Sexta-feira, 30.03.12

A abertura de novos bares e discotecas vai ser mais difícil fora de certas zonas da cidade
A abertura de novos bares e discotecas vai ser mais difícil fora de certas zonas da cidade (Cláudia Andrade)
Abrir restaurantes, bares e discotecas em locais como o Bairro Alto, a Bica, Santos ou a Mouraria pode, daqui a meses, vir a tornar-se mais difícil. A Câmara de Lisboa quer restringir a animação nocturna nos bairros históricos aos locais onde já existe, impedindo a abertura de novos estabelecimentos, de forma a preservar o sossego dos moradores.

A medida, reconhece o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, é controversa. Por um lado, pode suscitar críticas dos empresários do ramo; por outro, pode gerar a insatisfação dos moradores das zonas de maior animação nocturna, que pretendem ter ali menos bares e discotecas. No Bairro Alto a câmara estabeleceu como área privilegiada de bebidas e diversão nocturna a área delimitada pelas ruas da Rosa, D. Pedro V e da Misericórdia. 

Segundo Manuel Salgado, os estabelecimentos que existam fora desta área circunscrita não serão encerrados, mas também não serão autorizados novos espaços.

"Todas estas actividades [similares de hotelaria e salões de jogos] passam a estar limitadas aos espaços já licenciados para o efeito. Qualquer modificação fica dependente da verificação cumulativa da ausência ou minimização de impactos na qualidade ambiental urbana(...) e de parecer da junta de freguesia" - referem as propostas de alteração aos planos de urbanização dos bairros históricos, que vão ser submetidas a discussão pública. Além de interditar novos estabelecimentos, o município quer condicionar o funcionamento dos que já existem à "inexistência de prejuízo para a qualidade ambiental urbana, nomeadamente circulação, ruído e segurança para os utentes e residentes". 

Para não desincentivar a "gastronomia local", a câmara propõe restrições mais mitigadas para os restaurantes. Mesmo assim, a abertura de novas casas passará a só ser permitida nos bairros em causa "nos troços de arruamentos, entre duas transversais, onde já existam utilizações autorizadas para a mesma actividade". Manuel Salgado explica: "Numa rua onde já existam três ou quatro restaurantes podemos permitir a abertura de mais um. Se noutra rua não existe nenhum, não autorizaremos sequer o primeiro". 

Na Madragoa, ficam dentro do novo perímetro de animação nocturna o Largo de Santos, a Calçada Marquês de Abrantes, a Rua da Esperança e parte da Avenida D. Carlos I. Na Bica apenas foi seleccionada a rua do elevador. Já no Cais do Sodré, local cujos moradores têm instado a autarquia a actuar por causa dos excessos provocados pela animação nocturna, as ruas dos bares foram igualmente incluídas no mesmo tipo de zonamento. 

Mas se estas são medidas que podem ser consideradas insuficientes pelos residentes, a reunião de câmara de ontem ficou marcada pelas críticas, por parte da oposição, a outro aspecto destes mesmos planos: a forma como poderá vir a ser feita de agora em diante a reabilitação urbana nos bairros em causa. A possibilidade de alguns prédios poderem vir a crescer em altura ou a neles serem abertas caves, usadas para estacionamento mas também para outros fins, levou a vereadora do PSD Mafalda Magalhães de Barros a falar no perigo de descaracterização destes bairros históricos, nomeadamente das fachadas originais das casas. 

"Estes planos alargam a possibilidade de demolição dos imóveis", criticou, por seu turno, António Carlos Monteiro, vereador do CDS-PP. "Basta [o proprietário] alegar que eles são técnica e economicamente inviáveis para a câmara autorizar a demolição", exemplificou.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 08:29 | link do post | comentar

Domingo, 26.02.12

TRANSTEJO Novos horários entram em vigor amanhã

Ao fim de semana a frequência da oassagem dos barcos passa para os 60 minutos.Imagem: Carla Silva Costa


Na ligação entre o Montijo e o Cais do Sodré haverá a supressão diária de duas carreiras no período da manhã (quatro ligações, contabilizando idas e voltas), uma delas antes a hora de ponta e outra depois, e de duas carreiras ao sábado (quatro ligações) e duas ao domingo (quatro ligações), ambas durante a manhã.

 

A ligação entre Cacilhas e o Cais do Sodré também vai sofrer reduções, com a supressão de quatro carreiras diárias (um total de oito idas e voltas), uma delas de manhã e três após as 21:45, e de nove carreiras ao sábado e nove ao domingo (nove idas e nove voltas, em cada um dos casos).

 

A maior redução está prevista para a travessia Seixal - Cais do Sodré, com menos cinco viagens diárias durante a semana (10 idas e voltas), três das quais entre as 10:05 e as 15:30 e duas entre as 19:05 e as 20:30, e menos seis ao sábado e menos seis ao domingo (um total 12 idas e voltas em cada dia do fim de semana).

 

A ligação Trafaria - Belém, que esteve para ser desativada na primeira versão da estratégia para o setor dos transportes, mantém-se, sofrendo uma redução de duas viagens durante a semana (quatro idas e voltas), a primeira delas da manhã e uma na hora de almoço, bem como uma diminuição de três ao sábado e de três ao domingo (seis ligações em cada um dos dias).

 

Na ligação da Soflusa (empresa do mesmo grupo) entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, haverá menos três carreiras diárias (seis ligações) e a frequência das carreiras ao fim de semana passa para os 60 minutos.

 

Os trabalhadores do grupo condenam a redução das carreiras, pois consideram-na "um erro que não defende o serviço público", e já anunciaram plenários, com a paralisação de atividade, nas duas empresas.

 

Na Soflusa o plenário está agendado para segunda-feira, com as ligações a pararem entre as 13:25 e as 16:20 no sentido Barreiro - Terreiro do Paço, enquanto que no sentido inverso vão estar paradas entre as 13:25 e as 16:50.

 

Na empresa Transtejo, o plenário realiza-se na quarta-feira, com paralisação da atividade entre as 14:50 e as 16:50. Os trabalhadores ameaçam avançar para novas greves.

 

A Câmara do Seixal também está contra a redução de carreiras e enviou na sexta-feira um ofício ao ministro da Economia e do Emprego em que demonstra o seu desagrado com a decisão.

 

Via Sapo Notícias



publicado por olhar para o mundo às 12:58 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Câmara de Lisboa quer por...

Transtejo, Novos horários...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
links
blogs SAPO
subscrever feeds

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: