Domingo, 1 de Maio de 2011
O multimédia está muito presente na feira
O multimédia está muito presente na feira (Ricardo Silva)

 

O digital está a ganhar terreno no mundo dos livros. No Parque Eduardo VII, tanto no pavilhão do grupo Babel como na Praça LeYa vai ser possível consultar e folhear livros electrónicos.

 

Mal se chega à Feira do Livro de Lisboa, que hoje abre às 12h30 no Parque Eduardo VII, dá-se logo conta que ali aterrou um objecto não identificado. É o pavilhão do grupo Babel, concebido pela arquitecta Soledade Paiva de Sousa, que poderia ser um paralelepípedo negro gigante que sofreu uma fractura e é rasgado horizontalmente, de um lado ao outro, por uma faixa de luz. 

É dentro deste pavilhão - completamente diferente de todos os outros que o rodeiam, com 56 metros de comprimento, por três metros e meio de largura - que os leitores vão ter acesso a livros digitais. Logo no espaço infantil, há uma zona multimédia, um quiosque com jogos didácticos. Mais à frente, os leitores são surpreendidos com uma estrutura que parece um livro gigante, aberto, mas não é de papel. No dia em que visitámos a feira ainda não estava tudo montado, mas nessa estrutura será projectado um livro electrónico que pode ser folheado. É uma maneira diferente de se ler a Mensagem, de Fernando Pessoa, da Babel, aquela que reproduz a primeira edição da obra que está na Biblioteca Nacional. 

Depois de se passar pelas zonas exclusivas dedicadas a autores - Jorge de Sena, Agustina Bessa-Luís, Fernando Pessoa e Padre António Vieira - no pavilhão; pelos ecrãs com trailers de livros; chega-se ao "e-quadrado". É um quiosque multimédia, com dois ecrãs, que o grupo editorial de Paulo Teixeira Pinto está a desenvolver para colocar em 20 lojas de norte a sul do país. Num dos seus ecrãs tácteis é possível ler ebooks. No futuro, ainda não acontecerá nesta feira, estes livros poderão ser adquiridos a partir deste "e-quadrado", mesmo nas livrarias. 

Na parte de cima do Parque Eduardo VII, do lado oposto ao pavilhão do grupo Babel, também haverá um espaço onde os visitantes da feira podem conhecer e ler ebooks. Uma parte de um dos pavilhões da Praça LeYa, mais concretamente o pavilhão do "Fantástico", foi transformada para aí se criar o espaço dinamizado pela LeYa Mediabooks, a livraria online deste grupo editorial. Estará equipado com dois PC portáteis, nos quais os visitantes da feira poderão, por um lado, conhecer e ler ebooks disponíveis no catálogo da Mediabooks e, por outro, consultar o catálogo de livros; o espaço estará também equipado com tablets, nos quais os visitantes poderão experimentar a leitura de livros digitais. Por sua vez, o grupo Porto Editora não terá ebooks na feira, mas está a preparar, para o mês de Maio, um evento dedicado ao ebook em conjunto com a Wook, a livraria online do grupo.

Mais tecnológicas

As coisas parecem estar a mudar. Pela primeira vez na história da Feira do Livro de Lisboa o livro digital vai conviver lado a lado com o livro impresso. Nada que não se passe já em outras feiras por esse mundo fora, embora a maior parte delas tenha características diferentes da Feira do Livro de Lisboa, pois, além de serem abertas ao público (durante alguns dias), estão vocacionadas para profissionais, para o negócio de compra e venda de direitos. "É inevitável que as feiras do livro passem a ser cada vez mais tecnológicas. É uma parte importante do mercado editorial que está a sofrer uma mudança e isso tem que se reflectir também no espaço onde o livro está presente, neste caso na Feira do Livro de Lisboa, o espaço principal de contacto do mundo da edição portuguesa com o seu público final", explica Nuno Seabra Lopes, consultor editorial da Booktailors.

Tal como já acontece nas feiras internacionais, em Portugal a importância do digital vai ter que começar a ser evidente. "Apesar de a nossa feira ter características diferentes, acredito que dentro de um ano, dois, poderá haver vendedores de ereaders e que também nos seja possibilitada a compra de ebooks", acrescenta Seabra Lopes. 

Este ano, nos primeiros quatro meses, os dados relativos à venda de livros nos EUA e no Reino Unido, anunciados pela Nielsen Bookscan, mostram que as vendas de ebooks estão a conduzir a uma quebra na venda de livros impressos. A editora Penguin anunciou que dez por cento do seu volume de negócios do ano passado já se deveu ao livro electrónico. "Sendo eles um grupo editorial tão forte e sem nenhum interesse directo em nenhuma tecnologia, não vendem Kindle ou Nook ou outro ereader. Sendo uma editora isenta, acho que é muito expressivo o negócio dos ebooks entrar nos dois dígitos. Começa a ser uma área com uma importância muito forte", diz Eduardo Boavida, editor da Bertrand. E isso notou-se na Feira do Livro de Londres, onde esteve José Prata, editor da Lua de Papel. Nas livrarias londrinas há também sinais de crise. A edição em capa dura está em extinção em Inglaterra, as novidades estão a ser publicadas em capa mole contra o que era tradicional no mercado anglo-saxónico. "Há uma caminhada para tornar o livro mais barato. Vê-se uma certa decadência no acabamento do livro por causa dos custos. A tentativa é tornar o livro impresso mais barato para competir com os ebooks e com os livros físicos que estão à venda na Internet com grandes descontos", explica José Prata. 

De feira em feira internacional costuma andar o jornalista Ricardo Costa, da PublishNews, um portal brasileiro que divulga uma newsletter diária sobre o mercado editorial. "A tendência é que as feiras estejam cada vez mais a voltar-se para o digital. No Brasil os editores perceberam que não vai demorar, já está aí. Os livros em formato digital estão a ocupar um espaço cada vez maior e acredito que daqui a uns anos as feiras do livro comecem a diminuir o seu espaço físico", explica ao telefone de São Paulo.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 22:05 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: