Domingo, 11.12.11

Virgem aos 30

 

Estreou no último domingo (04), no canal TLC dos EUA, um reality show que promete causar polêmica. Como o próprio nome entrega, “The Virgin Diaries” acompanha a rotina de homens e mulheres já maduros que estão se casando virgens – a idade da maioria gira em torno dos 30 anos. A inexperiência de alguns integrantes vai além do fato deles nunca terem praticado sexo, como deixa claro um comercial que promove a curiosa atração. Nele, o casal formado por Ryan, de 31 anos, e Shanna, 27, dá seu primeiro beijo em pleno altar, logo após os dois dizerem “sim” e aceitarem um ao outro como marido e mulher. Tal qual uma criança que imita desajeitadamente uma cena de filme, o rapaz beija a noiva de maneira atabalhoada e acaba provocando gargalhadas inevitáveis nos convidados e nos familiares. O beijo de Ryan não espanta só por ter sido o primeiro dado em sua noiva, mas por ser o primeiro em toda a sua vida – o que é bem esclarecedor sobre a falta de habilidade dele. Shanna já tinha beijado outro rapaz, vivência insuficiente para promover o mínimo de jogo de cintura na cena.

Apesar da farra que o reality promove diante da inexperiência extrema dos casais, a questão de manter a virgindade até o casamento está longe de ser fator isolado num programa de televisão. Jovens decidem ter a primeira relação sexual só após trocarem alianças. Essa decisão é majoritariamente influenciada pela religião, mas há também outros motivadores, como a ideia de se guardar para alguém especial.

“Eu tomei essa decisão quando era menina, nem tinha namorado ainda. Eu fui orientada pelos meus pais para entender o sexo como algo bonito, divino, mas que precisa ser feito no tempo certo, que é depois do casamento”, conta Amanda Neuman, que tem 21 anos e mora em Aracajú (SE). Evangélica, ela se apoia na fé para lidar com a sua libido. “O desejo sempre existe, não nego, mas você precisa alimentar o espírito para poder vencer a carne. Como se faz isso? Orando, lendo a bíblia e se evolvendo com as atividades da igreja”, explica Amanda.

Amanda está de casamento marcado para 2012 com o seu noivo, o agente fiscal Danilo Silva, 25, que também é virgem. “É muito mais difícil para o homem. Porque para a mulher ainda é bonitinho ela ser virgem, muitos pais gostam e apoiam. Já o homem tem que perder a virgindade cedo, nem que seja num prostíbulo. Ele é muito mais cobrado”, diz o sergipano, ciente que sua atitude é vista com estranhamento por muitas pessoas. “Nós tentamos lutar o máximo contra o desejo. Ele existe, mas não pode nos dominar. A gente evita conversas, ambientes e pessoas que possam representar tentações”, completa Danilo.

O casal de Sergipe é partidário do movimento pró-virgindade “Eu escolhi esperar”, que surgiu nas igrejas evangélicas e atrai seguidores de outras religiões, como os católicos. A ideia ganhou força nas redes sociais: a campanha tem 72 mil seguidores no Twitter (@EscolhiEsperar) e mais de 135 mil fãs no Facebook. “O objetivo é dar apoio às pessoas que decidem se guardar para o casamento. Muitas vezes os jovens que fazem essa escolha são motivo de deboche dos amigos. É uma maneira de conhecer e conversar com pessoas que compartilham o mesmo pensamento”, esclarece o pastor Nelson Júnior, 35, idealizador do projeto.

O médico Francisco Carlos Anello, ginecologista e especialista em sexualidade, interpreta a valorização da virgindade com um movimento natural na sociedade. “Depois de um período de muita liberdade sexual, como vimos recentemente, é comum surgir uma onda mais conservadora. É cíclico”, diz.Especialista em uroginecologia e professora de sexualidade, Débora Pádua faz ressalvas: “As pessoas precisam estar bem informadas sobre o sexo, mesmo não transando. Elas devem conhecer os próprios corpos e conversar sobre o assunto, para evitar um completo estranhamento na primeira vez”, avalia a expert, que aponta um risco dessa decisão. “Eu já tive casos de homens que se casaram virgens e só descobriram que tinham ejaculação precoce ou alguma disfunção sexual depois do casamento”, alerta Débora.

Danilo diz não ter medo deste tipo surpresa na noite de núpcias. “Se Deus orientou para você fazer as coisas desse jeito, ele organizou todas as coisas para funcionar neste dia também”, aposta

 

Via Gazetaweb



publicado por olhar para o mundo às 21:43 | link do post | comentar

Sexta-feira, 25.03.11

A virgindade está na moda

 

Os Jonas Brothers começaram uma campanha pela castidade usando aqueles anéis que sinalizavam sua opção de manter a virgindade. Várias meninas e meninos seguiram. Justin Bieber anunciou que só fará sexo com amor. As meninas foram à loucura. Um estudo lançado pelo Centers for Disease Control and Prevention’s National Center for Health Statistics, dos EUA, feito com homens e mulheres entre 15 e 44 anos mostrou que os jovens estão preferindo deixar o sexo para mais tarde. Os pesquisadores entrevistaram 13,5 mil pessoas entre 2006 e 2008.

 

Mais pessoas estão preferindo a abstinência. Dos meninos de idades entre 15 e 24 anos, 27% nunca tiveram nenhum tipo de contato sexual (lei-se sexo ral, ou com penetração vaginal ou anl) com garotas. Em 2002, esta porcentagem era de 22%. Das meninas nesta faixa etária, 29% não fizeram nenhum tipo de sexo. O número de 2002 também era 22%. O maior aumento da taxa de virgindade esta entre pessoas de 15 a 19 anos.

 

A partir dos 25 anos, a coisa muda. A pesquisa verificou que praticamente todos os entrevistados com idade entre 25 e 44 anos não eram mais virgens. Entre as mulheres, 98% já tinham feito sexo vaginal e entre os homens 97%. Já o sexo ral com uma pessoa do sexo oposto já tinha sido feito por 89% das mulheres e 90% dos homens. Quando o assunto é sexo anl, a porcentagem cai um pouco. Do total de mulheres, 36% confessaram ter feito e 44% dos homens também (com alguém do sexo oposto).

 

A pesquisa perguntou sobre a orientação sexual dos entrevistados e a porcentagem de homens e mulheres que se identificaram como hetero ou homossexual foram similares. No entanto, a quantidade de mulheres que se disse bissexual foi três vezes maior que a dos homens.

Quando perguntados se fariam sexo com alguém do mesmo gênero, o dobro de mulheres, entre 15 e 44 anos, responderam que sim em relação aos homens da mesma faixa etária. Pelo menos 12,5% das mulheres disseram ter mantido uma experiência com alguém do mesmo sexo comparado a 5,2% dos homens.

 

A autora da pesquisa, Anjani Chandra, estas experiências não seriam apenas incidentes ou vontade de experimentar entre as garotas universitárias, como o imaginário masculino acredita. “Não vimos nenhuma evidência para isso. Vimos o contrário. Quando anlisamos as mulheres cursando o nível superior, elas reportaram menos experiências com o mesmo sexo em relação a outros níveis educacionais. Entre os homens, existe uma tendência maior de experiências homossexuais quando eles têm um nível educacional mais alto. Entre as mulheres, foi o contrário”, disse Anjani.


Parece que a virgindade está na moda entre os adolescentes americanos

 

Via Hypesciense



publicado por olhar para o mundo às 21:53 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 14.03.11

Mulheres árabes

 

As jovens árabes estão a pagar cerca de 2 mil euros por uma cirurgia que restaura a virgindade, um procedimento que, em alguns casos, pode salvar as suas vidas. Para bolsas mais limitadas uma empresa chinesa vende um hímen de plástico por 25 euros

 

A clínica que faz a cirurgia de restauração do hímen fica em Paris e é liderada pelo médico Marc Abecassis.

De acordo com o médico, são realizadas de duas a três operações por semana, que duram em média 30 minutos e requerem apenas anestesia local.

 

Citado pela BBC, Abecassis afirma que a média de idade de das suas pacientes é de 25 anos e provêem de todas as classes sociais. Apesar de a cirurgia estar já a realizar-se em muitas clínicas em todo o mundo, Abecassis é um dos poucos médicos árabes que fala abertamente sobre o procedimento.

 

O clínico afirma que algumas das mulheres que o procuram precisam do certificado de virgindade para conseguir casar-se.

 

Para estas mulheres existe também uma opção sem cirurgia. Um portal de uma empresa chinesa vende hímen artificial por 23 euros. O hímen chinês é feito de elástico, contém sangue artificial e é colocado dentro da vagina para a mulher simular virgindade.

 

Em algumas partes da Ásia e no mundo árabe as mulheres que mantiveram relações sexuais correm o risco de ficar isoladas nas suas comunidades ou mesmo de serem mortas. A pressão social é tão grande que algumas mulheres chegaram a cometer suicídio.

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 09:40 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Virgindade aos 30 anos

O sexo já era, ser virgem...

O preço de voltar a ser v...

arquivos

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

comentários recentes
Ums artigos eróticos são sempre uma boa opção para...
Acho muito bem que escrevam sobre aquilo! Porque e...
Eu sou assim sou casada as 17 anos e nao sei o que...
Visitem o www.roupeiro.ptClassificados gratuitos d...
então é por isso que a Merkel nos anda a fo...; nã...
Soy Mourinhista, Federico Jiménez Losantos, dixit
Parabéns pelo post! Em minha opinião, um dos probl...
........... Isto é porque ainda não fizeram comigo...
Após a classificação de Portugal para as meias-fin...
Bom post!Eu Acho exactamente o mesmo, mas também a...
Posts mais comentados
links
blogs SAPO
subscrever feeds