Sábado, 30.07.11
Amy Winehouse terá deixado material para mais dois álbuns
Amy Winehouse terá deixado material para mais dois álbuns (Reuters)

Amy Winehouse estava a trabalhar no seu terceiro álbum de inéditos, o sucessor de “Back to Back”, pouco antes de morrer. Gravadas estão 12 músicas e em breve os milhões de fãs da cantora britânica, que morreu no passado sábado, poderão ficar a conhecê-las. Uma fonte da editora Universal revelou ao “The Guardian” que um álbum póstumo está a ser preparado.

 

“Back to Black”, de 2006, é o último trabalho conhecido de Winehouse. A origem de toda a fama, o ‘culpado’ que colocou a cantora no centro das atenções. Tudo o que de bom Amy Winehouse conseguiu, inclusive 5 Grammys, foi alcançado com este segundo álbum, mas também tudo de pior aconteceu à jovem britânica que não soube lidar com a fama. Depois da roda-viva em que viveu os últimos anos, entre entradas e saídas constantes de clínicas de reabilitação, Winehouse estava a preparar um terceiro disco. Com algumas pausas pelo meio, nos últimos dois anos, a britânica esporadicamente refugiava-se no estúdio, onde terá deixado pelo menos 12 músicas. Algumas delas ainda não estarão acabadas e precisarão do trabalho de um produtor, quem sabe Mark Ronson. 

“A Amy tinha mostrado interesse em voltar aos estúdios, e depois de algumas conversas toda a gente achou que era uma coisa positiva e uma forma de ela se distrair das outras coisas”, disse uma fonte da Universal, que não quis ser identificada.

Outra fonte, próxima da cantora, assegurou ao “The Guardian” que um novo álbum vai sair em breve e que existem mais do que 12 músicas. “A Amy era uma escritora, ela estava sempre a escrever músicas. Ela tinha estúdio em casa e costumava criar demos. Ultimamente até cantava e tocava bateria”, disse a fonte, explicando que em casa de Winehouse existem muitos materiais inéditos, pelo menos “para mais dois álbuns”.

Depois da morte de Amy Winehouse, a decisão de lançar um novo álbum passa também pelos pais da cantora. Só depois da permissão dos dois é que a editora pode planear o lançamento do disco.

Na última semana, a venda dos discos de Winehouse disparou e subiu aos tops por todo o mundo. Em Portugal, o responsável da FNAC revelou que a procura de “Frank” e “Back to Black” subiu 300 por cento, tendo esgotado o stock em muitas lojas.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 10:43 | link do post | comentar

Quarta-feira, 27.07.11
Imagem dos dois homens que enganaram a agência ReutersImagem dos dois homens que enganaram a agência Reuters (Reuters)

O funeral de Amy Winehouse, que aconteceu esta terça-feira em Londres, foi apenas para a família e os amigos mais próximos mas afinal contou também com a presença de intrusos. Os brasileiros Daniel Zukerman, do programa televisivo de humor “Impostor do Pânico” da RedeTv, e André Machado, editor do programa, conseguiram entrar na cerimónia privada e às lentes dos fotógrafos passaram por dois amigos da cantora.

 

A fotografia dos dois, aparentemente emocionados, apareceu em centenas de jornais e sites de todo o mundo. A agência Reuters, responsável pela imagem e sua legenda, já pediu desculpas.

Aquela que parecia ser uma das imagens do funeral de Amy Winehouse e que representava a dor dos amigos presentes na cerimónia é afinal uma fraude. Os dois homens que aparecem na fotografia e que foram identificados pela Reuters como duas pessoas de luto abraçadas à saída do funeral são dois humoristas brasileiros, um deles, Daniel Zukerman, é já conhecido no Brasil pelas suas constantes invasões em acontecimentos fechados. Inspirado no francês Rémi Gaillard, conhecido pelas suas peripécias cómicas, Daniel já se tinha infiltrado no funeral de Michael Jackson, tentou a mesmo sorte no casamento do príncipe William com Kate Middleton e no Brasil conseguiu mesmo infiltrar-se no programa "Big Brother".

