Segunda-feira, 18.06.12

7 Motivos para ter bom sexo

Não tem tido vontade? Tente assim mesmo. Esta é a melhor maneira de recuperar o desejo perdido

 

Uma das principais queixas de mulheres que vivem um relacionamento longo é o “arrefecimento” sexual. Muitas vezes, tudo corre sobre rodas, mas, na cama, o casal deixa de estar em sintonia.

 

Para evitar que tal aconteça ou para trazer o desejo de volta, uma das atitudes mais importantes, de acordo com os especialistas, é esforçar-se para vencer a preguiça de fazer amor e deixar-se de desculpas como dores de cabeça, filhos, trabalho, preocupações financeiras. Lembre-se, “em sexualidade, quanto mais se faz, mais se deseja”, explica o sexólogo Amândio Mendes. Precisa de mais uma força para enfrentar a própria falta de vontade? Deixe-se convencer pelos sete motivos que se seguem.

 

1. Fazer amor é uma ótima maneira de arejar a cabeça e relaxar o corpo. Com o homem que amamos à nossa disposição, para quê gastar dinheiro em ginásios?

 

2. Acha que está enferrujada? Nada disso! Fazer sexo é como andar de bicicleta, nunca se esquece. Aliás, é só começar que vai lembrar-se logo de tudo. E, depois, o difícil vai ser parar...

 

3. As discussões com o seu marido começam a ser um hábito? Atenção, pois uma boa noite de sexo é a melhor forma de dizer-lhe que o ama e que está disposta a perdoá-lo. Além disso, ele vai adorar o novo método de comunicação.

 

4. Está há quase duas semanas sem fazer amor com a sua cara-metade? Cuidado! Os especialistas garantem que esta marca é perigosa e deve ser evitada a todo custo, pois, depois desse período, voltar ao início torna-se mais difícil. E se você está ainda há mais tempo sem namorar debaixo dos lençóis com o seu parceiro, então, não perca mais tempo!

 

5. Sexo é a porta de entrada para que o casal aumente o grau de intimidade. E não é só a intimidade na cama: ela começa aí, mas reflete-se em todas as outras áreas do seu relacionamento.

 

6. Se está sempre cansada e indisposta na hora H, tente, por uma noite, passar por cima disso tudo. Comece com um beijo quente e alguns carinhos mais maliciosos e veja como se sente. O cansaço desaparece em dois tempos.

 

7. Meteu na cabeça que o seu marido já não a vê como antigamente? Mesmo assim, vista uma lingerie mais ousada e ponha um pouco de perfume antes de ir para a cama. Este pequeno gesto terá tantos resultados que vai fazê-la sentir-se nas nuvens.

 

Dicas para ter desejo


Muitas vezes, a falta de vontade de fazer amor é passageira e pode ser resolvida com um boa noite de sono, pois o que a está impedir que se solte é cansaço. O que precisa, então, é de relaxar.

  • Ouça música e dance frente ao espelho
  • Apanhe sol, principalmente na zona do baixo ventre
  • Tome um banho revitalizante (vale tudo: duche, banho de imersão, mar, piscina)
  • Exercite-se, nem que seja uma caminhada diária
  • Faça uma massagem: até pode ser enquanto usa o creme hidratante, depois do banho

Retirado de Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 13.06.12

Slow sex  desfrute dos benefícios

A vida anda rápida, quase tudo pode ser feito on line. Temos horários, prazos e também pouco tempo para nós mesmos.

 

Até mesmo o sexo parece ter se transformado numa atividade com horário marcado para acontecer. E, às vezes, até isso precisa rolar nos momentos que sobram.

 

Isso não é o ideal, sabemos disso, e a solução é agendar. Isso mesmo. Reservar um final semana para fazer sexo sem pressa, e sexo quer dizer muito mais do que o ato sexual em si. Quer dizer, se tocar, se olhar e fazer tudo mais devagar, é praticar o slow sex. Se faz bem para a saúde comer devagar, porque não fazer amor devagar?

 

Sexólogos e pesquisadores comentam sobre os benefícios do slow sex, e um deles é melhorar o humor e vida de quem pratica. Se o sexo sempre feito com tanta pressa, como explorar o corpo do outro? Há coisas que nos pedem tempo, nada contra as rapidinhas, mas sexo merece tempo.

 

Uma dica bem interessante é prolongar as preliminares, experimente trocar carinhos com seu amado, mas sem tocar nos genitais, eles representam o último estágio do prazer. E nada de ir arrancando a roupa, faça tudo com calma. Você não está numa competição, e ninguém tem nada com isso. É o seu momento de relaxar a aproveitar a delícia da companhia de alguém que você quer.

 

Prepare o ambiente propício. Do que vocês mais gostam na iluminação? Meia luz? Ou tudo às claras? Uma dica de ouro é pingar algumas gotas do seu perfume num lenço ou echarpe e colocar sobre um abajur que seja fechado, para evitar acidentes. Acenda algumas velas e deixe a imaginação correr solta.

 

Abra uma garrafa de vinho, faça um prato de frutas e petiscos leves e deixe-os à mão. Afinal, você pretende passar muitas horas nesse ambiente.

Quando a hora do sexo, propriamente dita, começar, escolha uma posição que permita ficar de olho nos olhos do seu parceiro. E quando terminar fique por alguns momentos, na mesma posição, sinta o momento, e não deixe de provocar caso esteja disposta a mais uma rodada.

 

A proposta não é fazer algo tão diferente do que você já gosta de fazer. É incrementar esses momentos, com calma, com tempo, e colocar mais temperos nesse prato delicioso que é o sexo.

 

Retirado de Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 22:40 | link do post | comentar

Domingo, 03.06.12

Pico sexual feminino ocorre sábado, às 23h / Shutterstock

O estudo foi feito com cerca de mil mulheres do Reino Unido

Quer saber qual é o melhor momento para namorar entre quatro paredes? De acordo com um estudo encomendado pela revista "Women's Health", do Reino Unido, o pico do apetite sexual feminino ocorre às 23h dos sábados. 

Segundo informações do jornal "Daily Mail", para chegar a essa conclusão, o levantamento contou com a opinião de mil mulheres do Reino Unido. Apesar de mais de três quartos das entrevistadas estarem satisfeitas com a vida sexual, grande parte culpou muito trabalho e falta de tempo livre por diminuir a disposição.

Vale acrescentar que, no ano passado, a Escola de Economia e Ciência Política de Londres, na Inglaterra, informou que a quinta-feira pela manhã é o melhor período para os casais terem relações. A explicação é que os níveis de cortisol chegam ao máximo, estimulando os hormônios sexuais. Também já constataram que as taxas de testosterona nos homens e de estrogênio nas mulheres ficam até cinco vezes mais elevadas no início do dia. Tente todas as alternativas e tire suas próprias conclusões. 

 

 

Retirado de Band



publicado por olhar para o mundo às 21:51 | link do post | comentar

Quinta-feira, 31.05.12
Sexo tântrico  prazer sem limites


Se você gosta de ter uma boa, prazerosa e demorada relação sexual, mas nem sempre é possível devido à ejaculação precoce do seu parceiro que ocorre antes mesmo que você "chegue ao céu", as técnicas do sexo tântrico podem solucionar o seu problema. E a relação do casal pode passar de meros minutinhos para intensas horas de puro divertimento e prazer extremo.

 

A principal diferença entre o sexo comum e osexo tântrico está no foco de cada um deles, como explica o Mestre Victor Lino, professor de tantra e yoga da Prakriti Yoga: "O sexo comum, na grande maioria das vezes, está focado no prazer momentâneo. Já o tântrico está focado no autoconhecimento."

 

O mestre afirma que no sexo comum não existe um interesse em conhecer o parceiro, existe apenas o foco no prazer. "Na relação tântrica você tem prazer, mais ele ocorre com uma maior consciência. Eu consigo aproveitar e usufruir muito mais o parceiro", diz ele. "Outra diferença é que no sexo comum a intenção é satisfazer o homem, já no tântrico o principal foco é a mulher", completa.

 

Victor diz que na relação tântrica é considerada ejaculação precoce quando o homem não proporcionou, pelo menos, um orgasmo a mulher. "O tempo mínimo deve ser quando o homem tenha proporcionado o prazer para a mulher, mas também não é uma obrigatoriedade. Esse tempo varia de acordo com o desejo do casal", afirma.

 

Ele também comenta que o homem aprende a segurar a ejaculação devido a algumas técnicas que a pessoa vai conhecendo no curso de tantra. "No caso da mulher, ela aprende a manter o canal vaginal lubrificado e, com isso, aumenta o tempo da relação. Os homens aprendem a controlar a energia enviada ao pênis para não chegar ao ponto de ‘explodir’", garante Lino.

 

Sendo assim, o homem aprende a transformar a energia que era emitida para o seu órgão em uma energia meditativa, por exemplo. "O que não deve ocorrer é a energia ficar parada em apenas um lugar. Por isso, é necessário transformá-la em outro tipo de energia para não chegar ao ponto ejaculatório", destaca o professor.

 

A mulher também auxilia no controle da ejaculação do homem, pois à medida que a energia vai crescendo, atinge as duas partes da relação. "A relação sexual tântrica é formada por dois pólos e cada pessoa é um pólo. Faz-se essa troca de energia com o parceiro para que a mesma se equilibre", conta Victor.

 

Portanto, se durante a relação sexual o homem for ficando muito excitado e a mulher percebe, ela precisa reduzir a velocidade para que o homem consiga equilibrar a energia junto com a dela. "Como na relação tântrica a mulher fica por cima do homem, ela tem o total controle da situação", relata o professor.

 

E ele ainda revela: "Por conta da posição, a mulher consegue encontrar pontos que a estimulam muito mais", diz Victor. E complementa: "Por cima tem um aspecto psicológico muito importante. O homem está embaixo olhando para cima como se adorasse e tornasse a mulher uma deusa. Além de ter mais liberdade com as mãos no corpo da parceira para estimulá-la."

 

Para tornar a relação muito mais deliciosa e divertida, o mestre esclarece que é necessário usufruir dos cinco sentidos: "Aguçando o olfato vai trazer uma sensação agradável naquele momento. Uma boa música para embalar o casal ou palavras ao pé do ouvido para aguçar a audição. O toque e o sabor da pele para estimular as sensações", ensina o professor.

 

Embora todos esses detalhes sejam muito importantes, o mestre também ressalta que a preparação do ambiente é fundamental para o clima entre o casal: "Isso porque eu transformo a energia do lugar deixando-a mais gostosa. Se temos a possibilidade de fazer coisas diferentes com a minha parceira, eu devo fazer."

 

Se você deseja incrementar a relação sexual com algumas técnicas tântricas, a primeira delas é apostar nas preliminares. Como a mulher leva mais tempo para se lubrificar, as preliminares ajudam a deixá-la bem preparada para relação. Invista também na massagem tântrica que vai causar estímulos proporcionados pelo toque. "Tire o foco do sexo em busca do prazer e pense que o sexo é um momento do amor e de expansão da consciência, assim a relação durará o tempo que desejar", finaliza Victor Lino.

 

Retirado de Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:46 | link do post | comentar

Terça-feira, 29.05.12

Os vilões que atrapalham o seu orgasmo

Às vezes, chegar lá pode ser mais difícil do que a gente imagina. NOVA investiga o distúrbio que é o maior desmancha-prazer feminino.

 

NOVA lança o desafio: pule esta reportagem agora quem nunca perdeu um orgasmo na vida. Continua lendo? Não está sozinha. Muitas de nós sofrem com a anorgasmia, disfunção que dificulta ou, em casos extremos, nos impede de atingir o clímax, o topo da excitação, o céu. Existem quatro tipos. O mais comum, chamado situacional, faz com que só consigamos com determinadas carícias (masturbação, por exemplo). Além dele, também tem o primário, caso de quem nunca nem sequer experimentou; o secundário, quando a gente de repente para de ir aos finalmentes; e o total, quando nenhum estímulo é suficiente para nos fazer chegar láhhh. A disfunção é mesmo uma das maiores vilãs do êxtase feminino. Por sorte, NOVA sabe como combatê-la.

 

Conhecendo o inimigo

 

A anorgasmia tem várias causas — e nem todas são psicológicas. Por isso, os terapeutas aconselham nunca achar que as dificuldades só existem na sua cabeça nem guardar suas angústias e dúvidas (conte tudo a quem pode ajudar, começando por uma conversa franca com o médico). Elas podem ter sido desencadeadas por cicatrizes ou danos aos nervos provocados por cirurgias ginecológicas. Fora o uso de drogas, álcool ou certos medicamentos, como os que controlam a pressão arterial, os antiestamínicos e os antidepressivos. Que o diga a empresária paulistana Mariana, 26 anos: “Estava trabalhando e fazendo pós-graduação, o que é barra pesada. Para complicar ainda mais, meu namorado foi transferido para o Rio. Não conseguia dormir e me sentia tão destruída que fui ao médico. Ele receitou antidepressivos e pílula contra ansiedade.” A insônia sumiu, mas, quando foi passar um feriadão com o lindo, descobriu os efeitos colaterais. “Nem sentia vontade de transar. Na cama, parecia uma morta-viva e me peguei pensando: ‘Será que ele não vai se satisfazer de uma vez para acabar logo com isso?” Percebendo que Mariana não era mais a mesma, o namorado até sugeriu procurarem estímulos extras em uma sex shop. Diz ela que saíram da loja com a sacola cheia de brinquedinhos, vibradores e livros. Deu certo. Não chegou a ser uma glória na primeira vez, mas o tesão aumentou e facilitou o orgasmo — embora tenha demorado mais que de costume. De volta a São Paulo, a moça conversou com o terapeuta, que a ajudou a conciliar os remédios com o desejo. Mariana acabou dispensando os antidepressivos antes do que imaginava.

 

No caminho do prazer

 

Excluída uma causa física, vale checar o fator emocional. São desmancha-prazeres de marca maior a própria ansiedade de ter um orgasmo, a culpa provocada por uma educação sexual rígida, alguma crença religiosa ou cultural que interfere no prazer, além do medo de engravidar ou de pegar uma doença sexualmente transmissível. O tratamento varia, óbvio, dependendo do tipo de anorgasmia. Para quem nunca experimentou essa explosão de sensações (cerca de 5 a 10% das mulheres), os terapeutas tentam ajudá-la a relaxar e se sentir segura, aumentando a sua capacidade de reagir positivamente aos estímulos sexuais. É o caso da mulher que está ansiosa achando que não vai conseguir ou assustada com a possibilidade de se descontrolar ou ainda fisicamente incomodada sem saber o que esperar. “Já as que sofrem da secundária só precisam aprender novos truques para chegar lá — afinal, já conhecem o caminho e sabem que são capazes de trilhá-lo”, explica Elna McIntosh, terapeuta sexual e uma das maiores autoridades no assunto. No caso da anorgasmia em situações específicas, a mulher precisa de ajuda para identificar as circunstâncias favoráveis e, em seguida, melhorar sua comunicação.

 

Aconteceu com a dentista Juliane, de 24 anos, que teve a primeira experiência sexual quando tinha 17 anos. “Demorei para me decidir, mas fiz porque queria, e não por pressão do namorado. Apesar disso, na hora H, entrei em pânico. Tanto que contrai demais os músculos da vagina e a penetração foi superdolorosa. Minha vontade era pular da cama e correr para casa”, diz. A experiência ruim se repetiu com outros parceiros. Apesar de sentir vontade de transar, ficava tão tensa que tornava o ato quase impossível. Não é surpresa que não soubesse o que era um grand finale. Nem mesmo com a masturbação. Durante anos, fez vários tratamentos e visitou uma lista de médicos. “Um deles chegou a dizer que eu precisava operar para aumentar a abertura da vagina e cortar alguns músculos. Só não encarei a mesa de cirurgia porque morri de medo”, lembra. Um namorado apaixonado e sensível sugeriu recorrerem à terapia juntos. O primeiro alívio foi descobrir que seu problema era comum — estima-se que 70% das mulheres ficam ou já ficaram a ver navios. Depois de alguns meses de sessões, com direito a exercícios e orientações de como tocar o outro, o casal finalmente espantou o grande vilão da cama. “Não aconteceu de uma hora para outra. Vivemos um processo lento, mas surpreendente. O primeiro orgasmo foi totalmente inesperado. Caí no choro de felicidade.”

 

Retirado de Nova



publicado por olhar para o mundo às 21:29 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23.05.12

Dicas para aumentar a sua libido / Shutterstock

Depois de um longo dia de trabalho, algumas mulheres se sentem desestimuladas para o sexo ao chegar em casa. Há noites em que tudo o que você quer é apenas deitar e dormir, mas quando isso vira hábito o relacionamento pode esfriar. 

Por isso, para driblar o cansaço e aumentar o desejo sexual, o site Health.com listou sete dicas importantes. Confira a seguir e aproveite sua noite a dois:

Dê abraços longos
Sabe aqueles abraços de até três segundos? Prolongue-os. De acordo com um estudo, um abraço com mais de 20 segundos aumenta os níveis de hormônios ligados à sensualidade.  “Abraçar proporciona sentimentos de profundo apego, o que muitas vezes leva ao desejo sexual”, explica a pesquisadora Helen Fisher.

Mantenha seu coração acelerado
Seja com corrida ou musculação, fazer exercícios aumenta sua confiança com a silhueta e, consequentemente, o desejo sexual. Se tiver preguiça, faça uma caminhada para intensificar o fluxo de sangue no corpo. "Mulheres que se exercitam têm maior autoestima sexual", afirma a pesquisadora Tina M. Penhollow.

Aguce seus sentidos
Concentre-se em tudo o que vê, sente e ouve. Mulheres sensitivas têm mais satisfação sexual, segundo um estudo do jornal Sexual Medicine. Para adquirir este hábito, escolha uma refeição do dia e observe a textura, o aroma e o sabor com atenção. Dessa forma, você será capaz de captar melhor as sensações.

Mude o tom da conversa
Tudo bem que vocês precisam dividir algumas angústias, mas conversar apenas sobre trabalho e problemas familiares afasta os desejos sexuais. Por isso, divida seus pensamentos picantes e relembre noites marcantes. De acordo com a especialista em relacionamento Yvonne K. Fulbright, ele ficará mais apaixonado ao ouvir frases como: “lembra quando fizemos isso na cozinha?".

Olhe uma foto dele
Segundo um estudo da Universidade de Rutgers, exames de ressonância magnética mostraram que quando uma pessoa olha para foto de outra por 30 segundos, há uma atividade do cérebro que aumenta o desejo sexual. Por isso, olhe uma foto dele no caminho do trabalho. Os sentimentos gerados nos 30 segundos irão se prolongar até você chegar em casa.

Redescubra seu lado sexy
Você já tentou acender velas e colocar uma música sexy, mas mesmo assim, depois de um longo dia de trabalho, é difícil entrar no clima. "As mulheres fazem malabarismos, tanto que podem colocar sua sexualidade em segundo plano e perder a conexão com o lado sensual", diz Marianne Brandon, autora do livro Recuperação do Desejo. A dica é não desistir e sempre tentar novas táticas para descobrir a mulher sexy que há em você.

Não aposte em lingeries sexy
Claro, se você se sentir atraente dessa forma, siga em frente. Mas algumas mulheres usam peças sensuais apenas para agradar o parceiro. O segredo é usar roupas que aumentem sua autoestima e libido. “Use o que faz você se sentir sensual, não o que seu parceiro pensa que é quente. A sensualidade faz parte de quem você é”, explica Marianne Brandon.

 

Retirado de Band



publicado por olhar para o mundo às 21:52 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.05.12

sexo,estimulação e desejo

 

A mulher atarefada, que vive um corre-corre pra conseguir dar conta de todas as atividades que precisa realizar ao longo do dia, às vezes chega em casa tão cansada que não tem ânimo nenhum para uma bela noite de amor e sexo com o parceiro.

 

"Buscar as crianças no colégio, fazer o jantar, assistir à novela, deixar o maridão ver a partida de futebol e, só depois, como última atividade do dia, sentir-se disposta para transar não é fácil. Sexo dá prazer, mas dá trabalho no dia a dia", diz a sexóloga Cida Lopes.

 

É complicado quando o cansaço e o desânimo acabam passando por cima do desejo, mas a especialista aconselha que as mulheres façam um esforço diário para colocar o sexo em pauta novamente no casamento. Afinal, isso será bom para a relação como um todo. "Quantas vezes você pensa em sexo por dia? Normalmente, a mulher responde ‘nenhuma’. Então, já detectamos uma falha. Pense em sexo umas três vezes, por dia, até que seja natural lembrar-se do assunto", recomenda Lopes. "Alimente uma relação erotizada. Dê beijos longos e apimentados, não fique apenas nos estalinhos. Quanto mais estimular o desejo, mais desejo você irá sentir. Acaricie o parceiro, passe a mão em seu corpo. Mande uma mensagem sugestiva ou deixe um bilhetinho para ele. Tome banho juntinho demorado", completa.

 

A sexóloga explica que em relacionamentos que já duram há bastante tempo, mesmo quando a relação ainda não chegou ao casamento, é comum a perda de desejo. Então, a dica é não deixar que a relação caia na rotina.

 

Ao contrário do que muitas mulheres pensam, não é preciso esperar que o parceiro tome sempre a iniciativa. A autonomia sexual feminina foi conquistada e eles adoram quando a parceira demonstram desejo e tesão.

 

"O grande desafio é valorizar o que a relação estável tem de bom. Exige esforço e cuidado. É normal querer viver em estado de paixão, o que é uma imaturidade. Estimule o prazer, mesmo que você saiba que naquele momento não vai rolar mais nada além das preliminares", aconselha Lopes.

 

Retirado do SRZD



publicado por olhar para o mundo às 21:25 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.04.12

O estudo concluiu que as mulheres têm diversos tipos de orgasmo. Foto: Getty Images

O estudo concluiu que as mulheres têm diversos tipos de orgasmo

Durante décadas o clitóris foi conhecido como a única chave para a satisfação sexual da mulher. A crença fez com que os homens passassem horas a explorar o popularmente conhecido como botão do orgasmo. Porém, pesquisadores descobriram que elas podem chegar ao clímax apenas com relações sexuais e que é um orgasmo totalmente diferente do atingido pela estimulação do clitóris. As informações são do Daily Mail.

Os cientistas descobriram que o orgasmo vaginal e do clitóris são, na verdade, fenômenos completamente separados e ativam áreas diferentes do cérebro. Eles também concluíram que a mulher pode chegar ao orgasmo através de estímulos em uma série de zonas erógenas do corpo.

 

A capacidade de alcançar o clímax pela estimulação vaginal pode estar ligada à saúde física e mental. Mulheres saudáveis ​​têm mais chances de ter um orgasmo sem estímulos no clitóris.

 

A parede frontal da vagina está intimamente ligada com as partes internas do clitóris, o que significa que estimular a vagina sem ativar o clitóris deve ser impossível. A pesquisa concluiu que existem vários tipos de orgasmos femininos.

 

O ápice do prazer sexual da mulher acontece no cérebro que transmite sensações no corpo. O pesquisador Beverley Whipple, da Universidade Rutgers, disse ainda que existem evidências de que algumas mulheres podem chegar ao pico sexual apenas com o pensamento, sem qualquer estímulo físico.

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 06.04.12


Por Silvana Melo


Toques, carícias, beijos ardentes... E o corpo feminino responde: o coração dispara, a respiração fica mais ofegante, as mamas e os mamilos ficam eretos, os genitais intumescem, assumem uma coloração mais forte e se lubrificam. Pronto. A mulher está excitada! E quando isto não acontece? Este é um dos problemas sexuais que mais causam sofrimento à mulher e é erroneamente conhecido por muitos como frigidez. No entanto, por ser um termo muito depreciativo e pejorativo podemos chamar mais adequadamente de disfunção sexual geral.
 
A mulher com tal disfunção não possui as sensações eróticas típicas da excitação, normalmente não fica lubrificada ou apresenta apenas uma leve lubrificação. Por isto, muitas delas consideram a experiência sexual angustiante e frustrante. Desenvolvem um forte sentimento de incapacidade e inferioridade, assumindo muitas vezes o rótulo de “fria” , o que agrava  ainda  mais o quadro. Isto tudo pode interferir em seus relacionamentos de modo geral e até mesmo  vir  a causar doenças psicossomáticas.

É importante saber que, apesar de não ser muito frequente, algumas mulheres atingem o orgasmo mesmo sem se lubrificar. O mais comum, no entanto, é a inibição sexual geral ser associada a anorgasmia.
 
Algumas das causas orgânicas podem ser citadas: doenças  inflamatórias dos órgãos genitais e aparelho urinário que provocam coito doloroso, enfermidades que debilitam o organismo como um todo, estresse, depressão, álcool, algumas medicações, como anti-hipertensivos ou antidepressivos que têm como efeito colateral a diminuição da libido, entre outras. 

No entanto, as causas psicológicas/culturais são as mais frequentes. A educação repressora forma o grande pano de fundo para os conflitos, culpas e medo da entrega que rodam a cabeça de muitas mulheres na hora do sexo. A ansiedade, seu julgamento de auto-observação, o medo de não atingir o orgasmo, o mau relacionamento com o parceiro, a dificuldade de comunicar os seus desejos eróticos para o mesmo, assim como a  não estimulação adequada por parte do companheiro, pode provocar a disfunção sexual geral, impedindo que as mesmas não assumam seu direito ao prazer.

Esta dificuldade interfere negativamente não só com a autoestima feminina como também com a masculina, pois muitos deles podem se sentir incapazes de excitar sua parceira ou até mesmo  se sentirem rejeitados. Lembramos que cada caso deve ser analisado isoladamente. É bem verdade que alguns homens precisam aprender a tocar o corpo de uma mulher.

Infelizmente esta ainda é uma queixa extremamente comum entre as mulheres que buscam ajuda nos consultórios de terapia sexual. O carinho, a suavidade a calma e a paciência são fundamentais pois ela precisa de mais tempo do que ele para se excitar.

A mulher que não se excita, não pode ser considerada “fria”, ela tem um “coração” que sente, chora, sofre, se apaixona e ama. O que ela precisa é de um tratamento que a estimule a falar francamente sobre seus desejos sexuais para seu parceiro, que a desbloqueie e a faça conhecer melhor o seu corpo e suas sensações. Enfim, ela precisa descobrir e usar toda sua sensibilidade na grande arte da entrega que é a relação sexual; se permitindo desta forma ter o seu tão merecido prazer.

Então.... Muito Prazer pra vocês!

 

Retirado de NE10



publicado por olhar para o mundo às 21:22 | link do post | comentar

Terça-feira, 03.04.12
Algumas maneiras de como seu namorado age podem dizer muito. Foto: Getty Images

Algumas maneiras de como seu namorado age podem dizer muito
Foto: Getty Images

A cama é um ótimo lugar para conhecer mais o parceiro, até fora de quatro paredes. Algumas maneiras de como seu namorado age podem dizer muito sobre ele. Veja a seguir as dicas dadas no site Madame Noire.

 

Os sinais
Depois de uma longa noite você chega em casa e encontra seu amor na cama deitado de pijamas, em vez de estar sem roupas. Vocês se abraçam e de repente fazem amor.Se ele age sempre da mesma maneira todas as noites ele pode estar pensando que sexo não é mais tão necessário, que você não o deseja mais ou que ele acha que não vale mais a pena fazer esforço para mudar essa rotina.

 

Ele dá carinho
Muitos homens se tornam mais selvagens na cama, esquecem que carinho é essencial para suas parceiras. E eles às vezes até demonstram um esforço para serem mais carinhoso na hora H. Se seu parceiro presta atenção neste detalhe pode ter certeza que ele tem sentimentos verdadeiros a seu respeito.

 

Ele é circense
Se na hora do sexo seu parceiro gosta de fazer mil e um malabarismos para lhe impressionar, mostrando o quanto ele pode ser viril, tal atitude pode demonstrar: ele pode se sentir diminuído perante a você fora do quarto. Seja porque a namorada ganha mais do que ele, ou está em melhor forma ou tem mais amigos. Na verdade ele quer provar que é melhor do que você, pelo menos na cama.

 

Ele demora no sexo
Muitos homens prolongam demais o sexo e a impressão que dá é que parece uma eternidade. Isso quer dizer que ele pode estar pensando que está lhe perdendo emoionalmente ou ele pode estar mais carente, fazendo com que o momento de intimidade se prolongue muito. Ou apenas ele está louamente apaixonado por você.

 

Ele é rápido demais
Na hora do sexo seu parceiro é rápido demais? Chega ao orgasmo sem pensar no seu prazer? Tome cuidado, pois isso é sinal de egoísmo. Cuidado, pois isso pode significar que ele não vai ajudá-la nas tarefas do lar em casa. Ele não está lhe usando, mas não tem muita estima por você.

 

Ele pergunta demais
Seu companheiro faz perguntas demais para saber se o modo como ele faz lhe dá prazer, qual o jeito que você mais gosta? Se ele quer saber tudo sobre o seu prazer é sinal de que ele se sente grato com as coisas que você faz para ele. É um sinal de atenção.

 

Retirado de Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:07 | link do post | comentar

Segunda-feira, 02.04.12
Aprenda 6 maneiras divertidas de melhorar sua vida sexual

De acordo com a ioga do riso, ao fingir os movimentos de um orgasmo você realmente pode ter um real
Foto: Getty Images

O que o riso e o sexo têm em comum? De acordo com o médico indiano Madan Kataria, tudo. O especialista criou o Clube do Riso, presente atualmente em cerca de 60 países e ainda é especialista na ioga do riso. Segundo a sua teoria, o riso falso ou verdadeiro proporciona os mesmos efeitos benéficos fisiológicos e psicológicos no corpo. E quem nunca provou o gostinho do que uma boa gargalhada pode proporcionar? Pois é, veja a seguir algumas dicas para fazer com que o sexo seja mais divertido, de acordo com o site Your Tango:

 

1 -Não leve nada tão a sério
Algumas pessoas têm a tendência de levar o sexo muito a sério. Os risos aliviam o estresse, a ansiedade e ainda vão encher o quarto de boas energias.

 

2 -Fingir? Sim
De acordo com a ioga do riso, ao fingir os movimentos de um orgasmo você realmente pode ter um real. Não custa nada experimentar.

3 -Orgasmo
Segundo o médico, quanto mais o casal ri, mais fácil chegar ao orgasmo.

 

4 -Sensação
Dar gargalhadas ajuda a ativar os neurotransmissores em seu corpo, tornando mais fácil a sensação de prazer. O mesmo vale para os orgasmos.

 

5 -Desejo
As pessoas não devem ter que esperar ter desejo para fazer sexo, às vezes é preciso começar a fazer para que a vontade apareça. O mesmo acontece com o riso.

 

6 -Mente
Com a prática do riso, ganhamos controle sobre nossas mentes e fazemos com que essas sensações boas fiquem na memória do corpo.

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 22.03.12

Mulheres tem orgasmos quando fazem exercício físico

 

Segundo um novo estudo, as mulheres podem não precisar de um cara, de um vibrador ou sequer de qualquer outra estimulação sexual direta para ter um orgasmo – basta fazer exercícios físicos.

 

A pesquisadora Debby Herbenick, codiretora do Centro de Promoção da Saúde Sexual da Universidade de Indiana, EUA, diz que os cientistas já relataram o fenômeno do prazer sexual induzido pelo exercício físico em 1953, com cerca de 5% das mulheres entrevistadas dizendo que tinham orgasmos ligados ao exercício físico.

 

No entanto, naquela época foi difícil saber qual a prevalência real desse fenômeno porque a maioria das mulheres ofereceu a informação sem que os pesquisadores fizessem essa pergunta diretamente (ou seja, eles não perguntaram “você tem orgasmos quando faz exercícios físicos?”).

Desde então, os relatórios desse tipo de orgasmo, chamado em inglês de “coregasms”, por causa de sua ligação aparente com exercícios para músculos abdominais centrais, têm circulado na mídia há anos.

 

Apesar da atenção na mídia popular, pouco se sabe cientificamente sobre o orgasmo induzido por exercício. Então, Herbenick e seus colegas usaram pesquisas online para coletar os dados de 124 mulheres que tiveram orgasmos induzidos pelo exercício e 246 mulheres que relataram prazer sexual induzido pelo exercício.

 

A maioria das mulheres, com idades entre 18 a 63 anos e uma idade média de 30 anos, estava em um relacionamento sério ou casamento e 69% disseram ser heterossexuais.

 

Os pesquisadores descobriram que cerca de 40% dos dois grupos de mulheres tiveram prazer ou orgasmo induzido pelo exercício físico mais de 11 vezes em suas vidas. A maioria das mulheres do grupo do orgasmo disse que sentia um certo nível de constrangimento ao se exercitar em lugares públicos.

 

O grupo do orgasmo afirmou majoritariamente que não estava tendo uma fantasia sexual ou pensando em alguém quando tiveram orgasmos durante exercícios.

 

Das mulheres que tiveram orgasmos durante o exercício, cerca de 45% disseram que sua primeira experiência foi ligada a exercícios abdominais; 19% disseram que foi ligada a bike ou spinning; 9,3% disseram que foi ligada a escalar postes ou cordas; 7% relataram uma conexão com o levantamento de peso; 7% com correr e o resto das experiências incluiu vários exercícios, como ioga, natação, aparelhos elípticos, aeróbica e outros.

 

O prazer sexual induzido pelo exercício estava ligado a mais tipos de exercícios que o fenômeno do orgasmo.

 

Respostas às questões abertas da pesquisa revelaram alguns detalhes interessantes. Por exemplo, os exercícios abdominais ligados a orgasmos pareciam estar particularmente associados ao exercício “cadeira do capitão”, em que uma pessoa suporta seu peso sobre os antebraços e, em seguida, levanta os joelhos em direção ao seu peito.

 

As perguntas abertas também revelaram que os orgasmos tendem a ocorrer depois de vários conjuntos de flexões ou algum outro exercício abdominal em vez de depois de apenas algumas repetições. Também parecia acontecer depois que a mulher realmente tinha se exaurido.

 

“Muitas dessas mulheres disseram que isso começou a acontecer desde crianças”, disse Herbenick, acrescentando que algumas indicaram uma experiência aos 7 ou 8 anos. “Nós tivemos pelo menos uma mulher no estudo que era virgem, e realmente amava poder ter estas experiências na academia”.

 

Ligação confusa

Os pesquisadores não sabem ao certo porque certos exercícios levam ao orgasmo ou ao prazer sexual.

 

“Pode ser que o exercício, que já é conhecido por ter benefícios significativos para a saúde e bem-estar, tem potencial para melhorar a vida sexual das mulheres”, sugere Herbenick. Mas não é certo que os exercícios físicos podem realmente melhorar as experiências sexuais das mulheres.

 

A pesquisa tem várias implicações em relação à sexualidade das mulheres. O orgasmo e o desejo sexual já encabeçaram a lista de maiores preocupações sexuais das mulheres, com cerca de uma em cada quatro mulheres não atingindo o orgasmo durante o sexo.

 

Os pesquisadores sugerem que “pode ser que o exercício físico tem sido negligenciado em abordagens clínicas para o orgasmo das mulheres”.

 

Por outro lado, os cientistas têm debatido por muito tempo o contexto evolutivo do orgasmo feminino e sua ligação com a sexualidade e reprodução. Se muitas mulheres estão experimentando o orgasmo durante exercícios não relacionados com o sexo, então orgasmo induzido pelo exercício pode revelar o que o orgasmo tem ou não tem a ver com sexo ou reprodução.

 

Além disso, o orgasmo induzido por exercício pode ser um caminho para os cientistas e as próprias mulheres aprenderem mais sobre o processo do orgasmo.

 

Alguns podem questionar: “Será que isso realmente acontece?”. Herbenick responde: “Eu não tenho nenhuma dúvida de que isso acontece.

 

Via HypeScience



publicado por olhar para o mundo às 21:29 | link do post | comentar

Segunda-feira, 12.03.12

frigida

 

Casei aos 17 anos, com meu primeiro namorado, com quem estou até hoje. Perdi a virgindade com ele, pouco antes do casamento, mas só porque ele insistiu muito. Foi a primeira de várias vezes que fiz sexo por obrigação. Passei muitos anos sem sentir a menor vontade de transar. Eu era frígida mesmo.

 

Era muito nova e não sabia nada sobre sexo. Era um assunto proibido com meus pais e eu morria de vergonha de falar sobre isso com minhas amigas. Resultado: só fazia papai e mamãe com meu marido, pois achava que qualquer outra variação era coisa de prostituta. Sexo oral, nem pensar! Deixava meu marido fazer em mim porque ele insistia, mas eu morria de vergonha. Fingia orgasmos sempre.

 

Depois de um ano de casamento, veio o primeiro filho e, logo em seguida, o segundo. Aí a coisa piorou. Além de eu não querer transar em casa por causa das crianças e de não termos muito tempo de ir a motéis, comecei a ter várias encanações com meu corpo por causa das duas gestações. Nossa vida sexual foi essa tristeza durante oito anos. Não sei como meu marido me aguentou! Ele não reclamava muito, mas questionava se o problema era com ele. Mesmo preocupada, eu não tomava iniciativa para melhorar.

 

A grande virada aconteceu graças a NOVA. Sou formada em psicologia, mas nunca havia exercido a profissão. Desde a época da faculdade, trabalhava com eventos. Estava em uma feira quando me ofereceram uma assinatura da revista. Não sabia que as matérias falavam tão abertamente sobre sexo. Quando recebi a primeira, quase tive um treco. Escondi embaixo do colchão. Tinha até vergonha de abrir, mas continuei assinando... E lendo. A cada matéria, percebia que tinha alguma coisa muito errada comigo. Eu via todos aqueles depoimentos de mulheres realizadas sexualmente, transando em milhares de posições, e pensava: 'As pessoas fazem e sentem tudo isso mesmo, só eu que não?' Resolvi mudar.

 

Nunca vou esquecer a primeira recomendação de NOVA que segui. Foi o conselho de um psicólogo: 'Se você é muito travada, tome um vinho para se soltar'. Parece tão bobo hoje, mas aquela dica mudou minha vida. Tomei vinho, fiquei beeem soltinha e transei de quatro com o meu marido pela primeira vez! Logo tive meu primeiro orgasmo. Dali para a frente, comecei a ler tudo relacionado a sexo: de livros sobre o corpo feminino a romances eróticos.

 

Também frequentei diversos cursos de especialização em sexualidade e passei a conversar mais com meu ginecologista. Descobri que eu não tinha nenhum problema físico, só precisava me livrar das inseguranças. Consegui depois de outra grande mudança na minha vida: uma cirurgia cardíaca que fiz em 2007. Durante o período de internação, continuei lendo a respeito de sexualidade e comecei a escrever um blog sobre o meu dia a dia. Passei uma semana na UTI pensando que a vida é muito curta para não aproveitar as coisas boas que ela tem a oferecer.

 

Para minha surpresa, uma editora me procurou para incluir os textos que eu escrevia no blog em um livro sobre comportamento feminino, lançado no ano passado. Comecei a receber e-mails de amigas e desconhecidas querendo desabafar e tirar dúvidas sobre relacionamento e sexo. Depois passei a encontrar algumas delas pessoalmente, em shoppings e cafés.

 

Até que uma amiga me disse que eu deveria dar aulas sobre sexo. Minha primeira ideia foi ensinar striptease, pois eu já havia feito um curso e tinha um diferencial. A maioria das professoras não tem formação técnica e teórica nem diploma de psicóloga. Mais importante: a minha história, que agora compartilho todos os meses com cerca de 30 mulheres em palestras e workshops. Passamos tardes bem divertidas. Faço striptease na frente de cada uma delas, aconselho-as a tentar sexo anal no chuveiro e mostro, usando uma banana, como deve ser o sexo oral.

 

Eu vivi o mesmo problema de todas as mulheres que frequentam o meu curso e hoje sou praticamente uma ninfomaníaca! Se depender de mim, meu marido e eu transamos todos os dias. Sempre invento alguma coisa nova. Uma vez fomos levar nossos filhos ao Beto Carrero World e compramos um chicote para as crianças. Adivinhe quem usou... Fiquei no quarto esperando meu marido, de quatro com o chicotinho na mão. Ele adorou! Descambei de vez: já propus transar na praia, na piscina, no carro, usar produtos de sex shop, fazer sexo anal, oral, uma loucura! Ele vive dizendo que nem acredita na sorte que tem agora. Não existe mais monotonia no nosso casamento: sempre faço minhas apresentações de striptease para ele, transamos em todas as posições e frequentamos motéis pelo menos uma vez por semana (onde me solto ainda mais!). A palavra tabu não entra mais na nossa relação — nem na minha vida.

 

Não foi só meu casamento que melhorou, minha autoestima também está nas alturas. Sinto-me tão poderosa que agora ando na rua fazendo o seguinte exercício: sempre que estou passando por algum homem, penso em sexo oral. É incrível como eles notam nossa 'cara de sexo'. Nunca falha, todos me olham. Eu me divirto muito. Posso dizer com toda a certeza do mundo para qualquer mulher: se eu consegui mudar e hoje sou totalmente realizada na cama, você também consegue!"

 

Via Nova



publicado por olhar para o mundo às 21:31 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 17.02.12

7 coisas que nunca deveriam acontecer no quarto

 


Diz-se que os homens pensam com a sua ... bem, você sabe. E isso é particularmente verdadeiro no quarto quando as coisas começam a ficar quentes. Mas só porque os instintos de um homem se afloram na cama, não quer dizer que você precisa dizer amém a tudo. Assim como tudo tem limites nesta vida, na cama não é diferente. Veja 7 situações que devem ser rejeitadas para o seu próprio bem e da relação, listadas pelo site Madame Noire, e viva em paz. 

1 - Recusa em usar camisinha 

Mesmo que ele tenha 100% de certeza de que não tem doença alguma, deve ter a decência de saber que o fato de ele dizer isso não vai dar a paz de espírito que precisa para dormir desprotegida sem provas. Se o parceiro mostra repulsa ou irritação por conta do preservativo, é um bom sinal de que deve desistir dele. 

2 - Travar uma guerra 

Se um homem tenta guiá-la em uma determinada posição que você claramente resiste, ou em um determinado ato que, obviamente, não quer, tem alguma coisa errada. Alguns garotos tentam se safar e acabam não falando com você sobre isso. Eles acreditam que se não falarem sobre o assunto, as garotas não vão ter coragem de falar não. Assim, vão tentando achando que uma hora, elas vão ceder. Cuidado com esta situação. 

3 - "Ela fez isso" 

Nunca deixe um homem te convencer a fazer alguma coisa, dizendo que sua ex adorava. Isso é apenas outra forma de intimidação. Mas a última coisa que você precisa para visualizar em um momento tão íntimo é ser quem você não é e que ele espera que seja. 

4 - Deixar a bagunça para você 

Nunca permita que ele saia sem ajudar a arrumar a bagunça do quarto. Se ele sai para tomar banho ou ver e-mail, faça com que volte e ajude a por as coisas no lugar. Exija respeito dele ou considere nunca mais vê-lo. 

5 - Telefonar para um amigo 

Seja um "ficante" de uma noite ou um namorado de muito tempo, a decisão de contar ou não aos amigos o que acaba de acontecer é sua. Alguns homens pensam que está tudo bem e acham até engraçado (tão imaturos) ligar para um amigo quando ele ainda está ofegante após a transa para falar: "eu estou na cama com fulana de tal". A menos que você também ache engraçado, é muito desrespeitoso um homem fazer isso. 

6 - Frustrado por não terminar 

Raiva nunca é o caminho certo para se conseguir algo na cama. Se você terminar antes dele e está exausta, ou vice-versa, ninguém tem direito de brigar ou emburrar. Se você está em um relacionamento de longa data com uma pessoa que não prioriza a sua satisfação e você sabe que ele tem a energia mas está sendo egoísta ou preguiçoso, definitivamente é preciso falar sobre o assunto com ele. 

7 - Medo de olhar nos olhos 

É compreensivo que olhar no olhos por um longo tempo durante o sexo pode ser desagradável e até arruinar o humor. Mas alguns homens têm medo de contato com os olhos durante o sexo. Eles só gostam de posições em que não há contato visual. Se for um relacionamento antigo, vale conversar com ele sobre o assundo e sugerir que procure uma ajuda profissional para lidar com esta barreira.

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:44 | link do post | comentar

Domingo, 12.02.12
Veja 5 preliminares para aumentar o prazer durante o sexo. Foto: Getty Images

 

Românticas ou não, a maior parte das mulheres sempre espera uma noite de amor com horas e horas de sinos tocando durante o sexo. Na vida real, no entanto, maratonas sexuais podem ser um pouco frustrantes. Na verdade, diversas pesquisas já mostraram que a maior parte dos casais prefere que o sexo dure não mais do que 15 minutos.


Para aumentar o prazer nessas ¿rapidinhas¿ ¿ que convenientemente se encaixam bem na rotina cada vez mais atribulada dos jovens casais ¿ , a revistaHealth Magazine elaborou algumas dicas para fazer desses poucos minutos momentos de pura excitação para você e seu parceiro.Confira:

 

Não pare de beijar. Beijinhos e beijões durante as tarefas comuns aumenta a velocidade com que você e o parceiro ficam excitados, pois o organismo já começa a se preparar para o sexo. Além disso, o gesto fará com que vocês se sintam mais íntimos, sem que a rapidez deixe uma sensação de vazio depois.


Mantenha-se vestida. Por que perder minutos preciosos tirando a roupa? Além disso, deixar uma peça aqui e ali é uma poderosa forma de excitar o parceiro. É como se ambos não pudessem esperar em segundo para curtirem o sexo.


Mudem de lugar. Cinco minutos de sexo na cama provavelmente não a deixará tão feliz. Mas cinco minutos durante o banho? Ou na mesa da cozinha? A novidade é sempre um poderoso aliado para aumentar a excitação, especialmente quando há o risco de serem flagrados por alguém.


Fantasie. Quando você está tentando entrar no clima o mais rápido possível, fantasiar com cenas excitantes pode ajudar ¿ e muito! ¿ no processo. Isso porque o cérebro irá reagir às imagens e preparar o corpo para o sexo. Além disso, você irá ficar mais concentrada no parceiro, o que já é por si só uma excelente preliminar.


Converse. Não, não estamos falando de uma DR em pleno sexo. Fale com seu parceiro durante o ato. Sussurre, grite, fale coisas doces ou apimentadas. Isso ajuda ambos a manter o foco um no outro e a lembrar do que os dois têm de especial que os mantém atraídos.

Via Terra


publicado por olhar para o mundo às 21:16 | link do post | comentar

Sábado, 11.02.12
Existe mesmo um Ponto G?

 

Desde 1950, quando o médico alemão Ernst Gräfenberg descreveu o ponto G pela primeira vez, cientistas, médicos e mulheres tentam encontrar esta área da vagina que, uma vez estimulada, seria responsável por altos níveis de excitação sexual e levaria ao orgasmo com facilidade.

Um grupo de pesquisa da Universidade de Yale, nos EUA, liderado pelo urologista Amichai Kilchevisky, se propôs a analisar artigos científicos publicados entre 1950 e 2011 em busca de evidências do ponto G. Revisaram então todos os estudos que destacassem algum dos seguintes termos: "ponto G", "ponto de Gräfenberg", "inervação vaginal", "orgasmo feminino", "zona erógena feminina" e "ejaculação feminina". A conclusão não poderia ser mais clara: após 60 anos de estudos, ainda não há evidências científicas sobre a existência do ponto G. "Anatomicamente ele não existe. A gente faz cirurgias, dissecções, e esse ponto não existe", afirma a ginecologista e terapeuta sexual Junia Dias de Lima.

Apesar disso, pesquisas indicam que a maioria das mulheres acredita no ponto G, mesmo as que nunca conseguiram localizar a tal área mágica em suas próprias vaginas. "Algumas mulheres vêem no ponto G uma espécie de tábua de salvação. Quando não conseguem ter prazer com seus parceiros, querem uma justificativa biológica, querem saber como achar o ponto G. Mas o sexo não é apenas biológico, é biopsicossocial. Costumo dizer que o ponto G está entre os ouvidos da mulher, fica no cérebro", diz o ginecologista e sexólogo Amaury Mendes Júnior, professor e médico do ambulatório de sexologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A busca pelo ponto G, em vez de resultar em prazer, pode causar frustração. "A mulher passa a achar que ela é a errada e diferente das demais. As pessoas são exibicionistas, gostam de falar que têm muitos orgasmos, mas não falam de seus problemas sexuais. Falamos de problemas de saúde diversos, dizer 'tenho enxaqueca' é até chique, mas dos problemas sexuais ninguém fala abertamente. A mulher que não consegue sentir prazer se sente muito frustrada", explica Junia.

Mas se o ponto G não existe e o caminho do prazer não é apenas biológico, o que a mulher deve fazer para ter relações sexuais gostosas e alcançar o orgasmo?

"Tem uma questão filosófica: as mulheres têm que entender que não devem tentar alcançar o orgasmo para agradar o homem. O prazer é individual, o outro não sente as suas sensações. Então a busca do prazer é para ela, não para o outro", diz Junia. "Cada pessoa tem um mapa erógeno, as áreas em que sente mais prazer, mas muita gente não sabe explorar sua individualidade", completa.

 

A psicóloga e sexóloga Carla Cecarello, coordenadora do Projeto Ambsex, afirma que o autoconhecimento e a masturbação são bons aliados. "A mulher precisa conhecer seu corpo, se tocar, fantasiar, ter um tempo só para ela, para descobrir as sensações que pode ter", explica Carla. "É muito eficiente estimular o clitóris, seja por fora da vagina, onde ele fica visível, ou por dentro, em direção à sua base".

E o parceiro, como fica nesta busca pelo prazer? "A mulher deve procurar uma boa pessoa para se relacionar – um homem, outra mulher, como preferir. Deve ser um companheiro interessante e interessado", diz Mendes Júnior. "O outro não deve cobrar, questionar se a mulher gozou ou não gozou. Isso gera ansiedade. O parceiro precisa ajudar a mulher a relaxar e se entregar ao sexo", aconselha Carla. "O sexo tem que ser bom para os dois. Tanto o homem como a mulher devem aceitar o outro como é, compartilhar e buscar juntos os caminhos do prazer", encerra Junia. 

 

Via Paraíba



publicado por olhar para o mundo às 22:45 | link do post | comentar

Quarta-feira, 08.02.12
Sexo na gravidez: mitos e verdades

O ideal é que o casal converse bastante e faça aquilo que for mais prazeroso para ambos

É possível manter uma vida sexual ativa e cheia de prazer durante os nove meses de gestação. O ginecologista Domingos Mantelli, de São Paulo, desvenda as maiores dúvidas sobre a relação sexual nesse período:

 

A libido diminui


MITO - O apetite sexual aumenta por causa dos hormônios da gestação que deixam a vulva e as mamas mais sensíveis. Em geral, os motivos que provocam a queda da libido são psicológicos (como o medo) ou físicos (enjoo). O casal pode ter uma vida sexual ativa, desde que não haja restrição médica.

 

Gestante tem orgasmo normalmente


VERDADE - Se isso não estiver ocorrendo, há algum fator psicológico envolvido. Existem casais que optam por não ter relações sexuais com penetração, em virtude do tamanho da barriga ou da proximidade do parto, mas encontram outras formas de sentir prazer.

 

 

A relação sexual pode machucar o bebê


MITO - O colo do útero é bem fechado, não há como chegar ao feto e muito menos machucá-lo. O único cuidado que se deve ter é em casos de gestação com risco de aborto, pois o esperma é muito rico em prostaglandina, substância que provoca contrações uterinas. Nesse caso, o ideal é usar preservativo.

 

Via M de Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 31.01.12
Acupuntura auxilia na recuperação do desejo sexual

 

Várias são as causas da falta de desejo sexual ou da perda da libido. Se não é algo mais aparente, como diabetes e hipertensão, causas difíceis de serem diagnosticadas também interferem na vontade sexual.

 

As duas doenças prejudicam a vascularização ao redor do clitóris, além de diminuir os impulsos nervosos que dão a sensação de prazer. Também fazem com que a mulher não tenha tanta excitação. E segundo a ginecologista Rosa Maria Neme, um dos efeitos colaterais dos medicamentos para diabetes e hipertensão é também a perda da libido.

 

Desequilíbrios hormonais, nódulos e ainda causas psicológicas, como estresse, são outros fatores que explicam a falta do desejo sexual. Segundo Aparecida Enomoto, especialista em acupuntura pela Universidade de Medicina Tradicional de Beijing, o método que usa as agulhas tem sido bastante eficaz na recuperação do desejo sexual, pois traz de volta o equilíbrio entre Yin (frio) e Yang (calor). "Quando os dois não estão em harmonia, a sexualidade ficam comprometida e as pessoas ficam tristes, deprimidas, depressivas, irritadas, impacientes e perdem o sono", diz.

O objetivo do tratamento é trazer de volta o aumento da produção dos hormônios do prazer, entre eles, a endorfina que relaxa, acalma e nos faz feliz, a serotonina, que tem ação profunda no efeito do humor e da ansiedade e a noradrenalina que, induz a excitação física e mental ativando o centro do prazer. Aparecida ressalta que a terapia ainda contribui para aumentar o estrógeno e a testosterona, hormônios importantes para a libido.

 

"A Acupuntura preconiza que a saúde mental está intimamente ligada à saúde sexual. Para esta terapia alternativa, o sexo é tão importante quanto a alimentação, o sono, a sede e as necessidades fisiológicas, já que a atividade nos torna mais felizes, pacientes, saudáveis e com muito menor índice de doenças", aponta a especialista.

 

A terapia também atua no feromônio, o chamado hormônio da atração, que tem como objetivo atrair o sexo oposto por meio do olfato. O nome tem origem das palavras gregas phero e hormon que juntas significam "trazer excitação". A atuação do feromônio acontece na outra pessoa, despertando o desejo para o sexo, namoro e a paixão. Enquanto a quantidade de testosterona afeta a forma como homens e mulheres se sentem atraídos.

 

Aparecida esclarece que a acupuntura é feita através de agulhas descartáveis finíssimas (descartáveis), sendo quase indolor. Ao contrário do que se pensa seu objetivo não é tratar a doença, mas sim o indivíduo, trazendo de volta a qualidade de vida sexual, a qualidade de vida e alegria do paciente.


Geralmente a especialista indica 12 sessões iniciais, sendo que a primeira é feita em duas horas para uma avaliação detalhada do histórico de vida. Segundo Aparecida, esse diagnóstico é feito através da leitura da língua, que indica deficiências ou exessos em órgãos como coração, pulmão ou fígado, e também nas vísceras: intestinos, estômago, visícula, entre outros. "A partir dele sabemos quais pontos devem ser trabalhados, mas não há um determinado ponto para recuperar a libido, pois a terapia trabalha o organismo como um todo. Além disso é algo bastante particular, depende de idade e outros fatores", explica.

 

Após essa análise, as seguintes sessões tem duração de 30 minutos. Para casos de impotência, Aparecida indica a fitoterapia chinesa, em conjunto com a acupuntura, para que haja um resultado mais rápido e eficiente. Ela vai estimular a produção de endorfina e outros hormônios do prazer.

 

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:34 | link do post | comentar

Sábado, 28.01.12
Homem que sente prazer em vestir de mulher

 

Entre as fantasias do universo masculino, talvez o mais estranho aos olhos da mulher é quando o parceiro quer ser como... ela.

 

Mas o fetiche existe e, muitas vezes, não se trata de desvio na orientação sexual. Segundo a terapeuta sexual Sylvia Maria Marzano, o que eles querem é colocar o lado feminino para fora, com o uso de lingerie ou roupas femininas. Ou ainda pode ser que façam isso apenas por curiosidade ou pelo fetiche mesmo.

 

O homem que tem esses hábitos “femininos” não é necessariamente gay. “O homossexual não quer ser mulher! Ele é um homem que gosta de outro homem. Precisamos não confundir com travesti, que veste roupas de mulheres mas têm prazer também no pênis. Um homem com orientação homoerótica só gosta de homens”, explica.

 

Sylvia é também diretora do Instituto Isexp, de São Paulo, e diz que esse desejo não deve ser necessariamente rotulado como desvio. “Para sabermos o que ocorre com cada homem que se veste de mulher precisaremos saber das circunstâncias em que isso ocorre”, explica. Segundo ela, o “travestismo” é um desvio, assim como o “cross dresser”, e nem sempre quer dizer homossexualidade. “Há uma grande discussão a esse respeito e ainda não temos uma certeza”.

 

Para ela, se o casal não sofre com a atitude, se ela faz parte do processo de erotização do casal, não há necessidade de procurarem ajuda profissional. “Agora, se esse comportamento estiver fazendo com que a parceria não esteja equilibrada, com um ou os dois sentindo-se culpados ou com mal-estar, é necessário que procurem ajuda, que poderá ser médico ou psicólogo”. A coisa pode virar doença se avançar para uma parafilia, ou seja, quando a pessoa que só chega ao orgasmo após prazer intenso desencadeado sempre por uma situação (seguido de mal estar).

 

A dica de Sylvia é que se o homem se sentir angustiado, deve procurar a terapia sexual. “Juntos, ele e terapeuta podem descobrir que conteúdos o fazem agir dessa maneira e o que faz com que ele sinta-se infeliz”.

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Terça-feira, 17.01.12
O fascínio das máscaras

Lady Gaga. Getty Images

 

Quando falamos em fantasia sexual, quase sempre no meio de nossos devaneios surge umamáscara ou quem sabe um homem ou mulher mascarados. E que atire a primeira pedra quem nunca sonhou com sua fantasia sexy de mulher gato! E note que uma máscara fica bem com 99% das fantasias.

 

Existem máscaras para todos os gostos. Tem aquelas bem baratinhas que a gente compra em lojas perto de casa e tem aquelas luxuosas de tecidos macios como cetim e renda. A máscara facilita na hora de assumir um papel e brincar. Principalmente para os mais tímidos.

 

Para quem quer investir nesse acessório fantástico há as máscaras venezianas, importadas e que normalmente possuemadereços, rendas e pedras. São realmente uma preciosidade.

 

Então, pense na sua história e monte um cenário para usar sua máscara. Use suacriatividadee se jogue nessa brincadeira deliciosa.

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:15 | link do post | comentar

Segunda-feira, 16.01.12

1.Os homens atingem o pico sexual aos 18, as mulheres aos 28


Verdadeiro

 

Mas o pico hormonal não é equivalente ao pico da performance. Primeira conclusão: não se fie nas hormonas e faça o trabalho de casa, que é muito mais importante. Segunda conclusão: a ideia de homens mais novos com mulheres mais velhas talvez faça mais sentido do que se pensava. Hormonalmente falando, pelo menos.

 

2.O pénis pode partir-se


Verdadeiro

O pénis não tem ossos, tecnicamente, mas pode de facto quebrar se houver sexo muito violento ou uma mudança de posição abrupta. Por isso vá com calma...

 

3.As ostras são afrodisíacas


Falso

Enfim, uma boa notícia para quem não gosta de ostras. Não há nenhum alimento que nos faça mais sexy cientificamente, mas aqui, como em tudo, funciona o poder da sugestão: se depois de um manjar de marisco, chocolate e trufas se sentir capaz de conquistar o mundo, força! Se o sexo não for fantástico, sempre jantou decentemente.

 

4. Os homens pensam em sexo de 7 em 7 segundos


Falso

Só 23% dizem que têm fantasias sexuais constantes com a Irina Shayk. Os outros estão demasiado ocupados a trabalhar, a pôr ‘likes’ no Facebook, ou a pensar na vida. Infelizmente, ninguém perguntou quantos homens pensavam no Benfica de 7 em 7 segundos.

 

5.O orgasmo faz sono


Verdadeiro

Se ele cair a ressonar depois de uma sessão particularmente animada, não o culpe e não lhe chame preguiçoso: a culpa não é do umbigo dele nem da mãezinha que o educou a pensar só no dito, é mesmo das hormonas. Um orgasmo transtorna de facto o equilíbrio químico dos homens. Isto e o esforço põem qualquer um nocaute. Por isso, meninas, não o culpem se ele de repente ficar uma Bela Adormecida nos vossos braços. Convém talvez é não terem sexo num avião, principalmente se for ele aos comandos.

 

6.As mulheres são atraídas por homens inteligentes


Verdadeiro

Claro que tudo depende daquilo que se entende por inteligente, mas sim, de uma maneira geral, as mulheres preferem um homem inteligente para qualquer tipo de relação, duradoura ou ocasional. Claro que, se além de inteligentes, tiverem músculo e tomarem banho, melhor...

 

7.Uma mulher pode ser alérgica ao esperma do companheiro


Verdadeiro

Há quem seja alérgico ao esperma, sim, mas não tem de olhar para isso como um sinal do destino e escolher outro ‘dador’. O remédio mais eficaz é usar preservativo. Se quiser engravidar, pode fazê-lo por inseminação artificial, onde é possível separar o esperma das proteínas que causam a alergia.

 

8.Sexo antes de um evento importante pode prejudicar a performance

Falso

 

Bem, a verdade é que tudo depende do que se entende por antes e do que se entende por evento: se for 2 horas antes, é normal que ainda não se esteja suficientemente restabelecido para jogar contra o Manchester. Mas 10 horas depois, já se está pronto para outra.  Ou outro. Jogo.

 

9.Se ele não consegue manter uma erecção, é porque não está assim muito interessado em si


Falso

Pode, pelo contrário, estar demasiado interessado em si...  A ansiedade do desempenho é uma das mais frequentes causas da... ausência de desempenho. Ele está tão preocupado em fazer boa figura que não consegue fazer nada. Outras causas muitíssimo frequentes para falta de erecção: cansaço, depressão ou medicamentos.

 

10.Os orgasmos mais poderosos acontecem na masturbação

Verdadeiro

Parece ser verdade tanto para homens como para mulheres, mas enfim, continua a faltar qualquer coisa...


Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 13.01.12

O sexo pode ser cada vez melhor - saiba como!

 

Vocês estão juntos há bastante tempo e têm certeza de que o amor que sentem um pelo outro é recíproco e verdadeiro. Confira, então, algumas medidas simples, mas eficientes, para adotar a dois e fortaleça ainda mais o seu relacionamento.

 

 

1. Par vencedor

 

Um jeito infalível de deixar claro quanto vocês formam um casal único e especial é valorizar tudo que são capazes de conquistar juntos. Pode ser a compra do sonhado apartamento ou o jantarzinho gostoso que prepararam a quatro mãos. O importante é não deixar escapar a oportunidade de ressaltar que, unidos, formam um time e tanto. Então, ao alcançarem alguma meta, que tal abrir aquela garrafa de champanhe que está guardada? Ou mandem um cartão ressaltando como a parceria de um para o outro foi essencial para o sucesso de um projeto individual.

 

2. Minicuidados

 

Gestos às vezes insignificantes, como limpar o canto da boca dele com guardanapo ou passar a mão na franja que cai sobre os olhos um do outro, demonstram que vocês continuam atentos, disponíveis e cuidadosos.

 

3. Amigos até debaixo d'água

 

Claro, a química sexual é importante. Porém, a verdadeira âncora de um relacionamento é mesmo a amizade. Isso significa criar e fortalecer o clima de confiança e honestidade que existe na relação. Seu querido chegou abatido em casa? Dê espaço para que desabafe, em vez de soterrá-lo sob críticas ou perguntas. Seu carro enguiçou? Ele pode levá-lo à oficina ou buscá-la no escritório enquanto o conserto não fica pronto. Não importa a circunstância, demonstrem que o companheirismo faz parte integrante do namoro - ontem, hoje, sempre!

 

4. Adrenalina lá em cima

 

Seu coração ainda acelera quando o telefone dele aparece no seu identificador de chamadas? Maravilha! O problema: esse tipo de entusiasmo costuma perder força quando o relacionamento ganha longevidade. O antídoto é simples: vocês devem aproveitar todas as oportunidades para se sentirem especiais um ao outro, mesmo quando fizerem gestos corriqueiros. Ele chegou mais cedo para irem ao cinema? Em vez de reclamar que ainda não está pronta, recompense-o com um abraço apertado porque terão mais tempo para ficar juntos. No café da manhã, comentem como adoraram dormir agarradinhos. Ao provar o mesmo alvoroço do início da relação, essa sensação se tornará cada vez mais forte.

 

5. Olhos nos olhos

 

Qual foi a última vez que vocês olharam nos olhos um do outro enquanto faziam amor? Casais que soltam faíscas ano após ano não se privam de experimentar esse enlevo romântico quando estão na cama. Então, aproveitem um momento em que o sexo está pra lá de bom e fitem-se longa e apaixonadamente.

 

6. Programa legal

 

Você adora ver shows em DVD, mas seu homem implora para assistir à final do campeonato de futebol no canal de esportes. Nada de emburrarem um com o outro! Em vez disso, demonstre algum interesse pelo que ocorre em campo nem que seja por míseros cinco minutos, enquanto ele põe a pipoca no micro-ondas. Não é que você ou ele devam ceder sempre. Mas, ao se ligarem naquilo de que o outro gosta de vez em quando, tornarão a conexão ainda mais poderosa.

 

7. Ombro amado

 

Pedir um conselho ou a ajuda um do outro quando estiverem com um problema pessoal revela quanto vocês se respeitam como casal e exercita a confiança mútua. Lembrar de levar em conta o que cada um pensa aumenta a liga da relação. Mesmo que nenhum dos dois tenha a solução na ponta da língua, saberão que podem contar com apoio e solidariedade irrestrita.

 

8. Beijos no capricho

 

Os selinhos estão em alta, mas trocar beijos longos é a pedida para prolongar o romance. Que tal resgatar esse contato e manter a chama em altíssima combustão?

 

Via CenárioMT



publicado por olhar para o mundo às 21:53 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22.12.11

 

Se você quer ter a transa mais quente da sua vida ou se tornar presença vip nos pensamentos do gato (sim, aqueles...), abuse do vocabulário erótico. Pode ser ao vivo, pela internet ou por SMS. Nelma Penteado, que há 16 anos ministra o curso Papo Quente, divide a conversa caliente em três níveis:

1) Sensual
Quando você elogia o rapaz: "Adoro a sua boca".

2) Erótico
Diga: "Quero te dar um beijo de língua bem gostoso".

3) Safada
Fale claramente o que deseja que ele coloque na sua boca.

No primeiro encontro, mesmo que seja apenas virtual, é melhor evitar o terceiro nível. Antes de soltar o verbo, teste seu parceiro. "Veja como ele responde até ter certeza de que pode bancar a safada", diz Nelma.

Receita quente
Seja qual for o nível de sacanagem que você escolher, o segredo para virar uma expert em comunicação sexual é fazer o cara se sentir inesquecível na cama (vale mentir). Anote uma receita infalível para se tornar boa de lábia:

· Elogiá-lo bastante: diga e escreva frases como "Adoro seu sorriso" e "Que boca deliciosa você tem".

· Contar o que vai fazer com ele quando se encontrarem: aqui, entram frases como "Não vejo a hora de te beijar todinho" e "Só de pensar na gente juntos, fico toda excitada".

· Mostre o que quer que ele faça com você: "Adoro quando você beija meu pescoço", "Estou contando os minutos para a gente transar".

Dica: ao vivo ou ao telefone, preste atenção no tom de voz. "Fale de maneira sensual, sussurrando e prolongando as vogais", diz Nelma.

O segredo da safada
Chegará a hora de se referir aos órgãos sexuais. Se vocês são íntimos, é provável que ambos já tenham algum apelido carinhoso. Mas, se o relacionamento ainda não engrenou, escolha nomes com os quais se sinta à vontade. Evite os termos clínicos. Ouvir as palavras "pênis" e "vagina" irá fazê-lo se sentir no consultório do urologista. Ah, sim, nunca, jamais use o diminutivo para se referir a outra parte do corpo dele que não seja a barriga.

 

 

Via Paraiba



publicado por olhar para o mundo às 21:24 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21.12.11

 

Homens não vêm com manual de instruções. Mas você pode descobrir muito sobre seu alvo nos primeiros minutos de transa. Quem diria que, atrás de um sedutor, se esconde um inseguro? E sabe aquele lindo que adora transar em lugares inusitados? Teimoso de marca maior! Ficou curiosa? Confira quatro diferentes estilos sexuais masculinos - e descubra com quem você divide a cama.

 

1. Dedicação plena


O tipo dedicado cobre seu corpo de beijos, faz massagem... Para ele, sexo e afeto andam juntos, de preferência trocando carinhos. Tantos que podem até ser confundidos com grude, embora, segundo o psicólogo Christopher Blazina, autor de The Secret Lives of Men (A vida secreta dos homens)., só provem quanto o gato está envolvido. Seu amor é tão doce que nem sobra espaço para surpresas. Novidades entre os lençóis? Ideia sua, claro. Mas não se engane. Apesar de previsível, ele adora testar manobras.

 

2. Sexy sem limite


Frases picantes no ouvido, olhares que queimam a pele, mãos por todo o seu corpo, sorriso de matar. Para o gato, sexo é a maneira mais rápida e excitante de se conectar com você. E o melhor: o tipo sedutor é ótimo nessa arte. "O problema é quando não se acha bom o suficiente fora do quarto", diz Blazina. Se você estiver cansada e sem vontade de transar, a autoestima dele despenca. Antes de dar um beijo de boa-noite, avise seu deus do orgasmo que pretende ser agraciada com os poderes divinos dele no dia seguinte.

 

3. Aventuras mil


Ele invade o chuveiro durante o seu banho e não perde a chance de agarrá-la na escada. "Esse tipo se sente confortável para experimentar tudo ao seu lado", decifra Blazina. Está sempre cheio de ideias e disponível para uma sexcapada. Para ele, transar de conchinha só no dia em que o time perder. O bonitão pode ser o parceiro perfeito de cama, desde que você tope todas as ousadias. Caso contrário, vai ser difícil convencê-lo de que transar no quarto dos seus pais não é divertido. Mas se ele encontrar você na garagem...

 

4. Gene dominante


Muita ação e pouco romance. Sexo com esse gato mais parece filme do Vin Diesel! Seu amor é cheio de vigor sexual. Porém, como usa a transa como válvula de escape, pode ser um pouco egoísta e achar difícil se conectar emocionalmente com você. "Como faz o tipo machão, não dá espaço para a parceira assumir o controle, pois só se sente confortável no comando", diz Blazina. Para ajudar esse bonitão pilhado a relaxar, melhor aliviar as tensões antes do quarto. Mais calmo, ele tenderá a focar menos no próprio orgasmo e caprichar no seu.

 

Via Paraíba



publicado por olhar para o mundo às 22:05 | link do post | comentar

Segunda-feira, 19.12.11

O prazer faz bem à saúde

 

O prazer sexual traz muitos mais benefícios além da intimidade com o parceiro. De acordo com a reportagem da revistaCosmopolitan espanhola, diversos especialistas já ligam o orgasmo com a saúde e bom funcionamento do organismo.

 

Por exemplo, sabe-se que ter orgasmos ajuda a ter uma vida longa, aumenta a imunidade da pessoa, melhora a saúde reprodutiva e ajuda a controlar dores no corpo. Mais: ápice do prazer ainda ajuda a controlar o estresse do dia a dia. Prova disso é que um estudo recente mostrou que 39% das mulheres se masturbam para relaxar. Isso acontece porque o corpo libera oxitocina durante o orgasmo, uma substância que aumenta a sensação de bem-estar.

 

Para atingir o orgasmo, no entanto, ter intimidade com o parceiro e estar bem com o próprio corpo são fatores fundamentais. A revista ainda ressalta que o prazer pode, sim, ser atingido com a prática do sexo seguro ¿ embora alguns homens reclamem que a camisinha pode incomodar, estar segura é um dos fatores que deixa a mulher mais relaxada e mais próxima do orgasmo.

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:43 | link do post | comentar

Sábado, 17.12.11

Mulher para dez talheres

Muito interessante...
Sensualidade sem vulgaridade...


Vocês sabem o que é uma mulher para mais de dez talheres?


Uma mulher pra 10 talheres é aquela que seduz e encanta apenas com um sorriso, que faz a sua imaginação trabalhar de forma acelerada quando ela passa exalando charme e sensualidade, que possui um toque teatral que permite a ela personificar as fantasias de um homem, pois ela sabe que todo homem quer prazeres diferentes e aventuras e ela lhe proporciona isto. Ela sabe como fisgar um homem criando um exaltado fascínio sexual misturado com modos suntuosos e teatrais. Ela transmite para o homem que deseja vibrações de sexo, pois ela é uma mulher dominada pela paixão e, com isso, ela se olha pelo espelho e se sente bem porque sabe que está bonita - não para todos os homens - mas sim para aquele que ela deseja, para aquele que a conquistou.


Com uma mulher dessas não existe apenas sexo e sim uma infinita descoberta de como saborear cada centímetro de seu corpo, de como é prazeroso vê-la sentindo prazer. É se perder em um frenesi de toques e carícias freqüentes. E, quanto mais ligada ao homem ela estiver, muito mais sexualmente inspirada ela vai ficar.


Um homem, quando está com uma mulher destas, perceberá que uma noite de sexo apenas não é suficiente para satisfazer todos os seus desejos e vontades porque ela é insaciável, possui sede de prazeres intensos e irá buscar isso no homem que está do seu lado.


Pois é meus caros leitores, saibam que esta mulher se caracteriza com a intensa fantasia dos homens, a fantasia de uma mulher extremamente sexual, confiante e atraente capaz de oferecer infinitos prazeres com doses moderadas de risco. E, se algum dia, um homem encontrar uma mulher dessas, dificilmente conseguirá esquecê-la.

E então, você é uma mulher para mais de dez talheres? Alguma vez algum homem já lhe disse isto? E os homens, sabem reconhecer este tipo de mulher? Já se deparam com uma dessas? Se sim, já conseguiram esquecê-la? Quero saber a opinião de todos.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 22:06 | link do post | comentar

Quinta-feira, 15.12.11
Tentar novas posições é uma das formas de esquentar a vida sexual. Foto: Getty Images

Tentar novas posições é uma das formas de esquentar a vida sexual

O primeiro passo para ter uma vida mais gostosa na cama é mudar alguns hábitos da rotina. Algumas pessoas acham que o vivido na cama não pode ficar melhor do que está, quando na verdade a capacidade sexual evolui junto ao envelhecimento. As informações são do You Beauty.

 

A chave é saber o que agrada o seu corpo e explorar o prazer, segundo a terapeuta sexual Linda Alperstein. "A sexualidade é totalmente individual", disse ela. O site You Beauty listou dicas para ter mais prazer na cama; confira a seguir.

 

Explore a sua respiração


Muitas mulheres seguram a respiração perto clímax, sem pensar. A expiração profunda pode intensificar o momento. Algumas ainda dizem que gemidos potencializam as sensações e encorajam o homem a atingir o clímax também. A técnica da tradição tântrica indiana é fazer de 15 a 20 respirações ofegantes, seguido por uma expiração longa. Repita isso três vezes, quando estiver perto do orgasmo.

 

Fortaleça os músculos vaginais


Ao urinar, interrompa o fluxo de urina, segure e solte novamente. Ao fazer isso você está contraindo os músculos usados durante o orgasmo. Não faça o exercício todas as vezes em que for urinar, pois pode ter infecção na bexiga, caso não a esvazie por completo. Em vez disso, contraia e relaxe durante todo o dia, por exemplo, ao comer ou dirigir. Agora que você está acostumada à sensação de apertar e relaxar os músculos, também pode fazê-lo durante a relação sexual.

 

Experimente novas posições


A penetração pela parte de trás da vagina pode intensificar o clímax. Ficar em cima do parceiro enquanto ele está sentado, com uma ligeira inclinação; de deitar de costas com as pernas para cima também são opções de posições diferentes.

 

Tome óleo de peixe e corte soja e carboidratos


Marrena Lindberg, autora de The Orgasmic Diet, disse que as mulheres podem melhorar a qualidade da vida sexual com uma dieta regrada. Todos os dias, deve ser consumido um copo de suco de laranja para vitamina C e óleo de peixe. As refeições devem ter 40% de carboidratos, 30% de proteína e 30% de gorduras. Marrena recomendou ficar longe de produtos de soja, café e consumir um pedaço pequeno de chocolate escuro por dia. Obter a dose diária adequada de zinco e magnésio é importante para manter os níveis de testosterona. A dieta ajuda a regular os hormônios, a circulação do tônus ​​muscular e química do cérebro.

 

Converse com um médico sobre medicamentos


Alguns anti-depressivos e anti-hipertensivos interferem nos orgasmos de muitas mulheres. É considerado um efeito colateral, então trazer o problema ao médico para que ele possa trabalhar em uma solução é importante.

 

Tenha um parceiro comprometido


As mulheres têm menos orgasmos em parte porque os homens oferecem menos sexo oral às parceiras que não são namoradas, de acordo com pesquisas de estudantes universitários coletadas pela New York University.

 

Fique atenta


O prazer sexual e recompensas emocionais ficam mais profundas quando o parceiro busca formas de dar prazer e responder aos esforços em relação à mulher. Quando os dois estão atentos às necessidades do casal, fazem amor juntos e não apenas sexo.

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:55 | link do post | comentar

Sexta-feira, 09.12.11
Beije mais e rejuvenesça

Foto: Dreamstime

 

É claro que beijar é bom e agora você vai querer beijar ainda mais. Sabe por quê? Por que beijar ajuda a evitar rugas e estresse, e isso é palavra de especialista.

 

Segundo o cirurgião dentista José Ribamar Cerqueira Filho, do Rio de Janeiro, "um beijo na boca coloca o nosso corpo inteiro para trabalhar: beijar exercita os músculos, queima 12 calorias, aumenta a produção de hormônios e melhora a circulação sanguínea".

 

O ato de beijar movimenta 29 músculos faciais (12 dos lábios e 17 da língua), uma verdadeira ginástica facial, o que ajuda a prevenir o envelhecimento da pele, além de aguçar os sentidos com o prazer proporcionado.

 

O Dr. Ribamar ainda afirma que os batimentos cardíacos são acelerados de 70 a 150 batimentos cardíacos por minuto, este acontecimento vai oxigenar as células e estimular as funções de quem beija, além de proporcionar um sono de qualidade e diminuir dores de cabeça.

beijo acalma, portanto, o que vai ajudar em muito o seu dia-a-dia. Você só precisa estar atenta para o fato de que beijar é uma troca de saliva e de bactérias que podem causar cáries, portanto, atenção na escovação dos dentes.

 

"É necessário fazer uma boa escovação em pelo menos três vezes ao dia ou até mais, usar o fio dental que é imprescindível para retirarmos a comida acumulada entre um dente e outro, e bochechar com algum anti-séptico bucal, responsável por matar osgermes e bactérias que moram habitualmente na boca. É importante, também, visitar o dentista, periodicamente, realizando medidas profiláticas, para o não desenvolvimento de bactérias", finaliza o dentista.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:23 | link do post | comentar

Terça-feira, 29.11.11
Escandalosas na hora do sexo

 

Cada um extravasa como quer (ou pode) a alegria do ápice do prazer na cama. Tem gente que chora. Tem quem ria, sem parar.

Tem as que ficam em silêncio, curtindo na ausência do som a intensidade do prazer. E tem quem grite. Para potencializar o prazer - ou simplesmente para externar a satisfação - há quem se empolgue e coloque numa boa noite de sexo uma trilha sonora com gritos, altos gemidos e muito, muito escândalo.

 

Mas às vezes, você gosta de fazer barulho - e seu parceiro acha a cena desnecessária. Como não existe receita pronta, o legal é sentir o ritmo da coisa e controlar o volume da empolgação na medida. “Meu marido não gosta que eu grite, mas tem vezes que é incontrolável. Até mordo o travesseiro. Sinto que ele fica assim quando transamos em casa, já que temos duas filhinhas”, conta Suzi Cunha. Segundo ela, mesmo com o quarto distante das meninas, o maridão não se sente à vontade da mesma forma quando eles vão para um motel.

 

Raul Silveira concorda que perto dos filhos não é legal, mas admite que adora quando a mulher grita. “Significa que está mesmo sentindo muito prazer”, diz. “Mas quando tem alguém em casa, não gosto quando minha esposa grita. Não quero que as pessoas fiquem imaginando minha mulher pelada transando comigo”, completa. Pelo jeito os gritos valem mesmo no motel, quando não tem ninguém escutando. “Lá, não vejo problema algum em gritar. Todo mundo vai para o motel para transar mesmo”.

 

Alicia Medeiros diz que o namorado é bem barulhento, fala bastante e sempre comenta depois que ela é muito quietinha na cama. “Eu não gosto de falar nada, nem de gritar. Prefiro curtir o prazer em silêncio”, afirma. “Gemer um pouco alto tudo bem, agora fazer escândalo, ninguém merece”.

 

Então como tanto homem quanto mulher podem preferir o sexo silencioso, mais calminho, o legal é sentir a vibração do parceiro. Mas não deixe de extravasar apenas porque o parceiro não gosta. Encontrar o equilíbrio na equação é muito melhor do que reprimir o prazer.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:47 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.11.11

Foto: Reprodução de Internet

 

 

Uma pesquisa encomendada pela revista "VIP" sobre o que agrada as mulheres na cama revelou que a exigência feminina realmente é grande no que diz respeito ao que é considerado sexo satisfatório.


Foram consultadas cerca de 1 193 mulheres de todo o Brasil entre 18 e 35 anos pela internet. Os resultados das pesquisas são, para alguns homens, inusitados, mas com certeza animadores.

Elas querem mais!


O estudo revelou que 69% das mulheres gostariam de fazer mais sexo. A maioria delas (34%) faz sexo duas ou três vezes semanais. Para 33% delas, são necessários dois ou três encontros para rolar a primeira vez e 5% disseram que só transariam com um homem depois do casamento.


Além do mais, parece que esse negócio de mulher não liberar o sexo anal não é tão verdadeiro assim. A verdade, segundo a pesquisa, é que 65% das mulheres que responderam ao estudo já fizeram. E mais: 1/3 das que não fizeram está com vontade. Os números revelam que 57% delas gostaram e repetiram a experiência, enquanto 13% gostaram, mas não fizeram de novo. As mulheres que não apreciaram a experiência somaram 30%.  

Além disso, mulher na cama não é bonequinha de porcelana, que corre o risco de quebrar no primeiro toque. Sendo assim, 88%  da amostra da pesquisa afirmaram gostar que o parceiro use algum tipo de força na hora do sexo.

Sobre o tamanho do pênis, as opiniões ficaram divididas: 49% acham que o tamanho faz diferença.

E para quem acha que não existe a possibilidade de elas sentirem tesão, atração ou até mesmo amor por outro homem, é melhor rever suas ideias: 54% delas revelaram já ter traído o parceiro.  


Quer levar uma mulher para a cama logo no primeiro encontro?


Bem, isso não é impossível. A pesquisa da revista "VIP" relacionou alguns itens que elas consideram ser muito importantes para isso: 

1º. Você mostrar o quanto ela é importante para você
2º. Ter um bom papo
3º. Se mostrar cheio de desejo
4º. Criar uma situação especial, como um jantar
5º. Falar coisas sensuais em seu ouvido

Se quiser seguir a dica, 35% das mulheres disseram que a posição preferida delas na hora do sexo é ficar de quatro, mas a porcentagem é a mesma para quem considera que ficar por cima seja a melhor posição para elas terem orgasmos. Além do mais, preliminares são essenciais.

 

Via SRZD



publicado por olhar para o mundo às 19:14 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

7 Motivos para ter bom se...

Slow sex: prazer sem pres...

Pico do apetite sexual fe...

Sexo tântrico - dicas par...

Sexo, o que atrapalha o o...

Dicas para aumentar a lib...

sexo, o prazer depende da...

Mulher pode chegar ao org...

sexo, afinal existem mesm...

Reconheça o que cada atit...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags



comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links


blogs SAPO
subscrever feeds