Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011

5 passos para procurar emprego

 

Andar à procura de emprego pode ser uma tarefa cansativa e ingrata, sobretudo nos tempos que correm. Se as entrevistas de trabalho já são, para a maioria dos candidatos, um momento de extremo stresse, as coisas pioram substancialmente num momento de crise, como o que vivemos actualmente, em que poucas oportunidades surgem, os candidatos - em especial os que estão desempregados há muito - estão dispostos a aceitar quaisquer condições e o processo de recrutamento é feito com especial cuidado. Mesmo os mais optimistas e empreendedores por vezes desanimam perante a falta de resposta ou o retorno mais comum: "Neste momento não estamos à procura de ninguém, mas assim que surgir uma oportunidade o seu currículo está no topo do monte." Raramente surge.

Porém, há alguns truques a que pode recorrer para reduzir o stresse e aumentar as suas possibilidades de ser bem-sucedido na busca de emprego.

1. Autoconsciência Os candidatos com melhores resultados na procura de emprego - aqueles que ficam sempre com o trabalho, logo à primeira entrevista, apesar de o seu currículo nem estar perto de ser excepcional - são pessoas que têm bem presentes os seus pontos fortes. Mais que isso, são capazes de fazer corresponder as suas qualidades aos objectivos de carreira que lhes são pedidos e têm plena consciência do tipo de funções capazes de lhes trazer reconhecimento e realização profissional. Antes de mais, é muito importante que não se contente com qualquer coisa; em vez disso, "centre a sua procura numa carreira que tenha a ver com as suas capacidades e qualidades", sublinha Steve Sheward, especialista em carreiras, no "The Guardian". É importante que pense bem no que quer realmente fazer, nas suas potencialidades e na experiência profissional que acumulou. Ter isto claro vai ajudá-lo muito a planear a sua candidatura, centrando-se naquilo em que realmente é bom - e onde, por isso mesmo, terá muito mais hipóteses de se sair bem.

O processo de auto-análise através do qual chegará às suas melhores qualidades e competências vai ajudá-lo a definir exactamente a área e o tipo de função através dos quais pode fazer evoluir a sua carreira. Ter em atenção a relação entre o que é proposto em termos de trabalho e em termos de salário ajudá-lo-á a descartar à partida candidaturas que procurem pessoas com currículos muito abaixo ou muito acima das suas capacidades e experiência.

2. Capacidade de planeamento Ter um plano de acção é uma forma simples de centrar e direccionar a sua procura. Disparar em todas as direcções não é saudável e pode resultar em momentos complicados. Se marcar entrevistas com intervalos de uma hora corre o risco de se atrasar e perder oportunidades, ou mesmo de baralhar o chip e começar a falar de como é excelente a trabalhar em grupo numa entrevista em que procuram alguém para trabalhar a solo e a realçar as suas capacidades de teletrabalho e auto-organização quando o que esperam de si é que seja bom a liderar uma equipa.

Para uma busca mais eficaz, comprometa-se com tarefas diárias e objectivos semanais realistas - que seja mesmo capaz de cumprir, dependam ou não de si. Terá de identificar as empresas nas quais mais gostaria de trabalhar, pesquisar dados sobre as mesmas e sobre as pessoas que nelas trabalham, obter informações sobre as tendências de mercado, fazer contactos e só então enviar currículos - com a certeza de que está a direccioná-los à pessoa certa (em muitos casos, não é o director de recursos humanos). Lembre-se que muitas vezes um conhecimento é tudo: não falamos em cunhas propriamente ditas, mas há muitos lugares que ficam livres e são preenchidos sem nunca haver anúncios de procura de profissionais. Sonde os seus amigos e conhecidos, recorra às redes sociais e tente descobrir se nas empresas que elegeu há postos de trabalho disponíveis ou prestes a ficar livres e faça um primeiro contacto pessoalmente. Uma boa rede de conhecimentos profissionais é essencial e hoje a tarefa de construí-la está facilitada com sites como o LinkedIn.

3. Aprender com os erros Se apesar dos seus esforços não está a conseguir chegar sequer à fase de entrevistas e parece que os seus currículos ficaram perdidos no limbo, ou até chega a ser entrevistado mas depois nunca recebe resposta, repense a sua estratégia. Poderá mudar alguma coisa na sua apresentação ou mesmo no currículo de forma a captar mais atenções? Estará demasiado ansioso nas entrevistas? Teste-se como puder e peça ajuda aos amigos: mostre-lhes o seu currículo e como costuma comportar-se nas entrevistas e peça-lhes que lhe contem o que é para eles essencial na escolha de um novo colaborador.

4. Sensibilidade para o marketing Um bom emprego é disputado por dezenas de pessoas; ao lado do seu, há muitos outros currículos a ser analisados. A forma mais eficaz de conseguir uma posição de vantagem em relação aos demais é ter uma apresentação que corresponda àquilo que a empresa procura. Exagerar ou falsear informação não são opções, mas mandar o mesmo currículo para diferentes tipos de candidatura e empresa também não lhe trará bons resultados. Alterar a relevância que dá à informação que disponibiliza no seu currículo consoante o tipo de emprego a que se candidata é essencial para ganhar a vantagem pretendida. Adapte-o ao tipo de trabalho que procura e à empresa à qual se candidata de forma que a sua candidatura responda o mais exactamente possível ao que se procura. Na era das novas tecnologias, uma breve apresentação vídeo disponibilizada no YouTube e comentários inteligentes no Twitter ou em determinados blogues podem valer milhões.

5. Boa atitude Nem todos os conselhos do mundo chegam para garantir que ficará com o primeiro emprego a que se candidatar. Uma boa dose de paciência e optimismo são essenciais para aguentar o processo de busca de emprego e ultrapassar as inevitáveis rejeições e os muitos compassos de espera. O importante é que tenha confiança em si próprio e continue centrado naquilo que quer. Desanimar pode levá-lo a cometer um erro crasso: aceitar a primeira coisa que lhe aparecer - e em menos de um mês encontrar-se profundamente infeliz, o que o obrigará a recomeçar a busca em nome da sua sanidade mental.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:40 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Unesco consagra Dieta Med...

Morreu Nelson Mandela: A ...

Alejandro Sanz: 'A música...

Dulce Félix vice-campeã e...

Teatro, Festival de Almad...

Festim recebe Kimmo Pohjo...

Curta portuguesa entre as...

ARRISCA DEZ ANOS DE PRISÃ...

Maioria das mulheres alem...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds