Sexta-feira, 25 de Março de 2011
Detectada burla nos Censos
 
Há empresas que estão a cobrar aos cidadãos entre seis e 12 euros para preencherem os questionários dos Censos 2011, escreve o Público. A denúncia parte do Instituto Nacional de Estatística (INE), que lembra que «existe uma estrutura no terreno disponível e vocacionada para ajudar, ou preencher na íntegra, os questionários».
 

Segundo o Público, as situações de burla foram registadas nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto. Quase todas foram dirigidas a idosos na suposta entrega dos questionários porta a porta.

 

Na Figueira da Foz uma idosa de 84 anos foi burlada em mil euros depois de ter aberto a porta a um homem que a interpelara a propósito dos Censos, escreve o jornal.

 

Algumas juntas de freguesia decidiram, devido a estes casos, personalizar os coletes que identificam os recenseadores e freguesia de Oliveirinha, concelho de Aveiro, divulgou junto da população fotografias dos recenseadores antes de estes irem a casa dos cidadãos.

 

Via SOL



publicado por olhar para o mundo às 08:01 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24 de Março de 2011

Escrevi aqui, e não pretendo retirar uma única vírgula ao que disse, que levar os "homens da luta" ao festival da canção na Alemanha é mais ou menos como ir correr as 24 horas de Le Mans com um símio ao volante. O Festival da Canção vale o que vale, e até pode valer pouco hoje em dia, admito. É uma espécie de resquício dos tempos em que acordávamos ao fim-de-semana às 7:30 e tínhamos de levar com o 70x7 e com o simpático Engenheiro Sousa Veloso no TV Rural antes de chegar o material bom, o animado, aquilo que fazia as crianças levantarem o pandeiro da cama mesmo em dias gelados de Inverno.

 

Tempos em que a novela "Pantanal" era transmitida de madrugada porque a "Juma" - que virava onça - aparecia desnudada, os habitantes da fazenda local suspeitavam que "Jove" - acabado de chegar do Rio - era "frosô" (veado) porque usava talheres às refeições e "Maria Broaca" - uma ninfomaníaca que viva nas margens do rio amazonas - andava a trair ao marido com um peão de boiadeiro, farta que estava da besta que "não lhe dava a assistência devida".

 

Mas não é por algo estar completamente desfasado e sem a qualidade e importância no panorama televisivo que o Festival da Canção deve ser automaticamente desconsiderado e sujeito ao envio de qualquer coisa, por muito má que seja, para nos representar. Já chega as tristes figuras que andamos a fazer na Europa. Estava na altura de parar de nos comportarmos como os parolos que vêm lá do refugo da europa à beira-mar-plantado para entreter os demais parceiros com as suas saloiices. Para isso já chegaram as várias tentativas de Inglês e Espanhol técnicos por parte do Primeiro-Ministro demissionário, com o mesmo número de espalhanços.


Foi por isso que constatei que no meio dos homens da luta há uma mulher que salva um bocadinho a coisa musicalmente, já que aquilo é uma verdadeira lástima. Chama-se Celina da piedade, é vocalista e intérprete do cinema ensemble de Rodrigo leão e ainda uma exímia acordeonista. Resumindo: nem tudo está perdido. Valha-nos a Celina e o seu acordeão. É uma pena não ir sozinha representar-nos. Grande Celina! Ouçam-na um bocadinho...

 

 

 

 

 

Via 100 Reféns



publicado por olhar para o mundo às 21:07 | link do post | comentar

Guerra dos sexos, parte II

 

Mulher: uma vítima sacrificada, cujas ambições foram esmagadas pela sociedade dominada pelo sexo masculino. Homem: indivíduo insensível, pragmático, descomplicado, por vezes rude. Conhece os estereótipos? Serão verdadeiros ou talvez não? Conferimos estudos científicos, estatísticas e teorias de psicólogos e sexólogos para levar a cabo uma tarefa ambiciosa: desvendar as diferenças que alimentam hoje em dia a chamada guerra dos sexos. Na cama, na vida e no trabalho e ainda na relação com o dinheiro.

1. NA CAMA

Quer seja homem ou mulher, procurará retirar do sexo uma coisa: prazer. O que pode variar conforme o género é a forma como esse prazer é obtido. Para a mulher, a satisfação sexual está dependente de quão confortável se sente com o parceiro. Sentimentos como a insegurança e a ansiedade ("Será que ele me acha atraente? Será que ele reparou que estou mais gorda?"), ou as preocupações do dia a dia (emprego, filhos, etc.) influenciam o desejo feminino.

Os homens, por sua vez, têm a capacidade de se abstrair da realidade, entregando o corpo e a mente à relação sexual. Apresentam uma vantagem em relação às mulheres, porque se excitam mais facilmente e mais rapidamente do que o sexo feminino. A conclusão é da sexóloga Marta Crawford, que lançou recentemente o livro "Diário Sexual e Conjugal de Um Casal" e faz a seguinte analogia: "O homem é como a tomada, liga-se e desliga-se. A mulher é como o ferro de engomar de antigamente, leva muito tempo a aquecer..."

Segundo a sexóloga, "a mulher precisa de ser apreciada pelo parceiro e de sentir que este tem carinho por ela". Mas a sociedade está em mudança.

Carrie Bradshaw, personagem desempenhada pela atriz Sarah Jessica Parker, declarou que queria "fazer sexo como um homem" num dos primeiros episódios de "Sexo e a Cidade". Poderá a série simbolizar uma revolução (ou evolução) na perspetiva feminina sobre o sexo? Carrie e as suas três companheiras representam uma nova vaga de mulheres independentes que procura só satisfação física no sexo, sem ligações emocionais. Os homens até têm medo delas...

O estudo "O Que Querem as Mulheres?", realizado recentemente pela consultora Strategy One, confirma que esta revolução estendeu-se a Portugal. E conclui que as portuguesas são das europeias felizes neste campo: "88% das portuguesas sentem-se realizadas sexualmente e 81% afirmam ter relações pelo menos uma vez por semana."

"Há poucos anos, as mulheres portuguesas não tinham sequer grau de comparação entre parceiros. Hoje estão mais informadas e têm mais experiência. Mais do que satisfeitas, estão mais exigentes", afiança o sexólogo Júlio Machado Vaz, que acrescenta que, em contrapartida, "os homens portugueses estão cada vez mais inseguros".

Tal como surgiu uma nova vaga de mulheres independentes, também se pode falar de uma nova vaga de machos sensíveis, que sentem necessidade de carícias e palavras de afeto. Porém, "as mulheres ainda pensam que o beijo e a carícia deles é apenas um pretexto para chegar ao sexo e não acreditam que queiram só isso", observa Crawford.

Nas diferenças, assinala-se ainda a maior predisposição dos homens para a relação sexual a priori. "O homem é mais sexual do que a mulher, e estes valores continuam muito presentes na nossa sociedade", afirma a sexóloga. Mas desenganem-se quanto às divergências no que toca à satisfação sexual. Ambos tiram a mesma, assegura a especialista. A diferença é que a iniciativa para o sexo parte geralmente deles.

Criatividade amorosa. "Os homens são muito visuais, veem uma mulher nua e conseguem ficar excitados imediatamente. Uma mulher vê um homem nu mas... não é o suficiente, não é tão automático", avança Crawford. Assim, o homem quer avançar rapidamente, porque já está excitado antes sequer de haver proximidade física. Já "a mulher precisa de sentir a mão na pele, de ser tocada, estimulada. Está em desigualdade, requer tempo e dedicação até ficar com o mesmo grau de excitação".

As mulheres gostam muito de surpresas, mais do que os homens, e são capazes de ser mais criativas na cama do que eles. Os homens, por sua vez, apreciam a diversidade, porque facilmente conseguem retirar prazer de várias coisas. "A diferença significativa entre os sexos é que o homem satisfaz-se mais facilmente com o que a mulher dá, e a mulher pode não ficar satisfeita com o que recebe."

Um dos maiores medos da mulher é não passar de um objeto para o parceiro. "A mulher precisa da confirmação que depois do sexo o parceiro continua a gostar dela. O abraço, o dormir em concha é um sinal de que os dois estão em sintonia", refere Crawford. Esqueça o ato de se virar para o outro lado da cama e começar a ressonar.

Já os homens receiam não ter habilidade suficiente para dar prazer à parceira. Quando tal acontece, veem-no como fraqueza e falta de virilidade. Júlio Machado Vaz aponta a ansiedade dos homens ao nível da performance sexual como um dos principais obstáculos ao êxito da relação sexual: "As mulheres têm uma visão mais desportiva do sexo. Quando nos dizem 'hoje correu mal, deixa estar que amanhã corre melhor', estão a ser sinceras. Mas eles não sabem lidar com isso."

As preocupações das mulheres relacionam-se mais com a aparência física. A culpa é da sociedade... e dos homens! Estamos numa sociedade que aprecia muito o corpo estereótipo: magras, esbeltas, giras. Mas por vezes os parceiros também não ajudam: "Há situações em que têm comentários desagradáveis ou fazem comparações e, assim, vêm reforçar esta ideia." A aparência física não tem tanto peso para o sexo masculino. As mulheres apaixonam-se não só porque o parceiro é uma brasa mas porque é gentil, inteligente e bem-disposto.

2. NA VIDA E NO TRABALHO

A sociedade só tem a ganhar se reconhecer as diferenças entre géneros, em vez de as ignorar. Quem o afirma é Susan Pinker, psicóloga na Universidade de McGill, em Montreal, no livro "O Paradoxo Sexual: Rapazes Traquinas, Raparigas Dotadas e a Verdadeira Diferença Entre os Sexos".

Pinker afiança não ter encontrado qualquer diferença na inteligência, mas frisa várias vezes que os sexos não são biologicamente equivalentes e, como tal, não têm metas idênticas. "Em média, as mulheres interessam-se mais por pessoas e processos orgânicos - como animais e plantas - do que por objetos inanimados ou sistemas", afirma Pinker. Além disso, preferem profissões onde possam ver o impacto do seu trabalho no melhoramento da vida das pessoas, como professoras, médicas, assistentes sociais e psicólogas, em detrimento de profissões das engenharias.

As mulheres procuram uma vida equilibrada, que não seja só fixada em emprego, salário e promoções, mas que tenha também uma componente doméstica e familiar. Pinker exemplifica que, em países como a Holanda, é normal que a mulher trabalhe metade das horas para ter mais tempo para a família ou para um hóbi, porque é assim que se realiza.

Os homens, por sua vez, vivem mais para o emprego e gostam de competir e arriscar: "Estão mais interessados em quem ganha mais, quem conduz o carro mais caro, quem é casado com a mulher mais bonita, quem consegue mais pontos num jogo", observa.

Como gostam de escutar e comunicar e têm mais tendência a sentir empatia e a relacionar-se com os outros do que os homens, as mulheres são mais influenciáveis e as suas decisões são determinadas, em parte, pelas opiniões dos amigos, dos colegas e da família. Os homens podem ser menos influenciáveis, porém perdem se não derem importância à vida social. De acordo com o "Paradoxo Sexual", as pessoas com estreito contacto com familiares e amigos têm menos stresse, perdem menos memória, são mais saudáveis e vivem mais tempo.

 

Diferenças psicológicas.


Os rapazes têm mais tendênciaa sofrer dificuldades de aprendizagem a nível da linguagem (como aprender a ler) do que as raparigas, revela o livro. "Os homens têm mais probabilidade de sofrer dificuldades a nível de atenção e controlo, razão pela qual a hiperatividade e problemas severos de comportamento são três vezes mais comuns em homens do que em mulheres", acrescenta Pinker.

As mulheres, por sua vez, têm duas vezes mais probabilidades do que os homens de sofrer de ansiedade e depressão, problemas que têm uma componente hormonal e que por isso não afetam as raparigas até chegarem à puberdade.

Uma coisa que exemplifica as diferenças de comportamento entre os homens e as mulheres é o tipo de videojogos que os atrai. Elas preferem os jogos de estratégia e habilidade. Gostam de construir cidades e quintas nos jogos das redes sociais. Eles preferem os jogos de ação, que envolvam sexo, drogas, velocidade e rock. O estudo é da Flurry, uma empresa norte-americana de análise de aplicações para telemóvel, que revela ainda que quem dedica mais tempo a jogar nos smartphones são as mulheres.

3. NA CARTEIRA

Também nas finanças, os homens gostam de competir e arriscar. A aspiração masculina é gerir o dinheiro melhor do que ninguém. As mulheres são mais sentimentais. Segundo Susana Albuquerque, autora do livro "Independência Financeira para Mulheres" e presidente da ASFAC (associação do sector do financiamento especializado), apesar de as mulheres terem os seus empregos, ainda se queixam da pouca independência financeira que têm, quer pela sua própria atitude quer pela intervenção dos companheiros. "É como se sentissem que este poder e controlo do dinheiro não é para elas", confessa.

A mulher relaciona-se com o dinheiro segundo uma lógica de colaboração com as pessoas com quem divide os rendimentos, o parceiro e/ou familiares. "A diferença é que, geralmente, consultam o seu parceiro mesmo até nas pequenas compras, enquanto os homens tendem a não ouvir a sua parceira em relação às decisões financeiras que tomam, mesmo as grandes compras."

Da pesquisa que fez para o seu livro, apurou que elas elegem um gestor de conta ou consultor financeiro de acordo com a empatia, enquanto eles baseiam a sua escolha nos resultados por ele obtidos. Os homens tomam decisões com base em factos e ações concretas e são mais objetivos. No entanto, a faceta objetiva deles pode ser um entrave à comunicação com quem gere o seu dinheiro, avisa Susana.

Além disso, as mulheres mostram-se geralmente mais conservadoras no tipo de investimento que escolhem. De acordo com a autora, elas preferem os produtos financeiros com pouco ou nenhum risco, como depósitos a prazo, planos poupança reforma e certificados de aforro.

 

Afinal, são loucos por compras!


Os homens bem que podem começar a redimir-se por associarem o vício das compras ao sexo feminino. De acordo com o eBay, site de compras online, os homens gastam muito mais do que as mulheres nas compras feitas pela Internet. Segundo um estudo que o site realizou no mês de janeiro de 2010, 80% das compras no eBay a partir de Portugal foram efetuadas por homens.

Eles ficarão, porventura, surpreendidos ao saberem que os artigos mais procurados por elas no eBay não são os sapatos! E que a roupa e acessórios estão só em segundo lugar. Tal como os homens, as mulheres usam o eBay para comprar sobretudo telemóveis e acessórios para PDA. Eles compram ainda selos, roupa e acessórios de moda, CD e peças para carros.

"As mulheres são tão consumistas ou gastadoras quanto os homens. O que muitas vezes se confunde é a forma como eles e elas fazem compras, pois as mulheres tomam mais tempo e têm mais prazer", remata Susana Albuquerque. Afinal, não somos assim tão diferentes.

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Portugal deve ir a eleições antes do Verão

 

 
As audiências com os partidos que o Presidente da República promove sexta-feira marcarão a primeiro etapa de uma crise política desencadeada pela demissão do primeiro-ministro e que deverá culminar na realização de eleições antecipadas ainda antes do verão.

Apesar do calendário imposto pelos prazos legais que é preciso observar ser apertado é possível que as mais do que previsíveis eleições legislativas antecipadas se realizem no final de Maio ou início de Junho.

De acordo com a Lei Eleitoral para a Assembleia da República, a marcação de eleições antecipadas devido à dissolução da Assembleia da República terá que marcar o ato eleitoral com uma«antecedência mínima de 55 dias».

Ou seja, para as eleições se realizarem no último fim-de-semana de Maio (dia 29), as eleições teriam que ser marcadas até dia 04 de Abril.

Se as eleições forem marcadas até 11 de Abril ainda será possível o ato eleitoral realizar-se a 05 de Junho, antes da sucessão de feriados que levará muitos portugueses a marcar férias para essa altura.

Contudo, até à assinatura do decreto de marcação das eleições, ainda será necessário cumprir outros passos impostos pela Constituição.

Já na sexta-feira, Cavaco Silva irá ouvir os partidos para tentar encontrar outra solução de Governo dentro do actual quadro parlamentar.

Se não for possível a actual Assembleia da República gerar um novo Governo, como é previsível, o Presidente da República deverá então aceitar formalmente o pedido de demissão de José Sócrates e dar início ao processo de dissolução do Parlamento, ouvindo novamente os partidos e o Conselho de Estado.

Conforme é referido na alínea e) artigo 133º da Constituição, compete ao Presidente da República dissolver a Assembleia da República, «ouvidos os partidos nela representados e o Conselho de Estado».

Nas anteriores crises políticas de 2001 e 2004, quando se realizaram eleições legislativas antecipadas, no primeiro caso também devido à demissão do primeiro-ministro, dez dias foi o tempo necessário para o então Presidente da República Jorge Sampaio cumprir os preceitos que a Constituição obriga e a marcação das eleições.

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 14:51 | link do post | comentar

O rasto de Sócrates

 

Via HenriCartoon



publicado por olhar para o mundo às 08:53 | link do post | comentar

Sócrates apresenta demissão

 

Nem meia hora tinha passado da entrega do pedido de demissão a Cavaco Silva, e José Sócrates anunciava que vai recandidatar-se às próximas eleições.

 

Numa declaração em São Bento, sem direito a perguntas, Sócrates afirmou que se demitiu porque "a oposição não deu qualquer espaço para o diálogo político e tirou todas as condições para governar".

 

O primeiro-ministro demissionário lembrou que fez "tudo para evitar a ajuda do FMI, para que o país não ficasse numa situação igual à da Grécia". E manteve a sua tese de que a "ajuda externa é prejudicial para o país".

 

Sócrates disse que "tentou evitar" esta situação "até ao último minuto" e que fez inúmeros apelos à responsabilidade", lamentando "ter sido o único a fazê-lo e que ninguém o tenha aceitado".

 

Sócrates recordou que "quando um PEC tem o apoio das instituições europeias há logo quem o deite abaixo", classificando a esta atitude como uma  "obstrução", levada a "um limite intolerável". Classificando esta crise como "desnecessária", criticou de novo aqueles que "julgam ter colhido aqui uma vitória", acusando-os de "estreiteza de vistas". E por ninguém "ter apresentado alternativas, apesar das tentivas de diálogo", Sócrates considerou que a "irresponsabilidadetriunfou sobre o sentido de Estado".

 

Agora, disse Sócrates, "a crise só poderá ser resolvida pela vontade dos portugueses e eu confio nos portugueses".

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23 de Março de 2011

Se ele não tem vontade de fazer sexo... o que nunca lhe deve dizer!

Nem sempre o desejo sexual surge ao mesmo tempo no homem e na mulher. Mas quando isso acontece com o seu companheiro, tenha cuidado com o que lhe diz

Há alturas em que ele não se mostra disponível para fazer amor (pronto, não está nos seus dias...!) E então o que faz? Entra em piloto automático e vai buscar ao bau das suas memórias arquétipas e inseguranças mais profundas uma daquelas frases que tem o condão de esfriar ainda mais o ânimo. John Gray, no livro 'Marte e Vénus na Cama', dá o exemplo e enumera o que é mais comum a mulher dizer nestas alturas (e que devia simplesmente calar):

- 'Já não gostas de fazer amor comigo?'

- 'Antes estavas sempre com vontade...'

- 'Já não me amas?'

- 'Foi alguma coisa que eu fiz?

-'Há alguma coisa que me queiras dizer?'

- 'Já não te excito?'

- 'Não me achas atraente?'

-'Acho melhor falar sobre o assunto...'

- 'Devíamos procurar ajuda!'

- 'Estou mais gorda, não estou?'

- 'Se fosse a vizinha do lado, ficavas logo com vontade...'

Ora bem, há alturas e alturas para abordar certos assuntos e maneiras mais ou menos apropriadas. Quando ele se mostra pouco receptivo aos seus avanços, pressioná-lo desta forma não é solução. Opte antes por não dramatizar a situação e apenas se for continuada no tempo deve falar com ele - de forma razoável e calma e nunca num cenário erótico.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

 

Elizabeth Taylor: o perfil de uma estrela

Era uma das mais icónicas estrelas de Hollywood. Ganhou dois Óscares. Casou-se oito vezes, uma delas com Richard Burton, com quem protagonizou um dos mais arrebatados romances de Hollywood. Era uma mulher de excessos. Era apaixonada pelo seu trabalho. Pelos homens. Pela vida. Foi dela que se despediu hoje, aos 79 anos de idade.

 

 

No auge da sua carreira, Liz era uma das mais bonitas mulheres do mundo. E uma das melhores actrizes de Hollywood. As décadas de 1950 e 1960 foram os seus anos de glória. Recebeu quatro nomeações para Óscares entre 1958 e 1961. Apenas ganhou dois, pelos papéis nos filmes "Quem Tem Medo de Virginia Woolf" (1967) e "BUtterfield 8" (1961).

Mas a carreira de Elizabeth Taylor começou muito antes. Liz nasceu em Londres no dia 27 de Fevereiro de 1932, filha de uma ex-actriz e de um negociante, ambos americanos. Os seus pais mudaram-se para a Califórnia quando tinha sete anos e pouco depois o seu talento ficou a descoberto.

O mundo tomou conhecimento pela primeira vez dos seus olhos azuis-violeta no seu filme de estreia, There's One Born Every Minute, tinha Liz dez anos. Nessa altura ainda não tinha o cabelo impecavelmente armado que a viria a caracterizar mais tarde. Nestes tempos usava o cabelo comprido e solto. Ainda com este look juvenil entrou no clássico Lassie Come Home, embora tenha começado a conquistar a sua legião de fãs contracenando não com cães, mas com cavalos, no filme National Velvet.

A partir deste momento Elizabeth Taylor transformou-se em mais uma child star da fábrica Metro Goldwyn Mayer (MGM), a par de nomes como Mickey Rooney e Judy Garland. Liz guarda memórias agridoces desses tempos: “Tinha dez anos quando cheguei à MGM e passei os 18 anos seguintes atrás das paredes daqueles estúdios. Era uma rapariguinha a crescer num sítio estranho; é-me difícil separar aquilo que era real daquilo que não era”, disse a actriz em 1974, como recorda a NPR.

As décadas seguintes foram de exaltação de todo o seu talento. A sua interpretação emCleópatra colou-se-lhe à pele. Como se a rainha egípcia e a divindade de Hollywood se tivessem transformado numa mesma substância.

Durante estes anos, Taylor alcançou o estatuto de diva. A sua vida era de excessos. Sobretudo amorosos e financeiros. Tentou o suicídio quando o seu amado Richard Burton lhe disse que nunca poderia abandonar a mulher. Quando finalmente o teve para si - transformando-o no seu quarto marido - começaram a viver uma vida de luxos. A expressãospending money like the Burtons começou a fazer parte do léxico americano. Foram o casal-sensação de Hollywood durante alguns anos. A relação era arrebatada, poética, perdulária. Findo o Liz&Dick, Taylor partiu para outra. A actriz casou-se ainda mais duas vezes. 

As suas tragédias pessoais e os seus múltiplos casamentos fizeram muitas capas de revista. Liz continuou, indiferente, como só conseguem ser indiferentes as estrelas que brilharam numa altura em que o star system de Hollywood era ainda algo de sagrado.

“Elizabeth Taylor foi lançada através dos filmes, mas tornou-se maior do que os filmes”, disse à NPR Peter Rainer, ex-presidente da National Society of Film Critics. 

Nos últimos anos, Elizabeth Taylor era uma imagem deformada do seu auge. Engordou muito, tinha uma saúde débil, deslocava-se em cadeira de rodas... Na década de 1990, Liz foi submetida a duas operações de substituição de anca e quase morreu de pneumonia. Em 1997 foi igualmente submetida a uma complicada remoção de um tumor cerebral. Nessa altura não hesitou em aparecer ao mundo de cabeça rapada. O objectivo - reconheceu então - era dar força a quem, como ela, estivesse a passar por problemas semelhantes.

É igualmente conhecida a sua luta contra o vírus da sida. Em 1991 fundou a American Foundation for AIDS Research (AmFar), após a morte do seu colega actor e grande amigo Rock Hudson, em 1985. Nunca deixou de angariar fundos para esta causa, mesmo quando já estava muito debilitada fisicamente.

Era muito amiga do também falecido Michael Jackson. A morte do cantor, em Junho de 2009, abalou muito a actriz. Precisamente por estar muito fraca, Liz não pôde comparecer às cerimónias fúnebres de Jackson, mas publicou um comunicado em que dizia: “Irei sempre amar o Michael do fundo do meu ser e nada nos poderá separar”.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 19:08 | link do post | comentar

 Fotos comprometedoras de actrizes de Hollywood circulam na Internet

 

Várias estrelas de Hollywood viram as suas fotografias mais comprometedoras serem divulgadas nainternet, após terem sido roubadas por hackersVanessa Hudgens foi a primeira vítima, mas agora também Scarlett Johansson tem fotos em que aparece despida.

 

Vanessa Hudgens, actriz de "High School Musical" fez queixa da ocorrência ao FBI, sendo que a polícia federal já se encontra a investigar. As fotografias roubadas a Hudgens estavam no seu telemóvel, suspeitando-se que os hackers conseguiram acesso privilegiado ao conteúdo do smartphone da actriz.

 

Também Scarlett Johansson foi alvo de hackers que tiveram acesso a uma foto da actriz totalmente nua. À semelhança de Hudgens, as fotografias foram roubadas do telemóvel pessoal e também já estão a circular na internet.

Jessica Alba e Miley Cyrus foram igualmente "assaltadas" mas as fotos ainda não foram divulgadas pelos hackers. O FBI já afirmou que está perto de apanhar os culpados.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 15:21 | link do post | comentar

Chávez diz que o Capitalismo poderá ter acabado com os marcianos

 

Hugo Chávez afirmou, esta terça-feira, que o capitalismo poderá ser o principal responsável pelo fim da vida em Marte. "Eu sempre disse, ouvi, que não seria estranho ter existido civilização em Marte, mas talvez o capitalismo tenha lá chegado, o imperialismo chegou e acabou com o planeta," disse numa declaração a propósito do Dia Mundial da Água e rápida diminuição dos recursos hídricos.

 

"Cuidado! Aqui no planeta Terra onde há centenas de anos ou menos havia grandes florestas existem agora desertos. Onde havia rios, existem desertos," declarou ao mesmo tempo que bebia um copo de água.

 

O presidente venezuelano afirmou ainda que acredita que na origem dos ataques à Líbia estão os interesses dos aliados de se apoderarem do petróleo e da água do país.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

 

Hace mucho tiempo que no hago el amor

 

 

Entre las estadísticas, que afirman que la población hace el amor una media de 8,9 veces al mes*, y tu amiga Jessica, que te cuenta la tercera parte de su affairamoroso de este fin de semana, empiezas a sentirte un poco sola. Casi ni recuerdas la última vez que estuviste entre los brazos de alguien. ¿Crees que no hacer el amor durante mucho tiempo es un problema? Pues, depende.

¿Qué significa «mucho tiempo»?
Cada uno tiene una noción del tiempo diferente. Las parejas que están acostumbradas a hacerlo varias veces a la semana y que, de repente, pasan quince días y nada de nada, entonces sí, a ellos debe parecerles una eternidad. Pero para los que llevan un ritmo más tranquilo, la cosa empieza a resentirse cuando pasan varios meses y no hay rastro de ningún tipo de cariño. Así que establecer cuánto es «mucho tiempo» es relativo y difícil. Se trata sobre todo de sentir.
>Llevarlo más o menos bien
A veces una castidad de este tipo se debe a una elección personal y no tiene por qué vivirse como un auténtico calvario, sino todo lo contrario.
1) Se puede hacer un paréntesis para sobreponerse de una separación, un acontecimiento, una etapa importante o un conjunto de experiencias sexuales poco satisfactorias. Este período de sequía puede servir para encontrarse con una misma, volver a centrarse en los aspectos que nos parecen más interesantes y realizar una pequeña limpieza cerebral para hacer borrón y cuenta nueva dejando de lado lasrelaciones anteriores para disfrutar más de la próxima. 
2) Una puede estar con la cabeza completamente en otra parte y no pensar en tonterías, es decir, tener la mente ocupada pensando en el trabajo, la mudanza, el cumpleaños que hay que organizar, etc. El tiempo pasa tan rápido que no se da ni cuenta de que lleva a dos velas desde San Valentín. 
3) Hay parejas que se divierten instaurando una «castidad trienal». Sin sexo durante tres semanas, tres meses... con el objetivo de aumentar el deseo, la impaciencia, la pasión y excitar un poco más las hormonas. ¿Por qué? Porque los reencuentros son explosivos y dignos del Imperio de los sentidos. ¿Lo empiezas a echar de menos? ¡Tú lo has querido así!
>Llevarlo fatal 
Hormigueo, picazón, nervios, etc. En fin, ¡que necesitas un fregoteo cuerpo a cuerpo con un buen macho!
1) No importa si es guapo, feo, de una noche o para toda la vida. Estás en un nivel de necesidad que asaltarías al primero que pasara.
Soluciones:
-Llama a tu fuck buddy, a tu sex friend, es decir, a ese gran amigo que siempre está dispuesto a darte placer sin echar a perder vuestra amistad.
-Empieza a salir de casa para cruzarte con hombres o inscríbete a un Speed Dating® y espera que tu cita rápida, el afortunado elegido, tenga tanta prisa como tú por llegar a los postres.
Recuerda: No corras riesgos y cúbrete siempre. No olvides el «póntelo-pónselo».
2) Sientes que la situación te incomoda, pero no te apetece retozar en las sábanas del primer buen hombre que se cruce en tu camino.
Soluciones:
-Parte del principio que nunca estaremos mejor servidas que por nosotras mismas, así que sigue al pie de la letra la conocida frase de Woody Allen: «La masturbación es hacer el amor con alguien a quien amamos.»
Un pequeño orgasmo en solitario, y listo. ¿Te parece triste? Échale un poco de sal al asunto invirtiendo en un juguetito sexual.
-Hazte la pregunta adecuada: ¿Echas de menos el sexo o echas de menos estar con alguien? A menudo es lo segundo lo que se echa en falta. Si es el caso, no te vayas con cualquiera y parte en busca de tu otra mitad. 
3) Tienes pareja y no llevas nada bien esta especie de cinturón de castidad. Te parece que dura demasiado. Vigila con no entrar en el círculo vicioso de: «cada vez hacemos menos el amor, cada vez me apetece menos». Puede ser que tu parejasienta lo mismo, así que no dudes en tomar la iniciativa y háblalo con él para cambiar la situación.
 
Via Emfemenino


publicado por olhar para o mundo às 03:26 | link do post | comentar

Terça-feira, 22 de Março de 2011

Sexo: como lutar contra a inibição

 

Uma relação feliz passa por uma sexualidade desinibida. É o seu caso?

Os amantes não se conhecem em duas noites. São precisos meses, até anos, de descoberta dos pontos erógenos preferidos do parceiro e das posições mais estimulantes, sobretudo quando os corpos têm formatos muito diferentes. Só ao fim de muito tempo alguns casais se sentem à vontade para partilhar fantasias sexuais que sempre mantiveram no segredo dos deuses. Os parceiros de longa data crescem e amadurecem sexualmente e percebem que esse processo leva tempo. Essa é a verdadeira intimidade: a capacidade de partilhar e de aprender que são precisos dois para o prazer ser total.

 

- Na cama, a liberdade deve ser absoluta. Os complexos de culpa ficam à porta. Todas as práticas sexuais que dois adultos decidam fazer são válidas, desde que consentidas e desejadas por ambos: a época dos pecados mortais já lá vai.

 

- Os preliminares representam 90% do sexo, e os ‘corredores de fundo' do amor sabem disso.

 

- Sexo é dádiva: proporcionar e receber prazer físico. Quem se esquece dessa troca corre o risco de perder o interesse sexual do parceiro... ou de ser substituído rapidamente.

 

- Um bom amante ajuda o parceiro mais inibido a soltar-se; não passa metade do tempo na cama a criticar o parceiro porque ‘não consegue' ou porque ‘não se esforça'.

 

- Aumentem a vossa cultura sexual. O mercado está cheio de bons livros de autores internacionais e nacionais que falam de técnicas e afectos. Depois é só praticar. "Como ser uma boa Amante", da sexóloga americana Lou Paget, é dedicado exclusivamente às mulheres e é editado pela Dom Quixote. A jornalista espanhola Sylvia de Bejar escreveu um dos livros mais desinibidos e francos sobre o assunto, "O sexo no feminino", da Bertrand.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

 Pior música de todos os tempos bate recordes no YouTube - vídeo

 

 

Rebecca Black, uma jovem norte-americana com o sonho de se tornar cantora, publicou o vídeo do seu novo tema "Friday" no YouTube, tendo conseguido 29 milhões de reproduções em menos de duas semanas. Os críticos já apelidaram o tema "sensação" como a pior música de todos os tempos.

A canção interpretada por Rebecca, de 13 anos, é já um dos temas mais discutidos no Twitter e também já ganhou espaço nas revistas da especialidade. Os comentários ridicularizam tanto amúsica - que tem versos como "ontem foi quinta-feira, quinta-feira, hoje é sexta-feira, sexta-feira" - como a própria cantora, pelo facto de a sua voz ter sido claramente alterada por um programa de correção e afinação de voz.

Friday foi produzida pela Ark Music Factory, uma empresa de Los Angeles que procura "a próxima grande estrela". Os custos de produção foram totalmente suportados pelos pais de Rebecca.

Esta segunda, o tema de Rebecca já estava em 25º lugar no top das músicas mais vendidas na loja daApple, ultrapassando mesmo Never Say Never, interpretada por Justin Bieber.

 

 

 

 

 
 
Via Ionline

 



publicado por olhar para o mundo às 14:06 | link do post | comentar

Homens da luta ridicularizam-se a si mesmos

 

Não há polémica que assuste ou pare a dupla Jel e Falâncio. Depois da polémica vitória no Festival RTP da canção, da participação na manifestação da “geração à rasca”, os Homens da Luta fizeram agora uma música a criticar Miguel Sousa Tavares.

 

Na música, “Mudam-se os tempos, mudam-se os Tavares”, os Homens da Luta satirizam o escritor e comentador Miguel Sousa Tavares, comparando-o com o seu pai, Francisco Sousa Tavares.

Na origem da nova música, poderão estar as recentes declarações de Miguel Sousa Tavares no “Jornal da Noite”, na SIC, onde criticou a música vencedora “A Luta é Alegria” e a postura dos Homens da Luta. “Não deixa de ser irónico pensar que esta canção, com esta letra, vá representar Portugal na Alemanha, em cuja plateia e em cujos televisores hão-de estar os alemães a quem nós andamos a pedir dinheiro”, disse o comentador em directo, acrescentando que “a demagogia é a coisa mais popular que existe e mais irresponsável e mais perigosa”. “Os demagogos aparecem sempre nos momentos de crise”, concluiu Miguel Sousa Tavares.

Os Homens da Luta não perderam tempo e preparam uma resposta que publicaram no seu facebook no fim-de-semana. "Mudam-se os tempos, mudam-se os Tavares", é uma adaptação da canção de José Mário Branco, com música de Jean Sommer, do tema "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", onde a letra foi alterada, fazendo uma comparação entre Miguel Sousa Tavares e o pai.

“Mudam-se os tempos, mudam-se os Tavares. De pai para filho houve uma mudança. E se o primeiro [Francisco Sousa Tavares] gritava na rua, o segundo [Miguel Sousa Tavares] é um vaidoso profissional da cagança. E se nos Tavares também houve uma mudança é porque o pai educou mal a criança” cantam os Homens da Luta num vídeo que não pára de circular na internet.

Vídeo do YouTube dos Homens da Luta

Via Público

 

Alguém devia explicar ao Jel que há limites para o ridículo.... isto deixou de ser humor para ser politica baixa



publicado por olhar para o mundo às 11:00 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Os 30 medicamentos para diminuir mortes evitáveis
 
A Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou hoje a lista dos 30 medicamentos prioritários para a saúde de crianças e de mães e cujo acesso é essencial para diminuir o número de mortes consideradas evitáveis.

«Pela primeira vez a OMS publica a lista dos medicamentos prioritários para a saúde da mãe e do filho, e recomenda os fármacos mais importantes para salvar vidas», refere a Organização num comunicado hoje divulgado, em que acrescenta que «o acesso aos medicamentos apropriados é vital para prevenir os objectivos mundiais em matéria de saúde».

A OMS lembra que mais de oito milhões de crianças, que têm entre meses e cinco anos, morrem por ano devido a doenças como a pneumonia, a diarreia e o paludismo.

Por dia, refere a OMS, estima-se que morrem mil mulheres devido a complicações ligadas à gravidez e ao parto.

«Quase todas as mortes ocorrem em países em vias de desenvolvimento e poderiam ser evitadas se os medicamentos correctos estivessem disponíveis e fossem prescritos e tomados adequadamente», defende.

A OMS recorda que uma injecção de occitocina logo após o parto pode parar hemorragias e sangramentos - as principais causas de mortes maternas - «e fazer a diferença entre a vida e a morte».

Da lista dos 30 medicamentos prioritários - compilada por especialistas em saúde materno-infantil e em farmacologia - fazem parte, da secção dedicada às mães, fármacos para tratar infecções, hipertensão e doenças sexualmente transmissíveis, bem como medicamentos para evitar os partos prematuros.

De acordo com várias estimativas, a pneumonia mata por ano 1,6 milhões de crianças com menos de cinco anos. A OMS garante que o tratamento com antibióticos simples poderia evitar até 600 mil destas mortes.

Além disso, o acesso aos sais de hidratação oral e a comprimidos de zinco poderia evitar as 1,3 milhões de mortes de crianças que ocorrem anualmente devido à diarreia.

Estudos realizados em 14 países africanos demonstram que os medicamentos para crianças estão disponíveis em apenas 35 a 50 por cento das farmácias.

A lista dos 30 medicamentos prioritários menciona cinco fármacos que são necessários urgentemente, mas que ainda não existem, na prevenção e tratamento da tuberculose, em particular para as crianças infectadas com HIV e para a assistência aos recém-nascidos.

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 08:03 | link do post | comentar

¿Existe realmente una zona muy sensible en la mujer además del clítoris, el denominado punto G? Y si existe ¿todas las mujeres lo tienen y cómo se estimula?

El Punto G existe?

Se ha hablado mucho y se sigue hablando del famoso punto G. Punto que recibe su nombre de su descubridor, el ginecólogo alemánGrafenberg. Se trata de una zona situada en la pared anterior de la vagina (la pared de la vagina que está más cerca del pubis, en la zona frontal del cuerpo), a unos pocos milímetros (cuatro o cinco) de la entrada vaginal.

Para que nos hagamos una idea de dónde se localiza, imaginemos que la mujer se sitúa de pie y con las piernas ligeramente separadas. En esta posición, la mujer introduce en su vagina un dedo, a muy poca profundidad. La primera falange del dedo anular o índice, por ejemplo. La yema del dedo en esta posición se situará aproximadamente sobre la zona que ocupa el punto G.

Si la mujer, con el dedo situado en esta posición, realiza un movimiento circular sobre la zona, o un movimiento similar al que hacemos para indicar a alguien que se acerque (cuando le decimos a alguien “ven” con el dedo índice), es posible que note cierta sensibilidad. Algunas mujeres afirman que al presionar esta zona, sienten algo similar a ganas de orinar. Es importante tener en cuenta que el punto G es principalmente sensible cuando la mujer se encuentra excitada y se hace difícil su percepción cuando no lo está.

En algunas pocas mujeres, la estimulación adecuada de esta zona puede desencadenar el orgasmo (obviamente, si la estimulación va unida a otro tipo de caricias y una situación que la mujer encuentre erótica). Según refieren algunas mujeres, la estimulación más propicia es similar a una presión rítmica.

En las mujeres que afirman tener esta zona sensible (que por cierto, son minoría), el orgasmo a veces se acompaña de la emisión de un líquido (eyaculación femenina) que puede confundirse con la orina, ya que la excitación que provoca la estimulación de esa zona viene acompañada a veces de una sensación de incontinencia urinaria y, además, ese líquido se expulsa por la uretra.

En algunos casos, no muy frecuentes, la mujer tiene miedo a relajarse en el encuentro erótico, dejarse llevar y excitarse porque teme ‘orinarse’ y, de hecho, algunas mujeres refieren ocasiones en las que estando muy excitadas, en el momento del orgasmo, sienten que emiten bastante líquido que confunden con orina. Sin embargo, es más que posible que no se trate de orina sino de la denominada eyaculación femenina.

Este líquido que se expulsa como consecuencia de la estimulación del punto G no es orina, según han mostrado diversos estudios, sino que tiene una composición similar al semen masculino (aunque obviamente, no contiene espermatozoides).

 

El famoso Punto G

 

En los escasos casos en los que la mujer manifiesta emitir un líquido muy abundante durante la estimulación de esta zona (ya sea por la mano o por el pene), es posible que se encuentre cohibida por ello durante el encuentro erótico. Lo más aconsejable en estos casos es que se cubra la cama con una toalla o dos, y así se evitan preocupaciones relativas a mojar la cama.

 

Investigadores como WhipplePerry Ladas han estudiado esta zona y las reacciones de diversas mujeres ante su estimulación. Pero cabe señalar que es un tema controvertido porque aún hay muchos sexólogos que dudan de la existencia del denominado punto G. Hay estudiosos que afirman que lo que en realidad se están estimulando son las raíces del clítoris, que se encuentran cercanas a esta zona.

Otro tema fundamental que no hay que olvidar es que ninguna zona del cuerpo, por muy sensible que sea (un pene, un clítoris, unos labios, una espalda, un cuello…), va a producir sensaciones agradables si la caricia en esta zona no va acompañada de una situación que la persona encuentre agradable y sensual y de un estado psicológico adecuado de relajación, de abandono...

Por otro lado, es muy importante señalar que, aún estando excitadas, la mayoría de las mujeres no sienten nada cuando se estimulan esta zona. Parece ser que la sensibilidad en esta región es variable de una mujer a otra y que el número de mujeres que, estando excitadas, tienen sensibilidad en la zona, no es muy elevado. La mayoría de las mujeres, de hecho, afirman no tener prácticamente sensibilidad en este punto.

Tener sensibilidad en esta zona o no tenerla no hace menos mujer a una mujer, ni tampoco implica que su sexualidad sea menos placentera. Esta zona es pequeña y muy localizada, pero todas las mujeres tienen una exquisita sensibilidad en el clítoris y todo un cuerpo sensible a las caricias. También todas tienen capacidad para disfrutar de atenciones, palabras amables o dulces y, por supuesto, de los momentos de intimidad y ternura.

Si se desea, puede ser divertido explorar y buscar el punto G, pero no es conveniente que nadie se obsesione con ello. Para la inmensa mayoría de las mujeres, la estimulación del clítoris es mucho más placentera y, por descontado, las caricias por todo el cuerpo.

*María Victoria Ramírez es psicóloga y sexóloga.

 

Via El confidencial



publicado por olhar para o mundo às 03:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 21 de Março de 2011

Cinco sentidos na hora do sexo

 

Os cinco sentidos têm funções essenciais durante uma relação sexual. São eles os responsáveis pelo elo entre as sensações e a mente. Sem eles nada chegaria ao cérebro, o responsável pela decodificação destes estímulos.

 

"Definimos os sentidos como uma porta de comunicação do mundo exterior e o interior", revela Celso Marzano, urologista, terapeuta sexual e diretor do CEDES - SP (Centro de Orientação e Desenvolvimento da Sexualidade). Cada imagem, cheiro, toque, som e gosto têm um significado para o nosso cérebro. "O ato sexual é basicamente uma atividade sensorial que utiliza os cinco sentidos", explica o profissional.

Segundo Celso Marzano, a pele é maior órgão sexual do ser humano. Isso porque nela sentimos dor, frio, calor e prazer. "O tato (toque e carinho) que a mulher interpreta como intimidade e o homem como preparo para o sexo libera ocitocina que é um mediador cerebral do prazer", elucida o especialista. Já os estímulos auditivos seriam mais eficientes nas mulheres, os murmúrios atiçam os receptores periféricos dos ouvidos. A voz da pessoa amada é como um poderoso estimulante.

Quando as pessoas dizem: "Tem que ter química", podem estar se referindo ao cheiro, uma vez que ele aproxima os casais. Outro fator importante está relacionado à degustação. "O beijo durante o ato sexual mantém o vínculo de excitação e intimidade entre os parceiros como se fosse um estímulo contínuo de prazer", garante o terapeuta.

A visão é o sentido mais complexo e sua função começa muito antes do sexo. É ela que analisa os requisitos físicos, decidindo se haverá ou não uma maior interação entre os casais. "Os órgãos sexuais não são considerados belos sob o ponto de vista estético, mas tornam-se atraentes e desejáveis na medida em que o sujeito é influenciado pela emoção e pela fantasia", justifica Marzano.

De acordo com o terapeuta sexual, é a paixão e o amor que estimulam todos os sentidos. Além disso, as fantasias sexuais, a sedução e até a aproximação física ajudam. Há momentos em que vários sentidos são utilizados ao mesmo tempo, e do beijo, que empregam tato, paladar e olfato.

 

A relação sexual, segundo o terapeuta, "não começa no começo e nem termina no final": "O ‘antes do antes’ tem inicio com as posturas corporais ou expressões faciais que demonstram excitação, desejo e volúpia, onde as construções de fantasias eróticas aparecem e fazem com que homens e mulheres entrem com mais facilidade na relação sexual propriamente dita". "No ‘depois do depois’, ou seja, a manutenção do desejo, é demonstrada no aconchego, no ficar juntos, na intimidade e nas confidências", finaliza Marzano.

Por Bianca de Souza (MBPress)

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Poluição urbana está a tornar os pólenes cada vez mais agressivos
 
A poluição dos meios urbanos está a tornar os pólenes mais agressivos, uma das principais razões por que a população das cidades sofre cada vez mais cedo e com mais intensidade os sintomas das alergias na chegada da primavera.
 

Segundo o presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia (SPA), Mário Morais de Almeida, «em cada década as alergias aumentam de 10 a 20 por cento», sendo que além de serem cada vez mais frequentes são cada vez mais graves por causa da pressão do ambiente.

 

Actualmente quase um milhão de portugueses sofre de asma e dois milhões de rinite alérgica, especificou o especialista só para citar dois dos tipos de alergia mais frequentes, embora tenha referido outras como a alergia aos ácaros ou as peles atópicas.

 

«As alterações climáticas fazem com que as plantas cada vez polinizem mais cedo. Estamos a fazer essa medição há muitos anos e verificamos que nos últimos anos a concentração dos pólenes é elevadíssima», afirmou o presidente da SPA.

 

Isto explica o aparecimento de cada vez mais crianças com alergias e, pensando apenas na dos pólenes, cada vez mais cedo, em idade pré-escolar, com dois ou três anos, acrescentou.

 

Mas Mário Morais de Almeida sublinha que o problema não é só as alergias surgirem cada vez mais cedo, mas também com muito mais gravidade.

E se factores como o tipo de vida ou de alimentação têm algum peso, a «genética modulada pelo ambiente é determinante».

 

O peso que tem o pólen em conjunção com as alterações climáticas é cada vez mais grave, explicou, acrescentando que nas cidades existe na atmosfera uma mistura de pólenes com grande concentração de poluentes.

 

«Ao interagir com a poluição automóvel, os pólenes tornam-se mais agressivos. O mesmo pólen em meio urbano é mais agressivo porque se altera o seu formato e o seu nível de agressão», especificou.

 

Na primavera é quando os sintomas são mais sentidos porque é quando as plantas mais polinizam, contribuindo para este efeito nefasto nos mais sensíveis, principalmente, plantas como os fenos ou erva parietária e árvores como a oliveira.

 

Os sintomas são variáveis, mas numa percentagem elevada surgem espirros, comichão e pingo no nariz, obstrução nasal, lacrimejo e olhos vermelhos, por vezes tosse, falta de ar, aperto no peito, pieira, mas também comichões e descamação da pele e extremo cansaço.

 

O mais grave é que estes não são sintomas passageiros e os efeitos da polinização sentem-se por norma entre Março e Julho, disse o médico.

 

Esta é, aliás, uma das razões por que as alergias surgem fortemente associadas a estados de depressão e ansiedade, «mistura»potenciada na primavera, por ser a estação do ano mais propícia a potenciar os dois estados clínicos.

 

«Existe uma forte relação do sistema neuro-imuno-endócrino», afirmou, explicando que quem tem distúrbios neurológicos pode ter alergias na primavera por estar com o sistema imunitário debilitado, assim como a alteração do humor faz parte do quadro de alergia.

 

No entanto, o médico sublinha a importância de procurar ajuda, porque as alergias são hoje facilmente diagnosticadas e tratadas, embora ainda sejam desvalorizadas, em grande parte pela própria comunidade médica.

 

«O que é perigoso é deixar a alergia controlar a vida da pessoa e não a pessoa controlar a doença alérgica».

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 14:10 | link do post | comentar

Logotipo da campanha Censos 2011

Os Censos realizam-se de 10 em 10 anos, são obrigatórios (Lei 22/2008 de 13 de Maio) e permitem obter uma melhor noção em Portugal de quem é quem e como é. Isto porque provavelmente a Segurança Social não os consegue contar ou o Governo não aprendeu a somar as contas das pessoas que fazem Bilhetes de Identidade e o Cartão de Cidadão versus as pessoas que entram nos cemitérios, e ver quantos ainda estão por cá.
Neste texto falo problemas na linha telefónica, no site e na informação falsa colocada no RIPE.net.

 

site

 

site censos2011.ine.pt esteve offline até perto da uma da manhã conforme anunciei no meu Twitter. O mais engraçado é que no dia 20 o site estava online. Hoje, pelas 9h o site encontra-se online mas lento. É de notar que houve há uns meses um problema grave em que no dia de Eleições para a Presidência da República o estado teve problemas informáticos semelhantes. Se o Governo veio a público dizer que as pessoas responsáveis já tinham sido “despachadas”, penso que nem para despachar pessoas o Governo consegue fazer um bom trabalho. Estará talvez na hora do segundo round?

Visualização do relógio e da informação do site do Censos 2011 offline(clica na imagem para ampliar)

Uma das minhas preocupações é ter um site acessível. O facto de o ter acessível para mim, é simplesmente ter a possibilidade de navegar no site sem qualquer problema, mas que isso se estenda a qualquer tipo de deficiente que tente navegar no site: seja visual, físico, cognitivo, etc.
O Governo decidiu colocar o Símbolo da Acessibilidade na Web e ao lado o ícone do nível AA do WCAG 1.0. De notar que o WCAG 2.0, as normas mais recentes de acessibilidade, são recomendadas desde 2008. Em 2011, o INE decidiu usar algo que está obsoleto há três anos. E mesmo assim, usando um validados chamado de Examinator, encontramos erros de validação porque a página remete para um “302 found” em vez de remeter para a página que devia. Ou seja, mais um showoff do nosso Governo que tanto diz que gosta de ajudar os mais necessitados. No entanto, os problemas com ajudas técnicas continuam. Querem ajudar? Assinem a petição.

 

O telefone

 

Ontem dia 20 tentei contactar telefonicamente os Censos 2011 pelo 800 22 20 11. Escolhi uma opção e fui encaminhado para um operador. Esperei mais de meia hora a ouvir música. Quando fui ver o horário de funcionamento descobri que era só nos dias úteis. Ou seja, acho que andei a pagar uma chamada grátis desnecessariamente durante meia hora. Não entenderam? Eu explico: a chamada é grátis, não havia um aviso do horário de funcionamento e por isso, mais tarde, eu como contribuinte irei de certa forma pagar esta chamada e a incompetência do aprovisionamento de uma linha telefónica. Podia estar à espera uma hora, se calhar ia dar ao mesmo.

Hoje tentei contactar várias vezes desde as 9h da manhã, o número não se encontra disponível nem da rede fixa nem da rede móvel.

 

A falsa informação no RIPE.net

 

RIPE é a entidade Internacional responsável pela atribuição e pelo “label” dos IPs em Portugal, ou seja, é lá que obtemos a informação de quem é quem na Internet ou a quem é que um determinado IP ou uma determinada range de IPs pertence. Neste caso como sou geek, decidi ir ao RIPE pesquisar os contactos oficiais. Primeiro, fiquei realmente espantado pelo INE ter o seu próprio netblock, ou seja, um bloco de IPs só para eles. E depois,fiquei horrorizado: o contacto telefónico estava inválido. Relembro que nos domínios de Internet colocar falsas informações em domínios de Internet significa que podemos perder o domínio se o registar for muito rígido – ou as informações muito graves. Será que o INE poderá perder o seu range de IPs por isto? Claro que não. É Governo, e o Governo está imune a tudo e todos!

O facto é que continuo sem poder tirar dúvidas sobre o Censos, não é claro se o site é realmente acessível após o login porque a minha senha não funciona (daí ter que tirar dúvidas) e que uma entidade Governamental colocou falsa informação – seja por erro ou não – nos seus IPs.  Contra factos, não há argumentos. Já passaram 10 horas e meia do dia 21, o dia oficial do lançamento de algo que me parece ter sido um fracasso, tal como as Eleições. E agora a quem vamos atribuir as culpas?

 

Rui

 

Via Rui Cruz Weblog



publicado por olhar para o mundo às 13:45 | link do post | comentar | ver comentários (19)

Doze produções portuguesas integram festival de Buenos Aires

 

Doze produções de cinema português foram seleccionadas para o Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires (BAFICI)

 

O festival começa no dia 6 de Abril e exibirá mais de 400 filmes, entre os quais um ciclo das obras do realizador e produtor Sandro Aguilar.

Serão mostradas a longa-metragem "A Zona" e cinco curtas-metragens de Sandro Aguilar, convidado para estar no festival também como júri na secção competitiva de curtas-metragens argentinas.

 

Para a competição internacional foi seleccionada a primeira longa-metragem de João Nicolau, "A espada e a rosa", produzida por O Som e a Fúria, e que estreará comercialmente em Portugal em Abril.

 

Com a "audácia e o suspense das melhores telenovelas", escreveu a organização, em Buenos Aires será também exibido "Mistérios de Lisboa", do chileno Raúl Ruiz, rodado em Portugal, com produção de Paulo Branco, a partir do romance homónimo de Camilo Castelo Branco.

"Guerra Civil", filme de Pedro Caldas, premiado em 2010 no IndieLisboa, e o documentário "Parto", de António Borges Correia, também integram o festival.

 

A investida portuguesa na Argentina incluirá também "Fantasia Lusitana", retrato documental de João Canijo sobre o Portugal de Oliveira Salazar, e "Swans", ficção de Hugo Vieira da Silva, ainda inédita em sala em Portugal, que se estreou em Fevereiro em Berlim.

 

O festival BAFICI, que teve a primeira edição em 1999, decorrerá de 6 a 17 de Abril em Buenos Aires.

 

Em 2010 somou cerca de 245 mil espectadores.

 

Via Ipsilon



publicado por olhar para o mundo às 08:07 | link do post | comentar

Aplicaciones sexuales para el iphone


Tengo un móvil del pleistoceno. Un ladrillito básico y funcional del que conozco casi todas sus ínfimas prestaciones, al fin y al cabo la cabeza no me da para más.Durante años he hecho oídos sordos a los innegables avances en telefonía móvil experimentados por la sociedad occidental por simple incapacidad, no porque vaya de Manu Chao por la vida. Sin embargo, he de confesar que últimamente me está rondando por la cabeza la idea de subirme al tren del siglo XXI de una vez por todas. Cada vez que saco mi móvil la gente me mira raro o, si hay mucha confianza, se pone creativa a nivel humorístico. Profesionalmente la cosa es mucho peor. En las pausas en una reunión de trabajo, por ejemplo, me siento desplazado: todo el mundo empieza a darle al dedito a sus iphones o smartphones de última generación, con pantallas táctiles, iconos chulos y ruiditos simpáticos, mientras yo tengo que entretenerme observando la decoración de la sala o borrando mensajes almacenados en la bandeja de entrada de mi móvil rupestre (un ejercicio muy interesante de cara a darte cuenta de lo poco variada que ha sido tu vida en los últimos meses). En fin, que creo que ahora sí, va siendo hora de dar el paso. Y más con las prestaciones tan completitas para la vida moderna, sobre todo sexual, que tienen estos cacharros. He aquí algunas.

 

Empecemos por una un poco idiota, aunque es posible que aquellos que disfrutan teniendo grandes charlas post-coitales sobre sus aptitudes sexuales sabrán sacarle mucho partido. Se trata de una aplicación que puntúa, simple y llanamente, nuestros coitos. Para ello, los usuarios sólo tienen que dejar conectado el iphone en un lugar cercano al lugar de los hechos (la mesita de noche, encima del microondas o el rellano de la escalera) y, una vez finalizado el acto sexual, aparece una puntuación en la pantalla teniendo en cuenta la duración, la intensidad del orgasmo y el nivel de actividad. El micro del teléfono es el que dirime la grandeza del momento por lo que, cuanto más expansivos seamos a nivel sonoro, mejor nota sacaremos. Vamos, una tontería muy grande. En el sexo pasa como en las discusiones: no siempre tiene razón el que más grita. Pero bueno, el ego de alguno agradecerá los servicios de esta piadosa aplicación llamada ‘Passion’.

 

Otra prestación algo discutible, por el tufillo a milagro paranormal que desprende, es la llamada ‘Sex drive’. Consiste en unos tonos binaurales que estimulan las ondas cerebrales y que pueden, según los creadores del invento, reducir el nivel de estrés, curar el insomnio, el dolor de cabeza y un sinfín de grandezas más. Yendo a lo que nos ocupa, parece ser que escuchar dichos tonos durante 10 o 15 minutos consigue desatar el deseo sexual. Mejor escuchar otro tipo de cosas en el metro a las 8 de la mañana. Por lo que pueda ser, que luego llegan los remordimientos.

 

Dejando de lado productos milagrosos, llama la atención una aplicación promovida por el departamento de salud de la ciudad de Nueva York. Consiste en un gps que permite localizar por toda la ciudad lugares en los que conseguir preservativos gratis (centros de salud, centros comunitarios, saunas, organizaciones sociales, etc). A algunos os puede parecer innecesario, pero tal y cómo están las cosas (y al precio que van) herramientas como ésta pueden ser muy útiles, sobre todo para los más jóvenes.

 

Sin duda, la aplicación sexual más exitosa para iphone y similares es ‘Grindr’, un localizador utilísimo para el sexo exprés creado para el público gay. Tengo un amigo absolutamente viciado con el ‘grindr’. Le he visto conectarlo incluso en Camarma de Esteruelas, por si había alguien en la zona, o en el trabajo (con alguna que otra sorpresa). Un vicio, vamos. Lo cierto es que esta aplicación sexual tiene sus pros y sus contras. Desde luego economiza esfuerzos a la hora de ligar o copular con un semejante, aunque puede generar problemas de seguridad como caiga en según qué manos. Vamos, como alguien le cuente al alcalde de Badajoz en qué consiste el asunto, se abre un perfil y vacía la ciudad de palomos cojos, como dice él. De hecho, la policía de la ciudad norteamericana de Phoenix resolvió recientemente un caso de asesinato gracias a las pistas que arrojó el uso de esta aplicación por parte de la víctima (una vez más, cuidado con lo que os subís a casa). Lo cierto es que ‘Grindr’ ha supuesta una auténtica revolución sexualpara muchas personas y ya hay quien se dedica a recopilar los perfiles más llamativos (para bien y para mal) de los usuarios de este servicio.

 

Esta aplicación, que también tiene su versión para el público osuno, tendrá muy pronto una réplica para el mercado heterosexual. ¿Creéis que realmente tendrá éxito? O, como sucede en muchos chats eróticos, detrás de muchos perfiles femeninos se esconderán otros hombres. Mira que con esto es muy fácil de comprobar…

 

Via Cama Redonda

 



publicado por olhar para o mundo às 03:03 | link do post | comentar

Domingo, 20 de Março de 2011

 

A resposta feminina aos estímulos sexuais

 

 

 

 

Experimentos variados há 30/40 anos comprovaram que mulheres excitam-se sexualmente quando expostas a estímulos visuais, auditivos, literatura erótica, filmes e fantasias autogeradas. 

Mesmo assim, continuamos a encontrar mulheres que apresentam dificuldades de excitação sexual, sem predisposição para fazer sexo. 

Para a excitação sexual acontecer, uma mulher precisa ter desejo/motivação para o contato sexual para que os estímulos sensoriais produzam uma ação que permita a erotização e o funcionamento fisiológico sexual. Nos dois casos existem necessidades cognitivas a serem consideradas. 

O que a mulher pensa a respeito de si mesma e dos outros (especialmente o parceiro) e o futuro serão facilitadores ou empecilhos para que o sexo se manifeste. 

A mulher se sente uma pessoa sexualizada? Se não houver uma resposta positiva, ela nem estará predisposta, quanto menos sentirá desejo de sexo. 

Outras questões: ela considera que o parceiro lhe fará bem com a atividade sexual? Ela pensa que a atividade sexual pode ser uma forma de ligação que participa da afetividade e do contato a dois? Como sentir desejo e fazer sexo associa-se com o futuro? Ela planeja um futuro para o sexo? 

Esses questionamentos são uma forma através da qual uma mulher pode desenvolver a sexualidade. Mas se ela obtiver negativas a essas perguntas, ainda assim ela pode tomar decisões sobre sua sexualidade. 

Quando uma mulher sente que sexo não lhe interessa, talvez esteja planejando uma vida sem sexo. Esse planejamento é muito sério e muito importante de ser considerado. O caminho da ponderação, de planejar uma vida sexualizada, é a maneira de mudar o futuro. 

Ela tem se planejado viver com atividades sexuais? Ela pensa em atividades sexuais para si e para o companheiro? 

Para a excitação sexual feminina acontecer, a mulher precisa propor-se a ser sexual, dedicar-se a atividades de cunho sexual, a cada dia, praticar a expressão sexual. E isto não significa arrumar-se, ir a cabeleleiro ou fazer dieta para manter-se magra. Dedicar-se à expressão da sexualidade é desenvolver a sensualidade, vivenciar os estímulos que vêm dos cinco sentidos, com significados sexuais e eróticos. 

Dedicar-se significa separar um tempo todos os dias, durante a semana toda, a atividades pró-sexuais. 

Se o pensamento e a atenção apenas se ocupam de atividades não sexuais, o futuro está decidido: será sem sexo. 

Ao assumir a responsabilidade de ser agente, dona de sua própria identidade e vida, essa mulher poderá definir-se sexual. Se deixar rolar, o mundo já decidiu por ela: trabalhar, arrumar a casa, cuidar dos filhos... o mundo a ensina que isso bastará para sentir-se mulher. E assim teremos uma mulher não sexual. 

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

A pergunta 32 dos Censos 2011
A pergunta 32 dos Censos 2011
 
 

Assim num instante caí do meu pedestal de cidadã portuguesa orgulhosa de ir figurar nas estatísticas do meu país.

Quando no sábado durante a tarde recebi, à porta da minha casa, o senhor dos Censos senti-me na obrigação de cumprir este dever cívico sem pestanejar.

Pedi-lhe por favor que me deixasse a senha ao que o senhor, amavelmente, acedeu e deixou-me também o impresso sobre o "Alojamento Familiar". Tudo bem até aqui. Esse sentimento reforçou-se na 2º feira enquanto ouvia na rádio que o INE não iria aplicar coimas sobre quem não respondesse ao inquérito (muito bem!) e que, por sua vez, apelava antes ao sentido de cidadania dos portugueses para que o preenchessem e com honestidade.

Foi este sentido de cidadania que me levou a, antes do tempo, procurar na internet uma cópia do questionário que irei preencher amanhã. E foi aqui que o meu sentido de cidadania foi por água abaixo.

Como podem ver na fotografia ao lado, na questão número 32, a pessoa que responde ao questionário é informada que - e passo a citar - "Se trabalha a "recibos verdes" mas tem um local de trabalho fixo dentro de uma empresa, subordinação hierárquica efectiva e um horário de trabalho definido deve assinalar a opção "Trabalhador por conta de outrém".

(Pausa, que estou a respirar fundo.

E - assim num instante - caí do meu pedestal de Cidadã Portuguesa orgulhosa de ir figurar nas estatísticas do meu país: Estão a brincar ou eu tenho o impresso errado? Pois... parece que não tenho o impresso errado...

Basicamente o que os senhores dos Censos 2011 dizem na questão número 32 é algo do género "se trabalhar de forma ILEGAL e é explorado pela sua entidade patronal que o obriga a cumprir horário, que o obriga a ter um local de trabalho definido por esta, que até o obriga a ter uma subordinação hierárquica, mas à qual depois passa um recibozinho verde no final do mês... guarde isso para si e diga-nos que trabalha por conta de ontrém" provavelmente deveriam também acrescentar a explicação: "é que nós queremos divulgar os regultados deste Censo e isso ficava assim... um bocadinho mal".

Claro que imagino o confuso inquirido a questionar-se a si próprio, "mas se eu coloco aqui que trabalho por conta de outrém entro para as estatísticas como alguém que tem subsídio de férias, de Natal, direito a baixa e desemprego, indeminização se for despedido, e outras regalias refererentes à situação... isto é a honestidade que pedem?"

Agora percebo porque é que retiraram a multa às pessoas que respondessem com base em principios falsos: é que teriam de multar todas as pessoas que trabalham neste país a recibos verdes, mas que são exploradas por um empresário sem escrúpulos!

Felizmente, devo dizer que não faço parte deste grupo que trabalha unicamente a recibos verdes, mas se o fosse recusar-me-ia a responder a esta questão.

Senhores do Censo, por favor, tenham vergonha! Isto faz-me lembrar algo que aconteceu à alguns anos quando o motorista da Carris perguntava a uma criança quantos anos tinha para lhe poder - ou não - cobrar bilhete e ao que a criança responde inocentemente: lá fora tenho 7, mas aqui tenho 5.

As coisas são como são, não é o que dá mais jeito, e isto era suposto ser um retrato do nosso país! Talvez ainda o seja, mas pelas razões erradas.

 

Via A Vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 17:04 | link do post | comentar

Projecto de ilustração quer ajudar vítimas do tsunami

 

Chama-se projecto Tsunami. O mesmo nome do fenómeno que após um violento sismo deixou o Japão devastado, com milhares de mortos e perante o risco de um desastre nuclear. Trata-se de uma iniciativa lançada por um grupo de artistas que pediu a ilustradores que representassem a sua visão do sismo. O objectivo é que esses trabalhos sejam leiloados e o dinheiro reverta para as vítimas da catástrofe.

 

A ideia partiu de um movimento que já se fazia sentir pelas redes sociais e acabou por ser solidificado por Jean-David Morvan, Sylvain Runberg, Aurélie Neyret, Kness & Made e a comunidade CFSL.net.

Com esta iniciativa, estes e outros ilustradores pretendem reunir ajuda de “forma efectiva para as vítimas da catástrofe”, através de leilões das peças originais, cujo valor da venda será entregue à organização Give2Asia, e da realização de um trabalho colectivo cujos benefícios revertam para o mesmo organismo, que depois os irá aplicar no Japão.

Desde o lançamento do projecto, chegaram várias ilustrações ao site Tsunami, imagens para o Japão, no qual se pode ver uma selecção dos trabalhos enviados.

O círculo vermelho que representa o Sol na bandeira do Japão existe em grande parte das ilustrações. Geishas que choram lágrimas de sangue, representações de locais devastados pelo sismo e tsunami, crianças perdidas em cenários dantescos, super-heróis “derrotados” pela natureza, e um outro momento de humor acanhado. Há um pouco de tudo na criatividade dos artistas que já participaram.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 14:20 | link do post | comentar

É o grande concorrente do Airbus A380. Vai voar no domingo pela primeira vez nos céus deSeatle. As encomendas sucedem-se. Conheça melhor o novo gigante da aviação.


 

Via Expresso
 

 



publicado por olhar para o mundo às 10:24 | link do post | comentar

Sábado, 19 de Março de 2011

 

zonas-erogenas

 

 

 

Nosso corpo tem milhares de pontos que quando estimulados nos podem levar às alturas. O problema é que estamos sempre tão focados nas mesmas partes: seios, pescoço, clitóris que não deixamos espaço para novas descobertas tão prazerosas quanto.

 

Os homens também poderiam se empenhar em trilhar esses caminhos desconhecidos e caprichar nas preliminares: sem duvida será uma excitante experiência para ambos.

 

 

Os pés, por exemplo, podem ser uma boa razão para ganhar uma tórrida noite de amor. Lamber e chupar os dedos, começando pelos menores, pode proporcionar emoções inesquecíveis. Uma boa massagem com óleo corporal também é bastante sensual.

 

Os tornozelos tão esquecidos durante os preliminares também podem ser grandes aliados na hora de nos esquentar nossos motores. Coloque-os nos ombros do seu parceiro e peça que te faça uma massagem com movimentos fortes seguida de beijinhos.

 

 

Subindo um pouco mais, a parte de trás dos joelhos também são altamente erógenas. Uma lambida ou um beijo nessa região é capaz de levar-nos às nuvens. Mordisquinhos também são bem-vindos.

 

 

As coxas também merecem sua atenção já que são super sensíveis. Peça para seu amado abrir suas pernas e estar um tempo entre elas, beijando, passando a língua suavemente, chegando a virilha, mas nunca tocando a vagina. Você subirá pelas paredes!

 

 

As costas são muito excitantes e perfeitas para fazer esses jogos eróticos. De costas para o parceiro, peça que te beije suavemente, começando pela nuca e terminando no bumbum.Beijos lentos e suaves que somente roçam a pele são ideais.

 

Via Larebeleza

 



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Primeiro vírus informático criado há 40 anos

"Eu sou o Creeper, apanha-me se és capaz!". Era com esta frase provocatória que o primeiro vírus informático aparecia em 1971 nos ecrãs dos primitivos computadores da Arpanet, a rede informática norte-americana que está na origem da Internet.

 

Mas, o Creeper não passava de uma inocente brincadeira de um programador que apenas quis provar que era possível introduzir programas numa rede informática sem autorização.

Ao longo de quatro décadas o cibercrime disparou exponencialmente: em 1990 foram detetados 1300 vírus, em 2000 existiam 50 mil e 2010 foram identificados 200 milhões.

Nos últimos cinco anos, estes programas informáticos maliciosos passaram a ter como objetivo o lucro, através de modelos de negócio mais ou menos sofisticados e passaram a fazer parte da guerra industrial entre Estados.

Em 2010, Stuxnet danificou seriamente o sistema industrial da Siemens que equipava uma central nuclear no Irão. Já este ano, o Governo francês sofreu um ataque sem precedentes, por ter sido o organizador da cimeira do G20.

Quais são agora os principais alvos do cibercrime? Os especialistas defendem que deverão ser os smartphones. Não só porque são um tipo de equipamento móvel cuja utilização  está a crescer exponencialmente, como também porque no futuro deverão ter funções de micro-pagamento. E também porque incorporam um sistema de localização (GPS) e têm câmara fotográfica, o que os torna potencialmente intrusivos para os seus proprietários.

No passado mês de Fevereiro, a Kaspersky, especialista em segurança, informou ter detetado em simultâneo vários novos programas maliciosos para a plataforma móvel Android (Google).

Veja quais são os principais vírus da história da informática:

1971: Creeper

Foi criado em laboratório por um programador que trabalhava no desenvolvimento da Arpanet (rede precursora da Internet).

1982: Elk Cloner

Foi escrito por um adolescente de 15 anos. Propagava-se através de disquetes do Apple II e era uma forma de ter acesso a acesso a informação dos computadores dos amigos, sem que estes dessem por isso.

1987: Jerusalém

Foi o primeiro vírus destruidor a ter um impacto global. Em cada 6ª feira, dia 13, este vírus apagava os programas que estivessem em funcionamento no computador. O nome deve-se aio facto de ter sido detetado pela primeira vez na Universidade Hebraica de Jerusalém.  

1992: Michelangelo

Pertence à categoria dos vírus adormecidos que acordava no dia 6 de março (dia de nascimento de do artista renascentista) e apagava informação essencial do computador e infetava discos rígidos. Não causou muitos estragos porque os computadores pessoais eram desligados nesse dia.  

1999: Melissa 

Foi criado em homenagem a uma streaper da Florida. O autor foi identificado e passou 20 meses na prisão e teve que pagar uma multa de 5 mil dólares. Infetava os ficheiros Microsoft Word  e enviava-se a si próprio através do Outlook. Era suficientemente poderoso para paralisar os sistemas de correio eletrónico da Internet. Foram criadas variantes e havia quem pedisse 100 dólares 8 partir de paraísos ficais) para anular o vírus.

 2000: I love you 

Era um vírus tipo worm  (que se auto replica) que afetou dezenas de milhões de computadores pessoais. Aparecia através de uma mensagem de correio eletrónico com o assunto "I love you" e infetava o computador quando o ficheiro em anexo era aberto. Depois o vírus auto propagava-se a todos os endereços do programa de mail. Terá provocado prejuízos superiores a 5 mil milhões de dólares em todo o mundo por levar muito tempo "limpar" as máquinas infetadas.

2001: Code Red 

Numa semana atacou 400 mil servidores com tecnologia Microsoft. Tal como o I Love You, atacava também os utilizadores finais. Substituía a página inicial dos sítios web com a mensagem "Hacked by chinese".

2004: Sasser  

Infetou mais de um milhão de computadores e provocou prejuízos de 18 mil milhões de dólares. Explorava uma vulnerabilidade do Microsoft Windows para se espalhar de uma forma muito rápida. Os computadores ficavam inoperacionais em poucos minutos. A Delta Airlines foi forçada a cancelar voos e a guarda costeira britânica teve que voltar a usar mapas em papel. Descobriu-se que o autor tinha sido um rapaz alemão de 18 anos que seria processado pela Microsoft em 250 mil dólares. O jovem alegou que tinha criado o vírus para ajudar a mãe a arranjar emprego numa empresa de segurança informática.

2005: My Tob 

Significou o início na era dos Botnets (agentes de software que funcionam autonomamente) e do cibercrime. Era um worm que combinava as características de zombie (programa controlado remotamente) e de mass-mailer (envio massivo de mensagens de correio eletrónico). Com My Tob, os vírus tornaram-se um negócio para desenvolver atividades de espionagem (spyware), difusão de correio indesejado (spam), hospedagem nos servidores de conteúdo indesejado, interceção de códigos bancários, chantagem, etc.. As receitas deste tipo de atividade atingem milhares de milhões de euros e continuam a crescer até hoje.

 2007: Storm botnet 

Já com modelos de negócio a funcionar, os cibercriminosos passar a ter estratégias de defesa (dos contra-ataques das empresas de segurança) através de centros de comando descentralizados. O Storm infetou muitos milhões de computadores. 

2008: Koobface

Numa analogia ao Facebook, este vírus usava as redes sociais para se espalhar. Ainda hoje deverá haver 500 mil Koobfaces on line ao mesmo tempo.  

2009: Conficker 

É um vírus muito sofisticado e resistente. É ao mesmo tempo worm e uma botnet súper robusto. Infetou mais de 7 milhões de sistemas informáticos no mundo inteiro, incluindo hospitais e bases militares (obrigou aviões de guerra franceses a ficarem em terra). Curiosamente, o Conficker não afetava os IP (Internet Protocol) ucranianos. Respeitava uma das regras de ouro do cribercrime. "Não ataques o teu próprio país e o braço da justioça não re atingirá". 

2010: Stuxnet

Significou o advento da ciberguerra. Ou seja, é a era dos vírus tão sofisticados que apenas os Estados parecem ter recursos para os criar. Tira partido de uma vulnerabilidade do Windows e atacou o sistema de gestão industrial da Siemens.  

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 10:07 | link do post | comentar

Casa e Biblioteca de Saramago em Lanzarote abrem hoje ao público

 

 

A casa e a biblioteca onde o escritor José Saramago passou parte da sua vida, em Lanzarote, Espanha, foram transformadas numa «casa-museu» que abrirá hoje as portas ao público.

A inauguração ocorre na data em que se cumprem nove meses desde a morte do Nobel da Literatura, «o tempo que se demora a morrer», como Saramago deixou escrito no romance O Ano da Morte de Ricardo Reis.

E é por isso que a data é escolhida para a abertura ao público da casa e da biblioteca do escritor português em Lanzarote, nas ilhas Canárias, onde decidiu viver a partir dos anos 1990.

Na casa José Saramago viveu e escreveu os romances das duas últimas décadas, foi lá que instalou a biblioteca pessoal e viveu com Pilar del Río.

Foi criado um percurso pela casa e biblioteca do escritor, sendo possível passar, por exemplo, pela cozinha, escritório e quarto do autor.

Na cerimónia de abertura da casa e da biblioteca, que a Fundação descreve como uma despedida de José Saramago, estarão presentes vários convidados, entre os vários editores que publicaram a obra do escritor, como o editor português Zeferino Coelho.

Na ocasião, Pilar del Río, presidente da fundação, explicará a razão da abertura ao público da casa de Saramago, e a directora da Casa Pessoa, a escritora Inês Pedrosa, lerá um fragmento de O Ano da Morte de Ricardo Reis.

José Saramago morreu a 18 de Junho de 2010, aos 87 anos.

 

 

 

Via Sol

 



publicado por olhar para o mundo às 09:46 | link do post | comentar

Sexta-feira, 18 de Março de 2011
como reagir aos sonhos sexuais

É necessário afirmar que todas as pessoas sonham. Nem sempre lembramos dos sonhos, e muitas pessoas até consideram que não sonham. 

 

Mas sonhos não são feitos par serem lembrados. A princípio sonhos servem para organizar e limpar o cérebro para que possamos ter um novo dia adequado. E o sonho erótico? 


Nem sempre o que sonhamos é exatamente o que parece. As imagens não podem ser interpretadas de forma alguma ao pé da letra. Cada pessoa e objeto com o qual sonhamos são reflexos de nós mesmos, são informações sobre nós mesmos e o que pensamos do mundo. 

Estes componentes do sonho podem revelar o que estamos crendo a nosso respeito e nos ajudar a compreender o que nos ocorre na vida cotidiana. 

Muitas pessoas ficam assustadas de sonhar fazendo sexo com alguém conhecido, ou pior, sem que a pessoa tenha um rosto no sonho. 

Se usarmos o pressuposto de que estas pessoas também são representantes de nossa própria vida, termos como usar o conhecimento de modo útil. Saberemos, por exemplo, o que estamos aguardando de parcerias sexuais que desejamos. Saberemos quais são nossos desejos e como encontrar a satisfação deles em nossa vida diária. 


Muitos lembrarão que ao acordarem de um sonho reconhecidamente erótico podem sentir as reminiscências do prazer erótico, até mesmo podendo acordar na hora de um orgasmo (homens e mulheres). Os homens podem acordar ejaculando, ou logo após a ejaculação ter ocorrido. As mulheres perceberão que estão molhadas no genital. Acordar com o prazer de ter tido atividades sexuais é, no mínimo, prazeroso. Lembrar o que ocorreu nos facilitará compreender como são nossos desejos de que aconteça na realidade! 

Este cenário sexual do sonho permite sermos mais diretos em nossa vida sexual. Ir atrás destes cenários garantirá mais prazeres e bem estar de cunho sexual. 

Mas lembrem-se: a pessoa com quem ''fizemos sexo'' no sonho, não significa, necessariamente, aquela pessoa. Portanto, antes de ir atrás daquela pessoa, ou temer ter algo com ela, precisamos tentar entender o que aquela imagem onírica significa em nossa vida, como eu sou no lugar daquela pessoa, e que característica daquela pessoa eu procuro para minha vida sexual. 

Um aspecto importante sobre o sonho erótico/sexual é o de que estamos abrindo espaço em nossas vidas para a sexualidade ocorrer. Sonhar com sexo já é um caminho da expressão do desejo sexual. Quando uma pessoa briga consigo como que não querendo sonhar com sexo, está fechando um dos canais da expressão do desejo sexual, dificultando a vida sexual futura. Compreender que sonhar com sexo é algo natural, que é uma expressão positiva para a vida, está dando passos em expressar o sexo na vida real. Se não sonhamos com sexo, estamos impedindo que o sexo se manifeste.
 

Via Bonde

 



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

HostelBookers elegeu os 21 melhores alojamentos para as mulheres segundo o grau de conforto, segurança e privacidade. Uma boa opção para umas férias diferentes e mais económicas em tempo de crise e que até podem ser mais divertidas. E lembre-se que com esta poupança pode investir mais em souvenirs e nas compras - como os os saltos altos adoram!!

Veja as fotos dos melhores hostels para viajar sozinha ou com as amigas e escolha o seu destino. Boas férias!

 

 

 

Via A vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 16:59 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds