Quarta-feira, 02.05.12

As aparências iludem

 

O homem brasileiro fala em ritmo de Bossa Nova, melado, carinhoso e... malandro. Já o francês tem o dom de nos fazer ouvir sons de acordeão quando passeamos por Monmartre, já que para ele somos uma pintura, uma forma de arte e algo ingénuas. O inglês diverte-nos, faz-nos beber uns copos e cai mais depressa que nós. O italiano faz de nós deusas, conta-nos histórias enquanto divide um prato de pasta e mira a ragazza da mesa ao lado. O homem português é tudo isto com o toque de macho latino, com ciúme e devoção, mesmo que não queira que ninguém o saiba verdadeiramente, porque tem dificuldade em mostrar sentimentos.  

 

Entre todos e singularmente em cada um deles a dúvida instala-se, e perfeito perfeito seria o que reúne todas estas características (umas mais que outras) e nos acorda ao som da Bossa Nova, com o pequeno-almoço, uma flor, um vestido perfeito e um passeio inesquecível. Ei! Psst! Acorda lá, para Bossa Nova é melhor pôr o Tom Jobim, ou João Gilberto, porque na realidade ninguém vive nem de Samba a vida inteira, e os príncipes encantados estão todos presos numa cidade enfeitiçada nuns EUA imaginários (já gostei mais da série "Once upon a time").

 

Nos últimos tempos tenho-me dedicado a um estudo sociológico muito pessoal, do qual concluo que é impossível, ou pelo menos deveria ser, julgar a unidade pelo total, até Jobim dizia que "menos com menos dá mais", e a vida não é um cálculo integral, nunca se sabe quando é que um sapo nos salta para o colo e nos transforma em "sapa", ou nos aparece um "príncipe" cujo bólide foi adquirido em leasing, ou vai ser confiscado em breve por falta de pagamento.

 

Deste meu estudo pessoal concluí que não vale demasiado a pena a embalagem (embora esta tenha a sua quota parte de interesse), se o conteúdo está fora de prazo e nos arranja uma indigestão. Por exemplo, devo ser um caso perdido em Portugal, não ligo a grandes carros, eu própria conduzo um chasso com mais de 20 anos e mais facilmente empenharia a casa para dar a volta ao Mundo, do que para ter um grande plasma e um topo de gama à porta da grande casa que jamais conseguiria pagar, ou então perder tempo à procura de um velho rico que não se aguenta nas "canetas".

 

Por falar em carros velhos, chateia-me não poder entrar com o meu Nissan 1400 slx durante a semana em Lisboa. É que este menino tem catalizador, não gasta muito e com gasolina sem chumbo 98 anda que é um mimo e não polui assim tanto. Tudo bem, está velho e não faz virar as cabeças, mas está pago, e exemplifica a nata do parque automóvel português. Parece quase uma analogia, mas só porque é feio e velho envergonha os postais very typical da cidade de Lisboa, que quer mostrar que o resto da Europa que afinal não somos assim tão pelintras, e temos todos carros ulteriores a 96, mas que continua a viver à custa da imagem da bela sardinha assada e do manjerico (ai que nunca mais chega o Sto.António).

 

Isto chateia, garanto que me chateia, até porque preciso de usar o meu carro em Lisboa, mas o raio da forma humana precisa de manter esta velha maniazinha das aparências, o não assumir a realidade de um povo que não tem de facto dinheiro para comprar carros novos, porque já mal dinheiro tem para pagar os passes.

 

E a culpa é nossa, e é por estas e por outras que pelos lados da Gália ainda pensam que a mulher portuguesa é gorda, baixa, peluda e de bigode, e que em alguns locais do Brasil ainda pensam que a música portuguesa mais alegre é a cantada pelo Roberto Leal.

 

Agora desculpem-me mas tenho de ir aparar o meu bigode e editá-lo em Photoshop, enquanto danço um vira ao som de Roberto Leal, porque não quero que os meus amigos do Facebook me vejam nestes preparos...ou então não!


Retirado de A Vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 17:56 | link do post | comentar

Sexta-feira, 03.02.12

“Machos latinos” mais vulneráveis à disfunção eréctil?

 

A disfunção eréctil é um problema extremamente grave, que mexe com a masculinidade e que tem implicações gravíssimas”, afirma Pedro Norte, coordenador do Laboratório de Investigação em Sexualidade Humana (SexLab). O que não se sabe é que muitas vezes não está sequer associada a factores médicos, mas sim a uma condição psicológica que advém das crenças sexuais de cada pessoa, da personalidade, do afecto em geral ou da tendência para a excitação ou a inibição sexual. 

 

Até agora, os investigadores ainda só começaram o estudo piloto, mas já avançam com algumas hipóteses polémicas. Uma das crenças sexuais que dizem poder ser mais propensa a factores de risco psicológico é a crença do “macho latino”. 

 

“Os homens vêem-se a eles próprios como máquinas e o sexo é algo que nunca pode falhar. Ou seja, a ideia de sexualidade implica desempenho sem falhas, perfeição. E o homem tem de estar sempre pronto para desempenhar o seu papel independentemente de estar cansado, de ter tido problemas ou de ter bebido de mais”, explica Pedro Nobre.

 

Não é permitido falhar

O “macho latino” pode, efectivamente, ter um maior número de parceiras, estar mais disponível e mesmo ter uma vida sexual mais activa e satisfatória do que qualquer outro homem. Mas nem tudo dura para sempre e a busca pela perfeição pode tornar-se num factor de risco.

 

“Se um dia não corre tão bem, não é como descer um degrau, é como cair de um precipício. Aquele homem não está preparado para que as coisas não corram bem. Estas crenças são muito elevadas”, explica Pedro Nobre.

 

E a falha acaba por chegar, nem que seja quando se começam a conjugar factores psicológicos com condições clínicas próprias da idade, como a toma de medicamentos ou a diminuição da reposta sexual.

 

Depois da primeira má experiência, tudo vai ser diferente na cabeça destes homens. “A próxima relação vai ser um teste, não uma forma de dar e receber prazer”, explica o investigador.

 

E é por causa deste alheamento ou “distração cognitiva” que é muito provável que o homem volte a falhar e isto se torne de facto numa condição clínica. ”A probabilidade de falhar é muito maior e com duas experiências de insucesso é provável que o problema comece a persistir”, explica Pedro Nobre.

 

Não é só um problema da meia idade

Mas desengane-se quem pensa que este é um problema da meia idade. Existem jovens que antes de terem tido sequer a sua primeira relação sexual já têm um problema grave.

 

“É o mito comum da penetração vaginal: se um homem não tiver uma erecção, nunca pode satisfazer a mulher. E isso é realmente um mito”, afirma Pedro Nobre.

 

O Laboratório de Investigação em Sexualidade Humana, da Universidade de Aveiro, vai levar a cabo este estudo com uma amostra clínica de homens e mulheres com e sem dificuldades sexuais. Este será o primeiro estudo em Portugal a avaliar a resposta sexual fisiológica em laboratório com recurso a voluntários com disfunção sexual.

 

Via P3



publicado por olhar para o mundo às 21:16 | link do post | comentar

Quarta-feira, 16.02.11

Fui levantar dinheiro a um multibanco e dei de caras com a imagem de Zezé Camarinha e por cima o slogan: "Camone and learn english" (Venha e aprenda inglês). Aprender inglês contigo, meu bronco? Pensei.

A publicidade negativa não deixa de ser publicidade. Mas a publicidade contraproducente pior do que negativa é imbecil. E este é um caso sério de estupidez publicitária. Uma escola que supostamente se dedica ao ensino do inglês escolher este personagem para ser a cara oficial de uma campanha publicitária de grande alcance, parece-me tão inteligente como num anúncio a um novo automóvel a marca que o construiu garantir que com este modelo o mais certo é você morrer ao volante.

 

Qual é o pai ou mãe com cérebros a funcionar normalmente que ao depararem com um anúncio deste calibre, e que até estejam a pensar colocar os filhos numa escola deste género, vão querer que os seus pequenos se transformam em mini-camarinhas no que toca à prática da língua inglesa? Ou ao que quer que seja, já agora. Já viram o que seria a criança num jantar de família dizer à avó "hey darling, put the cream number five!" e frases como: "No english, no babes" ou "Camone pá beach baby".

 

Não havia mesmo ninguém decente? Tinha de ser esta figurinha? Até na publicidade temos de nos armar sempre em chico-espertos da Europa? Escolher o labrego da praia da Rocha? Confundir inovação e criação com ignorância e miserabilismo na transmissão de uma mensagem que mexe com a educação de crianças? Escolher um homem capaz de dizer coisas brilhantes do género: "A nossa juventude é uma desgraça! Só tenho pena de eu andar sozinho neste jogo do engate aqui no Algarve! A juventude hoje em dia só pensa em drogas e em futebol! Tenho pena de não deixar nenhum sucessor!" (SIC, 2003); "Quando era miúdo a minha mãe, que era cozinheira num restaurante aqui da praia de Portimão, dava-me óleo de fritar o peixe, depois bronzeava-me com ele e punha uma toalha aqui e outra lá ao fundo onde vê aquele chapéu de sol da Sprite... Tudo o que fosse camone e invadisse este espaço, marchava logo!" (TVI, 2000); "Você duvida da minha machidade? Eu sou mesmo macho e tudo o que digo, faço. Se duvida vamos ali para trás do cortinado e tira as dúvidas! Nem precisa esgalhar-me o pessegueiro, a alavanca sobe automaticamente!" (SIC - dirigindo-se a Paula Coelho, apresentadora da SIC Notícias, que o havia acusado de "muita parra e pouca uva"); "Quando morrer quero que o meu pénis seja embalsamado e cremado, e que as cinzas sejam espalhadas por estas praias do Algarve, desde Lagos a Faro, que é o meu território de caça. Deste modo as praias serão purificadas. Claro que haverá cinza suficiente!" (SIC, 2002); "Eu na outra reencarnação devo ter sido um penso "isofrenico", daquelas da Evax ou da Insóniapois adoro andar entre as pernas das mulheres!" (SIC Radical, 2002). Será preciso dizer mais alguma coisa?

 

Se eu tivesse filhos, não teria qualquer dúvida em relação à escola onde eles nunca, mas em altura alguma, iriam aprender inglês.

 

Via 100 Reféns



publicado por olhar para o mundo às 11:19 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

As aparências iludem

“Machos latinos” mais vul...

Zezé Camarinha estrela de...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
links
blogs SAPO
subscrever feeds