relação ou desvia o olhar, não crie expectativas sobre o futuro.

 

"DR": quando você sente que precisa discutir a relação e perguntar o que está acontecendo entre vocês, cheque se o corpo dele se mostra aberto a essa conversa. Olhar para longe, cruzar pernas ou braços e travar o maxilar são sinais de que ele não quer conversar.

 

Pedir sua mão: ao longo da vida, a linguagem corporal do seu parceiro pode te dar dicas de onde ele vem e o que vai fazer. Se ele olha seus olhos enquanto fala, mantém o peito aberto, tem fala firme, significa que ele sabe o que está fazendo. Se ele gaguejar ou ficar se balançando, indica que ele não tem muita certeza da decisão ou teme ser rejeitado.

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 22:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 18.11.11

Reprodução

 

Atitudes que o casal tem fora da cama fazem toda a diferença, apontam especialistas. Confira os segredos

 

Você sempre se perguntou por que alguns casais têm tanta sintonia na cama, enquanto outros mais parecem dois acordes fora do ritmo? Segundo a psicologia comportamental, uma vida sexual plena vai muito além dos limites da cama e passa por atitudes que o casal tem fora dela. Sinceridade,vaidade, confiança e boa comunicação estão entre os requesitos básicos para garantir a satisfação sexual. Se você busca formas para ter uma vida sexual mais feliz, confira 10 segredinhos que podem ajudá-la nesta tarefa: 

1 – Nada de desculpas  - Casais com uma vida sexual de sucesso não caem nas desculpas esfarrapadas para fugir da relação sexual. Dor de cabeça, estresse do trabalho – apenas relaxam e curtem o corpo um do outro. Portanto, nada de deixar escapar oportunidades de obter prazer porque está com preguiça. 

2 – Aparência e saúde  - Outro segredo de casais sexualmente satisfeitos é que ambos cuidam muito bem da aparência e também da saúde. Com o corpo em forma e com a saúde em dia, não tem como não ficar a fim de uma boa transa. Além disso, boa saúde também reflete em orgasmos de mais qualidade e mais disposição na cama. 

3 – Confiança - Dificilmente casais que não confiam um no outro conseguem ter uma vida sexual plena. Afinal, se você ou ele critica tudo que o outro diz durante o dia e repreende as atitudes, como é que pode ser possível ficar nu na frente dessa pessoa e topar experimentar coisas novas? É preciso muita confiança um no outro para que haja mais cumplicidade e consequentemente mais intimidade e uma vida sexual melhor. 

4 – Comunicação - Outro ponto que fortalece a vida sexual de casais satisfeitos é a comunicação eficiente. Falar ao outro o que você gosta e estar disposta a ouvir dele o que ele gosta já ajuda em boa parte a tornar as relações sexuais muito mais prazerosas. 

Quando não há comunicação, uma começa a imaginar o que o outro está pensando e isso nem sempre traz resultados positivos. Por isso, não ache – pergunte, mostre interesse em saber do que ele gosta e o que ele pensa e mostre a ele também quais são suas vontades. 

5 – Porta trancada - Outro segredo dos casais felizes na cama é que não fazem sexo com a porta destrancada. Só o fato de saber que a porta está totalmente trancada e que ninguém atrapalhará o momento já ajuda a esquentar o clima e deixar os dois mais a vontade. Além disso, tomando essa precaução você evita que seu filho pegue vocês no flagra e fique constrangido. 

6 – Rapidinha de sucesso - Casais que tem apenas alguns minutos preciosos para aproveitarem conseguiram aperfeiçoar a rapidinha e torná-la muito prazerosa mesmo sendo rápida. Por isso, não deixe de aproveitar mesmo os curtos espaços de tempo que vocês tem livre para uma rapidinha. 

7 – Experiência e experimentos - Outra dica para ser um casal feliz na cama é que se deve unir a experiência que já se tem às novas experiências. Então mesmo que vocês já estejam acostumados a determinadas posições, vale a pena experimentar coisas novas na cama ou até lugares diferentes para o sexo. 

8 – Sexo na agenda - Colocar sexo na agenda pode parecer que acaba com a naturalidade e espontaneidade da relação sexual, mas na verdade isso faz com que as pessoas deixem de lado as desculpas e se esforcem um pouco mais pelo seu próprio prazer. Isso pode até virar um jogo legal entre vocês, um marca na agenda do outro um dia para fazer sexo e o prazer e a diversão estão garantidos. 

9 – Uma noite especial - Casais satisfeitos também recorrem à alguns caprichos para melhorar a vida sexual. Marcar uma noite a dois, com direito a jantar romântico e noite no motel em um dia que não é o aniversário de casamento ou namoro de vocês traz um ar todo especial para um dia que poderia ser um dia qualquer. Por isso, invistam em uma noite só para os dois, ao menos uma vez ao ano. 

10 – Cabeça aberta - Por fim, é essencial que o casal que quer ter uma vida sexual prazerosa tenha a cabeça aberta para novidades. Assim vocês não se limitam e o prazer também não terá limites. Não deixem de ousar quando o assunto é sexo, então não se limitem.

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:57 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.11.11

6 mitos de diferenças na cama (e além) entre os sexos

 

As diferenças entre homens e mulheres quanto ao sexo são muito comentadas. Eles querem só diversão, elas comprometimento; eles querem beleza, elas segurança social. Mas nem todos os psicólogos concordam com isso.

 

Um grupo de psicólogos da Universidade de Michigan, liderados por Terri Conley, fizeram diversos estudos sobre o assunto e confirmaram que a assunto não é tão simples. Veja abaixo seis diferenças de comportamento que talvez não sejam assim tão naturais:

 

1 – HOMENS PENSAM MAIS EM SEXO

O clichê de que os homens pensam em sexo a cada sete segundos é mentira. É verdade, entretanto, que os homens pensam mais em sexo do que as mulheres. Mas não só em sexo: também em comida, dormir e outras necessidades corporais.

 

Em um estudo desse ano, os psicólogos pediram às “cobaias” que anotassem seus pensamentos durante o dia. Eles constataram que os homens pensam em sexo 18 vezes ao dia, enquanto as mulheres 10. Mas o resultado foi parecido também para comer e dormir. Então a cabeça do homem não é tão sexual quanto você imaginava.

 

2 – HOMENS QUEREM MAIS PARCEIRAS

Se você perguntasse para homens e mulheres com quantos parceiros eles gostariam de fazer sexo em certo período de tempo, provavelmente o número masculino será maior. Mas parece que alguns dos garanhões estão aumentando um pouco os números.

 

Calcular uma média não dá exatamente uma ideia real dos dados. Por exemplo, se você fizer a pergunta acima a 10 homens, 9 responderem 1, e um disser 20, a média será 2,9. Mas na realidade, a maioria dos homens não iria querer 3 parceiras.

 

Se ao invés da média, analisarmos a resposta mais comum, chegamos à conclusão de que tanto homens quanto mulheres dizem o mesmo: um.

Pesquisas são complicadas pois muitos dizem o que acham que deveriam dizer, e não a verdade. E isso piora quando o assunto é sexo, já que muitas pesquisas são aplicadas com estudantes universitários, que gostam de confirmar suas expectativas de masculinidade.

 

E quanto ao número real de parceiros que cada um tem? Estudos geralmente concluem que homens têm mais parceiros do que mulheres. Mas em 2003, pesquisadores descobriram que se você engana os participantes, revelando que eles estão conectados a um detector de mentiras, os homens revelam o mesmo número de parceiros que as mulheres.

 

3 – HOMENS QUEREM APARÊNCIA, MULHERES QUEREM STATUS

Um pensamento comum é de que os homens procuram mulheres “sexys” e atrativas, enquanto as mulheres estão mais preocupadas com o status (econômico e social) do alvo.

 

Quando psicólogos pedem às pessoas (a maioria universitários) para imaginar o parceiro ideal, é geralmente o que aparece. Mas um estudo de 2008 atesta que, quando em encontros rápidos, os envolvidos não se preocupam com essas características.

 

“Imaginar o ideal evoca estereótipos sobre homens e mulheres – e também o que homens e mulheres deveriam fazer”, afirma Conley. “Mas quando alguém avalia uma pessoa real, é bem diferente”.

 

4 – MULHERES TÊM MENOS ORGASMOS

As mulheres estão condenadas a ter uma vida com menos prazer?

 

Estudos sugerem que os homens têm mais orgasmos, mas Conley e seus colegas colocam um porém: as diferenças são enormes entre encontros de uma noite e relacionamentos. Ponto para as mulheres em situações estáveis.

 

Em um estudo de 2009, publicado no livro “Famílias como elas realmente são”, os pesquisadores perguntaram para mais de 12.950 pessoas sobre suas experiências sexuais. Eles descobriram que as mulheres chegam ao orgasmo três vezes menos do que homens em um primeiro encontro, e somente duas vezes em encontros repetidos. Mas em relacionamentos, elas têm 79% do número de orgasmos que os homens.

Portanto, as diferenças de resultados sugerem que ter um parceiro preocupado com a satisfação sexual feminina é mais importante do que a biologia.

 

5 – HOMENS PREFEREM SEXO CASUAL

Em um estudo de 1989, os pesquisadores treinaram jovens para se aproximar do sexo oposto de uma idade similar propondo sexo. Consegue adivinhar? 70% dos homens aceitaram as propostas femininas, mas nenhuma mulher aceitou as masculinas.

 

A resposta poderia ser que as mulheres não querem sexo casual. Mas é óbvio que fatores culturais estão em jogo. Quando as mulheres recebem uma oferta de alguém mais familiar ou muito atraente, elas ficam muito mais receptivas. Nesse caminho, as diferenças evaporam quando ambos os sexos foram questionados sobre ir para a cama com alguém famoso.