Em Londres, os dois humoristas apareceram vestidos de preto e com um quipá, utilizado pelos judeus como símbolo da religião e sinal de respeito a Deus. Entre abraços e choros os dois enganaram todos e passaram por convidados da cerimónia, chegando mesmo a dar entrevistas. “Perdemos uma amiga”, disse Daniel a uma televisão alemã, enquanto André chorava e pedia desculpa pela emoção. 

A Reuters pediu entretanto desculpa pela confusão e por ter dado a informação errada que rapidamente se espalhou entre a comunicação social. 

Nas redes sociais e na Internet o assunto já está a dar que falar. Há quem se ria e aplauda a proeza dos humoristas mas também são muitos os que criticam Daniel Zukerman e André Machado, acusando a dupla de não respeitar a morte da cantora.





publicado por olhar para o mundo às 19:24 | link do post | comentar

Segunda-feira, 25.07.11

Amy Winehouse foi encontrada morta em casa, aos 27 anos. Recorde a curta carreira de cantora britânica, que esteve em Portugal em 2008.


A polícia inglesa confirmou hoje a morte da cantora britânica Amy Winehouse, encontrada sem vida, aos 27 anos, num apartamento em Camden Square, Londres.

 

De acordo com a Associated Press, não foram reveladas as causas da morte da cantora, conhecida pelos problemas com drogas e álcool e que recentemente tinha saído de uma tratamento.

 

Na sexta-feira, a revista "New Musical Express" deu conta que Amy Winehouse tinha sido vista no festival iTunes, em Londres, a primeira aparição pública desde que cancelou, em junho, toda a digressão europeia.

Amy Winehouse só esteve uma vez em Portugal

Amy Winehouse atuou apenas uma vez em Portugal, em 2008, no Rock in Rio Lisboa, num concerto atribulado, no qual aparentava estar alcoolizada.

 

Na altura, perante milhares de pessoas, a cantora chegou atrasada e atuou menos de uma hora e algumas das músicas foram interpretadas de forma atabalhoada.

 

Amy Winehouse tinha agendado uma nova digressão para este verão, que incluia uma passagem pelo festival Sudoeste, em agosto, na Zambujeira do Mar.

 

A digressão foi cancelada e a família admitiu que Amy Winehouse demoraria longos anos até voltar aos palcos.

A cantora britânica deixa apenas dois álbuns editados - "Frank" (2003) e Back to Black" (2006), que lhe valeu vários prémios Grammy.



Veja a fotogaleria:


Veja o vídeo com a desastrosa atuação de Winehouse no Rock in Rio Lisboa, em 2008:

 



Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 08:57 | link do post | comentar

Domingo, 24.07.11
Só na ilha morreram 84 pessoas
Só na ilha morreram 84 pessoas (Morten Edvardsen/Scanpix/Reuters)

Um dia após os brutais ataques de ontem na Noruega, de que resultaram 91 mortos, permanecem ainda em mistério os motivos do suspeito autor detido pela polícia, mas os primeiros dados estão a revelar tratar-se de um “fundamentalista cristão”, adepto da caça e dos jogos de vídeo, com ligações à extrema-direita e ideologia anti-muçulmana.

 

Capturado ontem mesmo após a explosão à bomba em Oslo e a carga a tiro indiscriminada num campo de jovens na ilha de Utoeya, este homem foi descrito pelos investigadores como “um norueguês de gema”, de 32 anos, que até à data estava totalmente fora dos radares da polícia.

As autoridades não avançaram o seu nome, mas vários media locais identificaram o suspeito como sendo Anders Behring Breivik, alto e louro e de olhos azuis penetrantes, de acordo com uma fotografia de rosto na sua conta de Facebook (entretanto desactivada) – mas que a polícia recusa confirmar devido aos “procedimentos da investigação”.

Mensagens e informações avançadas pelo suspeito naquela rede social, assim como na conta que lhe é atribuída no serviço de microblogging Twitter, esta aberta há poucos dias, sugerem um “fundamentalista cristão”, foi avaliado porém por um responsável da polícia de Oslo, Roger Andresen, citado pela agência noticiosa AFP. Esta mesma fonte precisou que o suspeito demonstra opiniões políticas que “pendem à direita”.

“Há alguns traços políticos que indicam a pendência à direita e um anti-islamismo, mas é ainda cedo para dizer se foi esse o motivo dos seus actos”, avançou por seu lado o comissário de polícia Sveinung Sponheim, em declarações à televisão pública NRK.

No perfil de Facebook atribuído a Breivik, este diz ser “conservador”, “cristão”, adepto da caça e de jogos de computador como World of Warcraft” e “Modern Warfare 2”. Afirma-se também “solteiro” e director da quinta biológica Breivik Geofarm, onde, especula-se, terá obtido os fertilizantes passíveis de serem usados para construir a bomba que explodiu no edifício do primeiro-ministro norueguês, Jens Stoltenberg, bem no centro de Oslo, e causou sete mortes, uma hora antes do ataque a tiro que matou 84 pessoas no campo de jovens do Partido Trabalhista (no poder), em Utoeya.

Os media noruegueses descrevem-no ora como “pertencente aos meios da extrema-direita”, “nacionalista” ou mesmo como “maçon” e asseveram que é possuidor de várias armas e pelo menos uma espingarda automática.

Esta teoria é sustentada por vários comentários da sua suposta autoria feita em websites e fóruns como o www.document.no, onde defende opiniões ultranacionalistas e expressa elevada hostilidade em relação às ideias de sociedades multiculturais, apesar de rejeitar explicitamente a ideologia nazi. No Twitter, Breivik postou uma única mensagem, datada de 17 de Julho, citando o filósofo britânico John Stuart Mill: “Uma pessoa com uma crença tem tanta força quanto 100 mil pessoas que têm interesses”.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 22:16 | link do post | comentar | ver comentários (1)

A cantora há muito que lutava contra a dependência de álcool e drogas
A cantora há muito que lutava contra a dependência de álcool e drogas (Stefan Wermuth/Reuters)

As causas da morte da cantora britânica Amy Winehouse, ontem encontrada sem vida no seu apartamento londrino, continuam por apurar, embora algumas fontes indiquem que a cantora poderá ter sido vítima de uma overdose.

 

A polícia metropolitana de Londres comunicou ontem: “Fomos chamados pelo London Ambulance Service para uma morada de Camden pouco depois das 16h05. Fomos informados que uma mulher tinha sido encontrada morta. À chegada, os nossos agentes encontraram o corpo de uma mulher de 27 anos que foi declarada morta no local”, cita o “The Guardian”.

A cantora há muito que lutava contra a dependência de álcool e drogas e algumas fontes indicam que a sua morte poderá estar relacionada com uma dose excessiva de estupefacientes - escreve o “The Guardian” - embora oficialmente se desconheçam ainda as causas da sua morte. 

A cantora tinha tentado recentemente mais uma desintoxicação do álcool, mas a sua carreira atravessava um período complicado, depois de a sua digressão europeia - incluindo uma participação agendada para o Festival do Sudoeste, em Agosto - ter sido cancelada.

A digressão foi cancelada por “motivos de saúde”, depois de um concerto em Belgrado que, mais uma vez, trouxe a palco uma Amy cambaleante e pouco profissional.

O “Daily Mail” avança hoje que a cantora estava devastada pela recente separação do namorado Reg Traviss, de 34 anos. O mesmo jornal diz que Traviss decidiu pôr termo à relação de ambos depois de ter percebido que não conseguia ajudar Amy a lutar contra a dependência de drogas nem contra os seus “demónios interiores”.

Winehouse tinha sido vista pela última vez com a sua afilhada, Dionne Bromfield, no início desta semana quando a adolescente participou no festival iTunes.

A morte de Amy Winehouse aos 27 anos coloca-a junto a uma série de outros artistas que também morreram com esta idade, nomeadamente Jimi Hendrix, Jim Morrison, Janis Joplin, Kurt Cobain e Brian Jones, dos Rolling Stone.

Fãs e amigos homenageiam cantora

Após a notícia da sua morte, os media e as redes sociais começaram a homenagear uma das artistas mais talentosas e polémicas da actualidade. 

Mark Ronson, que produziu o multi-premiado álbum “Back to Black”, disse: “Ela era a minha alma gémea musical e como uma irmã para mim. Este é um dos dias mais tristes da minha vida”.

Quem com ela privou intimamente fala de uma voz poderosa numa mulher “doce” e frágil. Ronnie Wood, dos Rolling Stones, lembrou os bons momentos que viveu com a cantora. Tony Bennett, que com Winehouse gravou um dueto do seu novo álbum, elogiou-lhe as capacidades vocais. Uma artista frágil com a “mais natural voz de jazz” dos cantores contemporâneos, como referiu ao “The Guardian”.

O produtor de hip hop Salaam Remi, que trabalhou com Winehouse nos álbuns “Frank” e “Back To Black”, escreveu, via Twitter: “É um dia muito, muito triste. Acabei de perder uma grande amiga e uma irmã”. E acrescentou: “Que descanses em paz, minha pequena irmã Cherry Winehouse. Amar-te-ei para sempre”.

A apresentadora de televisão Kelly Osbourne também escreveu, via Twitter: “Nem consigo respirar de tanto chorar. Acabei de perder uma das minhas melhores amigas. Amar-te-ei para sempre Amy e nunca me esquecerei da verdadeira pessoa que eras”.

“Triste notícia sobre Amy Winehouse. Os meus pensamentos estão com a sua família”, escreveu a cantora Emma Bunton. “Terei sempre um amor profundo por Amy Winehouse”, comentou Lady Gaga.

A modelo britânica Kate Moss também não escondeu a tristeza de “ver partir um talento” como o de Amy Winehouse.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 20:55 | link do post | comentar

Terça-feira, 28.06.11
Fãs choram à porta do Hospital, onde está o ex-D'ZRT
Fãs choram à porta do Hospital, onde está o ex-D'ZRT (Nelson Garrido)

O Hospital de Santo António deverá confirmar ao início da noite desta terça-feira o óbito do músico e cantor Angélico Vieira, vítima de um violento acidente de viação na madrugada do passado sábado.

 

Ao princípio da tarde, a equipa médica que acompanhou o actor nos últimos dias declarou morte cerebral a Angélico Vieira, de 28 anos, após verificar que tinha deixado de respirar espontaneamente.

“De manhã Angélico Vieira estava estável, mas os sinais vitais começaram a desaparecer”, disse esta tarde fonte hospitalar, sem adiantar mais pormenores. Uma outra fonte garantia que o actor permanecia ligado ao ventilador e que ia ser sujeito a um derradeiro teste antes de o hospital confirmar o óbito. 

Muitos fãs do actor continuam concentrados junto à entrada principal do Hospital de Santo António, na Baixa do Porto, e muitos acreditam que ainda possa ocorrer “um milagre”. Para além dos familiares mais próximos, têm passado pelo Santo António amigos pessoais do ex-vocalista dos D’ ZRT. 

Esta tarde, Edmundo Vieira, que fez parte da banda, esteve no hospital onde Angélico se encontra internado na Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente desde sábado, na sequência de um grave acidente de viação na A1.

Na viatura, conduzida pelo músico, que se despistou na sequência do rebentamento de um pneu, seguiam também Hélio Danilson Filipe, 25 anos, que teve morte imediata, e cujo funeral foi hoje, e Arminda Leite, 17 anos, que ficou ferida com gravidade e que permanece internada com prognóstico reservado.

O quarto ocupante da viatura, Hugo Mendonça Pinto, o único que na altura do acidente seguia com o cinto de segurança colocado, sofreu ferimentos ligeiros.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 22:18 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Domingo, 26.06.11
 
Há um Peter Falk de que toda a gente se lembra: o detective de olho de vidro e gabardina amarrotada que, durante quase dez anos, resolveu crimes numa das mais populares séries televisivas de sempre, Columbo.

Há outro Peter Falk de que só os mais cinéfilos se recordam: o actor de composição que fez parte dos lendários filmes independentes de John Cassavetes como Maridos e Uma Mulher sob Influência, ou que foi um dos anjos das Asas do Desejo de Wim Wenders.

O actor, esse, era um e o mesmo. Nova-iorquino nativo, filho de imigrantes de Leste, Peter Falk morreu quinta-feira na sua casa de Beverly Hills, aos 83 anos. Teve o seu último papel no cinema em 2009, após uma carreira de mais de 50 anos iniciada no teatro e na televisão quando se aproximava dos 30 anos de idade. 

A sua carreira não arrancara mais cedo devido ao que viria a ser uma das "marcas registadas" do tenente Columbo: o olho de vidro. Não era maquilhagem: Falk perdera o olho direito aos três anos na sequência de um tumor maligno, o que levou produtores a fechar-lhe primeiros papéis em produções de Hollywood. Mas a sua interpretação do gangster nova-iorquino Abe Reles em Murder, Incorporated (1960) valeu-lhe uma nomeação para o Óscar de actor secundário e lançou a sua carreira de actor de composição, que lhe trouxe nova nomeação para o Óscar (Milagre por um Dia, 1961). Entre a sua filmografia estão clássicos de culto da comédia americana como Um Cadáver de Sobremesa (1976); Por Favor Não Matem o Dentista (1979); um dos mais aclamados filmes de autor dos anos 80, As Asas do Desejo (1987); e três filmes do seu velho amigo John Cassavetes, Maridos (1970), Uma Mulher sob Influência (1974) e, numa curta participação, Noite de Estreia (1977).

Foi na televisão que Falk se tornou numa vedeta global ao aceitar o papel do tenente Columbo da polícia de LA, detective cuja aparente distracção escondia um modo peculiar de resolver crimes, num telefilme de 1968. O primeiro episódio da série foi para o ar em 1971, e Columbo continuou no ar, primeiro, regularmente, até 1977, e depois em telefilmes esporádicos entre 1989 e 2003, valendo-lhe quatro Emmys. É ainda hoje uma das séries americanas mais populares de sempre em todo o mundo. 

Em 2007 foi-lhe diagnosticada a doença de Alzheimer.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 10:36 | link do post | comentar

Sexta-feira, 04.02.11

Morreu Maria Schneider, actriz de

 

A atriz francesa Maria Schneider, protagonista, ao lado de Marlon Brando, de "Último Tango em Paris", morreu hoje em Paris aos 58 anos, revelou a France Press citando fonte da família.

A atriz morreu hoje de manhã vítima de doença prolongada, referiu a mesma fonte.

Maria Schneider nasceu a 27 de março de 1952 em Paris e estreou-se no cinema em "Femmes" (1969).

Aos 19 anos foi escolhida por Bernardo Bertolucci para "Último Tango em Paris" (1972), no qual contracena com Marlon Brando e que causou polémica à época por aparecer em nu integral e devido às cenas de sexo.

O filme marcaria o seu percurso no cinema, mas Maria Schneider chegou a renegá-lo e a criticarBertolucciMarlon Brando.

Em 1975 fez "Profissão: Repórter", de Micheangelo Antonioni, com Jack Nicholson, mas a década ficou marcada por tempos conturbados, com consumo de drogas e uma tentativa desuicídio.

"A mais velha profissão do mundo" (1979), "Merry-go-round" (1981), de Jacques Rivette, "Les Nuits fauves" (1992) e "Jane Eyre" (1996) foram outros filmes em que Maria Schneider participou.

 

 

 

 

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 13:22 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Morreu Eusébio

Morreu Nelson Mandela: A ...

O cancro derrotou Miki Ro...

Rodney King, o rosto dos ...

MORREU RAY BRADBURY, O ES...

Dois irmãos portugueses m...

Robin Gibb, a voz dos Bee...

Morreu Donna Summer.. e d...

Morreu o escritor mexican...

Mais de 25 anos depois, r...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: