Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2012
Livro sobre Salazar plagiado
A jornalista Felícia Cabrita vai avançar para os tribunais com uma acusação de plágio contra a autora francesa Diane Ducret. «O capítulo sobre Salazar do livro Mulheres de Ditadores é um mero resumo do meu, Os Amores de Salazar», afirma a jornalista do SOL, que se sente roubada na investigação exaustiva que fez à vida íntima do ditador.

«O meu trabalho é fruto de várias conversas com fontes em Portugal e no estrangeiro, horas na Torre do Tombo e muitos documentos originais, incluindo a agenda de Salazar e os diários de Felismina Oliveira», diz Felícia Cabrita, explicando que no livro da escritora e jornalista francesa «até as citações de outros livros são iguais às que estão em Os Amores de Salazar. É um plágio do princípio ao fim».

 

Razões suficientes para a advogada da jornalista, Fátima Esteves, estar «a analisar a forma de agir judicialmente» contra Diane Ducret. A jurista não descarta, aliás, a hipótese de estender as acções às edições francesa, espanhola e italiana do livro Mulheres de Ditadores e de pedir a apreensão de todos os exemplares.

 

A obra, que tem tido grande repercussão em França – onde já vai na quarta edição –, tem sido destacada por jornais como o L’Express e o Le Figaro. E, no site da agente de Diane Ducret, pode ver-se que a jornalista – formada pela Sorbonne e publicamente elogiada pelo filósofo Bernard-Henri Lévy – está a preparar um segundo volume para ser editado em 2012.

 

As semelhanças entre a escrita de Felícia Cabrita e a obra de Diane Ducret não passaram, porém, despercebidas a António Araújo – professor de Direito da Universidade de Lisboa – que, no blogue Malomil, publica de forma exaustiva todas as passagens em que ambos os livros se confundem.

 

No seu site, o constitucionalista não hesita sequer em afirmar que o capítulo sobre Oliveira Salazar é «do princípio ao fim, um mero resumo de Os Amores de Salazar», contendo «diversos trechos, paráfrases ou plágios do livro de Felícia Cabrita».

 

Francesa diz que Felícia foi ‘fonte de informação’


Contactada pelo SOL, Diane Ducret sublinha que o livro de Felícia Cabrita se encontra nas suas referências bibliográficas e em notas de rodapé. «Não escondo de maneira nenhuma que encontrei uma fonte de informação no livro muito bem conseguido de Felícia Cabrita» – explica a autora francesa, acrescentando que a obra da jornalista portuguesa «apresenta inúmeros documentos retirados dos arquivos pessoais de mulheres próximas de Salazar, uma dimensão que até aí tinha sido ignorada pelos historiadores».

 

É nessa linha de raciocínio que Ducret assume: «É difícil inventar outras fontes, que eu partilho, por isso, com ela» (Felícia Cabrita). A francesa demarca-se, contudo, de qualquer acusação de plágio, sustentando que o trabalho de Felícia «não apresenta uma contextualização histórica destas relações» e que é aí que as obras de ambas se distanciam: «Foi nesse ponto que centrei o meu trabalho».

 

As explicações não chegam para convencer Felícia Cabrita, que frisa o facto de as frases do seu livro usadas por Diane Ducret não se referirem apenas às passagens relacionadas com os diários de Felismina Oliveira. «Há uma cópia também quando se fala das outras mulheres de Salazar», comenta.

 

Contactada pelo SOL, a Casa das Letras – responsável pela edição portuguesa do livro de Ducret –, através do gabinete de comunicação do Grupo Leya, disse apenas que está «a analisar esta situação». Segundo a mesma fonte, a editora já informou a autora «através da sua agente», estando «a aguardar os seus comentários».

 

Não foi possível obter um comentário da editora de Os Amores de Salazar, A Esfera dos Livros.

 

Comparações


Felícia Cabrita (F.C.) – «Laura (…) não tivera filhos, e também os anos pareciam namorá-la, vincando-lhe a beleza» _(pag. 87)

Diane Ducret (D.D.) – «Maria Laura não teve filhos e os anos parecem fazer triunfar a beleza dos seus traços» (pag. 163)

F.C. – «Um dia (…), por provocação ou por desconhecimento do carácter da colega, diz a Felismina que no Porto se tinham feito várias prisões e que ele escapara por um triz. Mas não demorava muito para o ensaísta estar atrás das grades» (pag. 113)

D. D. – «Um dia, por provocação ou desconhecimento do carácter da sua colega, diz a Felismina que foram feitas várias prisões no Porto, que ele escapou por pouco, mas que não tardará a encontrar-se atrás das grades» (pag. 158).

F.C. – «Enfrentando o défice com mão de ferro, vai equilibrando o orçamento. Congelamento de salários, cortes na função pública, classes médias empobrecidas, proletários na miséria» (pag. 87)

D.D. – «Fazendo face ao défice com mão de ferro, vai gerir as finanças do país como gere os seus amores: congelamento dos salários, cortes na função pública, empobrecimento das classes médias e dos proletários são aceites» (pag. 163)

F.C. – «o agora poderoso ‘Troca-tintas’ adorava o seu cheiro a perfume caro» (pag. 87)

D.D. – «o agora muito poderoso ‘sedutor’ adora o seu perfume de luxo» (pag. 163)

F.C. – «Ele sai da sala e volta munido de martelo, um alicate, um prego e uma chave de parafusos» (pag. 88)

D.D. – «Ele saiu em seguida do salão e voltou munido de um martelo, de uma pinça, de um prego e de uma chave de fendas» (pag. 163)

F.C. – «Um dia soltou os cabelos, o sol atravessou a densa cabeleira que parecia um braseiro» (pag. 33)

D.D. – «(…) solta com um gesto de desafio a sua cabeleira, deixando o sol atravessá-la e animá-la como um braseiro» (pag. 145)

F.C. – «Timidez? Cálculo?» (pag. 42)

D.D. – «Será timidez? Cálculo?» (pag. 149)

F.C. – «nos grandes hotéis, como o Palace Avenida, é contratada para (…) abrir os bailes e chamar os clientes à pista» (pag. 104)

D. D. – «Nos grandes hotéis, como no Avenida Palace, foi contratada para abrir os bailes e levar os clientes para a pista» (pag. 167)

F.C. – «E ganhou a vida dançando nos Palaces e transatlânticos» (pag. 104)

D.D. – «ganha assim a vida, apresentando-se em palácios e transatlânticos» (pag. 167)

F. C. – «que se tornara milionário e levava uma vida de estalo» (pag. 89)

D.D. – «tornou-se milionário e leva uma vida de lorde» (pag. 164)

Comparações retiradas do blogue Malomil

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 08:36 | link do post

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds