Segunda-feira, 28.05.12
Lourinhã vai construir maior parque de dinossauros do mundo
O Dino Park, em Muchehagen, na Alemanha.
Mais de 200 modelos de dinossauros em tamanho real espalhados por 2,5 quilómetros de percursos pedestres. Tudo ao ar livre, num pinhal com 36 hectares. O que durante mais de 10 anos não passou de uma miragem está prestes a nascer na Lourinhã: «O maior parque de dinossauros ao ar livre do mundo» será construído naquela cidade – famosa pelos fósseis e pela maior colecção de ovos de dinossauros do mundo.

 Quem o garante é uma empresa alemã, a Dinosaurieir-Park, que está disponível a investir num projecto que deverá custar cerca de 10 milhões. «Já fizeram estudos de viabilidade económica que lhes dão a certeza que o negócio será rentável a partir dos 135 mil visitantes por ano, com 12 euros de preço de entrada. Mas é preciso garantir cerca de 50% de financiamento a fundo perdido (sem obrigação de reembolso) para avançar» – disse ao SOL Vital Rosário, vereador do Turismo da Câmara da Lourinhã.

 

Um ‘dinoparque’


A velha ambição dos lourinhanenses ganhou um novo fôlego quando, há cerca de um ano, Vital Rosário fez uma visita de trabalho à Alemanha e descobriu, por acaso, o DinoPark, situado em Munchehagen, a 40 quilómetros de Hannover. «Senti logo que aquele espaço, simples na organização e na arquitectura, era perfeitamente replicável num pinhal que pertence à Câmara», conta o vereador.

Os primeiros passos já foram dados. O grupo alemão constituiu uma sociedade privada (a Dinossauro Futuro) e, há um mês, esta mesma empresa, que fará a exploração do parque, candidatou-se a um fundo do Turismo de Portugal que poderá render 65% do investimento. Por conta dos alemães ficarão 15% do financiamento (cerca de 1,5 milhões). O resto, prevê Vital Rosário, poderá vir de empréstimos bancários.

 

Mas estas contas são provisórias. A autarquia já disponibilizou o terreno do pinhal dos Camarnais àquele promotor, através de um contrato de cedência do direito de superfície (decisão aprovada por unanimidade), mas ainda não foi estabelecido o valor da renda.

 

Inauguração prevista para 2013


«Ainda está tudo em aberto. Se esta candidatura correr bem, podemos iniciar a obra já em Setembro e teremos o parque inaugurado já em 2013», prevê Vital Rosário.

 

O que já está definido é o projecto de arquitectura. O vereador levanta um pouco o véu: «A ideia não é criar uma Disneylândia, com escorregas e baloiços. O que se pretende é uma experiência que retrate, de forma científica, os cenários do Jurássico e de outras épocas pré-históricas».

 

Nos 22 hectares que se prevê que o parque venha a ocupar, será erguido um edifício central, que acolherá o acervo do museu da Lourinhã, a bilheteira, uma loja, um restaurante e um auditório. À volta, será plantado um jardim que será «uma espécie de museu a céu aberto», com cinco percursos pedonais, ao longo dos quais serão colocados mais de 250 modelos de dinossauros, alguns mecanizados, à escala real. Os mais pequenos não serão esquecidos: será criado também um parque infantil com actividades pedagógicas.

 

Mas numa altura de crise, haverá clientes que justifiquem este investimento? «Nunca ninguém viu dinossauros, mas toda a gente adora dinossauros, sobretudo as crianças» – diz o vereador, optimista quanto à viabilidade do projecto. «Óbidos recebe dois milhões de pessoas por ano, o jardim oriental de Joe Berardo, no Bombarral, chega a atingir 40 mil visitantes por mês, o Carnaval de Torres Vedras mobiliza 300 mil pessoas. Perante isto, só posso estar esperançado», acrescenta.

 

Empresas chinesas querem participar


O vereador vai mais longe: «Isto será uma alavanca importantíssima para o município e para a região Oeste. Vai dinamizar o comércio e atrair turistas. Aliás, já há três unidades hoteleiras a nascer desde que se fala nisto. Até já apareceram empresas chinesas dispostas a fornecer as réplicas».

 

O próprio modelo de funcionamento, assegura, foi pensado para ser sustentável. «Um parque que tem a ambição de ser o maior do mundo nesta modalidade estará aberto todos os dias e terá apenas 15 funcionários a trabalhar a tempo inteiro, mais 18 para assegurar os fins-de-semana e picos de afluência».



publicado por olhar para o mundo às 17:09 | link do post | comentar

Sexta-feira, 24.06.11

Ajudar o azulejo Português

 

Visite o sítio do Projecto SOS Azulejo e conheça alguns dos paineis que são procurados pela policia. Quem sabe não reconhece algum e ajuda a recuperá-lo!

 

Sabia que os azulejos podem valer pequenas fortunas no mercado negro? É verdade. Por isso, um pouco por todo o país, painéis incompletos e fachadas esburacadas dão conta de uma autêntica pilhagem. A necessidade de combater a grave delapidação do património azulejar português que cresce de forma alarmante, sobretudo por furto, mas também por vandalismo e incúria levou à criação do Projeto SOS Azulejo, encabeçado pelo Museu da Polícia Judiciária.

 

Esta iniciativa que comemora hoje o seu 3º aniversário conta com vários parceiros, entre eles, a Associação Nacional de Municípios Portugueses, o Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico, além de outras forças de segurança.

 

Dados da PJ, relativos ao período entre 2002 e 2006, apontam para cerca de 10 mil azulejos antigos roubados, só na área de Lisboa e o cálculo baseia-se apenas nas queixas apresentadas.

 

Todos os cidadãos podem ajudar a combater este crime, estando atentos e informando de imediato as forças de segurança caso seja vitima ou testemunha de furto ou vandalismo de azulejos. No sítio www.sosazulejo.com podem ser vistas imagens de alguns dos painéis que atualmente são procurados pela polícia. Esta divulgação pretende dificultar a circulação nos circuitos comerciais e facilitar a identificação e recuperação. Não quer dar uma ajuda?  

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 08:49 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20.05.11
Três portugueses concorrem ao o Prémio Museu Europeu 2011

 

 

Três museus portugueses, o do Douro, a Casa das Histórias Paula Rego e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, estão entre os 34 nomeados para o Prémio do Museu Europeu do Ano 2011, organizado pelo European Museum Forum (EMF).

A organização, que funciona sob os auspícios do Conselho da Europa, vai anunciar o prémio e as menções honrosas no sábado, na Alemanha.

O EMF é uma organização europeia independente e sem fins lucrativos criada nos anos 1970 para promover a qualidade das instituições museológicas, e todos os anos atribui um galardão para distinguir a excelência nesta área.

 

De Portugal foram nomeados o Museu do Douro, em Peso da Régua, a Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, e o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, de Coimbra.

Este ano, a cerimónia do anúncio dos premiados terá lugar em Bremerhaven, na Alemanha, no Centro de Imigração, que conquistou o mesmo prémio em 2007.

O júri desta edição nomeou 34 museus de 15 países, entre eles a Rússia, Espanha, Áustria, Turquia, Finlândia, Bélgica, Croácia, Azerbeijão, Suiça e Reino Unido.

O vencedor irá acolher a cerimónia no próximo ano e até lá poderá exibir durante um ano a emblemática escultura The Egg, criada pelo artista britânico Henry Moore.

O júri terá em linha de conta os esforços realizados pelos museus para atrair visitantes através de programas nas áreas da interpretação, responsabilidade social, comunicação e marketing.

As candidaturas ao Prémio Museu Europeu do Ano para 2012 terminam a 15 de Março e podem ser feitas online em www.europeanmuseumforum.org).

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 17:54 | link do post | comentar

Sábado, 14.05.11
Um museu com ovelhas dentro
Encontrar animais a passear num museu é invulgar, mas para a direção do Museu de Lanifícios da Covilhã não houve nada mais natural que acolher duas ovelhas como novas residentes.

Os animais de raça Mondegueira, da Serra da Estrela, chegaram na última semana e vão ser baptizados este sábado. Um júri vai escolher os nomes «propostos através de um concurso lançado na Internet», explicou à Agência Lusa, Elisa Pinheiro, directora do museu que funciona na Universidade da Beira Interior (UBI).

 

Os visitantes vão poder chamá-las pelos nomes e «conhecer de perto a origem da matéria-prima», que a instituição quer promover, destaca aquela responsável.

 

O museu já acolhe gigantescas máquinas que retratam séculos de história do sector, assim como amostras de tecidos e trabalhos dos cursos têxteis da UBI.

 

O património exposto permite seguir todo o ciclo da lã, que agora passa a ter como ponto de partida o pasto dos jardins que rodeiam o edifício onde em 1784 foi fundada a Real Fábrica Veiga.

 

Para 1 de Junho, Dia da Criança, está marcada a tosquia dos dois animais, à qual vão assistir mais de 100 alunos de escolas do primeiro ciclo.

Os mais pequenos vão ainda poder trabalhar a lã acabada de cortar e assistir ao processo de transformação, até à produção de tecidos.

A globalização tirou valor à lã da Serra da Estrela, mas Elisa Pinheiro acredita que há na actividade uma oportunidade de negócio para os jovens que tentem encaminhá-la para os circuitos comerciais acertados.

 

«Ainda na última semana recebemos uma empresa de Barcelona que nos pediu lã lavada original de Portugal», destacou.

 

A equipa do museu não esconde o espanto pela velocidade a que os dois animais estão a devorar o pasto nos jardins em redor.

 

Além do mais, «não comem tudo: são um bocado fidalgas, só escolhem alguma vegetação», explica João Lázaro, técnico têxtil e funcionário do museu, que as acompanha diariamente.

 

Os cuidados fitossanitários são assegurados pela empresa Lameagro, que entregou os animais ao museu. Os animais já têm uma manjedoura e um abrigo construído no local, só lhes faltam os nomes e a fama.

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.05.11
Museus e palácios abertos à noite com entradas gratuitas
Visitas guiadas, leituras, concertos, ateliers para crianças e animações históricas são algumas das propostas de museus e palácios em todo o país no próximo sábado, Noite dos Museus, com entradas gratuitas a partir das 18 horas.

Originalmente criada na França, em 2005, a Noite dos Museus passou a ser também anualmente celebrada em Portugal, e tem tido uma adesão crescente de museus e palácios tutelados pelo Instituto dos Museu e da Conservação (IMC) e da Rede Portuguesa de Museus (RPM), dispersos por todo o país.

No Dia Internacional dos Museus, a 18 de Maio, as entradas serão igualmente gratuitas entre as 10 e as 18 horas, segundo o IMC.

Na Noite dos Museus, a Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, em Lisboa, inaugura uma exposição com obras de Ana Pissarra, Cristina d' Eça Leal, Flávia Vieira, Rachel Korman e Tiago Mestre.

O Museu da Água promove, pelas 20.30 horas, uma travessia do Vale de Alcântara com observação de algumas espécies de animais no parque florestal de Monsanto e uma visita ao Reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras, às 21.30 horas, com passagem pela exposição de Guilherme Parente intitulada “O Barco do Rei".

Também em Lisboa, no Museu Arpad Szenes Vieira da Silva, a partir das 11 horas há música, teatro e contos com a narradora Ágata Mandillo, e no Museu da Música, às 18, abre uma exposição de memórias musicais.

Num dos mais importantes museus nacionais de Lisboa, o de Arte Antiga, a partir das 20 haverá actividades lúdicas para os mais novos (o jogo "Pictionary"), um concerto pelos Pequenos Violinos da Orquestra Metropolitana de Lisboa, pelas 21.30, e a inauguração de uma exposição paralela do Museu do Design e da Moda (MUDE).

No MUDE, a exposição fará uma interacção conceptual entre o design contemporâneo e a história das artes, entre a pintura e as artes decorativas, com extensão ao domínio da moda, e no Museu de Arte Antiga haverá uma selecção de peças em articulação com o circuito da exposição permanente.

No Porto, o Museu Nacional Soares dos Reis celebra a Noite dos Museus a partir das 17 horas com uma aula aberta de piano e explicação do instrumento, para crianças até aos 12 anos, a cargo da Escola Música e Sons, com a professora Maria João Fernandes, e uma visita-guiada à exposição permanente.

Na mesma cidade, o Museu do Papel Moeda realiza uma acção de rua a partir das 15 horas sobre "No Poupar Vai o Ganho", tendo como ponto de partida a articulação das colecções do museu com a actual crise financeira e económica do país.

Também organiza um desfile de personagens históricos que apresentam a evolução do dinheiro em Portugal, na Praça Carlos Alberto.

No Alentejo, o Museu Municipal de Estremoz fará, entre as 18 e as 24 uma demonstração de Bonecos Dançarinos pelo artesão José Tendeiro com bonecos típicos, complementando a actividade com poesia popular.

No Museu de Aveiro, entre as 10 às 24.00 horas haverá gastronomia, uma exposição, música e a primeira mostra de doçaria conventual e produtos tradicionais portugueses.

Na região do Algarve, o Museu de Portimão organiza, entre as 9.00 e as 22.00 um passeio temático e a 11ª Corrida Fotográfica de Portimão, enquanto o Museu Municipal de Faro apresentará um espectáculo de animação às 21.30.

 

Via Sol


tags: ,

publicado por olhar para o mundo às 08:37 | link do post | comentar

Sábado, 19.03.11
Casa e Biblioteca de Saramago em Lanzarote abrem hoje ao público

 

 

A casa e a biblioteca onde o escritor José Saramago passou parte da sua vida, em Lanzarote, Espanha, foram transformadas numa «casa-museu» que abrirá hoje as portas ao público.

A inauguração ocorre na data em que se cumprem nove meses desde a morte do Nobel da Literatura, «o tempo que se demora a morrer», como Saramago deixou escrito no romance O Ano da Morte de Ricardo Reis.

E é por isso que a data é escolhida para a abertura ao público da casa e da biblioteca do escritor português em Lanzarote, nas ilhas Canárias, onde decidiu viver a partir dos anos 1990.

Na casa José Saramago viveu e escreveu os romances das duas últimas décadas, foi lá que instalou a biblioteca pessoal e viveu com Pilar del Río.

Foi criado um percurso pela casa e biblioteca do escritor, sendo possível passar, por exemplo, pela cozinha, escritório e quarto do autor.

Na cerimónia de abertura da casa e da biblioteca, que a Fundação descreve como uma despedida de José Saramago, estarão presentes vários convidados, entre os vários editores que publicaram a obra do escritor, como o editor português Zeferino Coelho.

Na ocasião, Pilar del Río, presidente da fundação, explicará a razão da abertura ao público da casa de Saramago, e a directora da Casa Pessoa, a escritora Inês Pedrosa, lerá um fragmento de O Ano da Morte de Ricardo Reis.

José Saramago morreu a 18 de Junho de 2010, aos 87 anos.

 

 

 

Via Sol

 



publicado por olhar para o mundo às 09:46 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Lourinhã vai construir ma...

Quer ajudar a proteger os...

Três portugueses concorre...

Um museu com ovelhas dent...

Museus e palácios abertos...

Casa e Biblioteca de Sara...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
links
blogs SAPO
subscrever feeds