Quarta-feira, 9 de Março de 2011
a mais louca história de sexo

 

Tudo sobre imperatrizes romanas que faziam uma perninha no bordel, cintos de castidade primavera/verão e bidés provocadores, entre outros hilariantes factos que a História registou.

A maneira como a Humanidade lidou com o sexo, ao longo dos tempos, é fascinante: criou tabus, cometeu excessos, riu-se dele, tentou banir o prazer… mas não conseguiu. Há poucos temas tão férteis em episódios caricatos que, ao mesmo tempo, nos façam refletir no quanto evoluíram as mentalidades. Eis alguns exemplos contados por Richard Lewinsohn em ‘História da Vida Sexual’ (Livros do Brasil).

Isso é pecado! A palavra onanismo, que significa masturbação, deve o seu nome a um episódio do Antigo Testamento. Onan, por morte do irmão, é obrigado a casar-se com a viúva deste para não a deixar desamparada. Mas, no momento da verdade, “emporcalha a sua honra e a da família, lançando o esperma no chão em vez de o consagrar e dar uma posteridade ao irmão”, conta Lewinsohn. Deus castiga-o com a morte. Resta saber se a descrição corresponde a masturbação ou ao coito interrompido.

 

Experimentar o Kama Sutra


À letra, Kama Sutra significa ‘Preceitos de Amor’, nasceu na Índia, criado por Malaniga Vatsyayana, um homem sábio e religioso que acreditava que as alegrias dos sentidos são para se desfrutar em pleno e que a mulher devia poder sentir prazer intenso. Mas este clássico milenar não é apenas um compêndio sexual. Descreve 64 posições sexuais diferentes, onde os beijos e abraços têm papel de destaque; acrescentou conselhos para vencer a frigidez, aumentar a virilidade, “preservar a mulher da infidelidade” e compatibilizar temperamentos. No entanto, Lewinsohn desvaloriza o Kama Sutra: “A técnica indiana do amor não ultrapassa o que, noutros países, os jovens amantes descobrem sem qualquer estudo científico prévio.”

Messalina, a ninfomaníaca. Entre as classes altas de Roma as mulheres pareciam gozar de uma espantosa (e voraz) emancipação sexual, diz Lewinsohn. A mais conhecida era Valéria Messalina, mulher do imperador Cláudio, uma devoradora de homens, que chegava a mandar raptar os que mais lhe agradavam para a satisfazer entre lençóis… e ai dos que não conseguissem! Rezam as crónicas que Messalina se divertia num bordel onde tinha um quarto próprio no qual atendia clientes sob o nome de guerra ‘Licisca’.

 

Um prazer dos diabos


Na Idade Média, o prazer era considerado pecado, obra de Satanás. Acreditava-se em bruxas e que os seus contratos com o diabo eram selados com sexo. Quando não era com o patrão dos infernos, era com os seus subalternos: íncubos – que significa ‘deitados por cima’, responsáveis por “angústias sexuais” – e súcubos – ou ‘deitados por baixo’, que garantiam prazeres inconfessáveis. Para tramar uma vizinha, bastava dizer que a tínhamos surpreendido numa sessão de sexo infernal. Os teólogos achavam que a esfera sexual do diabo era o rabo e acreditavam que as mulheres que lhe beijassem as nádegas ganhavam poderes misteriosos.

 

Área de acesso vedado


O cinto de castidade terá aparecido em Florença e foi moda na Europa nos séculos XV e XVI. Um dia, um marido ciumento, provavelmente da burguesia, pensou numa peça de metal, com a largura de uma mão, que cobria completamente o sexo feminino e deixando apenas uma minúscula abertura para as necessidades. Era fechado na anca e só o marido ficava com a chave. É claro que as mais astuciosas tratavam de arranjar uma cópia. Os mais ricos esmeravam-se e mandavam decorar os cintos de castidade com joias. Quem é amiguinho, quem é?...

O protocolo do sexo.  Em 1621, a moral sexual em Espanha era tão severa que nem os reis escapavam. Sempre que Filipe IV queria fazer uma visita conjugal a Maria Ana de Áustria, tinha que seguir o protocolo. Vestia uma capa negra, segurava um escudo debaixo do braço e uma espada na mão, enquanto uma aia ia à frente com um candelabro numa mão e um penico na outra. Não admira que Maria Ana, que nunca se habituou a estas visitas noturnas, dissesse nas cartas que “preferia ser a última das freiras de Graz que rainha em Espanha”.

A ousada valsa.  Hoje parece-nos uma inocente dança de salão, mas, quando apareceu, a valsa causou escândalo por ser considerada demasiado sensual. A dança era muito rápida, o contacto corporal intenso e podiam trocar-se olhares e palavras mais ousadas. Os bailes eram autênticas feiras de noivado e as mães rejubilavam sempre que viam as filhas valsar com um bom partido – lembram-se de ‘Orgulho e Preconceito’? Os protestos não tardaram. Até lorde Byron, que de modelo de virtudes não tinha nada e se fartava de seduzir raparigas, a classificou como uma vergonhosa forma de promiscuidade.

Bidé? Que é isso? Em meados do séc. XIX, um século depois da invenção do bidé pelos franceses, os ingleses vitorianos ainda desconheciam a existência desta peça sanitária. E quando chegaram os primeiros relatos, o seu uso foi desincentivado. Aliás, Lewinsohn conta que a higiene íntima era banida da rotina das raparigas decentes por poder incitar à masturbação... e a “maus pensamentos.”

O perigoso Shakespeare.  A era vitoriana, em Inglaterra, trouxe uma razia a livros e autores considerados indecentes. ‘Ulisses’, de James Joyce, e ‘A Terra’, de Emile Zola, foram banidos das livrarias por uns tempos, e até a ‘Bíblia’ era considerada “extremamente perigosa, quando lida com impuros pensamentos”, conta Lewinsohn. De todos os autores, o pior era Shakespeare. Fizeram-se edições onde as passagens mais sensuais (que qualquer inglês culto conhecia de cor) foram retiradas.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds