Sábado, 25.02.12
Mulheres que não querem compromisso

 

É isso mesmo, você não leu errado. Muitas mulheres, aliás, milhares delas, não querem saber de compromisso com ninguém.

 

Nada de namoro, nada de casamento, nada de satisfação e nada de qualquer tipo de ligação com uma pessoa só.

 

Todo compromisso, em se tratando de amor, como qualquer escolha que fazemos, é antes de mais nada, um estado de espírito. A gente sente que quer realmente quer aquilo. Como já dissemos antes, não há garantias de que vá durar para sempre. Escolher estar com alguém, ou estar com uma pessoa, tem várias vantagens, e várias desvantagens.

 

E porque será que algumas mulheres preferem não ter compromisso? Porque será que algumas fogem ao estereótipo vigente? A resposta é simples, elas não querem fugir de nada, muito menos do que querem. Elas querem viver assim, estão felizes com a vida que escolheram.

 

Se existe um estereótipo, isso é o que menos as preocupa. Certamente cada uma tem seus motivos, mas o que realmente importa é que há prazer, há tranqüilidade. E o que significa ter prazer em estar sem compromisso? É a mesma felicidade e tranqüilidade que alguém que vive com alguém, seja marido ou namorado. Mesmo porque, não ter namorado não quer dizer, não ter ninguém.

 

Quer dizer que por algum motivo, abre-se mão do "pacote" dentro do qual um namoro ou um casamento está inserido. Depende das expectativas, depende dos desejos e dos objetivos que cada um de nós tem na vida.

 

A maioria das mulheres, ou todas, já passaram um tempo de cada lado, compromissadas ou não, e hoje provavelmente, estão onde escolheram, ou buscando o que querem. E a certeza é única: a felicidade é somente sua. Viva-a do jeito que você escolher.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:49 | link do post | comentar

Domingo, 12.02.12
Veja 5 preliminares para aumentar o prazer durante o sexo. Foto: Getty Images

 

Românticas ou não, a maior parte das mulheres sempre espera uma noite de amor com horas e horas de sinos tocando durante o sexo. Na vida real, no entanto, maratonas sexuais podem ser um pouco frustrantes. Na verdade, diversas pesquisas já mostraram que a maior parte dos casais prefere que o sexo dure não mais do que 15 minutos.


Para aumentar o prazer nessas ¿rapidinhas¿ ¿ que convenientemente se encaixam bem na rotina cada vez mais atribulada dos jovens casais ¿ , a revistaHealth Magazine elaborou algumas dicas para fazer desses poucos minutos momentos de pura excitação para você e seu parceiro.Confira:

 

Não pare de beijar. Beijinhos e beijões durante as tarefas comuns aumenta a velocidade com que você e o parceiro ficam excitados, pois o organismo já começa a se preparar para o sexo. Além disso, o gesto fará com que vocês se sintam mais íntimos, sem que a rapidez deixe uma sensação de vazio depois.


Mantenha-se vestida. Por que perder minutos preciosos tirando a roupa? Além disso, deixar uma peça aqui e ali é uma poderosa forma de excitar o parceiro. É como se ambos não pudessem esperar em segundo para curtirem o sexo.


Mudem de lugar. Cinco minutos de sexo na cama provavelmente não a deixará tão feliz. Mas cinco minutos durante o banho? Ou na mesa da cozinha? A novidade é sempre um poderoso aliado para aumentar a excitação, especialmente quando há o risco de serem flagrados por alguém.


Fantasie. Quando você está tentando entrar no clima o mais rápido possível, fantasiar com cenas excitantes pode ajudar ¿ e muito! ¿ no processo. Isso porque o cérebro irá reagir às imagens e preparar o corpo para o sexo. Além disso, você irá ficar mais concentrada no parceiro, o que já é por si só uma excelente preliminar.


Converse. Não, não estamos falando de uma DR em pleno sexo. Fale com seu parceiro durante o ato. Sussurre, grite, fale coisas doces ou apimentadas. Isso ajuda ambos a manter o foco um no outro e a lembrar do que os dois têm de especial que os mantém atraídos.

Via Terra


publicado por olhar para o mundo às 21:16 | link do post | comentar

Sexta-feira, 02.12.11
Quantidade ou qualidade no sexo

 

 

Muitas questões envolvem o sexo, e sempre é muito relativo e muito pessoal, como por exemplo, quando a questão é se devemos transar em quantidade, ou menos e com qualidade? Depende. O que você acha que se encaixa melhor na sua vida e no seu estilo?

Vilamiga, vamos combinar, tem uma frase popular que diz, "sexo é como pizza, mesmo quando é ruim, é bom". É claro, que se você está pensando, em realizar manobras mais cuidadosas, o que levaria mais tempo, entraria no quesito qualidade.

 

Se for daquelas rapidinhas que você faz até em pé atrás da porta, aí sim, entraria no quesito quantidade. Começa na despensa e termina na cama, o que já seriam duas. E aí, esse quesito de sexo, fica a critério de cada um.

 

Depende também do nível de envolvimento e emoção. Podemos citar aqui algumas cenas de filme que explicam bem o caso da quantidade e da qualidade. Dois deles me lembram bem a situação, "Atração Fatal" e "Infidelidade", os personagens transavam onde dava e intensamente. O lance todo era sofrido, o que parecia ser um ingrediente a mais.

 

Citamos aqui o caso dos homens com dor de cabeça, que estão se negando a transar sempre. Muitos deles, certamente preferem ter mais qualidade do que quantidade. Mas se você está há um mês sem transar porque seu parceiro está estressado, certamente, a quantidade vai começar a te preocupar. O meio termo é uma boa nesse caso. O mais importante é ter uma vida sexual gostosa e diversificada, com quantidade e qualidade. E isso somente cada pessoa sabe o que pode significar.

 

Agora na voz de um especialista, Dr. Eduardo Bertero, urologista do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo - HSPE e especialista em medicina sexual pela Universidade de Boston, "costumo dizer aos meus pacientes que o sexo não é ensinado como uma ciência exata. Cada pessoa é única e como tal tem suas preferências individuais durante um relacionamento íntimo. Cabe ao casal descobrir estas variações e deixar que o tempo se encarregue de trazer a experiência necessária, que tornará a relação cada vez mais satisfatória".

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:34 | link do post | comentar

Sexta-feira, 19.08.11
Amizades coloridas

 

Se o amor fosse uma equação lógica, certamente o resultado de uma longa amizade seria um casamento feliz.

 

Isso porque é mais fácil se interessar por aquele com quem se mantém interesses comuns e se partilha uma intimidade desmedida, certo? Conviver por muito tempo com alguém que se gosta de verdade pode dar a deixa para um romance que, até então estava travestido de amizade. E pintar a vida com diversas cores.

 

Nem precisa ser especialista no assunto para dizer que grandes amizades são uma espécie de amor camuflado, em intensidade diferenciada. Os dois sentimentos são acompanhados de intimidade, revelada por conta do conhecimento e da sensibilidade recíproca. 
Mas há uma linhazinha que divide uma coisa da outra: as respostas corporais. "Em ambas as relações, quando sinceras, existe amor, interesse e intimidade. Porém, a necessidade corporal indica que o amor está começando a se manifestar. É um imenso desejo de estar junto, próximo, tocando e se encontrando com o objeto de amor", explica a psicóloga e psicoterapeuta Marie Bize.

 

Segundo ela, outros sinais são que a amizade suporta a distância e o amor padece quando longe. "Amor precisa de contato físico, de carinho e toques, de palavras doces e olhares atentos. Amor necessita de um estado de presença constante. Todas estas necessidades são corporais, são vivencias e costumam ser prazerosas", completa.

Marie acredita que não é o tempo que determina a intimidade de uma relação. "O ato de conhecer profundamente alguém é determinado pelo interesse sincero na outra pessoa", afirma. Isso significa que amizades se transformam em amor não por conta da duração, mas pelo interesse em conhecer e participar mais da vida e das histórias da pessoa amada. "Amizade não é um amor disfarçado - é um amor declarado, por vezes até de maneira incondicional. Diferentemente da amizade, no amor existe a cobrança e o desejo de exclusividade".

 

Mas para nós, mulheres, há sempre aquela dúvida se entre homens e mulheres pode existir uma amizade sincera. Marie explica sempre haverá uma tensão sexual envolvida, sejam eles amigos ou não. "Não há como negar o fato de existir uma química entre os dois sexos. É natural e saudável, indica até mesmo um nível de saúde e vitalidade energética", opina. E na amizade, isso não é diferente. "Essa tensão sexual é um dos ingredientes que tempera a amizade entre homens e mulheres. Dependerá de ambos saberem lidar com esta tensão e diferenciar as relações".

 

Quando a linha entre uma coisa e outra se confunde, é sinal de que um sentimento provavelmente se sobrepôs ao outro. Aí, a melhor coisa é tentar clarear a ideias - e os anseios. "No momento que existe amor numa relação de amizade é melhor que este seja qualificado e expressado. O sacrifício e a falta de comunicação distanciarão os amigos. Então, corra o risco de se abrir, de se expor e encarar este sentimento. A amizade se fortalece na verdade".

 

Mas e o medo de perder o amigo, caso o sentimento não seja correspondido? Anita, 28, já levou um fora de um dos melhores amigos. "Quando nos conhecemos, a gente se dava super bem e acabei confundindo as coisas. Quando tive coragem de falar com ele, não fui correspondida. Foi super chato", lembra.

 

A sugestão, nesse caso, é enfrentar a situação com dignidade. "O amor não correspondido não é um amor falido, somente um amor mal direcionado. Direcione sua energia para outro foco ou outra pessoa", sugere Marie. No caso de Anita, ela precisou apenas de tempo. "Algumas semanas depois ele me procurou e voltamos a ser amigos, agora mais que nunca!"

 

Márcia namorou, noivou e até morou junto com o melhor amigo. A separação foi inevitável, eles chegaram a ficar outras vezes, mas hoje a amizade reina absoluta. "São sete anos dividindo as experiências. Falamos sobre tudo, inclusive sobre nossos relacionamentos atuais. Apesar de não ter dado certo, a amizade continuou. Desde que se tenha respeito, isso é possível", acredita. O que se sabe é que no amor não há regras ou certezas. Ele pode nascer tanto de uma conversa de bar quanto de uma amizade (colorida) sincera.

 

"A experiência mostra que ele pode estar onde você menos espera. Um colega de trabalho, um amigo de escola, o vizinho, alguém que já é conhecido ou um completo desconhecido. Não há como saber. O que se sabe é que o amor depende de uma possibilidade de entrega e disposição para se expor e abrir. À medida que o coração se abre e confia, o amor pode penetrar no coração a qualquer instante", finaliza Marie. Melhor estar preparada.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:31 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quinta-feira, 18.08.11
Transa com o amigo

 

Ele era o melhor amigo dela. Saíam juntos, dividiam tudo.

Ele tinha saído de um noivado e, precisando do ombro da amiga, passou a freqüentar a casa dela com freqüência. No começo, nada de segundas intenções, garantem. Mas aí, ele comprou um apartamento pertinho da casa da moça e a receita estava pronta: Marisa, 25 anos, dormia na casa dele sempre.

 

“Nos primeiros dias, o Roberto colocava um colchão do lado da cama onde eu dormia. Depois já não se dava mais ao trabalho e dormíamos na mesma cama”, conta. Os amigos ficaram assim por oito longos meses até que venceram a resistência. “Ele ainda tentou questionar como seria depois, mas relutei com um ‘cala a boca e me beija’”, conta.

 

Marisa acha que as afinidades formaram o grande tempero da relação. A conquista diária aconteceu naturalmente. “Depois daquela manhã de domingo, a nossa amizade se fortaleceu mais ainda, e como já tínhamos uma confiança antes, está sendo maravilhoso”.

 

A psicóloga Laila Pincelli, da Clínica da Mulher, em São Paulo, explica que a história de Marisa é mais comum do que muita gente pensa. “As mulheres estão com medo de se relacionar com o desconhecido e preferem apostar nos amigos”. Culpa dos interesses comuns, claro.

 

Cristina é outra que tem histórico em pegar os amigos e transformar o que é fraterno em algo maispicante. Na faculdade, se envolveu com o cinegrafista do laboratório de telejornalismo. No primeiro emprego, foi a vez do diagramador. “Já me envolvi outras vezes com colegas de trabalho e é sempre bem legal”, diz. Isso porque, segundo ela, o fato de se conhecer melhor facilita a troca de carinho e intimidades. E o papo fica mais fácil. Mas ela tem o pé no chão. Quando passa do casual e rola paixão, Cristina sabe que o território fica minado. “Nem sempre uma das partes corresponde. Mas acho que com um bom jogo de cintura a gente releva”, opina.

 

A psicóloga Laila diz que os maiores problemas nessas relações com os amigos envolvem o sentimento torto de um dos lados - às vezes um se apaixona e o outro não. “Se forem maduros suficientes e souberem encarar com humor, podem resolver a situação. Se não, pode mesmo estragar a amizade”. Essa intenção maior de um dos lados passa a cobrar o que não deve e, aí, a relação vai por água abaixo.

 

Cristina, 30 anos, experiente em se envolver com amigos, diz que quando há cobrança, invariavelmente uma das partes se machuca. “Cria uma expectativa que não se concretiza, uma pessoa utópica. E quando a gente cai na real, o sonho se desmancha”.

 

Laila indica que a conversa é o melhor remédio para curar uma amizade enfeitiçada pela paixão. Esclarecer os sentimentos é a grande alternativa. “Mesmo com intenções diferentes, uma amizade sincera pode sobreviver”.

 

E você, já se envolveu como o seu amigo?

 

Via Vila dois

 



publicado por olhar para o mundo às 21:24 | link do post | comentar

Quarta-feira, 17.08.11
Sexo com amigo

 

 


O assunto voltou em pauta depois da estreia do filme "Sexo sem Compromisso". Adam (Ashton Kutcher), um cara cheio de problemas com as mulheres, é amigão de Emma (Natalie Portman). Até que um dia os dois resolvem ter uma transa, sem envolvimento. E o que para ser uma "válvula de escape" acaba dando margem para um sentimento mais forte.

 

Afinal, será que dá certo ir para a cama com um amigo? "O grande risco é quando somente uma das partes se envolve afetivamente. Aí a amizade pode sofrer as consequências de uma rejeição e vir a acabar", comenta a psicoterapeuta sexual Vânia Macedo. "Se orelacionamento sexual foi bom, ou não trouxe consequências negativas, a história pode sim se reverter. É o que geralmente acontece se um dos parceiros inicia um namoro ou compromisso com outra pessoa que exija fidelidade".

 

Vânia ressalta que este tipo de atitude é mais aceita pelos homens, que conseguem com mais facilidade manter relações sexuais sem envolvimento afetivo. "Ao contrário das mulheres, que são mais sonhadoras, fazem outros planos como compartilhar outros prazeres, não somente o sexual". E aconselha: "Se aparecer os primeiros sinais desse envolvimento afetivo, o melhor é conversar a respeito, antes que a amizade seja comprometida".

 

Mas não pense que o sexo com amigo possui mais pontos negativos do que positivos. Vânia ressalta que a afinidade da amizade pode trazer maior segurança na intimidade sexual do que com um desconhecido. "Além disso, no sexo sem compromisso não há ciúmes ou cobranças, sentimentos comuns em um namoro. Para quem não quer que o compromisso interfira no prazer, acaba sendo uma boa escolha".

 

"Nós dois combinávamos na cama"


A publicitária Camile já viveu uma história assim. Ela e o amigo hoje têm a mesma idade: 38 anos. Eles se relacionaram durante uns 10 anos. "No começo era algo esporádico, aquela coisa entre o rompimento de uma namorada e outra que ele tinha. Mas nos últimos cinco anos ficávamos muito juntos. Já não fico com ele há uns dois anos, porque se casou", conta.

 

As relações começaram apenas para suprir uma carência emocional, uma vez que Camile estava sozinha. "Mas depois era porque nós dois combinávamos na cama, tínhamos uma ótima sintonia. Ele era muito criativo e ao mesmo tempo carinhoso como num namoro comum. Então a atração física foi cada vez se tornando mais forte".

 

Os dois haviam sofrido decepções amorosas muito grandes e a forte amizade deu a eles a segurança necessária para iniciarem a relação sexual sem medo de envolvimento. "Depois do sexo a gente sempre conversava muito sobre relacionamentos ou qualquer outro assunto - trabalho, família ou até mesmo pessoas que estávamos paquerando, como dois bons amigos fazem", lembra a publicitária.

 

 

Para Camilla, a vantagem dessa relação é a possibilidade de ter um relacionamento aberto, sem cobranças, e também de poder contar com um fiel amigo por causa da intimidade. "Não me apaixonei por ele, por isso foi muito bom. E não é difícil manter a amizade depois do sexo neste caso. É como dividir um delicioso jantar ou ver uma paisagem maravilhosa ao lado dele. Você vive aquele momento, o guarda com emoção, mas é só. O seu amigo continua lá para ser o seu amigo de sempre", diz.

 

E ressalta: "Hoje ele está casado e ficou apenas a amizade como sempre foi. Retiramos a parte do sexo. Eu sentiria mais falta da amizade dele, como senti quando ele se mudou para outro estado. O sexo é substituível, a amizade não".

 

A publicitária acredita que sexo entre amigos não pode ser considerado um sexo casual. "A relação entre dois amigos é mais íntima, mais cúmplice. E quando você o encontra com outros amigos em lugares públicos ele é apenas seu amigo. E isso não impede você de procurar o amor da sua vida, aquele que vai te completar e preencher todas as suas lacunas no sexo, no afeto e tudo mais", defende. "Se você transar com um amigo só por causa do sexo, isso acaba se tornando um sexo casual, aquele que você pode fazer com um desconhecido e não tem vantagem nenhuma, vira apenas um exercício para descarregar a tensão".


Camile bem que tentou encontrar outro amigo para dividir o lençol, mas desta vez não deu certo, pois seu sentimento era mais forte do que uma amizade. "Existia uma preocupação dele e minha sobre algo que não controlávamos. Com meu outro amigo era diferente. Ele não tinha medo de ser carinhoso antes, durante e depois do sexo".

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:14 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.08.11
Beijo mostra a compatibilidade entre os parceiros

 

Hoje é Dia do Beijo, data que deixa todo mundo com vontade de comemorar muito, né? Mas você sabia que o beijo, além de ser uma delícia, permite qualificar a compatibilidade dos parceiroscientificamente?

 

Isso mesmo! Quando estamos próximos, face a face do parceiro, trocamos olhares e odores, e desta forma, transmitimos feromônios que são substâncias químicas que permitem o reconhecimento mútuo e sexual dos indivíduos. Ou seja, o beijo permite identificar a afinidade biológica entre os parceiros.

 

"É por este motivo que o ser humano beija porque é bom. No nível do inconsciente, beijo bom é aquele biologicamente compatível para gerar descendentes saudáveis e preservar a espécie", revela a psicóloga Eliete Matielo, especialista em relacionamentos afetivos.

 

Mas é claro que nem todas as pessoas que beijamos na vida temos a intenção de gerar descendentes, porém, através da percepção da afinidade biológica podemos observar a relação afetiva como uma rede de afinidades, a começar pela afinidade inicial de um casal que é o beijo.

 

Ou seja, se você tem vontade e gosta de beijar determinada pessoa é porque ela tem características e substâncias biológicas e orgânicas que sintonizam com as suas, ou seja, o beijo de vocês é compatível. A falta de compatibilidade explica porque, às vezes, não gostamos do beijo e/ou do cheiro de uma determinada pessoa que aparentemente é bonita.

 

Aproveite se você tem por perto alguém com o beijo compatível ao seu e Feliz Dia do Beijo!

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar

Domingo, 14.08.11
Gosto musical indica comportamento no primeiro enc

 

Tem um primeiro encontro marcado, mas está ansiosa porque não sabe qual será o comportamento dele durante o ‘date’? Bom, dá para ter uma ideia de acordo com o gosto musical do rapaz. Pelo menos é o que sugere uma pesquisa realizada pelo site de relacionamentosTastebuds.

 

Todos os usuários foram questionados se fariam sexo no primeiro encontro e os entrevistados podiam escolher entre as seguintes opções: "Só encontraria para bater um papo", "Talvez desse um beijo" ou "Iria até o fim se houvesse química".

 

 

Depois as respostas foram comparadas com o gosto musical de cada entrevistado.

 

Tá curiosa para saber o resultado? Se o seu gatinho curte Coldplay, se prepare para um encontro calmo. Eles são os menos prováveis a ir até o fim logo na primeira saída. Os que curtem Adele, Lady Gaga, Katy Perry e Kings of Leon também são do time dos mais lentinhos e dizem que saem só para conversar.

Já os fãs do Nirvana não tem problema nenhum em fazer tudo logo na primeira saída. Ouvintes de Metallica, Linkin Park, Kanye West e Gorillaz também seguem essa linha.

 

Se possível dê uma conferida no iPod dele antes de sair a sós, pode servir para esclarecer algumas coisas!

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:02 | link do post | comentar

Terça-feira, 07.06.11

Razões pelas quais mulheres acima de 40 têm uma melhor vida sexual

 

6 razões pelas quais mulheres acima de 40 têm uma melhor vida sexual


Pesquisas recentes confirmaram o que mulheres com mais de 40 anos já sabiam, mas que a maioria das pessoas mais novas não conseguem acreditar: Mulheres acima dos 40 têm a melhor vida sexual. A maioria das mulheres acima dos 40 que foram entrevistadas confirmaram que elas sentem mais prazer hoje em dia e que nunca sexo foi tão bom.

Existem diversas razões pelas quais mulheres acima dos 40 têm uma vida sexual melhor. Nós selecionamos abaixo as razões principais:

  1. Mulheres com mais de 40 anos são mais confiantes sobre sua aparência
    Qualquer mulher que já tenha passado pela adolescência e juventude confirmará que, ironicamente, quando eram jovens, magras sem rugas ou celulites, eram extremamente inseguras. Com a idade, mesmo se seus corpos não se enquadrem mais no “padrão de beleza” promovido pelo Mercado, elas se tornam mais confortáveis em sua própria pele.
  2. Mulheres com mais de 40 anos são mais confiantes sexualmente
    Porque mulheres acima dos 40 também são mais confiantes na cama. Elas não tem medo de dizer o que gostam ou o que não gostam.
  3. Mulheres mais velhas são mais experientes
    Mulheres com mais de 40 anos já tiveram tempo para descobrir o que funciona e o que não funciona – para elas mesmas e para seus parceiros também.
  4. Mulheres acima dos 40 que estão felizes em relacionamentos longos
    Enquanto jovens mulheres geralmente estão insatisfeitas em seus relacionamentos, sempre pensando se existe algo melhor lá fora, mulheres com mais de 40 que estão em relacionamentos longos geralmente estão felizes, tranquilas e satisfeitas com seus parceiros.
  5. Mulheres solteiras com mais de 40 descobrem novos prazeres no sexo.
    Com a chegada da crise da meia idade, mulheres acima dos 40 geralmente reavaliam seus relacionamentos. Se elas terminam uma relação, elas tendem a ter idéias bem específicas do que esperam de um homem em uma próxima relação. Isto pode incluir estes novos prazeres recém descobertos.
  6. Mulheres acima dos 40 podem finalmente aproveitar sexo
    O prazer com o sexo pode ser influenciado por questões relacionadas à fertilidade. Mulheres na adolecência ou com 20 e poucos anos devem pensar em métodos contraceptivos, previnindo assim, uma gravidez indesejada. Muitas mulheres nos seus 30, estão preocupadas em engravidar, ou como criar e cuidar de seus filhos. Mulheres com seus 40 anos, podem simplesmente aproveitar e não pensar em nenhum destes assuntos. Ou já são mães de filhos um pouco mais crescidos ou simplesmente decidiram não ter filhos, então podem aproveitar o quanto desejarem.
Via Dicas Mulher


publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 01.06.11

 

Amor etéreo: três mulheres revelam as delícias de viver uma paixão tão curta quanto intensa

Uma noite. Algumas horas. Três encontros. Quando se trata de um sentimento, intensidade não tem nada a ver com duração, com tempo. Menos ainda com o lugar. Certas histórias de amor são tão breves quanto fulgurantes. E, talvez por isso, tornam-se aquelas que marcam toda uma vida. Nem todo mundo tem a chance de viver uma paixão assim, mas, quem viveu, não esquece jamais

Uma noite...

Patrícia Lima, 29 anos, jornalista

“No início de 2006, entrevistei o vocalista de uma banda de heavy metal para a seção de cultura do jornal de Porto Alegre em que eu trabalhava. Ao contrário de vários outros artistas que tive o prazer de entrevistar, aquele, inicialmente, em nada me empolgava. Detesto o som sujo e barulhento dessas bandas que insistem em cha-coalhar a cabeleira como se ainda vivessem nos anos 80. E, por isso, nem me preocupei em escolher uma roupa transada, um perfume bacana ou qualquer outro acessório especial para aquela ocasião. A conversa aconteceu no estúdio fotográfico do jornal, um ‘muquifinho’ sem janelas, com luz fria e charme-zero.

Para variar, cheguei esbaforida e cheia de coisas nas mãos (bloquinho, celular, caneta, gravador). Cumprimentei o fotógrafo, a produtora e ia passar direto pelo entrevistado quando ele, num inglês de barítono, me estendeu a mão e disse: ‘Oi, beautiful lady. Posso te ajudar?’. Olhando para cima, feito uma criancinha quando toma advertência do pai, agradeci — e aceitei — a ajuda.

Bob (vou chamá-lo assim para não dar bandeira de sua real identidade) é um negro espetacular de dois metros de altura, musculatura de halterofilista e olhos de jabuticaba. Ou seja, se musicalmente ele era tudo o que eu mais abominava, fisicamente era perfeito, o ‘meu número’. Comecei a entrevista falando dos desafios do heavy metal no Brasil, da relação dos artistas estrangeiros com o país e uma série de outras coisas que eu só pude escrever na matéria graças ao gravador. Minha cabeça não estava mais ali. Enquanto Bob falava, eu só pensava no quanto seria interessante viver um romance com um popstar dos metais e, de quebra, ‘zoar’ o gatinho com quem eu estava saindo havia meses, mas que teimava em não assumir o namoro.

Na medida em que a entrevista ia terminando, Luli, a produtora que cuidava das imagens, começou a mostrar para o bonitão as opções de looks para as fotos. Encantado com o bom gosto da menina — que além de competente era linda, gente fina e supercharmosa —, Bob perguntava sobre a procedência das roupas: ‘Onde vocês conseguiram arrumar isso? É tão difícil encontrar roupas para pessoas grandes como eu fora dos Estados Unidos. Será que vocês não querem me levar para fazer umas compras aqui?’. Aquela pergunta para mim era um baita banho de água fria. O bonitão, claro, ia ‘pegar’ a bonitinha. E a ‘quatro-olhos’ aqui ia voltar para o ‘serviço’.

Deixei meu cartão com ele, por educação, saí do estúdio e voltei para a redação para redigir a matéria, que fechava naquele dia. No fim da tarde, o momento mais tenso de uma redação de jornal, quando tudo tem de estar quase pronto para ir para a gráfica, tocou meu celular. Era o Bob: ‘Oi, beautiful lady. Desculpe atrapalhar, mas pensei em ligar para combinarmos de fazer umas compras. Você não quer me levar para conhecer essas lojas transadas que vendem roupas para moços grandes como eu?’, perguntou. Olhando o texto na tela do computador e ouvindo os gritos do chefe de arte dizendo que eu precisava fechar logo a matéria, demorei para entender se ele estava me convidando para um ‘date’, como dizem os americanos, ou se ele só queria comprar a tal roupa de gigantes. Na dúvida, fiquei com a segunda opção. ‘Olha, Bob, eu adoraria, mas não posso falar agora porque estou super ocupada. Dá uma ligada para a Luli que ela te ajuda com o lance das grifes.’ Ele ficou sem graça, agradeceu e desligou.

“Ele era famoso e, no fundo, acho que toda mulher tem vocação para groupie”

Três horas depois, quando eu já havia saído do jornal, tocou meu celular. ‘Beautiful lady, sou eu de novo. Sabe o que é? Acho que me expressei mal. Adoraria conhecer as grifes que desenham para pessoas grandes, mas como só tenho dois dias no Brasil antes da turnê europeia, acho mais importante conhecer você. Ficaria chocada se eu te convidasse para sair?’ Chocada, eu? ‘Claro que não’, respondi. ‘Seria um prazer.’ Tomei o banho mais rápido da minha vida, sequei o cabelo , fiz uma chapinha nas pontas e coloquei ‘o’ vestido emagrecedor. Toda mulher tem aquele pretinho amigo, não é mesmo?

Fomos jantar em um restaurante indiano maravilhoso, tiramos fotos com alguns fãs de heavy metal que não acreditavam que Bob estava ali, entre os mortais, e terminamos a noite no hotel em que ele estava hospedado. Não posso dizer que foi a melhor transa da minha vida, mas o fato de ele ser ‘um armário’, ter uma pegada incrível e de estarmos falando em inglês fez com que aquilo se tornasse especial. Além disso, ele era famoso e, no fundo, acho que toda mulher tem uma vocação para groupie.

“Ainda tenho a deliciosa lembrança do amor de uma noite que durou para sempre”

Quatro anos depois, ainda consigo sentir o perfume daquele abraço forte, enorme, protetor. Mesmo estando casada com outro homem — aquele gatinho que não queria me assumir, quem diria, fez (e ainda faz) de mim uma das pessoas mais felizes do mundo quando me pediu em casamento. Ele não sabe nem precisa saber: mas ainda tenho essa deliciosa lembrança de um amor de uma noite que durou para sempre.

Três dias...

Luciana Marins, 33 anos, artista plástica

“Eu gosto de pensar em quantas pequenas coisas precisam ocorrer antes de um grande encontro ao acaso. Foram muitas para que aquele acontecesse comigo. Primeiro viajar até Paris, depois conhecer Marianne, uma francesa tímida e muito simpática, durante uma palestra no seminário do qual estávamos participando e, então, aceitar, por pura educação, o convite dela para irmos naquela noite a um bar próximo à Place de la Concorde. Foi ao sairmos de lá — eu, ela e Luisa, uma amiga brasileira — que encontrei Arnaud.

 

 

 

Via Marie Claire



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar

Sábado, 28.05.11
As mulheres gostam de bad boys

É comum dizer-se que o sorriso é o cartão de visita e um dos pontos mais sexy das pessoas. Mas segundo um estudo do jornal "Emotion" da Associação de Psicologia norte-americana, há uma diferença entre os dois  sexos: só as mulheres sorridentes é que são atraentes, já os homens com um belo sorisso são considerados irónicos ou ansiosos por sexo.

De acordo com o estudo, os homens tímidos e pensativos são os que os santos altos mais gostam.  Na verdade, as mulheres parecem preferir os "maus rapazes" - aqueles que são machistas, brutos, que dão desprezo, que se fazem de difíceis ou que já tiveram várias namoradas (e não os bonzinhos, fiéis e românticos, dá para acreditar?). Todos estes atributos são considerados sinais de masculinidade - sendo que o homem continua a ser encarado como o elemento forte.
"As mulheres sentem-se atraídas por homens como James Dean, aqueles com defeitos, mas que têm consciência deles", diz o estudo, citado pela Reuters.

A investigação foi feita com base na avaliação de 1000 indivíduos de fotografias com as expressões do sexo oposto - que diz respeito apenas às impressões iniciais. Por isso, os investigadores alertam que em relacionamentos sérios e duradouros estas dicas não não se aplicam. Nestes casos, convém mesmo que os homens sejam sorridentes e simpáticos a longo prazo! E já agora que sejam apaixonados e verdadeiros - a base da confiança numa relação.
Independentemente da validade deste estudo, é verdade que as mulheres se interessem muitas vezes pelos homens errados, o que não tem muita lógica, porque afinal estamos em maioria no planeta... o leque de escolha é maior, mas é preciso saber acertar. E como diz uma amiga minha a cara metade são como os sapatos - às vezes, há que experimentar mais números para chegar ao par certo!

 

Via A Vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 21:38 | link do post | comentar

Quinta-feira, 26.05.11
As 10 mentiras que eles mais contam

 

 

Algumas são incoerentes, outras nem tanto. Conclusão: não acredite em tudo o que lhe dizem

 

Claro que nem todos os homens mentem. E nem toda as mulheres acreditam. Mas há umas petas bem clássicas. Vamos descobri-las?

 

1 – Não estás nada gorda!


Estava mesmo à espera desta, não é? Pois continua a mentira clássica masculina. Como atenuante,  deve ressalvar-se que eles de facto não têm muito por onde escapar. Se uma mulher lhes pergunta: “Achas que esta t-shirt me faz mais gorda?” que é que queriam que o desgraçado respondesse? “Acho que sim, fofinha, que ficas tal qual a baleia do ‘Libertem Willy’?” “Ficas uma lontra mas eu amo-te na mesma, sabe Deus porquê”? Hmmm....

 

2 – O frango está ótimo!


Mais uma na categoria das mentiras piedosas, que aliás só lhes fica bem, embora em última análise não faça nada pelo futuro do casamento. Até porque elas começam a ficar desconfiadas e depois descambam aquelas conversas quilométricas do tipo “Mas diz lá a verdade, está horrível, não está? Ficou esturrado dos lados, não ficou? Tá sem sal! E tu nem sequer gostas de frango! Ouvi-te dizer isso um dia à minha mãe! Que te dava azia! E agora dizes que está ótimo! Olha e se fizesses tu o jantar, para variar?” Alternativa masculina: ehhh... vão jantar fora.

 

3 – Nunca mais vi a Patrícia desde que nos separámos


Pois, se calhar não, coitado. Ou se calhar encontrou-a numa sexta feira à noite no supermercado, ele virou à esquerda a seguir aos enlatados, ela virou à direita a seguir às alfaces, e pimba. Ficaram ali um bocado no corredor a atravancar o trânsito e a falar de nada, o cão dela que tem asma e saudades dele, a filha dele que ela não conhece e que felizmente não tem nada (nem asma nem saudades) e depois separaram-se e nunca mais, e de facto ele não achou importante contar em casa, para quê, ia dizer o quê, “Olha hoje vi a Patrícia, tá mesmo gira!”... E nunca mais viu de facto, embora sonhe com ela às vezes, na hora mais escura da noite, porque enfim, um homem não controla aquilo que sonha.

 

4 – Não olho para mais nenhuma mulher além de ti


Todos olham. Qual é o mal. Aliás, se se ficar pelos olhos já é uma sorte.

 

5 – Nunca faria nada que te magoasse


Pois se calhar a intenção dele é mesmo essa, o problema é que não é coisa que se possa prometer. Às vezes magoamos os outros não porque nos apetece mas porque acontece...

 

6 – Vou deixar a minha mulher


É a mentira sacana clássica dos que são casados mas não pretendem fazer com que isso lhes atrapalhe a vida. ‘Sim, não te vou mentir, sou casado mas a nossa relação está por um fio’, ‘ou ‘estamos mesmo mesmo nas fases finais do divórcio’, ou a versão piedosa do ‘Ai sim, sou casado mas não me posso separar agora porque a Mitó está a atravessar uma fase péssima, coitada, imagina que lhe morreu a mãe e na semana seguinte morreu também o gato! Deixa passar algum tempo’. Pois, algum tempo. Tipo para aí 57 anos.

 

7 – O teu trabalho é tão importante como o meu


Desiluda-se: não importa que tipo de profissão tenha – enfermeira, professora, talhante ou Presidente da República – quando chegar a altura de ter de optar, o trabalho dele há-de ser sempre mais importante. Se for preciso sair mais cedo para levar o gato ao veterinário, ir às Finanças, acompanhar a mãe ao médico ou levar a criança ao hospital, quem falta é sempre a mulher.

 

8 – Claro que não mandei nenhuma mensagem à Joana


Nem à Ritinha. Nem à Sara. Nem à, como é que se chamava aquela por quem ele tem uma pancada que se vê à légua, mesmo que ele diga que só a admira intelectualmente (admirar intelectualmente para eles não conta, é assim mais ou menos a mesma coisa que admirar outro gajo). Aliás desde que aderiram ao Facebook, a vida ficou um inferno. Ela também lá anda, mas quem lhe dá conversa são as amigas do costume, todas a queixar-se das borbulhas da Joaninha, do livro que não conseguem encontrar e do estado da Nação. E além disso ela tem mais que fazer do que andar em conversetas. Ele é que tem 2456 amiguinhos (e nem quer pensar quais destes são amiguinhas), ele é que fica nos chats até à 1 da manhã com a desculpa que está a trabalhar num projeto, ele é que amigou todas as suas conhecidas de vários planetas, feias, bonitas e intelectuais, ele é que dá conversa a tudo quanto tecle. Pois se calhar é tudo inocente. Se calhar não quer dizer nada. Se calhar.

 

9 – Adoro comédias românticas


Pronto, sim, há quem adore. Há quem fique a ver telenovelas com a maior das dedicações e não se vá deitar sem saber se a Maria afinal sempre vai dizer à Carolina que está apaixonada pelo Vasco. Mas a maioria vai ver histórias de amor... bem, por amor, mesmo. A maioria preferia mil vezes uma história de amor entre um camião disparado pela autoestrada em chamas até chocar com uma retroescavadora em transe, abalroando pelo caminho cinquenta Mercedes, vinte camiões Tir, duas bicicletas e um gato. Assim uma coisa em grande.

 

10 – Não me importo nada que tragas a tua mãe


Pois não, que ideia... Uma senhora tão agradável, que passa o almoço a protestar que as almôndegas estão sem sal, o arroz mal cozido, a sangria pouco doce e o leite creme muito queimado. Nem me importo nada que queiras passar o Domingo com ela e não comigo, e que aches que tens mais responsabilidades para com ela do que para mim, e que digas que ela continua a ser a pessoa mais importante da tua vida...

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.05.11

Já por diversas vezes tive o prazer de abordar aqui na "Vida de Saltos Altos" o tema das relações, do amor e de toda as fases envolvidas no processo de flirt, no processo de "coração partido" ou nas diferentes dinâmicas dos relacionamentos.

 

Talvez por ser fã confessa do género tornei-me uma irremediável fã do trabalho de Lev Yilmaz, um escritor, editor e artista que iniciou uma série animada simples, projetada e que se foca em vários assuntos do quotidiano das pessoas onde o amor e as relações não são exeção.

 

Falo-vos da já muito falada série "Tales of Mere Existence" que remonta já a 2003 e que continua tão atual como antes.

 

O episódio que vos trago é um dos que mais me diverte. Estou certa que muitos de vós já, em alguma fase da vossa vida, se reviram numa situação similar!

 

Convido-vos a conhecer o restante trabalho deste artista em http://www.ingredientx.com/ e a soltarem umas boas gargalhadas! Porque parece que nisto das relações, há coisas que não passam de moda.

 

Como acabar com a sua namorada em 64 passos

 

 

Via A Vida de Saltos Altos

 



publicado por olhar para o mundo às 17:29 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.05.11
Striptease passo a passo

Christina Aguilera no filme Burlesque. Foto Reprodução/Site Imdb


striptease sempre foi e continua sendo uma das maiores fantasias masculinas.

A explicação para tamanho sucesso está na própria tradução da palavra: tirar e excitar, despir e provocar.

 

A finalidade do striptease é seduzir ao parceiro por meio da dança e da expressão corporal. Mostrar ao parceiro que valeu apena ter escolhido você. Ao dançar para seu parceiro, você mostra por meio da expressão corporal tudo que você sente por ele.

A prática do striptease começou nos Estados Unidos, em meados dos anos 20, nos teatros chamados Burlescos, com a finalidade de resgatar o publico que estava sendo perdido para o cinema. Em 1946, uma cena no filme Gilda repaginou o striptease. Nela, a atriz Rita Hayworth tira apenas uma luva, mas a forma como o fez, de maneira extremamente sensual, tornou-se uma das cenas mais inesquecíveis do cinema. Isso mostra , que não é o que você tira que faz sucesso, e sim como você tira. Portanto esqueça o clichê que para fazer striptease são necessários caras e bocas.

O cinema é uma rica fonte de inspiração. São inúmeras as produções que se tornaram famosas por suas cenas de striptease: Gilda, Nove Semanas e Meia de Amor, Striptease e atualmente o filme Burlesque.

Se você se animou com a idéia de fazer um striptease para seu companheiro é importante prestar atenção para alguns detalhes. Você precisa se sentir confiante, portanto, trabalhe sua autoestima para dançar para um homem com sucesso.

Você precisa acreditar muito em você, estar confortável com seu corpo, e transformar o que você ver na tela do cinema para o seu jeito, caso contrário fica artificial.

Em primeiro lugar é preciso despir-se de todos os medos, inseguranças e preconceitos. Descubra os pontos fortes de sua silhueta e curta mais o próprio corpo, você se sentirá poderosa. O striptease funciona como uma preliminar irresistível - dificilmente o homem aguenta até que a mulher tire a última peça para partir para o ataque.

 

 

Passo a passo da sedução

 

 

-Para despir-se na frente do parceiro, nada melhor do que está vestida de mulher. Esqueça as calças difíceis de tirar. Aposte em um pretinho básico, com botões, ou que saia facilmente por baixo

- Antes de escolher a roupa leve em consideração o clima. O sobretudo é maravilhoso, super sensual, mas não dá para ser usado em um clima quente.

-Use uma roupa que combine com seu estilo. Ele precisa ver a mulher dele fazendo isso, e não uma cópia de um filme adulto.

- A maquiagem deve valorizar os olhos e a boca, pois quando você dança para um homem você deve olhar o tempo todo para ele.

-Para criar um clima, prepare o ambiente e de uma maneira bem sensual, se for possível. Uma boa idéia é fazer um jantarzinho romântico - aproveite o dia dos namorados, o aniversário dele, ou o aniversário de união de vocês.

-Escolha uma música que desperte toda a sua sensualidade. Começe ouvindo a música com ele, beije-o, toque-o, coloque-o no clima antes de começar a dançar

- Você pode usar para ajudá-la na dança, uma cadeira, a parede, se você estiver em um motel pode ainda usar o pole ou mesmo o corpo do seu parceiro.

- Com todo o charme, ande até a cadeira e fique atrás dela. Coloque as mãos sobre o encosto e mexa os quadris de um lado para o outro, estilo dança do ventre. Passe a mão pelo encosto da cadeira como você estivesse acariciando o corpo dele.

- Vá para o lado da cadeira e toque em seu corpo no ritmo da música, com toda emoção, curta cada parte do seu corpo. Dê um passo a frente. Coloque o pé direito em cima da cadeira,sobre o assento, mas só a pontinha do pé. Passe a mão pela perna que está em cima da cadeira, do tornozelo até o bumbum, evidenciando sua perna. Desça a perna e fique entre seu marido e a cadeira, ou parede, sempre movendo os quadris. Ande até ele. Começe a tirar a roupa bem devagar, sem pressa, sempre tocando o seu corpo. Se você estiver usando um vestido, ou um casaco, qualquer peça que tenha botão, comece desabotoando de cima para baixo, bem devagar, lentamente. Vire de costas para seu parceiro, junte as pernas, sem parar de dançar e deixe a peça cair lentamente.

O segredo do striptease está na elegância dos movimentos, na lingerie, na meia 7/8 cinta-liga, salto alto e principalmente na sua segurança. Antes de fazer o striptease para seu parceiro pela primeira vez, treine os movimentos em frente ao espelho, teste a roupa, o sapato, tudo para que você sinta-se a vontade, natural. E deixe sua imaginação fluir.


Esse é um dia muito importante para você e seu parceiro, prepare-se desde a hora em que você se levantar para sentir-se a mulher mais bonita e poderosa do mundo, pois neste dia você vai falar com o seu corpo e mostrar a ele todo o seu poder.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 00:59 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 11.05.11

 

A vida de saltos altos - A importância de saber dizer não (com vídeo)

 

Ouvir um não pode deixar-nos frustradas, mas ter de dizê-lo a alguém pode fazer-nos sentir exactamente da mesma forma, e afinal, como agir perante o não que se ouve e aquele que se diz?

Nem sempre é fácil exprimir uma opinião sincera, mas sem dúvida que saber dizer um não é vital para manter relações equilibradas, sejam elas a nível pessoal, profissional e emocional.

 

Apesar de sabermos que o não é tão essencial como o sim, tanto para quem o ouve, como para que o diz, nem todos estão preparadas para ouvi-lo, pelo menos de forma directa. O segredo está em fazer-se entender, por a mais b, qual a razão que nos leva a fazê-lo, mostrando que esta é a atitude correcta e não um capricho, como muitas vezes é encarado pelos demais.

Se nos habituamos a evitar dizer não, corremos o risco de perder os limites e a deixar que entrem "pé ante pé" no nosso território e na nossa vida privada, o que poderá a médio, longo prazo transformar-se em angústia, frustração e mesmo raiva, o que, enquanto situação limite será muito menos adequado, do que um não proferido na altura e entoação certas.

Para negar é preciso conhecer, ouvir, compreender e aceitar também respostas negativas. Conhecer o "outro lado" é essencial para fundamentar as decisões, reagir de forma madura e utilizar esta experiência como aprendizagem futura.

O não aplica-se à sua relação com namorado/companheiro/marido, amigos, assim como com os seus filhos e claro, com as entidades patronais, que muitas vezes não se escusam de fazer exigências. Quando chegar a sua altura de dizer não, pense e avalie a situação, e se está perante uma situação limite, não se escuse, de preferência de forma "politicamente" correcta a negar o pedido.

Jamais altere o seu comportamento, tom de voz e postura, e apresente sempre uma conduta sincera, uma opinião madura e sobretudo de honestidade com os seus valores, princípios e natureza do pedido. Não se sinta culpada, um não dito e ouvido na altura certa e com justiça terá resultados positivos no futuro.

 



publicado por olhar para o mundo às 17:24 | link do post | comentar

Quarta-feira, 04.05.11
O que os homens querem que a gente saiba sobre ele

 

Que os homens e as mulheres são muito diferentes e que essas diferenças podem causar muitos conflitos em um relacionamento, não é novidade para ninguém. Até por isso, conhecer alguns desses segredos dos homens é uma coisa que poderia nos ajudar, e muito, certo? Pois o blog ‘Casal Sem Vergonha' se inspirou em uma lista publicada pela revista Men’s Health e publicou 29 fatos que os homens adorariam que as mulheres soubessem.

 

Já está morrendo de curiosidade, né? Então segue a lista:

1. Fale o que pensa. Não é por mal, mas não somos muito bons com indiretas;

 

2. Quando fizermos uma cagada, fale - uma vez;

 

3. Eu sinto tesão por você, não pela sua prima ou pela sua vizinha;

 

4. Manere nas sua sobrancelha. Uma linha fina em cima do olho não é bonito;

 

5. Você fica extremamente sexy com aquele seu pijama velhinho de algodão;

 

6. Não tenha medo de dispensar a maquiagem - natural é sempre mais sexy;

 

7. Vocês mentem muito mal quando dizem que está tudo bem - nós sabemos que não está, só não sabemos o que aconteceu;

 

8. Você pode me chamar pra transar a hora que quiser. De verdade;

 

9. Masturbação me dá 1/10 do prazer que sinto no sexo com você. Acredite;

 

10. Não tem som melhor no mundo do que ouvir você tendo um orgasmo;

 

11. Quando vocês ficam bravas com coisinhas pequenas e insignificantes, nós questionamos sua inteligência;

 

12. Se eu te dou opinião quando você está se arrumando, significa que você está muito atrasada;

 

13. Não me peça pra te ajudar a escolher com qual roupa vai sair. Eu provavelmente vou fazer uma escolha ruim e a gente vai se atrasar ainda mais;

 

14. Mas me dar duas ou três opções de roupa já são outros 500, desde que você troque de roupa na minha frente. Bem devagarzinho;

 

15. Adoramos quando vocês fazem rabo de cavalo;

 

16. Celulite ou lingerie feia só nos incomodam se estiverem em um estado muito crítico;

 

17. Uma passada de mão inesperada é sempre bem-vinda, até em lugares públicos. Principalmente em lugares públicos;

 

18. Você pode escolher o filme, mas tem que ter um motivo para querer vê-lo;

 

19. Quando você me chama no chat do trabalho "só pra falar um oi" eu não estou realmente prestando atenção - estou checando meu email;

 

20. Não espere que tenhamos uma conversa por SMS, a não ser que inclua a palavra "esperando" e "pelada";

 

21. Sempre que quiserem cozinhar, irão nos fazer feliz;

 

22. Nós temos um alarme de perigo iminente que sempre dispara quando vocês perguntam: "Você acha aquela mulher bonita?";

 

23. Não confie na gente para mantê-las atualizada sobre as fofocas;

 

24. Não, eu não me lembro o que ele disse depois. Nem o que ela disse. Nem me lembro do homem de camisa roxa perto da porta. Somos ruins em detalhes;

 

25. Tenha opinião própria, não me pergunte se está gorda se já sabe a resposta;

 

27. Não grite, nem com suas amigas. Isso não é legal, mesmo;

 

28. Aprenda a jogar videogame, nossos finais de semana teriam uma emoção a mais;

 

29. Às vezes, nós nos perguntamos porque mulheres tão incríveis querem ficar com a gente, seres tão inferiores. Então, obrigado mais uma vez.

 

E então, Vilamigas, concordam? Vamos aproveitar a deixa para fazer uma lista do que nós gostaríamos que eles soubessem! O que nós achamos sexy? Com o que a gente se preocupa? Fiquem a vontade para deixar suas opiniões nos comentários!

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 22:05 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24.03.11
Guerra dos sexos, parte II

 

Mulher: uma vítima sacrificada, cujas ambições foram esmagadas pela sociedade dominada pelo sexo masculino. Homem: indivíduo insensível, pragmático, descomplicado, por vezes rude. Conhece os estereótipos? Serão verdadeiros ou talvez não? Conferimos estudos científicos, estatísticas e teorias de psicólogos e sexólogos para levar a cabo uma tarefa ambiciosa: desvendar as diferenças que alimentam hoje em dia a chamada guerra dos sexos. Na cama, na vida e no trabalho e ainda na relação com o dinheiro.

1. NA CAMA

Quer seja homem ou mulher, procurará retirar do sexo uma coisa: prazer. O que pode variar conforme o género é a forma como esse prazer é obtido. Para a mulher, a satisfação sexual está dependente de quão confortável se sente com o parceiro. Sentimentos como a insegurança e a ansiedade ("Será que ele me acha atraente? Será que ele reparou que estou mais gorda?"), ou as preocupações do dia a dia (emprego, filhos, etc.) influenciam o desejo feminino.

Os homens, por sua vez, têm a capacidade de se abstrair da realidade, entregando o corpo e a mente à relação sexual. Apresentam uma vantagem em relação às mulheres, porque se excitam mais facilmente e mais rapidamente do que o sexo feminino. A conclusão é da sexóloga Marta Crawford, que lançou recentemente o livro "Diário Sexual e Conjugal de Um Casal" e faz a seguinte analogia: "O homem é como a tomada, liga-se e desliga-se. A mulher é como o ferro de engomar de antigamente, leva muito tempo a aquecer..."

Segundo a sexóloga, "a mulher precisa de ser apreciada pelo parceiro e de sentir que este tem carinho por ela". Mas a sociedade está em mudança.

Carrie Bradshaw, personagem desempenhada pela atriz Sarah Jessica Parker, declarou que queria "fazer sexo como um homem" num dos primeiros episódios de "Sexo e a Cidade". Poderá a série simbolizar uma revolução (ou evolução) na perspetiva feminina sobre o sexo? Carrie e as suas três companheiras representam uma nova vaga de mulheres independentes que procura só satisfação física no sexo, sem ligações emocionais. Os homens até têm medo delas...

O estudo "O Que Querem as Mulheres?", realizado recentemente pela consultora Strategy One, confirma que esta revolução estendeu-se a Portugal. E conclui que as portuguesas são das europeias felizes neste campo: "88% das portuguesas sentem-se realizadas sexualmente e 81% afirmam ter relações pelo menos uma vez por semana."

"Há poucos anos, as mulheres portuguesas não tinham sequer grau de comparação entre parceiros. Hoje estão mais informadas e têm mais experiência. Mais do que satisfeitas, estão mais exigentes", afiança o sexólogo Júlio Machado Vaz, que acrescenta que, em contrapartida, "os homens portugueses estão cada vez mais inseguros".

Tal como surgiu uma nova vaga de mulheres independentes, também se pode falar de uma nova vaga de machos sensíveis, que sentem necessidade de carícias e palavras de afeto. Porém, "as mulheres ainda pensam que o beijo e a carícia deles é apenas um pretexto para chegar ao sexo e não acreditam que queiram só isso", observa Crawford.

Nas diferenças, assinala-se ainda a maior predisposição dos homens para a relação sexual a priori. "O homem é mais sexual do que a mulher, e estes valores continuam muito presentes na nossa sociedade", afirma a sexóloga. Mas desenganem-se quanto às divergências no que toca à satisfação sexual. Ambos tiram a mesma, assegura a especialista. A diferença é que a iniciativa para o sexo parte geralmente deles.

Criatividade amorosa. "Os homens são muito visuais, veem uma mulher nua e conseguem ficar excitados imediatamente. Uma mulher vê um homem nu mas... não é o suficiente, não é tão automático", avança Crawford. Assim, o homem quer avançar rapidamente, porque já está excitado antes sequer de haver proximidade física. Já "a mulher precisa de sentir a mão na pele, de ser tocada, estimulada. Está em desigualdade, requer tempo e dedicação até ficar com o mesmo grau de excitação".

As mulheres gostam muito de surpresas, mais do que os homens, e são capazes de ser mais criativas na cama do que eles. Os homens, por sua vez, apreciam a diversidade, porque facilmente conseguem retirar prazer de várias coisas. "A diferença significativa entre os sexos é que o homem satisfaz-se mais facilmente com o que a mulher dá, e a mulher pode não ficar satisfeita com o que recebe."

Um dos maiores medos da mulher é não passar de um objeto para o parceiro. "A mulher precisa da confirmação que depois do sexo o parceiro continua a gostar dela. O abraço, o dormir em concha é um sinal de que os dois estão em sintonia", refere Crawford. Esqueça o ato de se virar para o outro lado da cama e começar a ressonar.

Já os homens receiam não ter habilidade suficiente para dar prazer à parceira. Quando tal acontece, veem-no como fraqueza e falta de virilidade. Júlio Machado Vaz aponta a ansiedade dos homens ao nível da performance sexual como um dos principais obstáculos ao êxito da relação sexual: "As mulheres têm uma visão mais desportiva do sexo. Quando nos dizem 'hoje correu mal, deixa estar que amanhã corre melhor', estão a ser sinceras. Mas eles não sabem lidar com isso."

As preocupações das mulheres relacionam-se mais com a aparência física. A culpa é da sociedade... e dos homens! Estamos numa sociedade que aprecia muito o corpo estereótipo: magras, esbeltas, giras. Mas por vezes os parceiros também não ajudam: "Há situações em que têm comentários desagradáveis ou fazem comparações e, assim, vêm reforçar esta ideia." A aparência física não tem tanto peso para o sexo masculino. As mulheres apaixonam-se não só porque o parceiro é uma brasa mas porque é gentil, inteligente e bem-disposto.

2. NA VIDA E NO TRABALHO

A sociedade só tem a ganhar se reconhecer as diferenças entre géneros, em vez de as ignorar. Quem o afirma é Susan Pinker, psicóloga na Universidade de McGill, em Montreal, no livro "O Paradoxo Sexual: Rapazes Traquinas, Raparigas Dotadas e a Verdadeira Diferença Entre os Sexos".

Pinker afiança não ter encontrado qualquer diferença na inteligência, mas frisa várias vezes que os sexos não são biologicamente equivalentes e, como tal, não têm metas idênticas. "Em média, as mulheres interessam-se mais por pessoas e processos orgânicos - como animais e plantas - do que por objetos inanimados ou sistemas", afirma Pinker. Além disso, preferem profissões onde possam ver o impacto do seu trabalho no melhoramento da vida das pessoas, como professoras, médicas, assistentes sociais e psicólogas, em detrimento de profissões das engenharias.

As mulheres procuram uma vida equilibrada, que não seja só fixada em emprego, salário e promoções, mas que tenha também uma componente doméstica e familiar. Pinker exemplifica que, em países como a Holanda, é normal que a mulher trabalhe metade das horas para ter mais tempo para a família ou para um hóbi, porque é assim que se realiza.

Os homens, por sua vez, vivem mais para o emprego e gostam de competir e arriscar: "Estão mais interessados em quem ganha mais, quem conduz o carro mais caro, quem é casado com a mulher mais bonita, quem consegue mais pontos num jogo", observa.

Como gostam de escutar e comunicar e têm mais tendência a sentir empatia e a relacionar-se com os outros do que os homens, as mulheres são mais influenciáveis e as suas decisões são determinadas, em parte, pelas opiniões dos amigos, dos colegas e da família. Os homens podem ser menos influenciáveis, porém perdem se não derem importância à vida social. De acordo com o "Paradoxo Sexual", as pessoas com estreito contacto com familiares e amigos têm menos stresse, perdem menos memória, são mais saudáveis e vivem mais tempo.

 

Diferenças psicológicas.


Os rapazes têm mais tendênciaa sofrer dificuldades de aprendizagem a nível da linguagem (como aprender a ler) do que as raparigas, revela o livro. "Os homens têm mais probabilidade de sofrer dificuldades a nível de atenção e controlo, razão pela qual a hiperatividade e problemas severos de comportamento são três vezes mais comuns em homens do que em mulheres", acrescenta Pinker.

As mulheres, por sua vez, têm duas vezes mais probabilidades do que os homens de sofrer de ansiedade e depressão, problemas que têm uma componente hormonal e que por isso não afetam as raparigas até chegarem à puberdade.

Uma coisa que exemplifica as diferenças de comportamento entre os homens e as mulheres é o tipo de videojogos que os atrai. Elas preferem os jogos de estratégia e habilidade. Gostam de construir cidades e quintas nos jogos das redes sociais. Eles preferem os jogos de ação, que envolvam sexo, drogas, velocidade e rock. O estudo é da Flurry, uma empresa norte-americana de análise de aplicações para telemóvel, que revela ainda que quem dedica mais tempo a jogar nos smartphones são as mulheres.

3. NA CARTEIRA

Também nas finanças, os homens gostam de competir e arriscar. A aspiração masculina é gerir o dinheiro melhor do que ninguém. As mulheres são mais sentimentais. Segundo Susana Albuquerque, autora do livro "Independência Financeira para Mulheres" e presidente da ASFAC (associação do sector do financiamento especializado), apesar de as mulheres terem os seus empregos, ainda se queixam da pouca independência financeira que têm, quer pela sua própria atitude quer pela intervenção dos companheiros. "É como se sentissem que este poder e controlo do dinheiro não é para elas", confessa.

A mulher relaciona-se com o dinheiro segundo uma lógica de colaboração com as pessoas com quem divide os rendimentos, o parceiro e/ou familiares. "A diferença é que, geralmente, consultam o seu parceiro mesmo até nas pequenas compras, enquanto os homens tendem a não ouvir a sua parceira em relação às decisões financeiras que tomam, mesmo as grandes compras."

Da pesquisa que fez para o seu livro, apurou que elas elegem um gestor de conta ou consultor financeiro de acordo com a empatia, enquanto eles baseiam a sua escolha nos resultados por ele obtidos. Os homens tomam decisões com base em factos e ações concretas e são mais objetivos. No entanto, a faceta objetiva deles pode ser um entrave à comunicação com quem gere o seu dinheiro, avisa Susana.

Além disso, as mulheres mostram-se geralmente mais conservadoras no tipo de investimento que escolhem. De acordo com a autora, elas preferem os produtos financeiros com pouco ou nenhum risco, como depósitos a prazo, planos poupança reforma e certificados de aforro.

 

Afinal, são loucos por compras!


Os homens bem que podem começar a redimir-se por associarem o vício das compras ao sexo feminino. De acordo com o eBay, site de compras online, os homens gastam muito mais do que as mulheres nas compras feitas pela Internet. Segundo um estudo que o site realizou no mês de janeiro de 2010, 80% das compras no eBay a partir de Portugal foram efetuadas por homens.

Eles ficarão, porventura, surpreendidos ao saberem que os artigos mais procurados por elas no eBay não são os sapatos! E que a roupa e acessórios estão só em segundo lugar. Tal como os homens, as mulheres usam o eBay para comprar sobretudo telemóveis e acessórios para PDA. Eles compram ainda selos, roupa e acessórios de moda, CD e peças para carros.

"As mulheres são tão consumistas ou gastadoras quanto os homens. O que muitas vezes se confunde é a forma como eles e elas fazem compras, pois as mulheres tomam mais tempo e têm mais prazer", remata Susana Albuquerque. Afinal, não somos assim tão diferentes.

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Mulheres que não querem c...

Falemos de preliminares

Quantidade ou qualidade n...

Amizades coloridas

Tive sexo com o meu amigo...

Sexo com amigos?

Beijo mostra a compatibil...

Gosto musical indica comp...

Razões pelas quais mulher...

Amor etéreo: três mulhere...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags



comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links


blogs SAPO
subscrever feeds