 

Conley, em um artigo ainda não publicado, disse descobrir que mulheres sendo incitadas a dormir com um estranho esperam que ele seja ruim no ato.

 

“Mulheres aceitaram muito menos ofertas de sexo casual”, escreve ela, “porque o esperado é que ele tenha habilidades sexuais fracas”.

 

6 – MULHERES SÃO MAIS EXIGENTES

A teoria evolucionária diz que os homens querem espalhar as sementes, enquanto as mulheres escolhem seu parceiro. Mas isso talvez não seja universal, de acordo com Conley e outros pesquisadores.

 

Um estudo de 2009 encontrou que as pessoas são mais exigentes quando são seduzidas por um parceiro em potencial, e mais fáceis quando estão tentando conquistar alguém. O experimento, conduzido em um ambiente real de encontros rápidos, revela que quando os homens tinham que ir até as mulheres, elas foram mais exigentes, e quando o contrário aconteceu, os homens foram mais.

 

Já que socialmente os homens costumam dar o primeiro passo, o sexo oposto acaba sendo mais seletivo. Talvez o problema não esteja nos desejos, mas nos costumes.

 

Via Hypescience



publicado por olhar para o mundo às 19:06 | link do post | comentar

Quarta-feira, 09.11.11

Era para escrever uma peça sobre sapatos, mas depois de mais uma semana a acompanhar as temporadas do "Sexo e a Cidade" via cabo, e terminar o fim desta mesma semana, numa reunião de amigas, assolaram-me outros temas sobre os quais senti vontade de partilhar, uma vez que retratam a realidade social que homens e mulheres adquirem mediante as suas atitudes, mas que muitas vezes tentam esconder.  

 

De facto as relações são muito mais complicadas do que aquilo que aparentam, e muitas vezes, as ligações e os casais perfeitos parecem-no muito mais pelos olhos de quem os observa, do que aos olhos dos que a vivem. Já pensaram que a família perfeita que vive na casa ao lado pode ter muito mais "esqueletos" no armário do que cristais da Boémia?

 

A perfeição não existe, e os contos de fadas são isso mesmo. Não vale a pena julgar aquele/a que partilha a nossa cama, achando que somos menos felizes do que a vizinha com o carro topo de gama, a casa perfeita e de quem o marido se despede apaixonadamente todas as manhãs, quando leva os filhos à escola.

 

À semelhança de muitos casos reais, Charlotte, a mais "betinha" de todas as intervenientes da série "Sexo e a Cidade" vive um casamento de aparência, com Trey. Sim, o casamento foi efetivamente de sonho, com um tipo bem sucedido, rico, uma boa imagem, mas que não "dá uma para a caixa" e quando utilizo esta expressão, não dar uma para a caixa não significa não ter qualquer tipo de "saída" inteligente, mas sim ser impotente.

 

Não é pela doença que vem o mal ao mundo, mas sim por este mal ser mais comum entre os homens, e por eles terem muita dificuldade em reconhecê-lo.

 

Desde tenra idade que o homem é estimulado a ser um tigre e a mulher a gazela, mas o facto é que muitos não passam sequer de gatinhos recém-nascidos, que pelo seu orgulho e incapacidade emocional, condenam a relação à ruptura. Sim nos dias que correm nenhuma mulher é de ferro, e aceita calada esta situação por muito tempo, ao contrário do que se passava em tempos idos.

 

Voltando à série, neste mesmo episódio o casamento fica ensombrado por um leviano escape de Charlotte, que beija o fiel e musculado jardineiro, com o qual tinha tórridos sonhos eróticos, depois de dois meses de um casamento não consumado.

 

E aqui pergunto-me, de quem é a culpa? Da mulher insatisfeita pela sua falta de assistência, por parte do companheiro (friso uma vez mais que por falta de assunção de culpa face ao seu problema), ou do homem se recusa a fazer amor com a sua mulher, porque não aceita a sua disfunção erétil recusando-se a tratá-la?

 

Assolam-me sempre dúvidas, porque ao contrário dos homens, que juram a pés juntos nunca falar entre amigos da sua vida sexual com a mulher, as mulheres e debatem-na entre amigas.

 

E já agora, que nome se dá ao membro do sexo masculino, quando este desculpa as suas infidelidades por culpa das dores de cabeça femininas, mas que se cala quando surgem as mesmas por parte de si mesmo?

Eles também têm

 

Poderá a mulher escusar-se de culpa se, após meses e meses à míngua, decidir dar uma escapadela com um "amigo"? Será aqui a mulher tão facilmente absolvida da infração cometida, ou pelo contrário, ainda apelidada de rameira leviana, e ainda acusada por não despertar desejo sexual no homem?

 

Ficam aqui as minhas questões, porque mesmo com o nosso 6º sentido, também nós mulheres, independentemente da experiência e reuniões semanais entre amigas, nem sempre conseguimos encontrar resposta para os comportamentos masculinos.

 

Na minha opinião, e escusada de qualquer tipo de tendência, afirmo com certeza que seria bem mais efetivo o comportamento masculino se este absolvesse o orgulho sexual que cresce de forma geracional há séculos, e procurasse um especialista, e que, deparando-se com falta de desejo, soubesse assumi-lo de forma tão frontal como a mulher.

 

Se calhar as relações a dois teriam muito mais a ganhar, existiriam menos traições e possivelmente o número de divórcios/separações baixaria consideravelmente. Porque apesar da intimidade ser muito mais complexa que a sexualidade, estas complementam-se de parte a parte.

 



Via A vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 21:23 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.11.11

Foto: Reprodução de Internet

 

 

Uma pesquisa encomendada pela revista "VIP" sobre o que agrada as mulheres na cama revelou que a exigência feminina realmente é grande no que diz respeito ao que é considerado sexo satisfatório.


Foram consultadas cerca de 1 193 mulheres de todo o Brasil entre 18 e 35 anos pela internet. Os resultados das pesquisas são, para alguns homens, inusitados, mas com certeza animadores.

Elas querem mais!


O estudo revelou que 69% das mulheres gostariam de fazer mais sexo. A maioria delas (34%) faz sexo duas ou três vezes semanais. Para 33% delas, são necessários dois ou três encontros para rolar a primeira vez e 5% disseram que só transariam com um homem depois do casamento.


Além do mais, parece que esse negócio de mulher não liberar o sexo anal não é tão verdadeiro assim. A verdade, segundo a pesquisa, é que 65% das mulheres que responderam ao estudo já fizeram. E mais: 1/3 das que não fizeram está com vontade. Os números revelam que 57% delas gostaram e repetiram a experiência, enquanto 13% gostaram, mas não fizeram de novo. As mulheres que não apreciaram a experiência somaram 30%.  

Além disso, mulher na cama não é bonequinha de porcelana, que corre o risco de quebrar no primeiro toque. Sendo assim, 88%  da amostra da pesquisa afirmaram gostar que o parceiro use algum tipo de força na hora do sexo.

Sobre o tamanho do pênis, as opiniões ficaram divididas: 49% acham que o tamanho faz diferença.

E para quem acha que não existe a possibilidade de elas sentirem tesão, atração ou até mesmo amor por outro homem, é melhor rever suas ideias: 54% delas revelaram já ter traído o parceiro.  


Quer levar uma mulher para a cama logo no primeiro encontro?


Bem, isso não é impossível. A pesquisa da revista "VIP" relacionou alguns itens que elas consideram ser muito importantes para isso: 

1º. Você mostrar o quanto ela é importante para você
2º. Ter um bom papo
3º. Se mostrar cheio de desejo
4º. Criar uma situação especial, como um jantar
5º. Falar coisas sensuais em seu ouvido

Se quiser seguir a dica, 35% das mulheres disseram que a posição preferida delas na hora do sexo é ficar de quatro, mas a porcentagem é a mesma para quem considera que ficar por cima seja a melhor posição para elas terem orgasmos. Além do mais, preliminares são essenciais.

 

Via SRZD



publicado por olhar para o mundo às 19:14 | link do post | comentar

Terça-feira, 25.10.11
Dicas para seduzir qualquer homem

 

Em tempos de iPhone e iPad, é preciso saber traduzir o vocabulário erótico para o mundo virtual. No celular ou pela Internet, falar coisas picantes esquenta ainda mais o clima. Perca a vergonha de dizer tudinho o que está a fim de fazer com ele
    
Por torpedo ou MSN


Elogie a performance do último encontro: "Adoro uma pegada forte". Conte o que está vestindo: "Comprei uma calcinha bem pequena, estou usando agora..." Os SMSs são ideais para aguçar o desejo dele. Escreva: "Você acabou comigo, quero mais..."

Evite: fazer perguntas que soem como interrogatório: "Quando vamos nos encontrar?" Mandar mensagens durante o expediente pode ser delicioso, mas há o risco de ele estar em reunião. Espere a resposta e segure a ansiedade.

Telefone


Vale tudo: dizer que está nua - mesmo que não esteja - e contar quanto está excitada. Use um tom de voz bem sensual. Diga: "Não paro de pensar na sua boca deliciosa". Se já está no nível safada, peça para ele falar o que quer fazer com você enquanto se toca, sem vergonha de gemer.

Evite: o tom de voz morno pode esfriar a conversa. Não mencione problemas pessoais e familiares.

Na webcam


Faça um striptease ou se toque de maneira sexy enquanto sussurra e geme. Revele detalhes aos poucos e peça para ele fazer o mesmo. Mostre apenas uma parte do corpo ou esconda o rosto. O gato vai implorar para você mostrar mais. Faça-o sofrer de tesão. Descreva seu corpo com palavras provocantes e deixe a imaginação dele voar.

Evite: se vocês não têm muita intimidade, não se exponha demais, ou correrá o risco de virar hit no YouTube. Também não é legal realizar os desejos dele sem se sentir à vontade. Respeite seus limites. A distância, fica difícil saber o que acontece. Ele pode não estar sozinho enquanto fala com você.

 

Via M de Mulher



publicado por olhar para o mundo às 18:52 | link do post | comentar

Segunda-feira, 24.10.11
Dicas para aumentar a intimidade e recuperar a paixão

Recupere a paixão do seu relacionamento e seja mais feliz

 

"Não dá para se preocupar com a relação só quando pinta problema! Casais de sucesso trabalham nisso todos os dias", diz o psicólogo americano Sandor Gardos. Veja algumas atitudes simples que podem aumentar a intimidade da relação.

Recupere a paixão


Escreva um bilhete de amor - com papel e caneta mesmo. Estudos mostram que quem registra os sentimentos positivos sobre o parceiro é mais satisfeito em suas relações. Mais dicas: "Na sexta-feira, faça reserva num restaurante, compre ingressos para o cinema ou avise que está enchendo a banheira!", sugere Mendes Júnior.

Esquente a manhã


Se seu uniforme de cama inclui camiseta e short, tire-os durante a noite para que ele encontre uma surpresinha assim que o despertador tocar.

Vá para o abraço


Um abraço de 20 segundos diminui a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos e libera o hormônio oxitocina, que diminui o stress de uma briga, de acordo com pesquisa da Universidade da Virgínia, nos EUA.

Confie no seu taco


Em casa, faça atividades inusitadas sem roupa, como pagar contas pela internet ou pintar as unhas. "Passar um tempo sozinha e nua deixará você mais confortável quando estiver acompanhada porque não se sentirá examinada", diz a psicóloga Ava Cadell, autora do livro 12 Steps to Everlasting Love (inédito no Brasil).


Aumente a conexão


Para os homens, seu ritual de beleza é um portal para o misterioso mundo feminino - então, deixe que seu namorado veja você aplicando máscara nos cílios ou hidratante. "Ele vai se sentir mais próximo ao ter acesso a um lado seu que mais ninguém vê", afirma o psicólogo Scott Haltzman, coautor de Os Segredos das Mulheres Felizes no Casamento (Ed. Gente, 256 págs., R$ 49,90). Mas só faça isso de vez em quando e escolha algo que implique certa sedução - nada de tirar a sobrancelha ou passar uma máscara verde no rosto. A intimidade, você sabe, também pode ser inimiga da sedução.

Elogie mais


O sexo masculino se sente mais confortável demonstrando amor do que falando sobre isso. Então, para conseguir um elogio, estimule. Dizer "Coloquei este vestido para você"  vai fazer bem ao ego dele e incentivá-lo a dizer como você ficou sexy. E a reciprocidade os mantém juntos: parceiros que se admiram enfrentam melhor as fases difíceis.

 

Via M de mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:55 | link do post | comentar

Terça-feira, 18.10.11

A vida sexual d euma mulher madura

 

Ao contrário do estereótipo, um novo estudo mostra que as pessoas não se tornam insatisfeitas com sua vida sexual à medida que envelhecem.

A pesquisa afirma que cerca de dois terços das mulheres com 60 anos ou mais estão moderadamente a muito satisfeitas com sua atividade sexual, embora o nível dessa atividade tenha de fato diminuído com a idade.

 

Segundo o pesquisador e psiquiatra Wesley Thompson, sentir-se satisfeito com a vida sexual na velhice está intimamente relacionado à qualidade de vida global. “O que este estudo nos diz é que muitos adultos mais velhos mantêm a sua capacidade de desfrutar do sexo em idade avançada”, disse.

 

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que os idosos têm uma vida sexual gratificante, embora os homens permaneçam sexualmente ativos por períodos mais longos do que as mulheres, o que, em grande parte, é devido às mulheres viverem mais do que os homens, e não terem um parceiro para serem sexualmente ativas.

 

O novo estudo pesquisou 1.235 mulheres. Como esperado, as taxas de atividade sexual caíram com a idade, assim como o funcionamento sexual. À medida que ficavam mais velhas, mais mulheres relatavam problemas em atingir o clímax e dificuldades com excitação e desejo.

 

Das mulheres com parceiros ou casadas, 70% entre 60 e 69 anos relataram atividade sexual nos últimos seis meses. Entre 70 a 79 anos e 80 a 89 anos, esse número foi de 57% e 31%, respectivamente.

 

No entanto, as mulheres geralmente não reclamaram da baixa na atividade. Cerca de 67% das mulheres entre 60 e 69 anos estavam moderadamente ou muito satisfeitas com suas vidas sexuais; do grupo entre 70 e 79 anos, 60% estavam satisfeitas, e entre 80 a 89 anos, 61% estavam satisfeitas.

 

Segundo os pesquisadores, as diferenças entre os grupos foram tão pequenas que não são estatisticamente significativas, e poderiam facilmente ter surgido devido ao acaso, em vez de idade. “Embora os níveis de atividade sexual e funcionamento variaram significativamente em função da idade da mulher, sua percepção de qualidade de vida, envelhecimento bem sucedido e satisfação sexual mantiveram-se positivos”, disse Thompson.

 

Via Hypesciense



publicado por olhar para o mundo às 21:09 | link do post | comentar

Domingo, 09.10.11
Elas também são mais sexualmente satisfeitas do que os homens. Foto: Getty Images

Elas também são mais sexualmente satisfeitas do que os homens

 

Uma nova pesquisa mostra que as mulheres são mais aventureiras e experimentais quando o assunto é sexo. No estudo feito pelo site K-Y's Good in Bed sex, elas apareceram não só como mais inclinadas a experimentar, mas também donas de fantasias mais sujas do que as presentes nos homens. As informações são do Daily Mail .


Enquanto os entrevistados - todos que estavam em relacionamento - disseram que gostavam de sexo com a luz acesa, lingerie e de fazer sexo em diferentes áreas da casa, mais mulheres do que homens se mostraram mais dispostas a ir mais longe do quarto. O resultado muda o conceito puritano representado pela mulher, segundo o diretor da pesquisa, Kristen Mark MS.

 

Ser sexualmente aventureira está, talvez, ligado à satisfação sexual de ambos os parceiros. Em uma pesquisa anterior, o site revelou que as mulheres são mais entediadas nos relacionamentos do que os homens, apesar de serem sexualmente mais satisfeitas.

 

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:39 | link do post | comentar

Quinta-feira, 06.10.11
Homens casados em busca de garotas de programa


Dizem que a prostituição é a profissão mais antiga do mundo. Verdade ou não, o fato é que a internet facilitou muito a vida dessas mulheres e, consequentemente, a dos homens que procuram esse serviço.

 

Mas como lidar quando esse homem é o seu marido ou namorado? Não é fácil entender o que leva os homens a procurarem sexo fora do casamento.

 

A Dra. Arlete Gavranic, psicóloga, terapeuta sexual e coordenadora da pós-graduação em terapia do Isexp (Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática), ajuda a desvendar o que se passa na mente dos homens: "Eles, ainda hoje, são educados para viverem com umasexualidade menos afetiva. Isso ainda é reforçado na vida adulta. Com isso, os homens têm mais facilidade, se comparados às mulheres, de pagarem por esse tipo de serviço".

 

O segundo fator seria a predisposição dos homens para a conquista. Além disso, segundo a terapeuta sexual, eles desejam mostrar que são capazes de satisfazer uma "mulher gostosa". Dra. Arlete Gavranic garante que é como se eles dissessem: "Eu pago, eu escolho". Esse sentimento acaba sendo alimentado pela traição. A psicóloga diz que a segurança masculina acaba sendo reforçada por esse tipo de traição, que também é bem vista dentro do grupo de amigos.

 

Um terceiro fator tende a ser a possibilidade de provar à esposa que ela não tem poder sobre ele. "Muitas vezes essa traição é uma forma de vingança. É como se ele dissesse: ‘Eu posso ter outra, que não você, se eu quiser", garante Dra. Arlete. As consequências desse ato podem ser devastadoras para a esposa. A terapeuta afirma que a primeira grande perda é a da confiança.

 

"A mulher passa a questionar qual é a sua parcela de culpa, por seu marido ter ido procurar sexo fora de casa. ‘Será que eu não o estimulo mais? Será que eu não desperto mais o seu desejo?’", ressalta a psicóloga. Dra. Arlete lembra ainda que a mulher acaba tendo a sua autoestima rebaixada. Ela tende a ficar depressiva e amargurada. "Não podemos descartar a possibilidade de contração de doenças sexualmente transmissíveis", diz terapeuta.


Traições como essas também afetam a vida sexual da traída. "A esposa pode passar a ter dificuldade em atingir o orgasmo. Se ela tiver optado por continuar a relação, terá momentos, durante o sexo, em que ela irá pensar: ‘será que ele fazia dessa forma com a outra?’, comenta. "Enquanto ela não trabalhar essa questão, não vai conseguir levar a vida sexual adiante", alerta Dra. Arlete.

 

Por outro lado, essas mulheres podem passar a querer viver somente aventuras. "Elas não acreditam que seja possível viver uma relação estável com outra pessoa", esclarece a terapeuta. Ou então, a esposa traída pode desenvolver um comportamento obsessivo.

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:27 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 04.10.11
Tudo o que os homens e as mulheres deviam saber uns sobre os outros  Ler mais: http://aeiou.activa.pt//sexo/relacionamento/2010/12/12/tudo-o-que-os-homens-e-as-mulheres-deviam-saber-uns-sobre-os-outros#ixzz1Zq0AHA00

ELES NÃO DESCONHECEM QUE...

 

Sim, gostamos que nos ofereçam flores. É assim tão difícil de perceber?

 

Se gostaram mesmo de nós, por que é que não nos telefonam logo no dia seguinte? Se não telefonarem, pensamos que afinal não querem nada. Atenção: se nos telefonarem três dias depois, está TUDO estragado. Mas basta ligar uma vez, ou deixar mensagem. Nada de atacar com três ou quatro telefonemas. Logo no primeiro encontro, se houver interesse, é bom que marquem novo encontro. Se interessar, a resposta será qualquer coisa como: "quarta-feira saio mais cedo, podemos jantar." Se não quisermos, a resposta será: "Um dia destes. Depois falamos." E um 'não' é um 'não' mesmo, não é uma mulher que se está a fazer difícil. Se não atendermos o telemóvel três vezes seguidas, é porque não estamos interessadas. Excepções: a) Não pagámos a conta, b) Fomos raptadas por terroristas.

 

Homem que é Homem abre a porta do carro, paga a conta da primeira vez, e não deixa uma senhora no meio da noite abandonada na rua. Não é questão de etiqueta: essas pequenas coisas provam que não se é desleixado, forreta nem narcisista.

 

As mulheres não são misteriosas nem querem dizer uma coisa diferente do que aquela que dizem. As mulheres dizem exactamente o que pensam, os homens é que não gostam de ouvir.

 

Odiamos homens a cheirar a cavalo e que não trocam de calças há três dias. Gostamos de homens que tenham pente e banheira em casa e lhes dêem uso. Cabelo comprido, tenham paciência, é para nós.

 

As mulheres gostam de homens que gostem de mulheres. Nem todos os homens que gostam de mulheres gostam de mulheres. Quer dizer, nem todos os heterossexuais gostam genuinamente de conversar com as mulheres e de as ouvir e de as apreciar. Observem o modo de actuação de um mulherengo. Segredo principal? Gosta genuinamente da companhia das mulheres. Atenção: as mulheres não gostam de homens que gostem de todas as mulheres. Acham logo que, se qualquer uma serve, elas não são qualquer uma.

 

As mulheres não gostam de homens que se armam em bons. As mulheres gostam de homens que tratam bem os velhinhos, os cãezinhos, as crianças, as tias e os empregados do restaurante.

 

A cabeça continua a ser o orgão sexual mais apelativo para as mulheres. Quase nunca nos apaixonamos por homens bonitos: apaixonamo-nos por tipos inteligentes e misteriosos. Não podem é ser gordos nem sebentos.

 

Não somos naturalmente magras e 90% de nós tem celulite. Se isto vos faz impressão, apaixonem-se por uma vassoura.

 

As mulheres NÃO gostam de filmes de acção. As mulheres estão-se nas tintas para um filme onde o único argumento é saber se um camião vai ultrapassar um tractor a jacto.

 

90% das vezes em que eles acham que estamos a sofrer de síndroma pré-menstrual, não estamos. Estamos mesmo chateadas.

 

Conversas sobre se o Benfica vai passar à segunda divisão interessam-nos zero. As mulheres também não querem saber todas as histórias da tropa deles, da altura em que eles foram paraquedistas em Tancos, nem a história dos amigalhaços que fizeram a recruta com eles, como o Malaquias que era de Almeirim e tinha de pôr pensos higiénicos nas botas. Também não nos interessa como é que arranjaram o cano que puseram debaixo do lava-loiças. Faça e cale, é o ideal.

 

Um homem tem de servir para alguma coisa: conversar, cantar-nos para adormecer, ler-nos Shakespeare em voz alta, levar o carro à revisão

 

Saltos altos são brutalmente desconfortáveis.

 

 

 



Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:07 | link do post | comentar

Segunda-feira, 03.10.11
Sexo  qualidade x quantidade


Você já deve ter ouvido que a liberdade sexual mudou a vida das novas gerações, principalmente das mulheres. Isso é um fato.

Mas, será que essa liberdade só trouxe benefícios, ou de quebra serve para alimentar falsas expectativas e padrões inalcançáveis?

 

A psicóloga e sexóloga Dra. Carla Cecarello acredita que com a abertura do assunto as pessoas passaram a fazer sexo com mais segurança. Por outro lado, a mídia abriu ainda mais espaço para os padrões de beleza, as pessoas passaram a crer que há um prazo máximo para ficar sem sexo e, principalmente, que há o jeito certo de se transar. "Você acaba se comparando e ficando frustrada por não atender ao padrão", afirma. Ela reforça que o receptor deve usar a informação para abrir a sua mente e que se ele não souber usá-la pode acabar sofrendo com isso.

 

A sexóloga Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade (Prosex) da Universidade de São Paulo (USP), coordenou uma pesquisa sobre a qualidade de vida dos brasileiros. Foram ouvidas 8.237 pessoas, entre 18 e 71 anos, de dez capitais nacionais. A maioria dos entrevistados tinha entre 18 e 25 ou entre 26 e 40 anos. Os homens que mais querem sexo são os mineiros, a maioria afirmou que gostaria de ter oito relações semanais. Os paulistas são os mais despretensiosos e se contentariam com cinco transas por semana.

 

A estudante de turismo Fabiana Faria, 26 anos, afirma que a quantidade não é o mais importante: "Se o sexo não for bom, nenhuma mulher irá querer oito vezes por semana. Acredito que há muitos fatores que influenciam no relacionamento, sexo não é tudo. Por outro lado, se o rapaz não se empenhar em me conhecer e ouvir as minhas preferências não há relação que dure".

 

Outro fator muito comum em uma relação longa é a falta de diálogo entre o casal. A sexóloga ressalta que as mulheres costumam se sentir menos à vontade para falar sobre sexo. "É muito comum os casais depois de um tempo de relacionamento não conversarem sobre a suaintimidade. Isso se dá porque depois do casamento passamos a ver as qualidades não tão admiráveis do companheiro, o que acaba gerando um atrito e uma distância que se reflete na cama", esclarece Dra. Carla.

 

A pesquisa também revelou que eles dão mais valor à vida sexual. Em uma lista de dez prioridades "sexo" apareceu em terceiro lugar, só perdendo para "alimentação saudável" e "tempo de convivência com a família". As mulheres parecem ligar muito menos para sexo, em relação aos homens. "Atividade sexual satisfatória" é o oitavo item das listas de prioridades femininas. Elas dão mais importância a trabalhar no que gosta, qualidade de vida e bem-estar.


Na opinião da sexóloga, a mulher é mais pró-ativa quando se trata de acender a chama da paixão.

"Quando ela percebe que o relacionamento esta esfriando, ela procura se informar sobre como poderia salvar a relação. Ela é mais atirada para buscar ajuda. Ao mesmo tempo, as mulheres têm mais dificuldade em dizer o que desejam", garante Dra. Carla. A especialista realizou um estudo em cinco estados do Brasil (Goiana, Porto Alegre, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro), foram ouvidos 3.026 homens. O resultado aponta que eles buscam informações sobre sexualidade em primeiro lugar com amigos, depois com a parceira, na internet e, por último, com os médicos.

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:33 | link do post | comentar

Terça-feira, 16.08.11
Sexo casual com ou sem arrependimento

 


Uma noite e nada mais. Para algumas mulheres esta condição é ótima.

 Não há cobranças no dia seguinte e nem neuras sobre a possibilidade - ou não - de o cara ligar para você. Mas mesmo sabendo dessas vantagens, será que não bate um arrependimento depois?

 

De acordo com uma pesquisa realizada pelo site americano TresSugar, esse sentimento pode bater sim! A enquete feita com 2.000 mulheres com idades entre 18 e 63 anos revelou que das entrevistadas que já praticaram sexo casual (83%), 68% disseram que se sentiram muito bem depois da transa sem envolvimento emocional, enquanto 38% sentiram um certo desconforto depois do ato.

 

Somente 19% das mulheres disseram que se arrependeram de terem ido para a cama com um desconhecido. E as brasileiras? Será que pensam da mesma forma? "Tudo muda quando é a mulher é quem quer. Se elas não pretendem ficar com o cara, obviamente não se arrependem. Mas se querem mais envolvimento, geralmente não ficam bem depois", comenta Márcia, de 33 anos.

 

Bárbara, de 30 anos, acabou fazendo sexo casual meio "sem querer". "Conheci um cara numa balada e fiquei encantada. "Saímos dois dias seguidos e ele me tratou como rainha. Ele queria ir para a cama, mas como eu achava que era cedo demais, não cedi", conta. "Só que aí ele sumiu. E já que queria muito continuar, corri atrás dele e não deu outra: fomos para o motel. Era o que ele queria, mas eu esperava algo mais depois. Apesar de tudo não me arrependi, pois foi muito bom", contou.

 

Analisando a pesquisa, a urologista e terapeuta de família, casal e sexual, Sylvia Faria Marzano, acha que o número de mulheres solteiras adeptas ao sexo casual é bem grande. "Está ocorrendo um vazio nas vidas dessas pessoas, pois elas procuram e não encontram o que desejam. Falta sentimento, envolvimento, e se isso ocorre, a proposta de casual desaparece", acredita.

 

Para a especialista, se o sexo foi bom, não há motivos para a mulher se arrepender. Ainda mais quando o ato foi praticado com intuito de vingança por conta de uma traição. "Não quero dizer se isso é certo ou errado, pois quem faz não está trabalhando as suas dificuldades e acaba de submetendo a outro tipo de sofrimento", ressalta.

 

Já o arrependimento se deve a vários motivos: "Ele bate quando a mulher chega em casa, olha para os filhos, sente que mentiu e não fica bem; ou quando começa a se ligar a esse homem, comparando-o ao seu parceiro ou ainda quando descobre que foi usada - afinal de contas, ela quer usar mas não ser usada."

 

Dra. Sylvia não chama o sexo casual de tendência, mas sim de uma busca desenfreada por ser feliz. É como se somente o sexo fosse o bastante para satisfazer algumas mulheres. E ela afirma que não são somente as solteiras que se colocam como praticantes do sexo casual.

 


"Há mulheres comprometidas que estão se prestando a ter parceiros casuais para ter sexo de melhor qualidade, ou por vingança por traições ou até por curiosidade, só que precisam antes analisar seus próprios valores e se saberão suportar o dia seguinte", afirma. "Essas experiências elas não contam nem para a melhor amiga, pois a satisfação, mesmo que esse sexo não tenha sido dos melhores, é interna".

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:10 | link do post | comentar

Domingo, 10.07.11
Sexo na gravidez: tirando dúvidas
Com a chegada do bebê as preocupações vão se acumulando em torno das novas mamães e papais. Surgem perguntas de todos os tipos, desde a alimentação adequada da mãe para melhor nutrição do feto, até se é seguro e correto a prática sexual no período da gestação.

Mas onde muitos casais pecam, na hora de viver um pouco seu momento a dois durante a gestação, é quando se trata de sexo. Tanto as mamães quanto os papais se sentem inseguros nessas horas, como se fosse uma segunda “primeira vez”. E com todo esse nervosismo aflorado, futuros papais e mamães se enchem de dúvidas, e os questionamentos mais recorrentes são:

1. Será que vai machucar? – Uma das mudanças no corpo da mulher durante os nove meses de gravidez, é que a região da vagina fica mais sensível por causa da maior vascularização da área, o que não pode haver é dor persistente, mas com muito carinho e cuidado a penetração não vai ser incômoda.

2. Será que ELA quer? – Muitos dos parceiros se preocupam com as futuras mamães, com o medo de causar incômodo, dor hora da penetração , e mais, de que o pênis seja capaz de machucar o bebê. Mas isso não será possível se o sexo for tranqüilo, e nas primeiras investidas ser cauteloso, para que ambos se acostumem com o novo ritmo e as novas sensações.

3. Será que ELE quer? – As mudanças no corpo da gestante podem trazer muitas duvidas, fazendo-as se sentirem menos desejadas, podendo também causar uma diminuição da libido da mulher, e é onde novamente é preciso compreensão do parceiro, por ser uma fase extremamente delicada e cheia de transições hormonais e sentimentais. O que não se percebe é que nesse período, ambos estão apreensivos e nada que uma conversa e carícias, afinal a penetração não é o único meio de prazer, não deem uma resposta a toda essa dúvida.

4. Que posições são mais confortáveis? – A resposta para essa pergunta só quem poderá dar é o casal, pois vai variar de acordo com as preferências e limitações que a grávida vai percebendo. E é certo que a prática leva ao orgasmo.

5. Pode praticar o sexo até que período? – Há divergências entre as opiniões de especialistas, mas a mais recomendada é a abstinência apenas na última semana de gestação e de 4 a 6 semanas após o parto.

O momento vivido pela mulher, como também pelo homem, que se veem na posição de se tornarem pais, acarreta na grande carga de responsabilidade, e esse é um dos principais motivos para que todas as perguntas sejam formuladas. A vontade que cada um tem de transformar o mundo, num mundo melhor no prazo de 9 meses, até a tão esperada chegada do bebê, faz com que o casal fique mais atento e receoso.

Sendo assim, esses questionamentos são naturais e saudáveis, se as dúvidas persistirem é sempre bom consultar um(a) ginecologista, ele mais do que ninguém saberá ajudar e acompanhar todo o desenvolvimento do casal, assim como do próprio bebê.

“Estar grávida, acima de tudo é um estado de espírito, se você conseguir se sentir plena, 99% dos seus problemas estão resolvidos, as novas descobertas devem ser feitas junto com o seu parceiro e sempre que possível estar com uma opinião médica. Cada dia, até o dia do nascimento do bebê, deve ser valorizado e especial para todos, não se pode esquecer de viver o seu momento. Sexo é bom e faz bem antes, durante e depois”, diz Maria do Carmo C. Freitas, mãe de 3 filhos e casada a mais de 26 anos.


Via Revista Mundo Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:21 | link do post | comentar

Quinta-feira, 30.06.11

Sexualidade da mulher não diminui com o tempo

 

Há quem pense que a mulher perde a sexualidade com o passar dos anos. Isto não é verdade. A mulher madura ou em pré-menopausa que fizer as suas devidas reposições hormonais, dosagens dos sais minerais, medida da pressão vaginal etc., terá sua vida sexual normal. 

Não ocorrerão as dificuldades sexuais como: dores vaginais durante a relação sexual (causada por diminuição de período), depressão, dificuldade para atingir o orgasmo ou mesmo hipo-orgasmia, calorões, apatia, astenia, irritabilidade, flacidez de musculatura vaginal (vagina ampla) etc. 

Com os avanços da medicina, a descoberta de novos medicamentos, muitas doenças graves, como a infecção puerperal da mulher, que na Idade Média matavam uns cem números de mulheres no pós-parto, ou seja, em plena juventude, deixaram de ser problemas. A mulher até o Século XVII era tida como uma incubadora e sem participação na geração dos filhos e no final deste século passou de verdade a ser a mãe, com carga genética igual a do pai. 

A luta da mulher para atingir um lugar ao sol é antiga. Até a igreja com as suas guerras e cruzadas no Oriente Médio auxiliou nesta transformação das mulheres em grandes administradoras e os europeus, seus maridos, chocaram-se duas vezes neste período de guerra. Primeiro ao encontrarem opositores refinados como os árabes mulçumanos do Islã e segundo, quando ao retornarem com ensinamentos científicos importantes aprendidos dos inimigos, verificaram que as suas esposas, a maioria delas usuárias de cinturões de castidade no período de guerra, haviam administrado propriedades rurais e pequenos comércios com cérebro masculino, pois aumentaram o patrimônio do marido e com isto promoveram sua evolução na escala social. 

Caminhava a mulher para ser a companheira do homem e não a pecadora, o ser inferior já nessa época. Direito que ainda é a busca de muitas delas. São as mulheres maduras e idosas que culturalmente foram consideradas assexuadas por Kinsey e Richfield na década de 1940. Estas agora sabem que isto não é verdade. 

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 22:58 | link do post | comentar

Domingo, 26.06.11
sentir-se atraída por mulheres nem sempre significa ser lésbica

Sou casada há 14 anos com um homem, mas me sinto sexualmente atraída por mulheres. Isso significa que sou lésbica? - Ana Duarte, Recife (PE)

 

Todo mundo tem capacidade para fantasiar, e tudo pode e cabe em nossas fantasias. O fato de você sentir-se atraída por mulheres não necessariamente determina sua homossexualidade. O que de fato a caracteriza é o desejo real de querer se envolver sexual e afetivamente com alguém do mesmo sexo. Você busca o contato ou pensa em mulheres apenas como uma possibilidade?


Algumas mulheres reprimem sua capacidade de fantasiar sexualmente por razões individuais que envolvem muito da educação recebida ao longo da vida. No entanto, asfantasias são importantes pois nos colocam em contato com todas as possibilidades do nosso prazer sexual, seja ele concretizado ou não. 

Sobre ser ou não lésbica, creio que valha a pena reavaliar sua relação e o que você chama de sentir-se excitada sexualmente por outras mulheres. Se for muito complicado pensar sozinha, sugiro que busque ajuda de um profissional da psicologia que trabalhe diretamente com as questões da sexualidade. Outro ponto a avaliar é a relação com seu marido. Sente certo desgaste? Converse com ele e proponha mudanças. Nada de rótulos e nem de medos nesse momento. Mas vá com a certeza de ter entendido o que está vivendo.

 

Via Marie Claire



publicado por olhar para o mundo às 21:05 | link do post | comentar

Quinta-feira, 23.06.11

sonhar_chefe

 

Sonhos eróticos: não existe cartilha Sonhar que está com outra mulher, traindo o marido, transando com o chefe – o que tudo isso quer dizer?

A única pessoa que já chegou para a reunião é o seu chefe. Ele passa tão perto que dá para sentir sua respiração. Tranca a porta, puxa você pela cintura e dá um beijo sem permitir recuo. A mesa de reunião vira o palco para a melhor transa de todos os tempos. Então você acorda e percebe que foi só um sonho erótico louco, pois nunca sentiu atração por ele.



Não mesmo?

Muitos sonhos eróticos podem atordoar porque simplesmente não fazem sentido. Neste caso, a psicóloga Arlete Gavranic explica que o sonho pode refletir um desejo maior – não pelo outro especificamente, mas por alguma qualidade excitante que ele tenha. “Para algumas pessoas, o poder [no caso, do chefe] seduz”, diz a terapeuta sexual e psicóloga do Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática (Isexp).

Mas apesar das diversas possibilidades de interpretações, a erotização do sonho muitas vezes revela o que realmente parece: desejo. O sonho deixa fluir a necessidade de sedução tão natural das mulheres e de criar fantasias.

Eles sonham, elas sonham
Fantasiar com pessoas idealizadas é mais natural entre as mulheres, conforme mostrou uma pesquisa feita pela Universidade de Montreal, no Canadá, que analisou 3.500 sonhos de homens e mulheres durante quatro semanas. De acordo com o estudo, anunciado em 2007 no encontro anual da American Association of Sleep Professionals, os gêneros têm a mesma quantidade de sonhos eróticos, a diferença está no tipo. 

As mulheres registraram o dobro de sonhos eróticos com pessoas famosas em comparação aos homens. Elas também sonharam mais com amantes do passado e do presente. Já a ala masculina sonhou duas vezes mais com várias parceiras na cama ao mesmo tempo, além de fantasiar com sexo em público e em local proibido. “A mulher idealiza mais os parceiros, por isso sonha com o Brad Pitt e o George Clooney”, diz Arlete.

Do Brad Pitt, ninguém reclama. Mas e quando o sonho erótico traz imagens perturbadoras e mensagens confusas, como relações extraconjugais ou homossexuais? De acordo com Karina Hinsching, mestre em psicologia analítica, o sonho pode refletir uma provável insatisfação sexual. “Sonhar com traição pode significar uma situação desconfortável com o parceiro atual. Você acaba buscando no sonho a compensação de algo que está faltando na vida”, diz. Outras explicações são desejo de vingança e monotonia na relação.

Quanto à fantasia homossexual, apesar da possibilidade da existência de um desejo sexual legítimo, sonhar com uma parceira na cama pode refletir a vontade de viver a sensualidade feminina projetada na sensualidade de outra mulher. Um momento difícil no relacionamento também pode justificar um sonho como esse, um tipo de fuga de um modelo que não está dando certo.

Pode ser tudo e não pode ser nada?

Apesar de alguns pesquisadores modernos ensaiarem, o fato é que não dá para montar uma cartilha incontestável de sonhos e significados. No jogo do consciente com o inconsciente durante o sono, tudo parece metafórico demais para uma compreensão simplista. “O sonho vem com imagens que o inconsciente manda por meio de símbolos. Descobrir o significado desses símbolos pede uma autoanálise profunda”, diz a psicoterapeuta Monica Levi.

Se o sonho dá pistas – e não a mensagem pronta, uma análise consciente dele pode trazer respostas. “Analise qual é a sensação que aquele sonho traz. Se você fica assustada, desagradada, com prazer. Depois, pergunte-se como gostaria que fosse o final daquele sonho”, ensina. Dessa forma, você conseguirá chegar a conclusões importantes e pessoais sobre os seus sonhos eróticos.

 

Via ORB



publicado por olhar para o mundo às 21:09 | link do post | comentar

Não é Não

 

Decotes, mini-saias, collants de rede, calças bem justas ao rabo, saltos altos (como não podia deixar de ser), vestidos provocantes: no próximo sábado, as mulheres portuguesas vão dar largas à imaginação (e ao guarda-roupa) para saírem à rua na primeira "Slut Walk" (qualquer coisa como "Marcha das Galdérias" ) em Portugal.

 

Começaram em abril e confesso que tenho vindo a assistir com alguma curiosidade às proporções que estas "SlutWalks " contra o machismo têm ganho. A ideia partiu de um grupo de mulheres canadianas, após as declarações de um polícia que dizia: "as mulheres devem evitar vestir-se de forma provocante se não quiserem ser violadas". A indignação do mundo dos saltos altos espalhou-se como um rastilho e a "Marcha das Galdérias" chegou a mais de 70 cidades, desde Sidney, a Londres e Brasília. Será um sinal de que comentários tão idiotas como o deste senhor polícia são, afinal, comuns nos mais diversos países? Parece que sim.

 

Ontem li o manifesto da marcha portuguesa - que acontece em Lisboa, pelas 17h30, desde o Largo Camões ao Rossio - e fez-me sentido: "Recusamos totalmente a culpabilização das mulheres face a situações de violência sexual. Recusamos a cumplicidade com a agressão e com quem agride, seja pelo silêncio ou pela benevolência". Já aqui escrevi várias vezes esta frase e hoje volto a dizê-lo: nada justifica uma violação.E se é preciso irmos para a rua, descascadas, em protesto para conseguirem perceber isto, então que seja.

Não é não!

Tenho amigas que adoram usar micro-saias. Outras gostam de pôr o ombro de fora, em camisolas justas, sensuais. Eu própria sou adepta dos decotes e das pernas ao léu em vestidos vaporosos. Mas isso faz de mim "uma galdéria que está mesmo a pedi-las"? Não me parece. E faço minhas as seguintes palavras, do manifesto português:

"Se ponho um decote... Não é Não!
Se pus aquelas calças de que tanto gostas... Não é Não!
Se uso burqa... Não é Não!
Se durmo com quem me apetece... Não é Não!
Se sou virgem... Não é Não!
Se passo naquela rua... Não é Não!
Se vamos para os copos... Não é Não!
Se me sinto vulnerável... Não é Não!
Se sou deficiente... Não é Não!
Se saio com xs maiores galdérixs...Não é Não!
Se ontem dormi contigo... Não é Não!
Se sou trabalhadora sexual... Não é Não!
Se és meu chefe... Não é Não!
Se somos casadxs, companheirxs, namoradxs... Não é Não!
Se sou tua paciente... Não é Não!
Se sou tua parente... Não é Não!
Se sou imigrante ilegal... Não é Não!
Se tenho relações poliamorosas... Não é Não!
Se sou empregada de hotel... Não é Não!
Se tens dúvidas se aquilo foi um sim, então... Não é Não!
Se és padre, imã, rabi ou pujari... Não é Não!
Se beijo outra mulher no meio da rua... Não é Não!
Se sou brasileira, cabo-verdiana, angolana ou de outro país que sofreu colonização... Não é Não!
Se tenho mamas e pila... Não é Não!
Se disse sim e já não me apetece... Não é Não!
Se sou empregada doméstica... Não é Não!
Se adoro ver pornografia... Não é Não!
Se ando à boleia... Não é Não!
Se estamos numa festa swing, numa sex party ou numa cena BDSM... Não é Não!
Se já abrimos o preservativo... Não é Não!

NÃO é sempre NÃO. Quando é SIM, não há ambiguidades ou dúvidas porque sabemos o que queremos e sabemos ser claras".

Depois disto, a mim já não me resta dizer mais nada, a não ser: alguém ficou com dúvidas?

 

Veja aqui algumas imagens de "SlutWalks" noutros países:

 

Via A Vida de Saltos Altos


publicado por olhar para o mundo às 11:39 | link do post | comentar

Quarta-feira, 22.06.11
Sexo, sete coisas que precisa de fazer

 

Diversificar os tipos de transa elevarão sua vida íntima a um novo nível de prazer. Está esperando o que para escolher qual delas experimentar já esta noite com o gato?


1. Preliminares caprichadas


"Além de prazerosas, elas reforçam a intimidade entre o casal", garante a sex trainer Rita Rostirolla. Segundo a educadora sexual Laura Muller, tais carícias são essenciais para a mulher sentir prazer na penetração e para o homem ter um orgasmo mais intenso.

Como curtir: é preciso diminuir o ritmo e prestar atenção a cada toque e sensação. Beije o moço de forma prolongada e suave. Assim ele entenderá que não precisa ter pressa. Aproveite o momento para descobrir o que o corpo dele pode oferecer e explore cada cantinho com carinhos, beijos, mordidas, lambidas...


2. Prêmio imediato


A rapidinha merece ter seu espaço garantido na vida a dois. "O gostoso nesse tipo de sexo é o fato de ele demonstrar um desejo incontrolável, que não pode esperar", defende a sexóloga Carla Cecarello. Só não vale fazer disso um hábito, praticado mesmo quando se tem uma noite toda disponível.

Como curtir: vá para o ataque - e para a penetração, sem demora! Se o tempo for muito curto, não há necessidade nem de se despirem totalmente. Saias e vestidos são mais práticos, mas a única regra é se divertir em velocidade máxima.


3. Sela paz


A adrenalina liberada durante uma briga pode ser muito excitante. Daí não ser incomum que discussões acaloradas acabem na cama. "É válido, desde que não seja uma fuga dos problemas", alerta a sexóloga Carla Cecarello. O ideal é que o sexo seja uma comemoração da paz recém-estabelecida.

Como curtir: se durante a briga sua raiva virou tesão, arrisque tascar um beijão no moço. Isso tem tudo para acabar deliciosamente bem, mas se ele ainda estiver bravo, pode não topar partir para o abraço. Se depois de solucionado o problema você quiser uma transa para lá de intensa, experimente torturá-lo, "rondando" as partes íntimas dele com carícias, mas sem tocá-las de verdade...

4. Pecado original


Por mais gostosa que seja a rotina, ela cansa. Por isso, criatividade é tão na vida sexual. Para manter a chama acesa é preciso entregar-se aos seus impulsos e desejos e fazer um sexo mais selvagem de vez em quando. "Aqui vale tudo, desde que não fira nenhum dos dois", lembra Laura Muller. Então, esqueça as regras e trate apenas de seguir as vontades de seu corpo.

Como curtir: mande um torpedo para o bonitão, revelando suas intenções para mais tarde. Ele, na certa, ficará aceso rapidinho! "Abusar de um vocabulário erótico dá um tom mais selvagem à relação", garante a consultora de artes sensuais Fernanda Pauliv. A sex trainer Rita Rostirolla dá outra sugestão: usar lugares diferentes da casa para uma transa inusitada. Tapete da sala, balcão da cozinha, banheiro...

5. Desejo de aconchego


Às vezes, nada melhor do que sexo para nos dar sensação de acolhimento quando estamos tristes ou tensos. "Homens precisam gozar para relaxar; e mulheres precisam relaxar para gozar", defende Rita. Por isso, transas reconfortantes funcionam melhor para eles. Porém, carinho, sobretudo se estamos fragilizadas, não faz mal a ninguém.

Como curtir: caso seu parceiro esteja com problemas, seja carinhosa. Ofereça uma massagem ou um cafuné. Dê beijinhos e vá acariciando o corpo dele sem forçar a barra. Agora, se é você quem está precisando de um ombro, peça a ele ajuda para relaxar com algum carinho que goste.


6. Show de estímulos


Você pode até achar difícil se masturbar na frente de seu parceiro, mas saiba que isso pode ser bom para os dois! "Os homens são extremamente visuais", ressalta Carla. Por isso, adoram fazer sexo com a luz acesa e ver cada movimento seu. Tocar-se na frente dele é uma ótima forma de ensiná-lo a lhe dar mais prazer.

Como curtir: deixe a luz total ou parcialmente acesa. Capriche na lingerie e abuse do contato visual. Então, toque seu próprio corpo sem pudores, permitindo que o bonitão aprecie cada detalhe.  Deixe que ele se delicie assistindo suas habilidades!

7. Poder é querer


Há dias em que a gente acorda mais mandona e, em outros, mais submissa. Na cama, a mesma regra se aplica. Para Laura, brincar de mandar ou de obedecer às ordens e aos desejos do parceiro pode ser muito prazeroso e divertido, pois mexe com nossas fantasias.

Como curtir: quer que ele domine na cama hoje? "Sugira uma fantasia, como ficar imóvel e não tocá-lo enquanto ele usa e abusa de você vendada", sugere Rita. Mas se nesta noite é você quem manda, deixe bem claro que ele só pode tocá-la quando você permitir.

 

Via Paraiba.com



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Terça-feira, 21.06.11
Dê lhe a volta à cabeça... na cama

 

Umas "jogadas" mais arrojadas no campo do sexo e nem vai reconhecer o homem que tem a seu lado

 

*Mantenha algumas peças vestidas. Podem ser umas meias, um soutien, uma tanga. Não mostre logo todos os seus trunfos porque aquilo que se adivinha e não se vê é um poderoso afrodisíaco, Outra possibilidade consiste em sair de casa... sem nenhuma lingerie vestida, mas apenas o revelar na altura certa (numa situação pública, como no restaurante, em que ele não pode fazer nada...!).

 

*Sussurre-lhe ao ouvido aquilo que quer que ele lhe faça. Pode usar todas as palavras, mesmo aquelas que jamais se atreveria a dizer em voz alta.

 

*Tome o control. Há ou não uma Mrs Robinson dentro de nós? Mostre-lhe aquilo que ele nem podia sonhar que você era capaz de fazer.Porque existem momentos em que ele deve simplesmente assistir...

 

*Coloque um espelho no quarto para ele a conseguir ver.. de todos os ângulos. Afinal, os olhos também têm direito a gozar.

 

* Fujam a toda a velocidade da rotina. Nada de chegar a casa e despachar o jantar, quando podem fazer um pequeno desvio... e ficar um pouco pelo quarto. Ou tomar um duche juntos enquanto relaxam do stresse causado por um dia de trabalhos. O pensamento chave consiste em quebrar rotinas.

 

Via Activa


publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 20.06.11

Sexo: 5 posições fabulosas!

 

Variar é essencial quando se fala de sexo. Inspirem-se nestas cinco posições sexuais que ajudam a ludibriar a monotonia.

 

1. Deitem-se ambos de lado, de frente um para o outro. As pernas da mulher e do homem assumem a posição de "tesoura": uma das pernas dela está por baixo de dele e a outra por cima. Desta forma, a proximidade é total no momento da penetração.

 

2. O homem senta-se no sofá. A mulher senta-se em cima dele, de cócoras, os pés assente no sofá. Depois, reclina-se para trás, até que as suas mãos tocam no chão.

 

3. Esta posição não pode ser feita na cama, pois precisa de um ponto de apoio mais sólido do que um colchão. Experimentem no quarto ou na sala em cima de um tapete. O homem fica de joelhos. A mulher deita-se em frente dele e coloca os pés nos ombros do parceiro, elevando o tronco até ser possível a penetração.

 

4.O homem está sentado, com os pés apoiados no chão. A companheira senta-se em cima dele, mas de costas viradas para o rosto do homem. Os pés devem estar apoiados.

 

5. O homem deita-se em cima da cama. A mulher senta-se em cima dele, mas com as pés na direcção dos ombros do parceiro e as mãos para trás, apoiadas no colchão.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:34 | link do post | comentar

Domingo, 19.06.11
As sete fases do sexo: Qual é a sua?

Acha que aos 20 anos é que o sexo é bom e que depois de ter filhos a sua vida sexual fica moribunda? Nada mais errado! A sexualidade feminina não é linear, aliás é mais parecida com uma montanha russa. Os altos e baixos sucedem-se e, aos momentos de grande expectativa e adrenalina (uma paixão nova, a descoberta de novos prazeres ou a revitalização de uma relação ‘morna’), podem suceder outros mais calmos que simbolizam a sua fase mais celibatária ou narcisista.

 

Tudo isto tem mais a ver com auto-confiança, curiosidade, disponibilidade mental e empenho do que com idade!

 

1 – Fase adolescente

‘O amor é tudo’

“Estar apaixonada é um estado alterado. Subitamente a nossa vida está focada noutra pessoa e não suportamos a ideia de estarmos separados.” As palavras são de Michael Moore, autor do livro ‘O Sentido da Alma’, e retratam na perfeição este estádio da vida pelo qual todas as mulheres passam mais tarde ou mais cedo. Em qualquer momento podemos tropeçar no homem que nos faz perder a cabeça, como aconteceu com Maria T. de 35 anos: “Tinha 31 anos quando, finalmente, descobri o que era estar apaixonada. E sim, fiz figuras tristes na rua. Muitos beijinhos, de mãos dadas sempre para todo o lado que íamos. O sexo foi também uma descoberta. Se antes tinha sido bom, nesse relacionamento era simplesmente transcendental. Fazíamos amor tantas vezes por dia que mal nos aguentávamos de pé”.

É verdade que estar apaixonada (e ser correspondida, claro) é algo maravilhoso, mas lembre-se: é uma fase transitória. Se está numa relação há muitos anos não desanime. A euforia dos primeiros tempos de namoro já lá vai mas pode recuperar o romantismo. Há pequenos gestos que se vão perdendo e que fazem com que o casal se afaste física e emocionalmente, por isso, faça o tempo andar para trás: volte a andar de mão dada com o seu parceiro, dê-lhe um beijo sem ele estar à espera: no escurinho do cinema, no jardim onde os miúdos estão a brincar, enquanto ele está a fazer o jantar…

 

 

2 – Fase narcisista

‘Sou fantástica’

“Depois de uma relação de dois anos e de um processo de ‘luto’ complicado, não estava virada para grandes aventuras. Até que, um dia, um desconhecido me pediu o número de telefone no metro! Noutra noite, fui a um bar com música ao vivo e o cantor decidiu dedicar-me uma música. Passada uma semana, depois da aula de cardio-fitness, um colega convidou-me para jantar. Foi a fase mais louca da minha vida!” Marta S., 37 anos, confessa que não sabe bem qual foi o catalizador desta mudança, mas acha que teve a ver com o facto de ter apostado mais em si. Cuidou mais da sua aparência, adoptou uma roupa mais feminina e isso fez com que se sentisse mais confiante. Foi o suficiente para que os convites começassem a chover. “Gostava de chegar a um sítio e de saber que os homens viravam a cabeça para me ver”. Se se olha ao espelho e fica desapontada é claro que essa atitude se vai reflectir essa falta de auto-estima. Por vezes, basta dar mais atenção a nós próprias para nos sentirmos mais confiantes, bem dispostas e positivas? E acredite que esta postura é perceptível aos olhos dos outros!

 

3 – Fase das descobertas

‘Quero explorar novos mundos…’

“Estava grávida de cinco meses, a sentir-me muito pouco atraente, quando eu e o meu marido fomos ver o filme ‘Munique’. A cena de sexo escaldante do protagonista com a mulher gravidíssima fez-me corar no cinema (felizmente estava escuro) mas deu-nos o mote para umas noites muito bem passadas”, revela Eunice B., 33 anos.

Há várias maneiras de despertar a imaginação e descobrir novos prazeres. Entre as fontes de inspiração contam-se, como é claro, o Kamasutra, mas também os objectos que se encontram em sex-shops, (se tem vergonha em visitá-las no nosso país, faça uma visita virtual pela Internet, www.annsummers.com) ou as cenas mais sexy dos filmes. O nosso conselho: desfrute!

“Não censure o conteúdo das suas próprias fantasias num esforço para as tornar normais. O propósito de uma fantasia é precisamente o de escapar à aceitabilidade social presa a regras, politicamente correcta e destruidora de desejos”, lembra Tracey Cox, no livro ‘Supersexo escaldante’, onde também deixa algumas ideias originais para teatrinhos caseiros: ‘patrão e secretária’, ‘ladrão surpreende Bela Adormecida’, ‘médico e enfermeira’, ‘bombeiro salva vítima eternamente agradecida’ são alguns dos cenários que eles mais gostam.

 

4 – Fase da pressa

Não posso esperar’

Por que deixar para amanhã o que se pode fazer já? Nesta fase não importa o lugar nem a hora. O que impera é a vontade de satisfazer o desejo e tirar o máximo prazer do momento. Em alguma fase da sua vida vai perceber que o tempo é curto e que nem sempre há paciência para os rituais que vemos nos filmes românticos: o banho de espuma a dois (geralmente o tamanho diminuto das banheiras dificulta o romantismo e as poses sensuais), seguido de uma massagem erótica. Por vezes, há que satisfazer o desejo no momento e a sofreguidão ainda aumenta mais o prazer.

 “Houve um dia em que tive relações com o meu namorado na casa de banho de um bar! Nunca o tinha feito antes, mas foi então que compreendi que torna o sexo bom não é necessariamente o tempo que se leva a concretizá-lo, mas sim deixarmo-nos levar pelo impulso do desejo”, confessa Helena G., de 27 anos, lembrando a altura em que descobriu o prazer das ‘rapidinhas.’ A perita em sexo Tracey Cox dá algumas sugestões: “têm de ser num lugar pouco ortodoxo, onde nunca (ou quase nunca) tenham sexo; imponham um tempo limite para tornarem estas experiências realmente interessantes – nunca mais de cinco minutos do início ao fim – e lembrem-se: uma rapidinha pode consistir em penetração, sexo oral ou masturbação.”

 

5 – Fase dos remorsos

‘Se arrependimento matasse…’

Há uma fase na vida das mulheres em que estas se forçam a pisar o risco e a pôr para trás das costas alguns dos limites pré-definidos, muitas vezes para agradar ao parceiro. Sim, porque nem todas temos de ser entusiastas do sexo anal ou das experiências em lugares públicos. Mas ultrapassado o frio na barriga e satisfeito o desejo do parceiro, nem sempre se sente bem consigo própria. Está na altura de resistir ao sentimento de culpa. Arrepender-se das opções faz parte do crescimento individual, por isso não deve ficar traumatizada. Experimentou algo e não gostou? É tempo de aprender a lidar com isso e seguir em frente e para a próxima vez diga não. “Se o pedido dele para a observar a lutar nua na lama com a sua melhor amiga não a atrai, limite-se dizer não… mas deixe claro que está aberta a outras sugestões”, lembra Tracey Cox.

 

6 – Fase do celibato

‘Mais vale só…’

Saltar de relação em relação nem sempre é o que precisa para encontrar a relação que lhe convém. Por vezes, o melhor é mesmo fazer um retiro espiritual. Mas atenção, não precisa de ficar fechada em casa ou isolar-se do mundo. Que tal apenas afastar-se do sexo oposto durante uns tempos? Ou então limitar-se a vê-los apenas como amigos. A opção pode parecer excessiva, mas há alturas na vida (especialmente depois de mais uma relação fracassada) em que pode ser bastante sensata. O objectivo é claro: pensar na vida e perceber o que fracassou e o que realmente querem. “Quando optei por ficar sozinha após o fim de um namoro de cinco anos, consegui olhar com maior clareza para o que estava à minha volta, definir prioridades e até mesmo a perceber que tipo de homem faz realmente o meu género”, relembra Mónica S., de 42 anos. E vai ainda mais longe: “a ideia de que uma mulher apenas está completa quando tem sexo é um perfeito disparate: acho que isso só nos dá mais tendência a fazermos asneiras e a entregarmo-nos ao primeiro homem que nos aparece só para não ficarmos sozinhas.’

 

7 – Fase da tranquilidade

Adivinha o que estou a pensar’

Ao fim de algum tempo com alguém, a relação assume um patamar de confiança em que quase não é preciso falar, basta um olhar para perceber o que vai na sua cabeça e adivinhar os seus desejos mais íntimos. É bom ter um relacionamento assim tão cúmplice – em que ele sabe o que lhe dá mais prazer e você sabe o que ele gosta – ­­mas não caia no erro de não inovar de vez em quando. Apimente a sua vida sexual e torne-a mais estimulante. Falta-lhe ideias? Bem, segundo um estudo recente de conselheiros matrimoniais norte-americanos, 80% dos inquiridos indicaram um fim-de-semana fora como a melhor forma de salvar uma relação sexual morna. Do que está à espera?

Siga também o conselho de Tracey Cox: “não se esqueça de pôr na mala roupa interior atrevida, bem como os vossos brinquedos sexuais preferidos, um lenço para se amarrarem, uma venda ou um óleo de massagem.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:43 | link do post | comentar

Sábado, 18.06.11

Falta de Líbido

Rotina, excesso de trabalho, baixa auto-estima e muitos outros probleminhas do dia a dia podem interferir na libido e, consequentemente, no desempenho sexual. As suas próprias cobranças tornam as coisas muito mais difíceis para você nessa hora.

 

DIFICULDADE PARA...


sentir prazer e chegar ao orgasmo: afeta 30% das mulheres

manter a ereção: atinge mais da metade dos homens após os 40 anos


O ORGASMO FAZ BEM!

 

Muitos médicos afirmam que ele diminui as tensões do dia a dia, melhora a qualidade do sono, aumenta a auto-confiança e por aí vai.

 

ALGUNS INIMIGOS DO PRAZER:


Estresse e cansaçoFalta de disposição é muito complicado para um ato sexual, já que vai ser exigido muita energia nessa hora. O ideal é que se costume ter sempre boas horas de sono.

Depressão


É uma doença da alma. Então como se sentir bem por fora, se por dentro está tudo ruim? Deve-se procurar ajuda.

 

Problemas/perdas


Demissão, preocupação com as contas, morte de alguém querido... tudo isso mexe muito com o emocional. Sendo algo reversível, acerte a mente, se concentre e acredite que para tudo há uma solução.

 

Baixa auto-estima


Não valorize demais os defeitos do seu corpo. Pense sempre em arrasar nas preliminares, ainda com roupa. E quando você tirá-las, o outro estará tão interessado em possuir você que nem enxergará uma só celulite.

 

Monotonia e falta de criatividade


Hora marcada para fazer sexo, mesma posição sempre... só falta bater o cartão de ponto. Faça sexo no carro, no chuveiro, na hora do almoço, no banheiro do Play, na escada de incêndio, dentro do mar... ufa! (Cansei só de pensar...kkkkkk)

 

O descompasso do sexo pode provocar várias crises no relacionamento, mas tem mais haver com a vida atual, do que propriamente o relacionamento em si, mas esse sim, acaba abalado e por vezes sofre um final prematuro.

 

Os homens sempre sofrendo com suas disfunções eréteis, e as mulheres sempre ocultando suas dificuldades em conseguir chegar ao orgasmo. Tudo isso acontecendo, sempre sem diálogo, leva aos desencontros no sexo, do tipo quando um está com vontade e o outro não quer. E é muito difícil lidar com esse tipo de situação, porque entra em jogo toda a relação, os sentimentos, a perda que a relação sofre, a intimidade que vai ficando de lado.

 

Com as atitudes da mulher, em busca de novas descobertas, os homens tiveram que se preocupar mais com o tempo entre penetração e ejaculação. Pois para o homem, o tempo de sua parceira não era fator importante na hora do sexo. Um engano crucial por parte deles, que tiveram que descobrir, o ajuste de tempo para que o prazer sentido agora seja o de ambos, e não apenas de um.

 

 

 

 

Então... dica para a mulherada: abuse da sua sensualidade; saiba que seu corpo por natureza já emite desejo; e que você tem todo o direito de ir nas alturas.

Dica para os homens: seja humilde para pedir ajuda, sincero se houver fraquezas; mas acima de tudo saiba que homem é sujeito macho e foi feito para possuir a sua fêmea. Então, não tenha medo de nada. Vai lá e faz o que deve ser feito.

Até lá.

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:15 | link do post | comentar

Quarta-feira, 08.06.11

Sexo, precisa-se!

A perda de desejo sexual afecta uma em cada dez mulheres portuguesas. O que fazer para a travar

 

Dores de cabeça e cansaço. Estas são as desculpas mais utilizadas pelas mulheres que não sentem vontade de ter relações sexuais.

Para muitas, a situação é passageira, mas para outras pode revelar a perda progressiva da libido, uma questão de saúde que preocupa a comunidade científica e que também pode ter sérios reflexos na relação conjugal do casal.

Nos Estados Unidos da América, este é o problema sexual mais comum do sexo feminino. Gerald Weeks, terapeuta sexual, garante que cerca de um terço das mulheres com uma vida sexual activa sofre ou irá sofrer de Desejo Sexual Hipoactivo (DSH) em alguma fase da vida.

Em Portugal, dez por cento das mulheres sofre de disfunções do desejo sexual, enquanto cinco por cento tem disfunções do orgasmo e dores no acto sexual, segundo as estatísticas apresentadas em Junho de 2009 no congresso da Associação Portuguesa de Urologia (APU). Os mistérios da sexualidade feminina podem estar na origem do problema, mas esta não é a única explicação.

As diferenças

Vera Ribeiro, psicóloga clínica e especialista em sexologia, considera que a perda de desejo sexual é um problema feminino porque as suas causas são, na maioria das vezes, de origem psíquica. «O funcionamento sexual das mulheres é muito mais emocional do que físico, ao contrário do que acontece com o homem. Se a parte psicológica não se encontrar a, pelo menos, 80 por cento, muito dificilmente ela estará disponível para fantasiar sexualmente ou para ter relações com o parceiro.»

Do lado masculino, mesmo que o stress tome conta do dia-a-dia, a especialista considera que a disponibilidade mental para o relacionamento é diferente. «O homem consegue sempre manter a possibilidade de fantasiar, o que é a base de todo o desejo sexual.»

Razões de sobra

Uma série de factores psíquicos podem influenciar o desejo sexual feminino, como a existência de problemas familiares, profissionais ou económicos, casos de depressão ou de abuso sexual. Estas situações, sublinha Vera Ribeiro, não necessitam de uma intervenção médica, mas antes de acompanhamento psicológico.

A perda de desejo sexual pode estar também associada a doenças como hipertensão, cancro, diabetes, problemas a nível da tiróide, problemas cardíacos, doenças do foro neurológico e doenças auto-imunes. Para além disso, «alguns medicamentos para a hipertensão, antidepressivos, contraceptivos orais combinados, bem como o abuso de álcool e drogas estão associados à diminuição do desejo sexual», sublinha.

Mulheres sob pressão

 

 

 

Via Sapo Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Sexo durante a gravidez

Vida sexual na deficiênci...

Sexo, saiba o que eles go...

Conheça os tipos de sexo ...

Como lidar com a primeira...

Mitos sobre sexo: verdade...

Aprenda a ler a linguagem...

Dez segredos para ter uma...

6 mitos de diferenças na ...

Sexo, Eles também têm "do...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags



comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links


blogs SAPO
subscrever feeds